História Mudanças. (SasuSaku) - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Drama, Hentai, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 167
Palavras 1.918
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Prontinho, mais um capítulo saindo do forno!
Espero que gostem.

Boa leitura e desculpem os erros!

Capítulo 30 - Capitulo 30


Fanfic / Fanfiction Mudanças. (SasuSaku) - Capítulo 30 - Capitulo 30

 

Alguns instantes antes do dia D...

 

                                   

 

                                               Autora

 

- NÃO! VOCÊS NÃO PODEM FAZER ISSO. – Gritava Naruto dentro da Torre do Rokudaime.

 

- E-eu sinto muito, mas são ordens superiores... – disse quase como um sussurro Tsunade com os olhos cheios de lágrimas – E-eu tentei de tudo...

 

- Se vocês chegarem a este ponto, eu não responderei por mim. – disse Sasuke atraindo todos os olhares das pessoas presentes para si – Não me importo com as consequências.

 

Finalizou sua fala já com seus olhos avermelhados brilhando sobre todos.

 

                                           Flashback off

 

                           ***

 

 

                                        Sasuke

 

Desde os acontecimentos na Força Tática de Tortura e Interrogatório da Folha, venho refletindo sobre a ligação minha com a Inner de Sakura. Obviamente, não conseguia chegar a nenhuma conclusão e para pior a situação a mesma se encontrava em coma a mais de um mês.

Todos os dias ando tendo pesadelos. No entanto, não eram mais interligados ao nii-san, agora eu via os olhos esverdeados brilhantes da Inner. Ela dizia algo e eu não conseguia ouvi-la. Por fim, acordava sempre encharcado de suor e ofegante.

 

Conforme os dias iam se passando, era angustiante. Eu tentava afastar meus pensamentos voltados a Haruno para conseguir refletir melhor sobre a questão de sua entidade desconhecida, mas era uma tentativa falha. Estava completamente desesperado pelo seu estado. Mas claramente tentava não transparecer isso as outras pessoas.

Sempre me pegava relembrando do nosso ultimo momento juntos na floresta. Parece que a cada encontro intimo em que temos, mas essa chama ardente em meio ao meu peito grita para ser aceso por ela.

Isto não quer dizer que estou fugindo dos meus sentimentos com a rosada, mas realmente precisava compreende-los melhor. Só de pensar em magoá-la mais uma vez me pesava na consciência. Então, era necessário deixar com que as coisas fossem acontecendo no seu devido momento, até para nos conhecermos melhores, afinal nos tornamos pessoas adultas.

 

Uma vez ou outra, normalmente após meus pesadelos eu cruzava a vila caminhando em busca de ar fresco durante a madrugada, mas acabava parando em cima de uma arvore que dava acesso a vista do quarto de Sakura.

Não sei quanto tempo ficava a observando, mas me doía mais ainda perceber que a mesma não acordava, ou dava qualquer sinal de vida.

 

 

      ***

 

 

Não era só a mim que essa espera pela volta de Haruno estava causando mal. Naruto ia visita-la todos os dias. Ficava horas em seu quarto a observando sentado em uma poltrona que tinha ao lado da cama. Sempre acabava pegando no sono e eu o acordava para ir descansar e ficar com sua esposa, a Hyuuga.

Afinal, a mesma estava com uma protuberância já notável em meio ao seu ventre. E era justamente este pequeno ser que se formava que acabava tirando os pensamentos negativos do Uzumaki e o confortando seu coração.

 

 

             ***

 

Dia D...

 

 

Estava amanhecendo quando ouvi umas batidas vindo da janela ao lado de minha cama. Levanto com certo susto, afinal não ando dormindo tão bem e qualquer barulho acabava me pegando desprevenido.

Vou de encontro ao local do barulho e vejo um Anbu encostado na arvore a frente da janela.

 

- Rokudaime está o convocando imediatamente para a Torre. – disse o sujeito e logo sumindo numa cortina de fumaça.

 

Assim que ele terminou a frase, senti um arrepio percorrer meu corpo. Algo estava para acontecer e obviamente não seria nada bom.

 

Então, vou ainda hesitante em direção ao banheiro, faço minhas higienes matinais. Fico de certa forma um instante me encarando no espelho. Eu estava com uma aparência péssima. Meus olhos estavam banhados com uma olheira profunda e havia alguns pelos desleixados crescendo sobre meu rosto.

