História Mundo do Naruto. - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sasuke Uchiha
Tags Akatsuki, Comedia, Destino, Itachi Uchiha, Luta, Naruto, Romance, Sasuke Uchiha, Uzumaki Naruto
Visualizações 51
Palavras 8.454
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Tudo bem??

Antes que me matem pela demora, tenho algo para falar!
Tenho uma amiga que está querendo dar 4 capas de fic para alguém(são somente de SasuHina), se estiverem interessados o nome da conta dela no Spirit é Thalia_Uchiha. Deixarei o link de algumas fics que amei dela nas notas finais caso se interessarem!!


Então... sorry povo!! Tive preguiça demais de escrever, estou viajando também então no tempo que me resta ou eu durmo ou eu como kkkkk.
Escrevi por uma semana esse capítulo, pedaço por pedaço. Espero que gostem, foi feito com bastante carinho kkk!!!

Então, desejo-lhes uma ótima leitura!!
Até as notas finais, doces anjinhos!!❤️

Capítulo 11 - Sumiko vs...


Fanfic / Fanfiction Mundo do Naruto. - Capítulo 11 - Sumiko vs...

Assim que Hayate Gekkō deu início à luta, os dois se entreolharam por alguns segundos.

Silêncio total.

Yudi Yakushi abre um mínimo sorriso e em seguida pega duas shurikens em cada mão. Pôde-se ver o chakra dele envolvendo as armas. No momento em que ele joga as shurikens faz selos rapidamente e as armas se multiplicam mais e mais ainda.

Keiko não se dá por vencida e com o mover de suas mãos as armas voltam para ele, bem mais rápidas e fortes.

Ele desvia facilmente, logo decide partir ao combate corpo-a-corpo.

Uma coisa eu sei, Keiko prefere combate à distância. Ela desviou de alguns ataques, ele então deu um chute nela, a mesma bloqueou com uma mão e ele pegou uma kunai e a levou com toda sua força ao pescoço da menina com a intenção de matar-la. 

Uma coisa que não me convence é do porque ele apareceu. Ele não parece ser do nosso mundo, e seu nome não faz o menor sentido com seu time.

Kabuto significa ‘capacete’, Yoroi ‘armadura’ e Tsurugi ‘espada’. Os três formam um trio de armadura, capacete e espada...mas então Yudi? 

Estou tentando ver cada detalheda luta para que eu conheça o poder e habilidades deles, assim em uma luta futura terei uma vantagem.

Tenho que pensar como o Shikamaru.

Keiko bloqueou o ataque com a outra mão, e essa começou a sangrar pois teve um grande corte.

A perna dela se dobrou e seu joelho foi no queixo do menino.

Nossa...a dor dele deve ter sido inexplicável.

Eles se distanciaram com mortais para trás e logo se encararam novamente.

— Nossa, que rápidos! — Sakura-chan comentou surpresa. Afirmei com a cabeça e continuei prestando atenção á luta.

O homem havia se curado, e o sangue parou de sair de sua boca. Ele pegou mais armas e um kusarifundo(corrente com contrapesos nas extreminades, usado no desarmamento e imobilização), começou a jogar em direção à ela e correu em sua direção com a kusarifundo, querendo mobilizar-la.

A menina nem se move, as armas param perto dela e voltam diretamente ao homem, algumas ferem ele.

Por que será que as armas não chegam até ela? Ele parece não entender.

Orochimaru parece querer comer Sasuke com os olhos. Kami, ele é um baita de um psicopata.

Talvez Keiko tenha uma proteção absoluta em sua volta em relação à ataques de armas, um pouco menos eficiente da barreira do Gaara, claro.

Ele tenta atacar ela com a kusarifundo, mas ao tentar acertar-lá a mesma move a mão e a arma vai no rosto dele.

Ela tem um tipo de habilidade única, eu só tenho que descobrir qual.

 

Eles ficam com esses tipos de golpes durante dois minutos, no fim Yudi usou uma tecnica a qual foi necessário muito chakra.

Varias armas ninjas foram lançadas em direção á Keiko, depois pararam no ar.

— Agora é minha vez de brincar, ha! — Sorriu. Algumas mechas de seu cabelo escuro começaram a flutuar levemente pelo ar. Ela levanta suas duas mãos e com uma delas direciona ao corpo de Yudi, a outra fica em direção as armas paradas no ar. 

Ao fechar a mão direcionada ao menino, metade das armas no ar foram para cima dele. E então ela fez selos rápidos com a mesma mão e fechou a outra. Os objetos no ar se multiplicaram e atacaram o homem.

