1. Spirit Fanfics >
  2. Mudei por você (Haechan - NCT) >
  3. Na Jaemin - extra

História Mudei por você (Haechan - NCT) - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Vou deixar vocês se surpreenderem

Capítulo 10 - Na Jaemin - extra


                      Jaemin;

Eu ainda me pegava pensando no que a Yuna havia dito. Que ela queria distância de mim, se eu continuasse encontrando Jeno mas que ainda me amava. Aquela garota só me deixava mais confuso em relação a tudo.
A porta rangeu, mostrando que alguém estaria entrando, em alguns segundos, no meu quarto e eu sabia quem era, assim como eu sabia o que tinha que fazer. Vi Jeno fazer um pequeno desfile, ele fazia isso quando queria algo – e era sempre aquilo – e me olhar em seguida.

- Precisamos conversar – disse antes que ele atacasse meu pescoço e eu cedesse ao seu toque – Não do jeito pervertido que você está pensando, se idiota.

- Então, o que é? – perguntou e eu sabia que ele queria jogar nossa discussão pra cima e começar a me beijar o mais rápido possível – E já que não vamos fazer nada mesmo, seja rápido. A Haseul quer me encontrar ainda hoje.

- Você não acha errado o que a gente está fazendo? – fiz a pergunta olhando fixamente no rosto dele, ele não podia achar os nossos atos corretos – Você tem uma namorada, e eu sei que não pretende terminar com ela por minha causa.

- Jaemin – ele pôs as mãos na minha bochecha, não queria e não podia ceder qualquer coisa para ele, porém ele sabia muito bem o que precisava fazer – Eu não posso terminar com ela.

O chão sumiu sobre os meus pés por um momento.

- Você se importa tanto assim com sua popularidade? – soltei sem tentar não magoá-lo, aquilo já havia ido longe demais e eu não sofrerei por causa de um garoto idiota – Eu só quero saber o que aconteceu? Pra você sentir interesse por um garoto, sendo que você tem a porra de um relacionamento! Não seria mais fácil continuar com a sua namorada sem graça e feminina.

- Jaemin... – falou como se fosse um sussurro, um pedido para que eu parasse com tudo aquilo – Me perdoa...

- Não, eu não vou te perdoar de maneira alguma, você me machucou de tantas maneiras que eu não posso nem explicar como eu me sinto em relação a isso tudo – minha voz já estava começando a ficar alterada, causada pelo nojo e irritação que eu sentia pelo garoto em minha frente – Agora, Ler – o chamei pelo sobrenome, ele odiava isso – Saia do meu quarto ou eu vou contar tudo para todos nessa merda de escola, e você sabe que eu não minto em momento algum, na realidade, uma das razões do nosso término é isso – as palavras saiam tão facilmente da minha boca, como se eles estivessem presas lá à algum tempo, e eu não duvido de que essa seja a realidade – Eu não aguento mais mentir para mim mesmo, achando que você vai me escolher ao invés dela, porque você é muito covarde para fazer isso.

- Você não sabe o que está falando, não mesmo – conseguia sentir o quanto ele estava surpreso de eu terminar com ele, e não o contrário – Isso não vai acabar assim, não pode. Você me quer, você precisa de mim, senão você só vai ser mais um gay punheteiro na Coreia do Sul.

- Adivinha só, Lee – sabia que isso era a maneira certa de agir, ou seja, eu não me arrependia de nada que eu falava ou do que eu estava fazendo – Eu não me importo com o que você pensa de mim, e você é a porra de um peso nas minhas costas e eu simplesmente não aguento mais ter o meu psicológico abalado por uma pessoa tão idiota e miserável como você.

- Então, acabou? – perguntou, a ficha ainda não tinha caído para ele, mas, para mim, ela já estava até enterrada – Você quer dizer que é assim que isso tudo vai acabar?

- Sim – respondi depois de tomar o resto de coragem que me tinha – Acabou, Lee, dessa vez, nada que você faça vai me fazer mudar de ideia, nada mesmo – pensei mais um pouco, aquele era realmente o fim de tudo, e não achava que seria tão gratificante e bom para mim – Agora, saía da porra do meu quarto!

(...)

Já fazia quatro horas desde que eu e Jeno havíamos terminado; assim como fazia quatro horas que eu me sentia mais leve e livre, do que jamais senti em toda a minha vida. Havia contado tudo para Haseul, vulgo a namorada do Lee, e ela simplesmente surtou, possivelmente estava brigando com ele até agora e eu não a julgo por isso, acho que qualquer pessoa que fosse traída e enganada por tanto tempo como aconteceu com ela.