Após tais constatações, volto para meu quarto. Pego minhas roupas habituais ninjas, juntamente com a capa sobre meu corpo. Me sentia mais confortável e discreto com ela.

Fui em direção a saída da casa, mas antes de atravessar a porta, dou mais uma olhada para a residência. Ainda estava me acostumando a voltar a morar no distrito de meu clã e nesta antiga casa cheia de lembranças. Suspiro profundamente e encaro a frente para o que estar por vir.

 

 

            ***

 

 

Chegando em frente a porta da sala principal do prédio, já conseguido sentir alguns chakras conhecidos exalando de dentro.  Dou duas batidas leves na porta, logo em seguida ouço a permissão para entrar, respiro fundo e abro a maçaneta seguindo para o centro do cômodo.

Vejo olhares pensarem sobre a minha pessoa, principalmente de Kakashi. Era um semblante sério que a muito tempo não tinha visto.

Foi a partir deste momento que engulo a seco a saliva que brotava em minha boca e sinto minha única mão transpirar.

 

- Oy, como todos chegarão posso começar a falar. Eu peço para que todos tenham a compreensão que não está sendo fácil para mim de ter que aceitar tal condições. – Começou a se pronunciar Hatake.

 

- O QUE ESTÁ ACONTECENDO? NÃO ENROLA. É A SAKURA-CHAN? – já dizia Naruto com tom deveras alterado e sinceramente, agradeci mentalmente pela sua ansiedade pois de fato também compartilhava da mesma.

 

Vejo então Kakashi abaixar o olhar e ficar em silêncio, assim como o Shikamaru Nara ao seu lado. Alguns instantes depois, vejo a sannin Tsunade desencostar da parede e andar alguns passos até encontrar o apoio da ponta da mesa que se encontrava no centro da sala. Ela não erguia seu olhar em nenhum instante e se pronunciou mesmo assim:

 

- Todos nos sabemos que já faz mais de um mês que ela não responde a nenhum tratamento. – Começou dizendo com uma voz firme e seria. Sinto meu corpo transpirar ainda mais e noto ao meu lado que Naruto já fechava seu punho. – E-eu realmente não sei como dizer isso... – continuo já com a voz embargada devido ao choro se fazendo presente – DROGA! ISSO É INJUSTO. – Após gritar tais palavras a mesma soca a mesa fazendo com que se quebre e sua mão levemente começa a cair algumas gotículas de sangue.

 

- KAKASHI, FALE DE UMA V – começou a gritar o Uzumaki indo para cima do nosso antigo sensei mas foi cortado com a pronunciação do mesmo.

 

- Hoje é o prazo do ultimo dia que podemos deixa-la viver com os aparelhos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um silencio pairou sobre a sala. Sinto minha boca se abrir e fechar inúmeras vezes e minha respiração ficar ofegantes. Olho para o lado e percebo o ninja que mais tinha determinação e força que eu conheço, desabar no chão sobre suas próprias pernas em prantos. Assim como a minha, era possível escutar sua dificuldade para respirar.

 

- Eu p-preciso que vocês fiquem calm... – ia dizer o sensei mas o corto com brutalidade em minhas palavras ásperas.

 

 

 

 

- CALA BOCA! NÃO OUSE TERMINAR ESSA MALDITA FRASE.  

 

 

 

 

- VOCÊ ACHA QUE É FACIL PARA MIM? – responde alterado Kakashi já se levantando do restante que sobrou da mesa e batendo de forma bruta na parede que se encontra atrás de sua cadeira. – ESTÁ ESCRITO NA MALDITA LEI E EU NÃO POSSO ALTERAR A MESMA.

 

 

 

 

 

 

Em frações de segundos vejo um vulgo passar do lado, cruzando o restante do caminho que faltava ate a figura do mais alto escalão da sala e o segurar pelo pescoço.

Arregalo meus olhos na cena em que estava presenciando assim como os demais. Era Naruto está pessoa que já estava com seus olhos num tom avermelhado domados pela raiva incandescente e deixando fluir a Kurama sobre seu corpo.

 

Demoro alguns instantes, mas meu corpo age de força rápida segurando o mesmo para que volte a ter consciência de seus atos. Este não era o pirralho medroso que conhecia a alguns anos atrás. Na verdade, jamais imaginaria tal ação vinda do mesmo.

