História Muito mais que uma babá. - Fillie - Capítulo 87


Escrita por:

Visualizações 240
Palavras 1.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 87 - Você não sabe o prazer que é estar de volta, querido...


POV Finn

 

-Você não me pega, titio! – Sarah gritou e eu franzi o cenho em sua direção.

 

-Nem eu papi! – Alice ria da minha cara.

 

-Ah, mas eu vou pegar essas duas sereias agora. – falei alto e sai correndo em direção as duas.

 

Estávamos na praia, em mais um dia escaldante em Los Angeles.

 

As duas gargalhavam sem parar e quando eu as alcancei coloquei uma delas em cima do meu ombro e abracei a outra.

 

-Peguei! – comemorei e elas riram.

 

-Você e muito rápido, papi! – minha menina tirou os cabelos longos e ondulados do rosto.

 

-Lice, vamos fazer castelo de areia? – Sarah chamou.

 

-Sim! Tchau, papi! – acenou e saiu correndo, me fazendo rir.

 

-Tchau, princesas. Tomem cuidado! – gritei, sem obter resposta.

 

Meio bufante caminhei ate os dois guardas sol que estavam abertos ali.

 

-Essa vida de pai cansa viu... – resmunguei me jogando na toalha amarela.

 

-Ta ficando velho, maninho. – Lillia caçoou.

 

Ela, Candy e Sarinha vieram nos visitar e passar algumas semanas por aqui.

 

-Já ta ate com cabelo branco olha. – Maddie apontou pra minha cabeça e as duas riram.

 

E tinha surgido um único fio branco ali... Millie disse que se puxar nasce mais, então preferi o deixar ali mesmo.

 

E por falar nela...

 

-E você, amor? Já passou o protetor solar? – ela perguntou, segurando o vidro de creme nas mãos.

 

-Mills, você ta parecendo a louca do protetor solar. – Candy riu fraco e ela revirou os olhos.

 

-Olha a branqueza desse homem, se não usa protetor ele vira uma lagosta! – tive que rir.

 

-Vem aqui passar em mim. – estendi a mão e ela se sentou ao meu lado, começando a espalhar o produto pela minha pele.

 

-Pergunta aleatória. – Madds começou, se sentando na toalha que ate outrora ela estava deitada. – Qual foi o tempo maximo que vocês já passaram sem trepar? – franzi o cenho.

 

Que tipo de pergunta e essa?

 

-Vinte e dois anos. – Millie foi a primeira a responder, tirando risos das cunhadas.

 

-Não assim Millie, digo, dês que vocês começaram a trepar. – ri fraco.

 

-Hm, quatro meses. – Millie se pronunciou de novo.

 

Era engraçado, ate a uns dois anos atrás conversar sobre isso era o fim do mundo pra ela, e agora, ela fala como se fosse a coisa mais normal do mundo.

 

-E você, Finn? – a encarei, a loira estava falando serio.

 

-Sua pergunta se refere a Mills ou a toda a minha vida de um modo geral? – minha esposa terminou de espalhar o creme nas minhas costas e se virou de frente pra mim, começando a passar no meu peito.

 

-Vida toda.

 

-Certo... Um ano. – ela assentiu.

 

O que é que essa louca ta pensando ein?

 

-E vocês meninas? – se virou pra Lillia e Candy.

 

-Onze meses. – minha irmã respondeu na lata.

 

-Cacete, Lillia! – a outra arregalou os olhos. – Como e que vocês agüentam ein? To a três meses sem ninguém e já to pensando em ir ali dar pro poste... – bufou e eu cai na gargalhada.

 

-Cara... Eu preciso de uns amigos homens. – Millie riu  fraco e terminou seu trabalho, me deixando todo lambuzado de creme.

 

-Precisa mesmo, Finn! Pra me apresentar sabe. Poxa, porque e que eu tenho que ser a solteirona do grupo? – bufou. – Millie, porque é que você nunca me notou, ein? – franzi o cenho.

 

-Como é? – minha esposa perguntou rindo.

 

-Caramba... Acho que alguém bebeu mais do que devia. – a loira coçou os cabelos e desviou o olhar.

 

-Madds... – Millie insistiu.

 

Espera ai... Serio?

 

-Eu vou ir ali ver se a Tasha quer ajuda com as crianças. – ela se levantou e saiu.

 

-Ta explicado. – quem falou foi Lillia.

 

-O que? – Millie perguntou a olhando.

 

-Ela não apoiava você e o Finn no inicio porque ela gostava de você! O Noah sempre dizia que era complicado demais, que ela tinha os motivos dela... E isso! – arregalei os olhos.

