História Muito Além do Desejo - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Daniel Rocha, Humberto Martins, Vivianne Pasmanter
Visualizações 56
Palavras 1.785
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


História com TEOR altamente ERÓTICO.

Capítulo 16 - Me faça esquecer...


Fanfic / Fanfiction Muito Além do Desejo - Capítulo 16 - Me faça esquecer...

01

 

Ao avistar Fernando, Lídia vai na direção do filho que sai andando na direção contrária.

 

Lídia – Fernando! Fernando!

 

Ricardo abraça Lídia por trás, a afagando em seus braços. Ela fecha os olhos, apoiando a cabeça no peito deste.

 

Ricardo – Não adianta Lídia! O Fernando nunca irá ao menos respeitar a sua escolha. Ele não precisa aceitar, e nem entender, mas ao menos respeitar.

 

Lídia – Agora ele vai respeitar a minha escolha!

 

Ricardo – Ele é mimado demais para aceitar as suas falhas. Você nunca mais será vista pelo seu filho como ele te via antes de ele ficar sabendo do nosso relacionamento.

 

Lídia – sussurra – Eu não quero mais! Está na hora de você também respeitar a minha escolha!

 

Lídia entra e sua casa. Ricardo a observa, sem esboçar qualquer tipo de reação.

 

02

 

É chegado o sábado, dia do casamento de Fernando e Luciana, que ocorrerá em uma capela no Leblon, às 16h. Ângela e dona Ana já estão arrumadas. Lídia está confinada em seu quarto pensando se irá ou não à cerimônia.

 

Ângela – entrando no quarto – Lídia, você ainda está assim?

 

Lídia – Será que o Fernando quer que eu vá?

 

Ângela – Claro que ele quer!

 

Lídia – Eu não sei! Talvez o fato dele ter pedido para a mamãe entrar com ele na igreja, tenha sido uma forma de ele me dizer que a minha presença era dispensável.

 

Ângela – Não! Ele mesmo disse que queria que você fosse.

 

Ângela olha a hora no relógio.

 

Ângela – Precisamos ir. Você está sem carro. Como vai fazer para chegar a tempo?

 

Lídia – Se eu for... – breve pausa - Eu dou um jeito!

 

03

 

Quando dona Ana e Ângela chegam na capela, Fernando está do lado de fora, com o pai as aguardando.

 

Marcelo – Cadê Lídia?

 

Ângela – Como estávamos atrasadas viemos na frente. – para Fernando – Como você está?

 

Fernando – Nervoso! As minhas mãos estão suando!

 

Dona Ana – É assim mesmo meu filho.

 

 A profissional responsável para organizar o casamento se aproxima de Fernando.

 

Organizadora – Fernando, o carro da Luciana está entrando na rua. Melhor você se dirigir ao altar.

 

Fernando – Claro.

 

Marcelo e Ângela entram na capela. Posteriormente Fernando entra, acompanhado da avó que o leva até o altar. Uns dez minutos depois Bárbara também chega, indo cumprimentar Ângela.

 

Bárbara – A Lídia? Onde ela está?

 

Ângela – Mamãe e eu viemos na frente, pois já estávamos atrasadas.

 

Bárbara – Mas Lídia virá?

 

Ângela – Ela estava se arrumando quando saímos.

 

Luciana, acompanhada do pai, Ricardo, adentra na capela. Durante o percurso até o altar, Lídia chega, ficando de pé no fundo da igreja. Quando eles chegam no altar, Fernando e Ricardo se cumprimentam. Ricardo dá um beijo na testa da filha e a entrega para o rapaz que mal consegue olhar em sua face.

Após a cerimônia, Fernando e Luciana recebem os cumprimentos dos convidados. Lídia se aproxima da irmã.

 

Ângela – Onde você estava?

 

Lídia – Eu fiquei lá atrás. Cadê a mamãe?

 

Ângela – Está batendo altos papos com a tia Corina.

 

Lídia – Eu vou cumprimentar os noivos.

 

Lídia se aproxima de Fernando e Luciana. No percurso Bárbara a avista, indo em sua direção.

 

Bárbara – Lídia! Quanto tempo!

 

Lídia – Oi Bárbara!

 

Ambas se cumprimentam.

 

Bárbara – A última vez que nos vimos foi quando nos reunimos para discutirmos a decisão desses dois em quererem casar.

 

Lídia – E hoje eles estão se casando.

