História Mugunghwa - Long Imagine (Jungkook) - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Imagine, Jeon Jungkook, Romance
Visualizações 51
Palavras 1.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaa, meus amores e amoras!!! Como estão???

Como sempre, um dia atrasada, maaas, apareci hahaha


Obrigada Heets, BabiW12, liz_794_park, Aliencornios, alannacarlacruz, Miinji e luaaah3luli por terem favoritado! Sejam bem vindos...


Sem enrolar, boa leitura 💜

Capítulo 22 - Só Por Um Papel


Fanfic / Fanfiction Mugunghwa - Long Imagine (Jungkook) - Capítulo 22 - Só Por Um Papel

                  (S/N On)

   Olho para aquele velho café 24 horas que foi o meu primeiro trabalho na cidade. Está mais cheio do que eu esperava, meus olhos passam rapidamente por todo o canto do lugar, procurando meu Etzinho.

   Num canto, vejo um pessoa sentada em posição fetal, com o rosto apoiado entre os dois joelhos. Aproximo-me sem que ele perceba e acabo por assusta-lo ao me sentar na sua frente.

   - Não deveria sair de casa tarde assim - ele ainda se dá o trabalho de ficar preocupado - Volte para casa.

  - Não vou a lugar nenhum - pego sua mão e faço carinho nas costas desta - Acabei de chegar.

      Ele não fala nada, apenas permanece como está. Seu rosto carrega tristeza, assim como seus ombros corcundas e cansados. Taehyung está pálido, como se não comesse há um tempo já, o que me deixa com o coração ainda mais apertado.

    Chamo o garçom e peço um café, com uma "torta" de morango para nós dois. Era o que ele costumava pedir quando vinha aqui...

   Quando tudo chega, ele diz que não quer comer, e empurra tudo na minha direção.

  - Taehyung oppa, por favor - empurro de volta para sua frente.

   - Já disse que não quero!

   Seu tom de voz se eleva, e eu apenas respiro fundo, procurando paciência para isso....

  - Mas eu comprei especialmente para você, Kim TaeTae - tento ser fofa, mas ele volta a dizer que não comerá aquela "bosta".

    Bufo irritada.

  - Escuta, Kim, você vai comer essa porra queira você ou não, ouviu? - falo séria, mas permanece calma - Independente se você está sofrendo ou não, você vai comer isso!

    - Calado! - falo antes que ele conteste, e ele senta direito, dando as primeiras garfadas no cheesecake.

      Quando ele termina de comer, ainda não estou nem na metade. Ele realmente estava faminto...

   - Agora a gente pode conversar.

    Kim faz uma careta, como se não quisesse aquilo.

   - Taehyung! Estou falando sério! Pare de agir assim - empurro o resto da minha torta para ele, já cheia. Havia jantado demais - O que raios está acontecendo? 

  - N-não sei também - ele dá mais uma grande colherada no doce - Eu tenho certeza que ela fez de propósito. Ela beijou Sehun na minha frente para fazer ciúmes em mim.

  - Não fez, Taehyung - falo compreensiva - Ela não fez... Estava frustrada e fez isso, mas você passou na hora.

  - Mentira - ele faz que não com a cabeça, chateado.

  - Anyeo!!!! Tae, é sério! - bufo frustrada - O que aconteceu antes??

   - Irene disse que gostava de mim - ele fala tossindo, com vergonha - E eu... Disse que não queria ele.

   - Por que??? Você mesmo disse que gostava dela! 

  -Não quero vacilar de novo - ele disse para eu simplesmente deixar isso para lá, já que não tinha nada a ver comigo.

   Apesar de ficar chateada com a sinceridade, concordo com ele e vamos juntos para casa.

                          (...)

   Jungkook me manda uma mensagem agradecendo por ter feito Kim voltar para casa, e agradeceu pela noite. Vou dormir como uma boba novamente! Como ele podia ter tanto efeito sobre mim?

                         (...)

   Acordo no susto. O sonho que eu havia tido me deixa com o coração acelerado... Pego o celular para ver que horas são, e infelizmente estou atrasada.

   Levanto com impulso e começo a colocar a roupa correndo, tentando pentear o cabelo. No espelho, percebo que para melhorar, estou cheia de espinhas e meu cabelo penteado não está funcionando.

   Faço um rabo e coloco uma base que não consegue esconder perfeitamente. Coloca a longa meia da escola e calço o tênis correndo.

   Puxo minha mochila e tranco a porta. Corro pelas escadas, tentando melhorar meu estado ao longo do caminho.

   Nenhum ônibus vai passar a tempo e minha bicicleta está na casa dos meninos. Vou correndo mesmo, com tudo voando... Eu havia esquecido o meu casaco e estão 2 graus.

                           (...)

   Bato na porta da sala e o professor faz um sinal para eu entrar depressa. Procuro ao meu redor meu menino, ele está encarando a janela no fundo da sala, ignorando o slide que o professor passa para toda a sala.

   Uma cadeira vazia do seu lado e eu corro até lá sorridente. Dou-lhe um beijo na cabeça, não querendo fazer nenhum barulho, mas por algum motivo ele apenas me ignora ainda fitando a janela.

  - Jungkookie? - o chamo baixinho, sendo repreendida logo em seguida pelo professor.

  Por que ele está bravo?

                           (...)

   Quando o sinal bate, o senhor mal-humorado levanta e sai sem me esperar. Com toda a calma do mundo, vou pegando o meu lanche na mochila e terminando de arrumar as coisas.