E, por incrível que pareça, ela agradeceu a mim por ter sido corajoso o suficiente para ter contado para ela. Porém, eu recebi um tapa mais do que forte no meu rosto. Pedi para ela chamar a Yuna, e eu espero que ela tenha o feito, porque eu não aguento ficar brigado com a minha melhor amiga, eu a amo, não quero ficar longe dela nem por um instante. Ouvi a porta ser aberta atrás de mim, me virei de maneira brusca, implorando para todos os santos que fosse Yuna ali, esperando para falar comigo.

- Oi... – ela disse, e todo aquele peso que eu sentia sobre os meus ombros se esvaiu por um momento – A Haseul disse que você queria falar comigo.

- Nós precisamos conversar.

Afirmei e sabia que aquilo seria o suficiente para podermos começar a conversar e ninguém tinha ideia de como eu estava precisando disso. Yuna é minha melhor amiga a tanto tempo que eu nem lembro de quando eu vivia sem ela, bem, isso era um exagero, mas eu não me recordava com clareza.

- É hora de você esclarecer o que anda acontecendo entre você e o Jeno – a recente morena disse, sem enrolações, do jeito dela de ser.

Mas aquele simples frase me fez lembrar do dia onde tudo começou.

Eu era o último a ficar no vestiário, novamente. Todos os garotos saíam primeiro, como se quisessem passar o menor tempo possível com o garoto estranho. Enrolei minha toalha na cintura e fui até o meu armário, me sequei rápido e fui fazendo a clássica rotina de um garoto após um belo banho. Não pude me vestir antes da figura do Jeno me empurrar contra os armários e naquele momento eu fiquei totalmente e completamente suspeito.

- Eu não esperava que você fosse ser bonito assim, esperava bem menos – franzi o cenho com uma mistura de surpresa e confusão, mas que merda estava acontecendo?

- Mas que porra? Se afasta de mim, seu desgraçado – gritei após sentir as suas mãos agarrarem meus pulsos – O que você quer?

- Você – segundos depois senti os lábios do Ler encostarem nos meus e mais alguns momentos depois pude finalmente sentir a língua dele adentrar a minha boca.

E já se deve imaginar o que aconteceu depois.

- Puta merda – ri com a fala dela, depois de terminar a história de como tudo havia começado – Puta que pariu, meu amigo, puta história, estou até orgulhosa.

- Eu não sei o que foi que passou na cabeça dele para me beijar – dizia enquanto fazia gestos com as mãos, como se aquilo ajudasse a esclarecer o que eu estava tentando dizer – Mas simplesmente aconteceu, se eu me arrependo? Sim. Faria de novo? Sim. Levei um tapa na cara por causa disso? Sim. Só que eu não acho que essa seja a questão aqui – senti uma lágrima escorrer pela extensão da minha bochecha, ela percebeu e me envolveu em um abraço, como ele sempre fazia quando eu me sentia mal.

- Vai dar tudo certo – disse ela fazendo um carinho leve no meu ombro – Aquele idiota não merece as suas lágrimas, não mesmo.

(...)

Eu, Yuna e Haechan decidimos sair juntos, eu estava me sentindo o próprio tocha humana com aqueles dois juntos. Eles davam risadinha, selinhos e abraços a todo momento. Sei que eles só me chamaram em uma tentativa falha de me fazer sentir melhor. Mas confesso que estava com inveja da Yuna, ela finalmente havia se permitido se apaixonar e foi por um cara muito legal, coisa que eu venho sugerindo pra ela a muito tempo.

- Voces dois me dão nojo, sinceramente – os namorados riram da minha fala, mas continuaram com os próprios mimos, ou seja, o que eu disse não funcionou como o esperado.

Um celular tocou, e Yuna logo o atendeu, me fazendo diluir o mistério de quem era o dono.

- Certo – foi tudo que ela disse antes de encerrar a ligação – Na Jaemin, eu e o Haechan temos uma surpresa para você.

- Como assim?

E foi quando eu o vi, Lee Jeno andando até a nossa mesa, estava com uma roupa bonita e com os cabelos arrumados. Mas o que eu mais queria saber naquele momento era o que estava acontecendo.

- Na Jaemin, esse é o colega de time do Haechan, Lee Jeno, ele veio para cá te fazer companhia – ela dizia tão calmamente que chegava a me dar raiva por eu ser amigo dela, em que merda ela estava pensando?

- Yuna, que palhaçada é essa? – pergunto ainda revoltado com o que estava acontecendo, eu havia terminado com ele, o que ele estava fazendo ali?

- É o início do seu namoro, mais do que esperado – os dois se levantaram, ela primeiro e depois com um puxão nada discreto o Haechan – Se divirtam, meninos, eu e o Haechan vamos ter que sair mais cedo – Yuna saiu puxando ele até a porta, para que os dois pudessem sair.

- Eu queria me desculpar – o moreno disse e eu pude finalmente sorrir depois de algum tempo – E te dizer, Jaemin, que eu te amo.

- Meu deus do céu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...