Kami...que tipo de habilidade é esta?

É parecida com o poder do Gaara, o jeito  como ele manipula a areia ela manipula as armas.

O homem mesmo tendo-se curado sozinho não se mexia mais.

— A vencedora é...Keiko. — Hayate disse após verificar o estado do garoto. 

Com um semblante vitorioso ela volta para perto de seus companheiros.

Engulo seco e olho para meus próprios pés.

Vamos pensar com calma, tudo aquilo que não tenho neste momento. 

 Ela não é tão boa em taijutsu, mas ótima em defesa. Possui essa habilidade de controlar as armas, não mostrou nenhuma técnica de ninjutsu além daquela de multiplicar as armas, como visto poucos segundos atrás.

Yudi ao contrário dela não tem defesa, mas tem uma habilidade como a Tenten de jogar armas, no entanto não é só isso, ele consegue curar-se como faz Kabuto e tem uma pequena capacidade de analisar as coisas.

Será que vou sobreviver?

— Sumiko. — Kakashi-sensei me chama. Olho para trás onde está ele. — É a sua vez. — Apontou para o painel. Como assim? Já? Tão rápido assim? Olho para o painel. Meu coração bate descontroladamente. Por que eu sou tão ansiosa?

Eu lutarei contra Takeshi, que é o Daniel. Ele já está na Arena. Meu olhar percorre tudo até o Shikamaru, o mesmo move a boca fazendo eu entender o que ele está a dizer: “ Que problemático...”.

Essa frase é como um ‘boa sorte’, bom...assim eu espero.

— Sumiko, você também está com o selo. Tente não sair do controle, ao contrário terei que parar a luta. — Afirmei com a cabeça.— Boa sorte. —Kakashi-sensei desejou. Ele não sabe que eu despertei os dōjutsu, assim como os outros professores.

— Boa sorte, Sumiko-chan! Tenho certeza que vai conseguir! —Naruto fechou seu punho alegre e levanta todo seu braço.

Ele confia em mim...

— Boa sorte, Sumiko. — Sakura diz sorrindo, fez o símbolo de joinha com a mão. Olho para Sasuke, o mesmo está me encarando sem expressão.

— Não morra. — Disse o mesmo. Curvo-me rapidamente a todos eles para agradecer e começo a descer pelas escadas.

Fico frente a frente à ele, Hayate em meio à gente.

— Você tem certeza que quer lutar comigo, gatinha? — Perguntou Daniel/Takeshi mexendo em seus cabelos e piscando o olho de um jeito galanteador.Sinceramente ele me dá nojo quando faz isso, não sei o que as garotas da escola viam nele.

Queria ter um pouco da coragem que ele tem para fazer isso na frente do Sasuke ou perder minha vergonha.

Fecho meus punhos com raiva dele. 

— Antes do início da luta, vocês têm alguma objeção? — Hayate perguntou após uma crise de tosse. Nego com a cabeça e Takeshi fala que não tinha nada a dizer.

Logo ele deu o início da luta. Devo estar atenta a cada movimento, e não devo desperdiçar chakra. Devo estar atenta ao selo.

— Tsc! — Seguro um soco que por pouco não encosta em mim.Estou tão distraída assim? 

Ele é forte demais!

Me distancio e penso no que acabou de acontecer. O soco dele não precisou de chakra, então significa que ele é bom no taijutsu e é muito rápido.

— Ei gatinha, eu não irei pegar leve contigo, hm! — Diz estalando os dedos da mão direita. Tsc! Como se eu precisasse que ele tivesse piedade de mim.

Pego uma kunai com uma bomba de fumaça, e ele decide atacar primeiro. Jogo a arma perto dele e pulo alto. A bomba deixou tudo em volta dele acinzentado. Fecho os olhos e concentro-me na audição e no olfato. Ele está mais à direita, ‘to’ certa! 

Concentro chakra nas minhas mãos e nos meus pés e ao cair ataco ele. Primeiramente dei um chute em seu estômago e um soco que foi parar em seu nariz. Ele foi mais pra trás pela força que botei, quase caindo.

Ao botar a mão no chão e tentar dar um chute em suas pernas para ele cair logo, o mesmo dá um mortal para trás e sai de perto da fumaça.

