1. Spirit Fanfics >
  2. Muitos problemas e só UMA saída >
  3. E quem te disse que eu sou uma humana?

História Muitos problemas e só UMA saída - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Eu sei que eu demorei, mas foi por conta que eu estava numa semana de provas.

Capítulo 12 - E quem te disse que eu sou uma humana?


Fanfic / Fanfiction Muitos problemas e só UMA saída - Capítulo 12 - E quem te disse que eu sou uma humana?

[Pov.Narrador~~ DreamTale~~ ???]

-Aqui é o Monte Ebott.- Disse uma garota de cabelos tingidos de azul-claro, desbotados da raiz até a metade do cabelo, com uma mecha amarela e olhos azuis-oceano.- As lendas contam que quem subiu esse monte jamais retornou.
-Que massa! Bora subir, galera?- Perguntou um garoto loiro para o seu grupo de amigos.
-Você ouviu o que eu disse!? Quem sobe lá jamais retorna!- Gritou a garota.
-E você acredita nessa historinha de ninar, é? Ha!- Retrucou o garoto.- Se você não vir com a gente, você está fora do grupo.- A garota deu um longo suspiro e, derrotada pela ameaça do outro, falou:
-Tá bem, eu vou..- Suspirou, derrotada, a garota.- Mas se der merda a culpa não é minha.

{5 minutos depois}

-Já vimos o monte Ebott, agora podemos ir embora?- Perguntou a garota impaciente se virando para os seus "amigos", que estavam se aproximando lentamente dela, com caras sérias.- O-O que vocês estão fazendo?- Perguntou assustada.
-Achou que não iríamos descobrir que você é uma kitsune?- Perguntou outra garota do grupo.
- C-Como..?
-Adeus, raposa nojenta.- Disse o loiro com nojo antes de empurrá-la para o buraco, fazendo-a cair em direção ao subsolo.

[Pov.???]

Ai, minha cabeça tá doendo pra caralho! O que aconteceu? Ah!, é mesmo, os meus "amigos" me empurraram. Bem que a mamãe me disse pra não confiar nos humanos. Mas como que eu sobrevivi a queda? Acho que foram essas flores douradas, flores lindas pra variar. 


-Onde eu estou?- . . . Sem resposta.- Acho que vou ter que descobrir por mim mesma.- Ai, minha cabeça!- E é bom eu procurar algum kit de primeiros socorros também.

Essa sala parece estar em ruínas, pelo menos as escadas parecem intactas. 


Parece que nessa sala tem um puzzle de botões no chão e uma alavanca, mas ele já está resolvido. Melhor pra mim! 


{Quebra de tempo}

Isso tá muito estranho. Todas as salas que tem puzzles estão com eles resolvidos, mesmo não tendo ninguém aqui. Será que aqui tem monstros? Deve ser. 


.

.

.

E SE ELES SOUBEREM QUE EU ESTOU AQUI E ESTÃO ME LEVANDO PARA UMA ARMADILHA PRA PEGAR A MINHA ALMA?!?


Bem, acho que não tenho outra escolha a não ser ir até o final dessas ruínas. E torcer pra não morrer.


Aqui tem uma árvore morta e logo a frente tem uma casa até que bonitinha. Será que tem alguém morando aqui!? Eu tenho que ver! 


-OLÁ! TEM ALGUÉM EM CASA?!?- . . . Sem resposta. De novo.- Acho que não tem ninguém. Bem, vou ver se tem comida!

Aaaahhh! Não tem nada! Pelo menos não estou com fome. AINDA. Meu Deus... 


Onde essas escadas vão dar? Melhor eu ver. Seja lá quem foi que morava aqui gostava de caminhar, por que meu Deus do céu! Esse corredor é enorme demais! Ah! Uma porta! O que será que tem atrás dessa porta? 


MEU DEUS! QUE FRIO É ESSE, MEU DEUS!?! 


{Quebra de tempo}

- "Bem-vindo a Nevada!". Então esse vilarejo se chama Nevada.

