História Muito Além do Desejo - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Vivianne Pasmanter
Personagens Personagens Originais
Tags Daniel Rocha, Humberto Martins, Vivianne Pasmanter
Visualizações 85
Palavras 1.613
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


História com TEOR altamente ERÓTICO.

Capítulo 17 - Eu adoro fazer amor com você!


Fanfic / Fanfiction Muito Além do Desejo - Capítulo 17 - Eu adoro fazer amor com você!

01

Lídia chega à agência. Ao entrar em sua sala ela avista um buquê de rosas vermelhas em cima da mesa. Ela senta e pega o cartão que acompanha o buquê.

 

“Me perdoa por fazer tudo errado! Volta pra mim!”

 

Ricardo

 

Lídia pega o telefone e faz uma ligação para o ramal.

 

Lídia – Venha a minha sala fazendo o favor!

 

Em pouco tempo a secretária adentra na sala de Lídia.

 

Lídia – Me faz um favor! Eu tenho percebido que aquelas flores da recepção estão murchas. Pega esse buquê e as substitua.

 

Secretária – pegando o buquê – Tem certeza!

 

Lídia – Tenho!

 

A secretária vai na direção da saída.

 

Lídia – Espera! – ela faz sinal para a moça voltar –

 

Secretária – Sim!

 

Lídia tira uma rosa.

 

Lídia – Agora pode ir! Obrigada!

 

Quando a secretária sai, Lídia cheira a rosa que ela tomou para si, assim como volta a ler o cartão que estava acompanhado do buquê. Ela se recosta na cadeira, fechando os olhos.

 

Lembrança...

 

Lídia e Ricardo estão deitados envolvidos entre beijos e carícias.

 

Ricardo – Por mais que pareça que a nossa relação seja só de cama... – num tom mais baixo – Eu gosto sinceramente de você Lídia!

 

Lídia pega o cartão e coloca em sua bolsa.

 

02

 

Ricardo chega em casa. Bárbara está às voltas com sua coleção de orquídeas na estufa. Ele vai até ela.

 

Bárbara – Você a essa hora em casa?

 

Ricardo – Agora que somos só nós dois, eu vim almoçar com você.

 

Bárbara – Olha como elas estão lindas! – as orquídeas –

 

Ricardo – Realmente elas são muito lindas!

 

Bárbara – Minha flor favorita!

 

Ricardo – Vamos Bárbara! Eu tenho uma reunião às 14h.

 

...

 

Ricardo e Bárbara estão à mesa, almoçando.

 

Bárbara – A Luciana me enviou umas fotos da lua de mel. Ela disse que lá em Fortaleza está bastante quente. – pegando o celular – Olha!

 

Ricardo fica em silêncio, olhando as fotos da filha com o genro.

 

Ricardo – sussurra - Esse rapaz!

 

Bárbara – O que aconteceu entre o Fernando e você? Vocês sempre se deram tão bem.

 

Ricardo – Não aconteceu nada!

 

Bárbara – A relação de vocês não é mais a mesma de outrora.

 

Ricardo – O Fernando é um bom sujeito, mas é um menino malcriado! Até a nossa filha tem mais maturidade que ele.

 

Bárbara – Você acha que a mãe o criou mal?

 

Ricardo – levantando – A mãe, a avó, a tia... – breve pausa – Tenho que ir!

 

Ricardo sobe a escada. Bárbara fica olhando para uma foto do casal, onde Fernando está em destaque.

 

03

 

Quando Lídia está se preparando para ir embora, no final do expediente, o celular dela toca. É Sérgio. Ela hesita em atender, pois o dia fora muito puxado, mas acaba lembrando que por muitas vezes ignorou as ligações do rapaz, e que talvez essa seja a hora de ela mudar sua atitude, principalmente depois da força que ele a deu no último sábado.

 

Lídia – Alô!

...

Sérgio – Finalmente você atendeu! Será que é mais um ponto a meu favor?

...

Lídia – sorrindo – Já falei que não sou o prêmio de um concurso.

