História Mudando a si mesma - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sakura Haruno, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Aceitacao, Amor Próprio, Baixo Autoestima, Casais, Colégio, Drama, Kibakarin, Kibaten, Nejiten, Tenten
Visualizações 9
Palavras 911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, meus amores. Tive essa ideia quando estava vendo um vídeo do nosso querido Luba e, uma parte — o começo, para ser mais específica — é baseado em um comentário de um fã dele.

A capa da Fanfic vai permanecer essa — bosta — porque eu, infelizmente, não tenho esse dom artístico de fazer capas maravilhosas. Caso alguém queira fazer para mim, eu agradeço, qualquer uma é melhor que essa, na verdade, eu só peguei uma imagem do pinterest, vida que segue.

Ainda não tem um casal definido, apesar de ter NejiTen nas tags. Boa leitura e espero que gostem <3

Capítulo 1 - Há um passo da decepção


Fanfic / Fanfiction Mudando a si mesma - Capítulo 1 - Há um passo da decepção

 

Tenten Mitsachi

Yokohamana - Japão.

Um dia antes da desgraça acontecer comigo.

 

 

Minha manhã tinha tudo para ser tranquila, porém algo, ou melhor, alguém foi capaz de estragar tudo. E esse alguém, eu normalmente chamo de mãe.

— MÃE! — Eu gritei chocada olhando para a mulher mais velha que segurava um balde enorme. Exatamente. A desgraçad-, quer dizer, minha mãe havia jogado água em mim. Ela ainda sorria cínica enquanto me encarava, eu não mereço isso. — Posso saber o porque disso? Sua velha doida.

Em questão de segundos, o seu sorriso cínico sumiu e seu rosto se contorceu em uma careta. Ela odiava ser chamada de velha, doida até que vai, mas velha não. Ela me deu um soco na cabeça forte o suficiente para me deixar mais demente. 

— Idiota! — Ela falou e sinalizou na direção do meu celular — Veja as horas, está atrasada de novo.

Após isso, ela saiu do quarto e eu peguei meu celular, talvez ela esteja mentindo, perdi as contas de quantas vezes ela fez isso. Tirei minha senha e depois de admirar a minha linda foto que estava de papel de parede, eu fui olhar as malditas horas.

8:53 MP. Era isso que meu celular me mostrava e as minhas aulas começavam as 8:30, ou seja, ferrou. 

— MÃEEEEEE! — Gritei nervosa e me levantei. Ela respondeu ao meu chamado e, enquanto eu vestia meu uniforme, gritei de novo: — POR QUE NÃO ME ACORDOU?

— E EU TENHO CARA DE DESPERTADOR? — Revirei os olhos com sua resposta e após finalmente terminar de colocar o maldito do meu uniforme, reparti meu cabelo em dois e fiz meus dois coques.

Horrível. Esse foi o meu inevitável pensamento ao me encarar no espelho que minha mãe fez questão de colocar no meu quarto. 

— VAI TENTEN, SE VOCÊ NÃO ENTRAR, EU VOU TE ESPANCAR! — O grito da velha me despertou e eu peguei minha mochila. É bem capaz dela cumprir essa ameaça, não seria a primeira vez.

Corri até o banheiro que, para a minha sorte, era ao lado do meu quarto. Escovei meus dentes e dei uma barrigada, afinal, eu não curto muito cagar no colégio.

"Velha maluca". Esse pensamento invadiu minha mente e meu rosto se contorceu em uma careta ao ver ela dançando distraidamente na pequena cozinha. 

— Aqui, sua praga — Ela falou e me entregou um pote rosa. Meu obento. — Escovou os dentes?

Confirmei enquanto pegava o obento e guardava.

— Deixa eu ver, sorria — Ela manda e eu solto um largo sorriso. Ela faz uma cara satisfeita e passa a mão no meu cabelo. — Eu já lhe falei para arrumar mais esse cabelo para ir ao colégio.

— Tá, tá, posso ir? — Perguntei impaciente. Quando ela estava em casa, sempre fazia isso.

Ela sorriu e falou para eu tomar cuidado. Apenas sorri e lhe dei um beijinho na bochecha; apesar de todas as surras, eu amo aquela velhota.

Assim que eu sai de casa, passei a correr o mais rápido que eu conseguia. Esbarrava nas pessoas e murmurava um rápido pedido de desculpas, alguns me xingavam enquanto outros apenas ignoravam. Normal. 

Cheguei no exato momento em que o porteiro ia fechar o portão. O velho maldito fechou a cara ao me ver e eu apenas sorri vitoriosa, não seria dessa vez que eu ficaria no lado de fora.

— Bom dia, senhor porteiro — Cumprimentei educada por mais que minha vontade seja bater nesse idoso até ele não ter mais condições de respirar. Ok, isso não soou tão bem.

Ele me ignorou como quase todas as vezes, mas isso não foi o suficiente para me abalar. Tinha que ser algo muito maior para estragar meu dia, meu bem.

Caminhei depressa até a minha sala e percebi que a pior professora já havia entrado e, nesse exato momento, estava dando aula. Merda, que praga, ela sempre chegava atrasada e logo hoje foi chegar cedo. Sorte de merda. Colégio de merda. Professora de merda.

— Tenten? — Uma voz fina e ao mesmo tempo delicada me despertou dos meus pensamentos que consistiam em faca sangrenta e uma professora indo ao hospital.

— Ah, Hinata — Murmurei e coloquei um sorriso em meu rosto. Ela estava ao meu lado, provavelmente havia ido beber água.

— Está atrasada — Ela falou e eu nada falei, apesar de sentir vontade de soltar um "Nossa, jura?". Ela corou e olhou para baixo — É-é, d-desculpa, q-quer que eu c-chame a p-professora?

Apenas assenti e a morena entrou e eu pude ver pelas janelas que ela realmente tinha falado com a professora. A mulher assentiu e em questão de segundos abriu a porta.

— Professora, desculpa — Eu falei e me curvei em respeito. Ela soltou um "tsc" e ergueu a sobrancelha direita.

— Está atrasada, Mitsaschi. — Eu me levantei e assenti.

— Sim, professora. E é Mitsashi — Corrigi e ela deu de ombros.

— Não me importa o seu sobrenome, apenas entre logo antes que eu mude de ideia e você fique ai fora — Ela falou grossa e eu sorri 

Eu vou matar ela, eu vou matar ela, eu vou matar ela. Repetia em meus pensamentos, isso é quase como um mantra. 

Ignorando todos os olharem em minha direção, abaixei minha cabeça e fui para o meu lugar. Odiava toda essa atenção e era por isso que eu odiava chegar atrasada, mas eu não consigo evitar, toda maldita vez eu me atraso.

— Novamente atrasada? — Uma voz masculina falou ao meu lado e eu pude perceber seu tom brincalhão. Kiba Inuzuka, meu único amigo nessa escola e o garoto pelo qual estou apaixonada.


Notas Finais


Um capítulo bem curtinho e espero realmente que gostem <3. Eu aceito críticas construtivas já que eu procuro sempre melhorar e eu realmente espero que me avisem sobre os erros de português e, desde já, peço desculpas se houver algum erro de gramática!

Comentários e favoritos são sempre bem vindos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...