 

Ricardo – se aproximando – Ahhh Bárbara, você está aí! – olhando para Lídia dos pés à cabeça – Oi Lídia!

 

Lídia – Me deem licença!

 

Lídia logo sai, antes mesmo que Ricardo profira qualquer coisa.

 

Bárbara – Tive a impressão de que ela está te evitando.

 

Ricardo – dando um de desentendido – Me evitando? Não! Por que ela me evitaria?

 

Bárbara – Isso só você deve saber.

 

...

 

Lídia vai na direção do casal, cumprimentando Luciana.

 

Lídia – Meus parabéns Luciana, pelo novo passo em sua vida! Tenho certeza que você será muito feliz!

 

Luciana – Muito obrigada minha sogra! O seu filho já me faz muito feliz, e a partir de hoje fará muito mais! – breve pausa – Você está linda!

 

Lídia – Você que é linda!

 

Lídia vai na direção de Fernando, na intenção de cumprimentá-lo, mas ele se esquiva.

 

Lídia – Meu filho...

 

Fernando – Obrigado por ter vindo!

 

Fernando e Luciana continuam a cumprimentar os presentes. Lídia vai até a saída, sendo seguida com o olhar por Ricardo, que consegue se afastar de Bárbara sem ser percebido. Ao sair da capela, ele olha para os dois lados, não avistando Lídia.

Lídia pega um taxi, mas ela não sabe ao certo para onde deseja ir. Ela reflete sobre a relação que sempre teve com o filho, uma relação de amizade e cumplicidade e no que ela se transformou.

 

Lídia – O senhor me leva para o Jardim de Alah, por favor!

 

Taxista – Sim senhora!

 

04

 

Já é noite. Sérgio chegam no seu ap com uma amiga, subindo a escada, carregando algumas caixas, conversando e sorrindo. Ao chegar no seu andar ele encontra Lídia sentada, com a cabeça abaixada.

 

Sérgio – surpreso – Lídia!

 

Lídia – levantando a cabeça – Oi Sérgio!

 

Sérgio fica meio desconcertado. Por mais que aquela amiga fosse só amiga, ele ficou com receio de causar uma má impressão à Lídia.

 

Sérgio – É... - breve pausa - Vamos entrar!

 

Lídia levanta, observando aquela cena, aquele jovem casal, que até então estavam sorrindo e de repente trancaram a fisionomia.

 

Marina (a amiga) – colocando as caixas no chão - Eu fico por aqui!

 

Sérgio – Pode deixar que eu guardo! Obrigado pela carona!

 

Marina – para Lídia – Boa noite!

 

Lídia – Boa noite!

 

Sérgio abre a porta do apartamento, convidando Lídia a entrar. Ele entra posteriormente com as caixas que trazia.

 

Sérgio – Está tudo bem?

 

Lídia – Acho que não devia ter vindo!

 

Sérgio – Claro que devia! Eu estava preocupado com você! – breve pausa – E esperando seu telefonema.

 

Lídia – Eu devia ter ligado.

 

Sérgio – Você está linda! Só que parece que chorou.

 

Lídia – Meu filho casou hoje.

 

Sérgio – Ahhh, chorou de emoção!

 

Lídia – Não! Chorei de desgosto. Não por ele, mas por mim.

 

Sérgio – Por que está desgostosa?

 

Lídia – Porque eu permiti que meu filho se afastasse de mim, e não fiz nada para resgatá-lo.

 

Sérgio – As vezes não nos permitirmos a fazer o que é certo. Eu deveria ter te procurado depois daquele dia na cafeteria, mas tive medo de te complicar ainda mais.

 

Lídia – Você não iria me complicar!

 

Sérgio – Ele é seu marido?

 

Lídia – Não! Eu sou divorciada, lembra?

 

Sérgio – Seu namorado?

 

Lídia – sentando – Ele é um caso mal resolvido.

 

Sérgio – Quer beber alguma coisa?

 

Lídia – Água! – breve pausa – Eu o conheci, por um acaso, em uma livraria. Nos aproximamos, nos apresentamos e começamos a sair. Eu estava solteira. Há algum tempo não me relacionava com ninguém. Tinha até uma certa expectativa de que, aquela fase nos conhecendo, se tornasse algo mais sério, até eu descobrir que ele era casado.

 

Sérgio – servindo Lídia - Ele é casado, mas gosta de você, se não, não teria a procurado.

