História Muito Além do Desejo - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Daniel Rocha, Humberto Martins, Vivianne Pasmanter
Visualizações 46
Palavras 2.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


História com TEOR altamente ERÓTICO.

Ainda não revisei.

Capítulo 19 - Não fala nada, antes que eu me arrependa!


Fanfic / Fanfiction Muito Além do Desejo - Capítulo 19 - Não fala nada, antes que eu me arrependa!

01

 

São Paulo – Hotel Hilton

 

Enquanto espera o elevador, Lídia avista algo inusitado. É Ricardo que atravessa o saguão. Lídia inclina a cabeça, o seguindo com o olhar.

 

Lídia – para o atendente – Aquele homem?

 

Atendente – Que homem, senhora?

 

Lídia – Aquele com um suéter cinza!

 

Atendente – Senhor Ricardo Salomão! Ele chegou hoje no início da tarde. Eu mesmo o recebi, senhora.

 

Lídia faz uma fisionomia de descontentamento. O elevador chega e Lídia adentra no mesmo, sendo acompanhada pelo atendente do hotel. Chegando em seu quarto ela agradece o rapaz, lhe dando um agrado.

Ao descer o atendente vai até o bar do hotel, indo na direção de Ricardo.

 

Atendente – Senhor!

 

Ricardo – Ela chegou?

 

Atendente – Acabou de chegar. – breve pausa – E viu o senhor!

 

Ricardo – Onde ela me viu?

 

Atendente - Eu a levei agora para o quarto. O senhor estava vindo para cá.

 

Ricardo – Qual o número do quarto dela?

 

Atendente – 1011 – 10º andar.

 

Ricardo – Ela é a mulher da minha vida! E eu irei reconquistá-la!

 

Ricardo tira um dinheiro da carteira e dá ao atendente.

 

Ricardo – Um agrado pra você.

 

Atendente – Boa sorte senhor!

 

Ricardo dá uma risada discreta.

 

02

 

Após o banho, Lídia está deitada na cama, usando só um roupão. Ela fica pensando na visão que teve, ainda no saguão do hotel.

 

Lídia – sussurra – O que ele veio fazer aqui!

 

Ela fecha os olhos e começa a acariciar seu pescoço, seu colo...

...

Lembrança...

 

Ricardo – Gosta de me sentir dentro de você Lídia?

 

Lídia – sussurra – Gosto...

 

Ricardo – Feche os olhos e me sinta dentro de você.

...

Lembrando daquela vez que esteve em São Paulo à trabalho, quando ligou para
Ricardo, Lídia começa a respirar ofegante, mordendo os lábios. Num lapso ela abre os olhos, virando para o lado e avistando o celular que está carregando. Lídia o pega e faz uma ligação.

 

Lídia – Sérgio!

...

Sérgio – Oi meu amor! Tentei te ligar algumas vezes, mas estava dando “fora de área”.

...

Lídia – O celular estava desligado.

...

Sérgio – Está tudo bem? Chegou bem no hotel?

...

Lídia – Sim! Estou ótima!

...

Sérgio – Já estou com saudade. – sorrindo – Fico parecendo aqueles adolescentes bobos quando lembro de algum momento nosso e começo a rir sozinho no trabalho, na rua.

...

Lídia – O que você está fazendo agora?

...

Sérgio – Além de estar ouvindo a sua voz, estava bebendo um pouco. Acho que bebi até demais.

...

Lídia – Então para de beber!

...

Sérgio – E vou fazer o que aqui sem você?

...

Lídia – Sérgio, também não é assim! Se eu não estivesse aqui, estaria na minha casa, e você provavelmente estaria aí sozinho, assim como agora.

...

Sérgio – É porque eu irei ficar uns dias sem te ver. – breve pausa – Está bom! Estou sendo imaturo!

...

Lídia – Sérgio, vai tomar banho, e vai descansar.

...

Sérgio – Se você estivesse aqui para me dar banho...

...

Lídia – balançando a cabeça negativamente – Eu vou desligar. Tenho que estar de pé às 7h. – breve pausa - Boa noite Sérgio!

...

Sérgio – Boa noite meu amor!

...