Me distancio também e fico totalmente em guarda para quaisquer ataque.  Posso ver ele sorrir como se eu não tivesse feito nada a ele, mesmo se dois grandes filetes de sangue estão saindo de seu nariz. Eu acho que quebrei o nariz dele...mas foi sem querer querendo. Ele passa a mão ali e tira um pouco do sangue, após um segundo ele me dá um olhar mortal e parte para cima de mim.

Ele começa com golpes de taijutsu, tais como chutes muito fortes e socos, nos quais me acertou dois deles. Eu tenho que pensar em alguma coisa, não podemos ficar aqui eternamente. Se passaram dois minutos.

— Mesmo exausta e com o selo, como consegue lutar assim? — Perguntou ele olhando-me feio e dando um pulo no qual seu pé foi parar no meu rosto.— Tudo bem, eu ainda nem comecei. — Depois do primeiro chute em meu rosto no qual senti  minha mandíbula estalar e o sangue encher minha boca, ele girou uns 360 graus e me deu um outro no mesmo lugar. Senti outro estalo. Alguma coisa em minha boca saiu do lugar, e creio que foram dois dentes.

Por alguns segundos senti tudo a minha volta tremer e meus sentidos falharem. Caio de joelhos no chão para recuperar a força. Meus dōjutsu insistem em serem ativados, e o selo não ajuda em nada!

 Ele está se aproximando cada vez mais.

O que faria Naruto em minha situação?

Por culpa do selo está sendo difícil se comunicar com a Grace e consequentemente ela não pode me ajudar tanto.

Ao tentar acertar um soco em meu rosto, eu seguro seu punho com as duas mãos. Me levanto ainda segurando ele e olhando-o seriamente nos olhos. É hora de atacar!

Eu fui treinada pelo terceiro Hokage e pelo futuro sexto. Eu não posso passar tanta vergonha assim, não na frente deles.

— Você me irrita. — Falei no jeito mais frio possível. Soltei o punho dele e me concentrei. Ele é uns sete centímetros mais alto do que eu, magro e forte. Eu vou lutar com o estilo Hyūga, bom, ao menos tentarei.

Ele então corre para perto de mim, tenta me atacar de varias maneiras. O tipo de ataque dele é muito parecido com o do Lee. Takeshi é extremamente rápido e isso me dificulta no momento, e muito!

Eu desvio de alguns ataques, acabo recebendo outros e ataco também quando possível. Ele está vindo de todas as direções, e isso não é clonagem!

Ele é tão rápido que só consigo ver quando já está pretíssimo de mim.

Eu preciso usar meu dōjutsu pelo menos um pouco, pelo menos o Byakugan.

Concentro bastante chakra em meus olhos, algumas veias se elevaram em minhas têmporas. Meu coração está batendo descontroladamente, meu pescoço queima como nunca. Minha visão fica mais ampla e eu consigo ver o sistema de circulação de chakra dele.

Agora aquilo que me resta a fazer é atacar o “Tenketsu da Parada”, localizado no estômago. Começo a atacar-lo com o punho leve e toco alguns tenketsus, e cada movimento que faço meu corpo fica cada vez mais pesado e a ardência sempre mais forte.

Miro minha mão direita na barriga dele e vou com toda a força ali.

Consegui! Eu consegui acertar-lo!

Suspiro aliviada ao ver ele parar de se mexer e desativo meu dōjutsu, exausta e dolorida.

— Sumiko! Cuidado!! — Naruto grita chamando minha atenção. Olho para trás de mim e vejo Takeshi fazendo selos rapidamente. Ué?

Jutsu de substituição...

Merda! Como eu não percebi?!

Ele cospe uma grande bola de fogo em minha direção, faço mortais para trás e após isso corro tentando não ser queimada viva por ele.

Então ele também sabe fazer ninjutsu, nesse caso ele usa o estilo fogo. Devo estar atenta. Logo ele ataca querendo me cortar com a kunai, e eu me defendo com a mesma arma.

Em meio a esta luta eu me esqueci de uma coisa: Um ninja deve conhecer o campo de batalha.

Acabei ficando encurralada na parede e a kunai dele ficou a centímetros do meu pescoço.

— Você não vai desistir, gatinha? —Perguntou ele rindo. Uma das coisas que mais odeio e sinto nojo dele é essa atitude, ele sempre se acha melhor que as mulheres e nesse caso a mulher sou eu. Arrogância, pensar que é superior á mim...é isso que vejo nos olhos e nas atitudes dele. Meus braços estão bloqueados, estou totalmente presa e impossibilitada de fazer quaisquer movimento. Não, sempre tem uma chance.Ao virar ninja devemos saber que temos o dever de afrontar a morte continuando sempre a cultivar a esperança de conseguir.