Não tem ninguém aqui também. Só tem poeira. MUITA poeira. Assim como naquelas ruínas lá atrás. Porque será? 


Tem uma pousada aqui! Com agasalhos que cabem em mim! Que sorte! Vou dormir aqui antes de prosseguir jornada.


{4 FUCKING horas depois}

-Que horas são?- Digo logo depois de bocejar bem alto. Eu olho no meu celular que, pir incrível que pareça, não quebrou.- São 8 da noite! É melhor eu me apressar antes que fique mais tarde do que já está!

Pera! Tá tudo igual como antes! Ah! Aqui não recebe a luz do sol, por isso que sempre tá com a mesma iluminação.


{Quebra de tempo~~ Fim do Núcleo}

Ufa! Ainda bem que essa jornada tá chegando ao fim! Agora eu entendi o porquê tem poeira em todo lugar: enquanto estava em Nevada eu li uns livros sobre os monstros e descobri que eles viram poeira quando morrem. Isso significa que alguém matou todos os monstros do subsolo. Caralho! Quem foi o filho da puta que fez isso!? Acho que eu nunca vou saber a resposta dessa pergunta.


Que merda! Outro corredor gigante! Pelo menos já avistei a casa que... se parece bastante com a daquelas ruínas. Idênticas, pra ser sincera. Okay, ISSO que é realmente estranho.


Já cheguei na entrada da casa. Será que eu grito pra ver se tem alguém aqui ou já entro direto? Melhor gritar mesmo.


-Ô DE CAAAASA!! TEM ALGUÉM AÍ NESSA JOÇA!?!- Espera, eu ouvi um barulho! Isso quer dizer que tem alguém aqui! Acho melhor esperar abrirem a porta.

[Pov.Narrador~~ Casa dos Bad Guys]

-O que a gente faz?- Perguntou Ganz para os Bad Guys, com exceção de Nightmare, pois ele estava trancado no quarto lendo livros.
-Abrir a porta, não é óbvio?- Disse Horror.
-Não, né, seu cabeça rachada! E se for algum humano chato pra caralho?- Resmungou Dust.
-A gente mata ele pra ganhar LOVE! Ou fazer um churrasco!- Disse Horror com um sorriso de predador na última frase.
-Que nojo, Horror! Isso é canibalismo!- Retrucou Dust.
-Correção: SEMI-canibalismo! Eu sou apenas metade humano!- Retrucou Horror.
-Que seja! A gente não vai fazer isso!- Gritou Dust.
-Chato!
-Olha quem fala!
-Gente, já chega!- Disse Ganz evitando que Dust e Horror começassem a brigar, de novo.- E Lust já foi ver quem era, de qualquer jeito!
-Aff!

{Com Lust}

-Quem é tu?!- Perguntou Lust para a kitsune.- Oh, meu Deus! A sua cabeça tá toda ensanguentada! Entre!- Disse Lust puxando a garota.
-Essa garota que tava batendo na porta, Lust?- Perguntou Ganz.
-Sim, mas eu preciso de um kit de primeiros socorros, porque a cabeça dela tá sangrando.
-Certo. Swapfell, vá pegar um kit de primeiros socorros.- Disse Ganz.
-Eu não! Manda Betty ir buscar um desses!- Resmungou Swapfell.
-Por que eu?! Eu tô assistindo Anne with an "E" aqui na TV!- Retrucou Betty.
-Eu vou logo antes que vocês fiquem brigando aí!- Disse Lust indo buscar um kit.- Não matem a nossa convidada, POR FAVOR.- Disse Lust com a voz um pouco assustadora.
-Tá!

Então Lust se teletransportou àlguma AU para comprar um kit de primeiros socorros.