 

-Pior que faz sentido... Por isso que ela não gostava de mim. – Millie negou.

 

-Gente, vocês estão viajando... – a morena negou.

 

Mais tarde, já em casa, depois de uma longa conversa das duas, descobrimos que sim, Ziegler tinha uma certa paixão pela minha esposa...

 

Millie ficou meio chocada, sem acreditar naquilo. E com medo de que depois disso a amizade das duas mudasse. Eu a tranqüilizei, dizendo que não.

 

E realmente não mudou, pelo contrario, a medida em que os meses se passavam notei que ela só se fortaleceu.

 

Os estagio da faculdade de Millie começaram, eu estava orgulhoso dela, era uma das melhores alunas da turma e já vinha mostrando seus conhecimentos na empresa, revisando contratos pra mim, ajudando no administrativo.

 

Eu sempre soube que ela era uma pessoa muito inteligente e muito capacidade. Ver ela crescendo como profissional, poder estar do seu lado, a dando o apoio que ela precisa, isso me alegra imensamente.

 

Como ela não podia deixar de fazer os estágios, tive que contratar outra secretaria, falei pra ela que seria só pelo tempo em que ela estivesse indisponível, mas na verdade não é bem isso o que estou programando... Assim que ela se formar pretendo a dar um cargo especifico em sua área aqui.

 

Era mais um dia comum, saímos juntos de casa, eu tinha uma reunião logo pela manhã e não poderia me atrasar, então Mills quem levou os nossos quatro pitoquinhos pra escola. Estacionei em frente a empresa e entrei, já indo em direção ao elevador que levaria ao meu andar.

 

Eu já tinha me habituado bem ao meu novo local de trabalho, estava aprendendo muitas coisas novas agora, conhecendo pessoas importantes, acho que crescendo bem nessa área.

 

-Bom dia, Nina. – cumprimentei a moça atrás do balcão e ela sorriu pra mim.

 

-Bom dia, patrão. – acenei e parti pra minha sala.

 

Nina era uma mulher de trinta e poucos anos, estava se dando bem na vaga, apesar de não ter experiência. Millie encontrou o currículo dela por acaso e resolveu marcar a entrevista. As duas se simpatizaram, e então ela foi contratada por três meses.

 

O dia seguiu como de costume, assinei papeis, fiz telefonemas e recebi sócios e parceiros, alem de representantes de entidades caridosas que estavam interessados em fechar acordos com nos.

 

Almocei no restaurante em frente a empresa, já estava ate familiarizado com o lugar, eu e Millie aparecemos por aqui com freqüência, e perto e a comida e boa.

 

Pela parte da tarde me dediquei a analisar os relatórios da contabilidade, os lucros estavam crescendo e isso era ótimo! Perdido nas papeladas fui desperto pelo telefone em cima da minha mesa tocando.

 

-Diga, Nina. – atendi sem tirar os olhos dos papeis.

 

-Patrão, tem uma senhora aqui que quer falar com o senhor... Mas ela não tem horário marcado não. – franzi o cenho, dando atenção ao que ela dizia.

 

-E quem é ela? Do que se trata? – perguntei.

 

-Só um segundo...  - A linha ficou muda mas logo em seguida voltou. – Ela disse que e representante de uma agencia de modelos, que conversar sobre um possível acordo com o Bernardo. – mordi o lábio assentindo.

 

Geralmente as reuniões referentes a carreira de Beni acontecem aqui, mas antes de virem elas ligam pra Millie e marcam o horário. Mas bem, talvez tenha ate ligado e Millie tenha esquecido, ela anda cheia de coisas ultimamente...

 

-Libere a entrada dela, Nina.

 

-Ta certo, patrão. – a moça concordou e então desligou o telefone.

 

Fiz o mesmo e guardei a papelada que eu lia em uma pasta, a guardando em minha gaveta. Três batidas ecoaram da porta e logo em seguida ela foi aberta. Me pus de pé e coloquei o melhor sorriso que eu tinha no rosto.

 

-Boa tarde... – desejei.

 

-Boa tarde, Finn... – meu queixo caiu.

 

Não...

 

Não...

 

Não!

 

-O que e que você ta fazendo aqui? – perguntei serio, bufando, sem acreditar em quem eu via.

 

-Você não sabe o prazer que é estar de volta, querido...

 


Notas Finais


IRRAAAAAAA E AGORA QUE ESSE PARQUINHO PEGA FOGO!
KKKKKKK ( rindo de desespero ta?)
Quem é? Vocês sabem? Eu sei que sabem kkkkkkkk
E essa revelação kkk Madds falou kkkk
Comentem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...