...

Sérgio – Mas eu não acharia nada ruim te levar como prêmio para a minha vida.

...

Lídia fica em silêncio.

...

Sérgio – Lídia! Você está aí?

...

Lídia – Estou!

...

Sérgio – Ainda está sem carro?

...

Lídia – Sim!

...

Sérgio – Eu vou te buscar!

...

Lídia – Não! Você não vai atravessar a cidade só para vir me buscar. Ainda mais nessa hora de pico.

...

Sérgio – Eu já estou indo! De moto é rapidinho! Sua agência fica no Flamengo né? Me passa o endereço.

...

Lídia – Não precisa Sérgio!

...

Sérgio – Eu não estou pedindo para ir. Eu decidi ir!

...

Lídia – balança a cabeça negativamente – Ok! Vou te enviar uma mensagem.

...

Sérgio – sorrindo – Seja boazinha e faça isso!

...

Lídia desliga o celular, e passa a referida mensagem com o endereço para Sérgio.

 

Lídia – falando consigo mesma, em tom baixo – Mais um ponto pra você. Ele nunca veio me buscar no trabalho.

 

04

 

Ricardo chega em casa meio cabisbaixo. Ele esperou algum retorno de Lídia por todo o dia, mediante as flores enviadas, mas infelizmente ele não obteve nenhum tipo de resposta. Ele sobe na direção do seu quarto, adentrando no mesmo. Bárbara está sentada em uma poltrona, lendo um livro.

 

Bárbara – Já em casa? E ainda não são 19h.

 

Ricardo – num tom ríspido - Se eu venho almoçar em casa você acha estranho. Se eu chego mais cedo, você se surpreende. Parece que quer me ver bem longe.

 

Bárbara – Não é isso. Só não estou habituada com a sua nova rotina.

 

Ricardo – Não é nova rotina Bárbara! Amanhã eu posso ter que chegar bem tarde! Aí talvez você não ache ruim! – breve pausa – Eu vou tomar um banho.

 

Ricardo vai na direção do banheiro. Bárbara fica observando tudo com um olhar fulminante. Após alguns minutos Ricardo sai do closet arrumado. Ele pega a carteira e as chaves que estão em cima de um móvel.

 

Bárbara – levantando - Você vai sair?

 

Ricardo – Vou!

 

Bárbara se aproxima bem próxima de Ricardo, sentindo seu cheiro.

 

Bárbara – Está cheiroso! Vai encontrar com ela?

 

Ricardo – Ela?

 

Bárbara – A mulher que tem feito você passar as noites no escritório bebendo.

 

Ricardo – calibrando - Por favor Bárbara! Não fique colocando chifre em cabeça de cavalo!

 

Bárbara – Não! Eu estou colocando na minha cabeça mesmo!

 

Ricardo – Não tem nada a ver isso que você está falando! O Eric vem me convidando para uma mesa no clube. O encontro é sempre às segundas. Eu vou lá dar uma espiada. Rever os amigos. Não tem ninguém!

 

Bárbara – Bom divertimento Ricardo! Você não precisa se explicar!

 

Ricardo que já estava de saída, retorna, dando um beijo na testa da esposa.

 

05

 

Lídia e Sérgio chegam juntos no apartamento deste.

 

Lídia – Você disse que iria me levar pra casa.

 

Sérgio – Uai, eu estou te levando! Não estamos no caminho? – sorrindo – Só demos uma paradinha.

 

Lídia – Sérgio, hoje eu tive um dia exaustivo...

 

Sérgio – Relaxa Lídia! Para de inventar desculpas para não querer estar aqui! – breve pausa – Uma horinha, e eu te levo!

 

Lídia balança a cabeça positivamente.

 

Sérgio – Agora vem cá me dá um beijo de verdade! Porque aquele selinho que você me deu na entrada da sua agência foi muito mixuruca!

 

Lídia e Sérgio se abraçam e se beijam com carinho.

 

Lídia – sussurrando entre os lábios – Eu sou discreta.