Ao encerrar a ligação, Lídia desliga o celular. Ela faz uma fisionomia de descontentamento.

Na manhã seguinte, ao acordar, Lídia pede o café no quarto. No meio tempo ela vai tomar banho.

 

03

 

O local onde irá ocorrer o congresso fica a meia hora do hotel. A palestra de Lídia será às 09h. Ela chega com meia hora de antecedência.

Ao iniciar a palestra sobre “propaganda em tempos de rede social”, Lídia percebe que uma cadeira, na primeira fila, está desocupado, algo incomum, já que o auditório está praticamente cheio, até que alguém o ocupa. É Ricardo, que cumprimenta Lídia com a cabeça, dando uma risada de banda. Apesar da presença deste mexer com ela, Lídia procura se manter fria, não encarando Ricardo que fica olhando fixo o tempo todo para ela. Após uma hora de palestra, Lídia recebe os cumprimentos de alguns presentes. Pessoas querendo tirar dúvida, pessoas querendo tirar fotos... Ricardo se mantém afastado, aguardando até aquela bajulação terminar. Quando Lídia fica só, por um instante, Ricardo se aproxima.

 

Ricardo – Quanta bajulação! Já estava começando a ficar com ciúme!

 

Lídia – O que você está fazendo aqui Ricardo?

 

Ricardo – Destino! O destino nos pôs frente a frente novamente.

 

Lídia – balançando a cabeça negativamente – Que destino generoso! Nos colocou hospedados no mesmo hotel.

 

Ricardo – sorrindo – Você também está no Hilton Morumbi?

 

Lídia – Quem te falou que eu estaria nesse congresso?

 

Ricardo – Ninguém! Eu recebi o convite. Eu não liguei o seu nome ao da palestrante. – breve pausa – Está vendo! Você me evitou tanto, e nós acabamos nos encontrando por um acaso. – breve pausa – Ahhh e o hotel, parece que ele está com uma parceria com os organizadores do evento. Quando eu confirmei presença, me foi sugerido esse hotel para hospedagem.

 

Funcionário do evento – Senhora, sua bolsa! – entregando uma pasta de couro –

 

Lídia – Obrigada!

 

Ricardo – Almoça comigo?

 

Lídia – Por favor Ricardo!

 

Ricardo – É só um almoço!

 

Lídia morde o lábio inferior, elevando a mão esquerda na nuca. Ela está inquieta, pois prefere não ter Ricardo ali na frente dela.

 

Lídia – Tá bom! Mas nada irá mudar!

 

Ricardo dá uma risada de banda, estendendo a mão para Lídia, mas ela não retribui. Eles vão na direção do carro deste. Eles adentram no mesmo.

 

Motorista – Para onde senhor?

 

Ricardo – Terraço Itália!

 

Lídia – É muito difícil conseguir lugar nesse restaurante sem reserva.

 

Ricardo – Eu consegui uma reserva de última hora.

 

Lídia – Que horas...

 

Ricardo – cortando Lídia – Quando você estava sendo bajulada por aqueles marmanjos.

 

04

 

Chegando no restaurante, Lídia e Ricardo são levados a uma mesa de canto.

 

Lídia – Para uma reserva de última hora, nada mal o lugar.

 

Eles fazem o pedido. Durante o almoço eles conversam sobre várias coisas, sem muita importância. Ricardo fita Lídia insistentemente. Ele caminha com o olhar por todos os gestos que ela faz. Quando ela eleva a taça de vinho na boca.

 

Ricardo – pensando – Como eu queria ser tocado por esses lábios!

 

Lídia eleva sua mão, levemente, no seu colo, mas ela não está sendo provocante, é inquietação por estar ali com o homem que ela tem evitado por semanas.

 

Ricardo – Você tem recebido as flores que te mandei?

 

Lídia – Sim!

 

Ricardo – Mas não mandou nenhum recado agradecendo, ou rejeitando.

 

Lídia – Ricardo, o Fernando...

 

Ricardo – cortando Lídia – O Fernando de novo!

 

Lídia – Sim, o Fernando de novo! Nada nessa vida me importa mais que o meu filho! E para eu ter uma relação, por menor que seja, com ele, se eu continuar com você essa possibilidade será praticamente nula.