   Eu não havia feito nada para ele então não tem por quê. Apesar de dizer que não me importo, não queria que ele ficasse assim.

  Quando viro para sair da sala, acabo por esbarrar em alguém e me curvo imediatamente como desculpa.

   - Não precisa dessa palhaçada - a voz conhecida fala com rigidez - Por que você tem que estragar minha vida assim?

   Subo meu olhar até encontrar os seus. IU parece irritada pelo fato de eu estar parada na MINHA cadeira. Dou de ombros sem me importar com o que ela diz.

  Tento passar, mas ela coloca o braço na frente.

  -Onde pensa que vai? Senta essa sua raba gorda aí - ela me empurra para trás, fazendo-me cambalear - Você o roubou de mim e acha que tudo bem?

  - Não roubei nada de ninguém, menina - reviro o olhos e tento passar novamente, mas o ato de ser empurrada se repete.

   Respiro fundo e continuo andando, porém, insistentemente ela segura minha mão com mais força.

  - Escuta, IU, eu até entendo que sua inveja está grande demais para caber nesta sala - sorrio ao ver rugas de raiva surgirem no seu rostinho - Mas não precisei roubar nada de ninguém não, anjo. Sinto muito se você ficou para trás.

   Seus olhos marejados carregam agora uma grande raiva de mim, mas imediatamente sua expressão muda por completo ao ver algo na porta.

    Giro o meu corpo para trás e dou de cara com seu peito. O cheiro cítrico enfiado no meu nariz me faz gelar. Ele havia ouvido tudo e provavelmente estava bravo comigo, ainda mais com essa expressão de coitada da mais velha.

  - N-nao queria ser rude - ela fala dengosa para Jungkookie - Você sabe disso né, estrangeira?

    Uma raiva sobe por todo meu corpo, tensionando cada músculo meu. Antes que eu pudesse responder ele coloca suas mãos quentinhas na minha...

  - Não tem nada melhor para fazer não, Lee Ji-eun? - o menino é ríspido - Melhor procurar algo mais produtivo para fazer.

    Seu queixo cai, impressionada pelas palavras jogadas em cima de si, e com resmungos baixos, ela esbarra no meu ombro e sai da sala.

  - Obrigada, Kookie - viro-me novamente para ele, mas o mais velho já estava indo embora pelo corredor.

     Ele estava bravo comigo. O negócio é que não havia feito nada... Toda vez que eu o alcançava, o menino acelerava o passo me deixando pra trás.

  Quando chegamos no refeitório, com os outros dois menino já nos esperando, um vento gelado bate contra mim, e meu corpo todo começa a tremer. Maldito casaco.

     Vou caminhando calmamente, até conseguir ouvir meus dentes batendo uns contra os outros. Jeon tira seu próprio moletom e o joga em cima de mim.

     Sentamos calados.

  - Achei que só Jungkook-shi estava bravo hoje - Jimin dá uma mordida no seu muffin.

  - Já disse que não estou de mal-humor - ele cospe as palavras no oppa.

  - Está sim - um arrependimento imediato surge.

    Sem fazer nenhum barulho, Jeon pega um dos papéis que eu havia lhe dado noite passada e me entrega.

  - Quando ia me contar sobre isso? - seu tom de voz é tão baixo que mal posso ouvir. Os meninos a nossa frente parecem confusos também.

  - Como assim? - pisco atônita - Eu te expliquei tudo sobre Jihyo ontem... Tudo o que está no papel.  

  - ____________, você me deu o papel errado - ele suspira fundo e continua comendo seu hambúrguer.

   Pego o pedaço que está em cima da mesa e percebo que era o que eu havia achado no meu armário no outro dia, e havia colocado no bolso...

  - Ah, eu ainda não havia parado para ver este - sorrio sem graça por ter sido esse pedacinho de nada que o deixou bravo - Desculpa se tem algo errado; colocaram no meu armário.

    Ele se surpreende com a minha sinceridade e puxa o papel da minha mão. Tento pegar de volta, porém, inesperadamente, ele faz uma bolota e enfia na boca.

   - Qual o seu problema? - pergunto ao perceber que seu comportamento está realmente estranho hoje - Jungkook, está doido? 

  - Ele acordou estranho mesmo - Taehyung parece encobrir algo que o menino esconde - Finge que não percebeu.

   Frazo o cenho confusa e dou de ombros ao ver ele tirar o papel molhado demais para ser lido. Bom, tanto fazia, pelo jeito era uma brincadeira de mal gosto.

  - Como está TaeTae? - desvio a atenção da maldita bola.

  - Melhor na verdade - ele diz como se fosse indiferente - Acho que tinha razão. Não tem porque ficar chateado, sendo que a culpa é minha...

   Prefiro não responder. Ele sabe o que fez ou deixou de fazer, certo?

 - Cadê Irene falar nisso? - Park olha ao redor procurando a mais velha e percebo que não a vi hoje - Estranho ela ainda não ter vindo.

   Nós três concordamos. E foi aí que um som gigantesco vindo do pátio assusta todos ao redor...

   


Notas Finais


Bom gente, foi isso... Um capítulo meio sem sal, mas, importante para mostrar como a amizade deles é fundamental e tudo mais.

Por conta dos contratempos de toda quarta-feira, irei mudar para toda segunda-feira e quinta-feira! Assim ficará melhor para mim e cumprirei o combinado hahaha


Desculpam os erros, apenas passei o olho e posso ter deixado algum passar.

Até segunda (desculpe o único capítulo desta semana) 💙💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...