 

Sérgio – Ok, eu entendo, mas aqui... – olhando a sua volta – Você não precisa ser nada discreta.

 

Lídia – sussurra – E o que você quer que eu faça?

 

Sérgio – Você quer mesmo que eu fale?

 

Lídia se afasta de Sérgio. Ele tira a camisa e vai na direção dela, voltando a abraçar.

 

Sérgio – Eu quero muito você!

 

Lídia – sussurra – Eu também quero muito você!

 

Eles vão na direção do quarto. Lídia senta na cama e puxa Sérgio pelo cinto da calça, o desabotoando, assim como faz com a calça deste. Sérgio a olha com os olhos brilhando e um sorriso bobo nos lábios. Posteriormente ele fecha os olhos e começa a gemer, afagando os cabelos de Lídia com seus dedos, acariciando-a, enquanto ela umedece o seu "prazer" com o gosto da saliva desta. Posteriormente Lídia se livra de seu vestido, e Sérgio, afoito, se livra de sua calça. Lídia, completamente nua, se ajoelha em cima da cama, apoiando com as mãos na mesma, ficando de quatro. Sérgio fica admirado com aquela visão, pois por mais que tipos de sexo não sejam novidade para ele, ele jamais pediria para Lídia ser “atrevida”, temendo ser repreendido.

 

Lídia olha para Sérgio com um sorriso sacana.

 

Lídia – sussurra – Eu achei que era isso que você queria!

 

Sérgio – abobado – Eu quero! E quero muito!

 

Ele se posiciona atrás de Lídia, segura em sua cintura e a penetra lentamente. Lídia começa a mexer para a frente e para trás, ofegante, gemendo, assim como Sérgio também está. Ele a admira safada, sorrindo cheia de malícia, olhando para ele, enquanto urra de prazer. Ele abaixa atrás dela, beijando suas costas, acariciando seus seios, sussurrando palavras de carinho em seu ouvido.

 

Sérgio – Você é maravilhosa! Eu adoro fazer amor com você!

 

Lídia – sussurra – Mete! Mete com força!

 

Sérgio levanta, voltando a segurar na cintura de Lídia. Ele a atende, tornando a metidas cada vez mais severas, até ele “explodir”, caindo posteriormente exausto ao lado dela, a puxando para junto dele.

 

Sérgio – muito ofegante – Meu Deus! Você quase me matou de tanto amor!

 

Lídia – Você acha mesmo que está apaixonado por mim?

 

Sérgio – Se eu não estivesse, não falaria! – breve pausa – Lídia, naquele dia em que você esteve aqui e nós dançamos, eu vi ali uma história que valeria a pena investir.

 

Lídia – Você sabe a confusão sentimental que a minha vida está passando.

 

Sérgio – Você irá superar! E eu estarei aqui para te ajudar!

 

Lídia sorri, dando um beijo longo em Sérgio. Ouve-se um toque.

 

Sérgio – Acho que é o seu celular.

 

Lídia – Quem será a essa hora?

 

Lídia levanta, usando seu vestido, indo na direção da sala, onde está sua bolsa. Sérgio vai atrás. Ela pega o celular. Algo cai da bolsa, mas ela não percebe. Como o celular já havia parado de tocar, ela verifica a última chamada não atendia.

 

Lídia – É da agência! – breve pausa – Eu não irei retornar. - mentira, é Ricardo -

 

Sérgio – Até mesmo porque o seu expediente já acabou.

 

Lídia – guardando o celular – Isso!

 

Ela coloca a bolsa em cima do sofá novamente, indo na direção da cozinha. Quando ela se afasta, Sérgio vê um papel no chão, um cartão.

 

Sérgio – Acho que caiu da sua bolsa!

 

Curioso, Sérgio abre o cartão, e ao ver o conteúdo ele faz uma fisionomia de descontentamento.

 

“Me perdoa por fazer tudo errado! Volta pra mim!”  Ricardo

 

Continua...


Notas Finais


Feedback, please!


Minha última história.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/quero-viver-13718924


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...