 

Ricardo – Aí você abre mão da sua felicidade em pró do seu filho que nem olha na sua cara! Eu vi como ele te tratou no dia do casamento.

 

Lídia – Que felicidade Ricardo? Será mesmo que algum dia fomos felizes? Eu nunca sai com você além daquelas quatro paredes em que nós nos encontrávamos. – breve pausa – Acho que hoje conversamos, sem discutirmos, mais do que conversamos em todas as outras vezes que nos encontramos.

 

Ricardo – Eu sei que é difícil para você acreditar, mas eu te amo Lídia!

 

Lídia – Você é casado Ricardo!

 

Ricardo – Eu estou disposto a me separar da Bárbara!

 

Lídia – E você acha mesmo que a Luciana vai aceitar isso? Você separar da mãe dela, para ficar com a mãe do marido dela.

 

Ricardo – A Luciana tem maturidade suficiente para ao menos entender a minha decisão.

 

Lídia – dando uma risada irônica – E o Fernando não!

 

Ricardo pega na mão de Lídia, a beijando.

 

Ricardo – Está bom Lídia! Não vamos falar mais sobre isso! Nunca entraremos num consenso. – olhando para o lado – A vista daqui é linda!

 

Lídia – Vamos embora!

 

Após pedir a conta, Lídia e Ricardo estão no carro voltando para o hotel. Ele até sugere que eles vão a algum outro lugar, mas ela prefere não ir.

 

Ricardo – Está com medo de mim?

 

Lídia – sussurra – Não sei! Talvez esteja com medo de mim.

 

Ricardo segura na mão de Lídia. Ela fecha os olhos.

 

05

 

Retornando ao hotel Lídia em Ricardo vão na direção do elevador.

 

Ricardo – Não quer ir ao bar?

 

Lídia – balançando a cabeça negativamente – Não! Eu quero descansar um pouco.

 

Quando o elevador chega, eles adentram no mesmo. Lídia aperta os eu andar, assim como Ricardo também o faz. Ele está segurando a pasta dela. Quando Ricardo chega em seu andar, ele estende a pasta, entregando-a para Lídia.

 

Ricardo – Se precisar de alguma coisa, me liga!

 

Lídia aperta o botão que fecha a porta do elevador. Ricardo sorri para ela.

 

Ricardo – sussurra – Você está?

 

Lídia – Não fala nada, antes que eu me arrependa!

 

Ao chegar no andar de Lídia, eles saem do elevador, indo na direção do quarto. Ricardo está louco para agarrar, beijar Lídia, mas ele tem receio de fazer com que ela recue em sua decisão. Ao entrarem no quarto, Lídia tira os sapatos. Ricardo coloca a pasta em cima de uma mesa. Lídia vira para ele, indo em sua direção e o beijando com volúpia. Ali Ricardo percebe que pode avançar o quanto quiser, pois o corpo de sua amada está quente, trêmulo, ansiando por uma transa. Ela começa a despi-lo, tirando o blazer, posteriormente afrouxando a gravata e por fim desabotoando a blusa, arrancando alguns botões na força. Ricardo segura no rosto de Lídia, acariciando-o.

 

Ricardo – sussurra – Como eu ansiava por esse momento!

 

Lídia se afasta de Ricardo, indo na direção do quarto (eles ainda estão em uma saleta), começando a se despir, deixando as roupas pelo caminho. Ricardo tira o resto de sua roupa, ficando inteiramente nu, indo atrás de Lídia com o seu latejante “membro” na mão. Ao entrar, ele a procura.

 

Ricardo – olhando para os lados – Lídia! Cadê a minha safada!

 

Lídia surge usando apenas um hobby aberto. Ela olha para aquele homem, ali de pé, se estimulando, completamente nu. Ela dá uma risada daquelas bem safadas, cheia de malícia. Lídia vai na direção da cama, sentando na beirada, escorregando seu corpo para trás, apoiando os pés na beira. Ela estende os dois braços para Ricardo.

 

Lídia – sussurra – Vem provar a sua safada!