— Calado! — Sinto o metal apertar mais ainda meu pescoço, cortando superficialmente minha pele. Tusso sangue mas continuo fria aos olhos dele.

Meu pulso esquerdo é girado por ele e sinto um grande estalo e muita dor. Meu pulso esquerdo quebrou!

Nunca queiram saber a dor de quebrar um osso. Grito angustiada. Ele é um torturador!

Hayate dá uns passos para a frente já querendo parar a luta, no entanto é parado pelo Kakashi-sensei, que falou alto.

— Ela ainda consegue lutar. — Disse Kakashi-sensei com a voz grave e segura. Como ele consegue ter tanta fé em mim?

Eu ainda tenho chance. O Sasuke do futuro não tinha braço e mesmo assim lutava bravamente contra seres e pessoas extremamente poderosas.

Todos os olhares estão sobre mim, este é um momento que minha “querida” fobia quer se manifestar.

Tenho que pensar em algo, e rápido!

Chuto em meio às pernas dele, fazendo assim eu ganhar segundos de tempo para pensar e atacar. Eu sei que isso foi crueldade com o sexo masculino e puro golpe baixo, mas foi necessário!

Faço dois clones da sombra e pego quatro kunais com a mão direita, pois não consigo sentir mais a outra e nem mover-la . Elas estão amarradas com fios de arame. Jogo-as perto de Takeshi(formou um tipo de quadrado, cada kunai em cada ponta), e logo pego duas shurikens que estão com os outros lados dos fios de arame e jogo cada um em cada lado. Os objetos fazem uma pequena curva e envolvem o garoto de joelhos no chão com as mãos no lugar onde ataquei antes, que parece ter doído bastante. Claro que nada dói mais que um osso quebrado. Fui para perto dele e dei um chute em seu peito fazendo-o cair de barriga para cima e concentro chakra em minha mão direita, piso ele com todo o peso do meu corpo. 

Tenho que acabar rápido com isso, assim ele não sentirá dor com esse ataque e eu não me arrependerei futuramente de ter-ló machucado. O pior erro dos humanos é retribuir o ódio com mais ódio.

Mesmo que eu não goste do Daniel, eu não me sinto bem em machucar-lo porque simplesmente gostaria de ver-lo sofrer. Machucar por prazer simplesmente não é comigo.

Miro na barriga dele, minha mão está concentrando o chakra que me restou e o mesmo está se transformando em raio. Isso está parecendo o Chidori, mas as chamas diferente dele são negras e só servem para o ataque ser mais útil. Meu punho gentil acerta em cheio a barriga dele e o chão também sofre danos, assim formando-se uma pequena cratera com pedaços voando pelo ar, os raios envolvem seu corpo inteiro e isso estava ficando cada vez mais forte e de certa forma brilhante. Ele se encontra desacordado, já que ataquei em cheio seu tenketsu. Tirei rapidamente minha mão do local.

Passará um dia inteiro desacordado e quando voltar a ficar ativo vai ficar dolorido seja no nariz seja no meio das pernas. Tiro meu pé de cima dele e volto com minha posição normal, em pé.

Não percebo que todas as minhas forças foram embora e meu corpo parece pesar umas cinco vezes mais. Meu corpo inteiro arde e queima, o selo quer se manifestar mesmo com a minha resistência esse tempo todo.

Minhas pernas bambas insistem em cair e meus olhos a se fecharem. Eu não sinto nada além da dor em meu pulso esquerdo quebrado e na minha mandíbula, a qual eu talvez tenha quebrado dois dentes e perdido bastante sangue. Alias, o selo também está agitado.

Eu consegui? Olhei para o Shikamaru que está com a cara preocupada, ele suspirou aliviado por eu ter ganhado e fez o símbolo de joinha com a mão.

— A vencedora é... — Hayate disse levantando-se após conferir o estado físico de Daniel e ver que ele não conseguiria mais lutar.— Sumiko Hinode. —

Ino, Sakura, Naruto e Choji falaram coisas como “Ainda bem!” ou “Ela conseguiu! Ela conseguiu!”, Hinata suspirou aliviada e Shikamaru ainda me olhava orgulhoso.