-Então, guria, qual é o teu nome?- Perguntou Dust.
-Ozoku.- Respondeu a garota de cabelos azuis.
-Que coincidência! O chefe conheceu alguém com esse nome.- Disse Betty animada.
-Vocês têm um chefe?- Indagou Ozoku.
-Sim!
-Mas cadê ele?
-No quarto dele.
-Dormindo?
-Não, ele não dorme.
-Que estranho. Quem é ele?
-Ah! É o-
-Betty! Se liga! Ela é uma humana! Ela pode ter preconceito com ele!- Exclamou Ganz.
-É verdade.- Disse Betty.
-Por que eu teria preconceito dele?- Perguntou Ozoku.
-É que nesse universo as pessoas não gostam dele, ou melhor, odeiam ele.- Explicou Dust.
-Ah! Cês tão falando daquele guardião, né? Nightmare, que eu me lembre.- Perguntou Ozoku na maior simplicidade, deixando todos perplexos.
- É-É... você não tem problema com isso?- Perguntou Betty chocada.
-Não! Minha mãe me contou que conviveu com ele e que as histórias que os outros contam é tudo mentira! E em quem vocês acham que eu acredito: na minha mãe ou nos humanos?
-Por que você fala dos humanos como se não fosse uma?- Perguntou Dust.
-E quem te disse que eu sou uma humana?- Perguntou Ozoku.- Eu sou uma kitsune!
-Uma kitoquê?- Perguntou Horror.
-Uma kitsune! Uma raposa japonesa que admire uma forma humana. Nunca ouviram falar de uma dessas não?- Explicou Ozoku.
-Não, né? Se soubemos você acha que a gente te perguntaria?- Disse Swapfell grosseiramente. Betty tenta conter a risada, mas não consegue.
-Nossa, cara. Não precisava ser tão grosso assim não!- Disse Ozoku fingindo estar ofendida.
-Problema seu, guria!- Retrucou Swapfell. A kitsune mudou de uma expressão engraçada para uma séria e até que bem assustadora.
-Exatamente, o problema é meu, não seu. Então, não mete a tua cara feia onde não lhe convém.- Disse Ozoku repentina e rispidamente para Swapfell, o deixando sem palavras. Ao fundo, se ouve uma risada alta, que eles, menos Ozoku, sabiam de quem era.
-Chefia? Tava aí desde quando?- Perguntou Horror. Demorou para Nightmare recuperar o fôlego perdido de tanto rir.
-Desde que você e Dust começaram a discutir. Aí eu fui ver o que era e preferi observar de longe. Vocês são uma comédia mesmo!- Explicou Nightmare.
-Esse é o guardião dos sentimentos negativos?- Perguntou Ozoku apontando para o ex-guardião.- Bem como a minha mãe tinha falado!
-Me perdoe se esta pergunta for grosseira, mas quem é a sua mãe?- Perguntou Nightmare.
-Ela é japonesa. Prefere que eu fale o nome dela no sentido oriental ou ocidental?
-É a Otohime Hanako, não é?- Indagou Nightmare antes de qualquer explicação de Ozoku, a deixando bem surpresa.
- S-Sim. Como você adivinhou?
-Ela ficava com esse negócio de sentido oriental ou ocidental a todo momento, então eu imaginei que fosse ela.- Explicou Nightmare com simplicidade.- Nunca passou minha cabeça a Hime-chan tendo uma filha.
-Você era bem próximo dela, né? Pra chamá-la pelo apelido.
-Sim, acredita que ela já tentou me matar?
-Pior que eu acredito. Mas por quê?
-Ciúmes, minha cara. Ela não gostava de ver ninguém perto da Ozoku, por isso tentava me matar, mas depois nos entendemos e ficou tudo bem!
-Outra Ozoku?
-Sim, ela não te contou?
-Contou, só que eu não prestei atenção quando ela contou.
-Enfim, a Ozoku daquela época, Watanabe Ozoku, foi a última herdeira, e ilegítima, dos Bourbons da França, assumindo assim, aos 10 anos de idade, o trono francês.- Explicou Nightmare.
-Aaaahhh!
-Cheguei com o kit, gente!- Gritou Lust.- Eeerr.. o que eu perdi enquanto eu estive fora?
-Muita coisa, Lust.- Disse Betty.- Como no ditado popular, senta que lá vem história.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...