 

Ricardo fica louco. Ele vai correndo na direção dela, se ajoelhando em frente dela, começando a acariciar duas pernas, beijando-as, até alcançar a sua “intimidade”. Lídia sente aquele vapor quente entrando na sua “fenda”, seguido de repetidos beijos estalados, até que Ricardo começa a sugá-la, a introduzindo com a língua. Lídia mantém os olhos serrados, gemendo enquanto é devorada pela boca de seu macho. Sim, Lídia vêm em Ricardo aquele homem que sabe mexer com sua libido. Ela começa a rebolar na boca dele, chegando a prazer fazendo-o prová-la. Ricardo para de chupá-la, mas não de prová-la. Ele passeia com a sua boca pelo corpo de Lídia, beijando-a, dando leves mordiscadas em seus seios, mamando neles. Ele está eufórico, disposto a devorá-la, já que tem muito tempo que ele não sacia daquele corpo que tem tirado seu sono por noites. Enquanto beija, lambe mordisca o pescoço de Lídia, ele pincela com seu “membro” na fenda melada dela. Lídia o olha de perfil. As vezes dando uma risada sacana, sentindo o quanto Ricardo é louco por ela.

 

Lídia – sussurra – Vai me foder a tarde toda?

 

Ricardo – sussurra – A tarde toda! A noite toda! – olhando nos olhos de Lídia - A vida toda!

 

Ricardo penetra em Lídia, que solta um gemido. Ela sente “ele” escorregando fácil para dentro dela, assim ele começa a entrar e sair lentamente, pulsando dentro de Lídia que segura na sua nuca, o olhando nos olhos, gemendo gradativamente. Após alguns minutos Ricardo vai diminuindo as “metidas”, até que ele as cessa por completo, saindo de cima dela.

 

Ricardo – Você continua sendo a mesma gostosa safada de sempre!

 

Lídia – Você me quer “de quatro”?

 

Ricardo – Sua posição favorita!

 

Lídia – passa a língua em volta dos lábios – Uma das!

 

Lídia se vira, se livrando se seu hobby, ficando de quatro, empinada. Ricardo se posiciona atrás de Lídia, segurando em sua bunda, a penetrando de uma vez só, até o fim. Ele começa a mexer com movimentos circulares dentro dela, começando a alternar com leves socadas. Lídia segura no lençol da cama com uma certa força, gemendo e dando leves gritos, forçando sua bunda no “membro” duro e latejando dentro dela. Ricardo se arqueia para a frente, segurando no pescoço de Lídia, comprimindo seu corpo contra o dela, beijando seu ombro, seu pescoço, passando a língua na orelha dela, enquanto a fode com vontade.

 

Ricardo – sussurra – Eu sabia que você seria minha de novo!

 

Lídia não responde. Ela está extremamente ofegante.

 

Ricardo levanta o corpo de Lídia, ficando assim os dois ajoelhados em cima da cama. Ele acaricia, comprime os seios dela, gemendo em seu ouvido. Quando sente que vai gozar, ele se desencaixa dela, começando a friccioná-lo. Lídia se vira, sentando apoiada à cabeceira da cama, observando Ricardo chegar ao prazer sozinho. Ela gosta de ver um homem, solitário, chegando ao ápice. Ricardo cai, ofegante, de bruços.

 

Ricardo – olhando para Lídia – Lídia, volta pra mim!

 

Lídia se inclina para a frente e dá um beijo intenso em Ricardo.

 

Lídia – Para quê ficar falando em voltar, quando estamos aqui, numa boa?

 

Ricardo – Ahhh Lídia, eu quero ter certeza de que você não irá mais fugir de mim.

 

Lídia – Você teve o que mereceu! E você sabe disso!

 

Ricardo – Eu sei! E peço que me perdoe!

 

Lídia – Aquele vídeo...

 

Ricardo – cortando Lídia – Eu deletei! Eu fui impulsivo. Senti que você estava escapando de mim, e apelei.

 

O celular de Lídia toca ao longe. Ela levanta, indo pegá-lo.

 

Ricardo – Ahhh não atende não! Vamos fazer amor até nossos corpos não aguentarem mais!

 

Quando Lídia pega o celular, ele já parou de tocar. Ela vai nas ligações perdidas e vê várias ligações de Sérgio. O celular volta a tocar. É Sérgio novamente.

 

Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...