 

- EU NÃO ME IMPORTO COM QUALQUER LEI. – disse o Uzumaki trincando os seus dentes enquanto encara Kakashi e o mesmo estava com os olhos arregalados devido a ação de seu antigo aluno – ELA JAMAIS DEIXARIA ISTO ACONTECER COM VOCÊ SE FOSSE AO CONTRARIO, SEU INGRATO! – já era possível ver as lagrimas caírem de forma exacerbada sobre o rosto do loiro enquanto eu o continha com ajuda do meu Susanoo – É ASSIM QUE VOCÊ AGRADECE DEPOIS DE TODOS ESSES ANOS A SUA ALUNA QUE CUIDOU DE VOCÊ?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O silencio se paira na sala de forma gigantesca. Ninguém se movia além das respirações que tentavam voltarem ao normal dentro daquela pequena sala, onde parecia que ar havia acabado.

Não demorou muito para que várias figuras com trajes dos Anbus aparecessem na sala em posições estratégias sobre o Naruto. Eu não percebi quando meu sharigan já estava ativo e observava a todos atentamente.

 

 

- Naruto, se afaste do Rokudaime, agora. Eu sei que não está em plena consciência para agir como tal. – pronuncia pela primeira vez o Nara, já se aproximando do mesmo e tocando seu rosto com as palmas de suas mãos.

 

 

Uzumaki não diz nada, e então num ato frio retira as mãos de seu colega que estava sobre seu rosto e se afasta para o local onde estava.

 

 

 

 

- E-eu juro, eu não sei o que f-faz... – dizia a Senju em prantos, mas foi interrompida novamente pelo Uzumaki.

 

- NÃO! VOCÊS NÃO PODEM FAZER ISSO. – Gritava Naruto em meio ao desespero.

 

- E-eu sinto muito, mas são ordens superiores... – disse quase como um sussurro Tsunade com os olhos cheios de lágrimas – e-eu tentei de tudo...

 

 

- Se vocês chegarem a este ponto, eu não responderei por mim. – Comecei a me pronunciar pela primeira vez dentro recinto e logo atraindo os olhares pesados sobre a minha figura e então prossegui minha fala de forma firme – Não me importo com as consequências.

 

 

Assim que termino a frase, vou em direção a saída, deixando todos para trás.

 

 

     ***

 

 

Assim que saio do prédio sinto um nó se formar em minha garganta. Eu queria gritar em meio ao desespero. Eu realmente iria perde-la?

Sem perceber meu corpo começa a se mover sozinho de forma atormentada em direção ao hospital, pulando sobre as casas e sentindo as lagrimas que insistam em cair mesmo sem permissão. Agradeço mentalmente de não estar mais próximo a ninguém conhecido. Me sentia totalmente fraco. Eu precisava vê-la imediatamente para retirar um pouco desta minha dor que cavava em meu peito.  

 

 

 

    ***

 

 

Chegando ao hospital, não faço o esforço de entrar pela entrada principal e sim pela janela do seu quarto. Assim que entro, seco meu rosto que ainda permanecia molhado. Respiro fundo e descompassadamente devido aos soluços.

 

 

 

Droga.

 

 

 

 

Sigo o caminho que faltava entre mim e a cama em que ela repousava. O único som possível de se ouvir neste instante era dos aparelhos que ainda a mantinha viva.

 

Em um ato inconsciente toco suas mãos que se encontrava levemente fria e pálidas. Pego-a com minha única mão, segurando de forma firme.

 

- A-acorde, por favor. – sussurrei quase inaudível e continuei. – Eu sei que nunca estivesse presente o suficiente aqui como estou agora: ao seu lado. Nunca fui uma pessoa amorosa quanto o Naruto que sempre se preocupou com você. Mas sabia que desde que voltei, eu jurei a mim mesmo mudar. Principalmente com relação a você – as lágrimas começam a brotar de meu rosto – E-eu senti tanta sua falta durante esses anos...me dê uma chance para te fazer feliz.

 

 

 

O silencio continuava sobre a sala.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No entanto, depois de alguns minutos sinto seu corpo se esquentar de forma gigantesca. Seu chakra começa a se alterar e me faz apertar involuntariamente sua mão.

 

 

- Sakura?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Logo um par de olhos brilhantes esverdeados me encarava de forma gélida. Eu a conhecia.

 

 

Inner. 


Notas Finais


O que irá acontecer? Façam suas apostas! kkkkk


até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...