1. Spirit Fanfics >
  2. Mulan >
  3. Parte I: Por trás de uma vitória, existe uma grande mulher!

História Mulan - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Tenham uma ótima leitura!
Leiam as notas finais para entendem o que aconteceu para fic ter saido do ar.

Capítulo 1 - Parte I: Por trás de uma vitória, existe uma grande mulher!


Fanfic / Fanfiction Mulan - Capítulo 1 - Parte I: Por trás de uma vitória, existe uma grande mulher!

O som de um suspiro após o outro,

⠀ ⠀Enquanto Mulan tece à porta.

⠀ ⠀Nenhum som do tear e da lançadeira,

⠀ ⠀Apenas o da menina lamentando.

    A cauda alertava dos soldados que espreitavam pela madrugada, enquanto um corte vermelho sangrava por cima do penhasco da pedra de Yoochun como uma ferida cor-de-rosa e púrpura no céu. 

O mestre estava em seu palácio, na varanda corrida pelo vento, do lado de fora de seus aposentos. Já sobre as muralhas, os seus guerreiros observam e monitoram  o limite do território das paredes chinesas,  a lua ainda presente estava coberta ocultando os dos olhares inimigos vigilantes; Se não vingativos! Aos poucos era ali que chegavam as águias perversas depois de longos voos. Os excrementos das aves salpicava as gárgulas, que se erguiam a uma altura máxima dos  presentes de ambos os lados; Um mastim do inferno acima daquele antigo império. 

Os gritos da águia sobre o pico eram apenas uma distração e um aviso, para que seu dono e seus amigos adentrassem, ou como, na linguagem popular atacassem e conquistassem mais um território! Homem estava espantado  com um, dois, três ou uma chuva de lanças estridentes prendessem a estaca a dentro dos muros. Até dar conta do real perigo e gritar para os outros;

— É um ataque! — Disse sôfrego enquanto aumentava sua passada para avisar aos outros que estavam espalhados.

A porta de entrada estremeceu após ser rompida pelos homens de estaturas variadas, estranhos e marcas comum. Eles estavam armados! Fora o distinguiu, antes de subir pela escada escorada à parede que em fração de segundos fora quebrada por erros da espada, a alegria naquele instante foi suas mãos se preenderem as brechas o permitindo ficar naquele topo.  Agora o espadachim ou guarda-guerreiro como preferirem iria pôr em prática o aprendeu no exército.

Suas mãos foram diretas a tocha que estava disposta a urgência, olhava ainda para frente quando a sombra enorme a margem do escuro surgiu, era ele! Carrancudo e perigoso. Daria sua vida pelo império que seu pai, seu filho viveriam para que ele não se aproximasse mais; A águia pousou no ombro cinzento coberto com pelos do oponente que via o guarda com mero descaso, pelo impulso e desespero da hora as chamas balaram e fez por um segundo recuar; Logo em seguida só sentia o carvão consumir as chamas e alarmaram o restante consequentemente.

— Agora todos da China, sabem que vocês chegaram! — Conclui estridente por sua fúria.

O inimigo observou e sua postura rígida permaneceu enquanto via as brasas subirem; Seu movimento foi rápido ao pegar a bandeira do império e a águia ecoa em sinal de recuarem! O monstro permanecia ali, inerte ao inocente que o via; Em sinal de provocação pela fraqueza do mais baixo a bandeira foi postada ao fogo.

— Muito bem. — Concluiu com um sorriso sádico.

 Os sobreviventes do ataque logo se dispersaram pelas muralhas abaixo, tinham que ser rápidos pois ataques surpresas por parte Shan-Yu seriam constante. E deviam estar preparado. As notícias foram passadas de soldados a soldados, minuciosamente para que a população não soubessem e se desesperasse! Como ventos agitados o ocorrido chegou ao General Li que deveras ficará atento a tudo e a todos, especialmente por conta do ritmo de vida agitado e da rotina corrida. Aquilo era fatal! E inaceitável. 

Devia pensar antes de agir, a ação por parte do bárbaro era sinônimo de guerra e proteção às províncias. E principalmente abandonar quem se ama estava em rumo sem volta! Ainda estava parado em frente a sua estadia, enquanto os dois soldados o olhavam aguardando sua resposta. Suspirou e viu a feição do jovem do lado de dentro que estava obsoleto a espada pendurada à parede que tinha a imagem da falecida amada; Estava decidido, assentiu e pós a cavarem para chegarem rápido ao palácio imperial que ficava no topo como lugar estratégico para não sofrerem ataques.

As ruas principais estavam calmas e continuariam até arrumarem um plano eficaz para conterem a “guerra” que eclodiria!  Ao chegarem nas escadas largas e longas foram subindo o mais rápido que podiam. Os contraturnos notavam que algo estava errado e logo as portas do palácio foram abertas, dando passagem de entrada para o general e os dois sobreviventes que tinham que se articula a situação para o imperador da China.

O senhor de idade avançada estava sentado em sua cadeira sagrada e seu olhar permanecia para frente e suas mão percorriam o tecido de sua túnica amarela; Até as portas da sala serem abertas e mostrar os três homens de seu exército andarem a passos rápidos. E se aproximarem para saudação em honra ao mais velho, porém os joelhos permanecem dobrados no chão e o mais experiente pronunciar:  

— Majestade. — Disse Li de cabeça baixa — Os Zoon’s cruzaram a fronteira norte! 

Disse olhando para face do imperador que estava neutra que por dentro estava irritado, o velho tabelião que ouvia a conversa até o momento ficou estagnado;

— Impossível! Ninguém ultrapassa a grande muralha. — Diz contravesso, afim de desmentir a ação. O imperador chines sábio repreendeu a continuidade da palavra de Chi Fu para ouvir Li.

O general apreensivo deu continuidade.

— Janil lidera as tropas.  — Afirma e o outro fecha seus olhos para suspirar — Organizaremos a defesa do palácio imediatamente.

Concluiu o general Li que viu em segundos o líder da nação se levantar e proferir algo que seria contraditório? Desesperador?!

— Não. Envie suas tropas para proteger meu povo. — Gesticulou. — Chi Fu!

— Sim Majestade.

— Entregue convocações de alistamento em todas as províncias.  Chame os reservistas e recrute o máximo possível. 

Ordenou o imperador para Chi Fu escrever e tal atitude deixou o general espantado que decidiu intervir.

— Perdão Majestade, mas eu posso interceptá-lo com minhas tropas.

— Eu não vou arriscar general, um grão de arroz pode virar uma balança; Um homem pode ser a diferença entre a vitória e a derrota. 

Finaliza com a metáfora, e a decisão de um imperador não deve ser questionada.

 

 


Notas Finais


Bem resumindo, a outra moça que escrevia comigo, ela não estava se sentindo bem no período que nós duas escreviamos. Então ela excluiu, lembrando que nós duas concentimos. E um tempo atrás ela disse que retornaria as atividades como escritora, então voltei a mexer no arquivo. Conversei com ela, e ela disse que eu poderia contiar a escrever - Então tanto ao plot como nos capítulos que ela escreveu, eu darei os devidos créditos dela.
Era apenas isso, quem quiser continuar a ler, saiba que a partir do capítulo V eu continuo sozinha, alias quem for capista poderia me oferecer serviço, porque essa capa que coloquei, não é nenhum pouco chamativa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...