 

Lídia – Ele é casado com a, agora, sogra do meu filho. Eu fiquei em choque quando fui jantar na casa da namoradinha do meu filho e me deparei com ele lá, posando de chefe de família.

 

Sérgio – Ele havia te falado que era solteiro?

 

Lídia – Não! Mas ele montou um cenário, onde ele se mostrava solteiro. – breve pausa – Me levou ao apartamento dele. – breve pausa – Só sei que depois daquele jantar, a nossa relação não foi mais a mesma, até que um dia o meu filho descobriu tudo, e então, a minha relação com ele se esvaziou.

 

Sérgio – É uma pena! Você parece ser uma mãe muito zelosa.

 

Lídia – Talvez eu seja o seu modelo de mãe, mas não o dele, já que tudo que eu fui, não pesaram mediante a descoberta que ele fez.

 

Sérgio – Primeiro, você não é um modelo de mãe para mim. Você é o modelo de mulher que eu quero! Segundo, o seu filho é um babaca que não reconhece o real valor que você tem! – breve pausa – Desculpa!

 

Lídia – Tudo bem! Eu gosto muito de conversar com você!

 

Sérgio vai até Lídia, a abraçando. Ela retribui o abraço.

 

Sérgio – Eu gosto de ter você por perto! – breve pausa – Hoje deve ter sido barra para você. Ter todos ali, no mesmo ambiente.

 

Lídia – Eu fiz a minha parte! – num tom mais baixo – Posso ficar?

 

Sérgio – O tempo que você quiser.

 

Lídia e Sérgio se olham nos olhos por alguns segundos. Ele toma a iniciativa em beijá-la, e ela corresponde.

 

Lídia – Me faça esquecer isso tudo que está acontecendo na minha vida!

 

Sérgio segura no rosto de Lídia, por um instante, a olhando nos olhos, tornando a beijá-la. Eles vão entre beijos e carícias até o quarto, onde Lídia tira a camisa de Sérgio, começando a beijar seu torso. Ele desce o zíper do vestido dela, fazendo com que ele escorregue pelo corpo dela. Lídia senta na cama, com Sérgio de pé na frente dela. Ela começa a se despir do resto de sua roupa, assim ele também o faz, indo posteriormente, completamente nu, para cima dela, a penetrando lentamente. Sérgio é carinhoso, não faz o tipo afoito. Eles se olham nos olhos, enquanto ele se movimenta dentro dela, que solta repetidos gemidos, em meio a troca de carícias e palavras de carinho proferidas por Sérgio.

 

Sérgio – sussurra – Como você é linda! Eu estou apaixonado por você!

 

Lídia o beija intensamente, e assim eles ficam naquela troca de prazer mútuo até chegarem ao ápice. Sérgio sai de cima de Lídia, a abraçando e a acariciando.

 

Sérgio – Que bom que você veio. Eu já estava ficando desesperado por conta do seu silêncio.

 

Lídia – Você não parecia estar desesperado quando chegou.

 

Sérgio – Você teve uma má impressão. Marina é apenas uma amiga que me deu uma carona para trazer aquelas caixas.

 

Lídia – Eu não estou falando nada!

 

Sérgio – Mas falou com o olhar ao nos ver.

 

Lídia – Ok, eu senti ciúmes!

 

Sérgio – sorrindo – Com essa confissão você me dá esperança de termos um futuro.

 

Lídia – Não vou negar! Eu estou confusa sobre o que realmente quero, mas o que tenho vivido com você, só tem me feito bem.

 

Sérgio – Mais um ponto pra mim!

 

Lídia – Isso aqui não é um concurso e eu não sou o prêmio principal!

 

Sérgio – Longe de mim pensar isso, mas eu quero muito te ganhar! Aqui!

 

Sérgio pega na mão de Lídia e a coloca no seu coração, e assim ele faz com a dele também, colocando em cima do coração dela. Eles voltam a se beijar intensamente.

 

05

 

Na segunda-feira, quando Lídia chega à agência, ao entrar em sua sala ela avista um buquê de rosas vermelhas em cima da mesa. Ela senta e pega o cartão que acompanha o buquê.

 

“Me perdoa por fazer tudo errado! Volta pra mim!”

 

Ricardo

 

Continua...


Notas Finais


Feedback, please!


Minha última história.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/quero-viver-13718924


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...