Quando olhei para o Sasuke pude ver seu olhar preocupado, mesmo escondendo com seu semblante sério suas emoções. Ele mantinha uma mão no bolso e a outra segurando forte a pequena grade de ferro. Rock Lee comenta algo como “Isso sim que é a força da juventude!”, Tenten disse que eu parecia ser mais fraca de primeira vista(impressão que todos têm de mim, já até acostumei).Matilde está quase explodindo de raiva, me olha mortalmente e se dependesse dela eu já estaria morta, Aninha não mostra expressão alguma juntamente á Shino, os irmãos da areia,o Time do Som, Neji e o Time do Kabuto. Orochimaru parece se divertir com minha vitória.

Daniel fora pego pelos médicos e carregado pela maca para fora da arena.

Não me importo com o chão que parece girar e ficar cada vez mais perto da minha face.

— Ninjas médicos! — Kurenai-sensei gritou após aparecer em minha frente enquanto me segurava junto à Kakashi-sensei.— A garota está em um estado grave. O selo está tomando conta dela. — Falou baixo para Kakashi. 

Dois médicos já estavam perto de mim, mas Kakashi fez sinal com a mão para eles pararem.

— Por enquanto curem as feridas mais profundas o mais rápido possível. Logo irei até lá para resolver algo.— Disse Kakashi  já pegando-me no colo e botando-me na maca.

Eu consegui vencer...naquela luta a qual parecia ter zero de chances de ganhar.

Eu consegui! Eu passei para a final!!!

Logo sou levada para fora daquele lugar pelos médicos, deitada na maca. Além daquela sala eu não conheço mais nada, pois no anime Naruto e no mangá nada foi mostrado sobre. Sou levada para um quarto subterrâneo onde vejo mais dois feridos: Yudi Yakushi e Takeshi. Ambos estão sendo tratados pelos ninjas médicos.

 

     — Será que ela vai ficar bem? — Perguntou Sakura preocupada olhando sua amiga ser levada pelos ninjas médicos.

— Ela é forte, claro que sim! — Respondeu Naruto tranquilizando ela.— Sumiko conseguiu vencer aquele cara que é rápido como o Sobrancelhudo! Isso mostrou que ela é mais forte que o Sasuke! — Apontou para o Uchiha ao seu lado enquanto fazia uma careta, dando a língua par Sasuke. Sakura irritou-se. 

— Naruto! — Falou alto ela dando um soco nele.— O Sasuke-kun é o mais forte entre todos! — Cruzou os braços e bufou. — Ninguém supera ele. Né, Sasuke-kun? — Olhou para onde Sasuke estava, no entanto não havia mais ninguém ali. Procurou com os olhos e achou ele na Arena escutando Kakashi falar com ele. Sentiu que fez um papel de trouxa. Sasuke nem havia escutado ela.

O painel já mostrava os nomes dos próximos participantes: Yoroi Akadō vs Sasuke Uchiha.

Seria uma luta difícil para Sasuke, ele assim como Sumiko não estava em plenas condições.

 

                        //. ———— . //.  ———— .//.  ————.//

 

— Mas antes de acabarem as preliminares? — Perguntou o moreno de olhos ônix. Kakashi deu um suspiro, não queria discutir. — Eu quero ver quem vai chegar ás finais! — Kakashi se levantou olhando-o do mesmo jeito que um pai olha para um filho que está fazendo birra.

— Esqueça. —Falou serenamente Kakashi.— E nem tente discutir! — Interrompeu Sasuke antes que o mesmo começasse a falar. — Se deixarmos mais tempo quem sabe pode ser muito tarde. Já houve muita negligência. — Explicou. O menino pareceu entender. — Vamos, andando. —Ordenou.

Sasuke mesmo com muita dificuldade para levantar-se, seguiu o sensei. Seu pescoço ainda doía, assim botou a mão em cima do selo amaldiçoado. Ao saírem daquela sala foram diretamente á um outro cômodo, o qual havia escrito na entrada ‘Enfermaria’.

Foram diretamente onde se encontrava Sumiko, a menina estava deitada na cama provisória de hospital virada para o lado da parede, assim não se podia ver se estava dormindo ou não.

Não se pode dizer que ela está nas melhores condições, pensou Sasuke.

O pulso esquerdo estava enfaixado, enquanto ela estava com algo na boca, parecido com um pano que estava cheio de sangue.

A maioria de seus machucados, seja aqueles causados na floresta da morte seja aqueles causados nessa última luta, haviam sido curados.

— Sumiko, levante-se. —  Pediu calmamente Kakashi botando a mão no ombro da menina, sacudindo de leve. Ela afirmou com a cabeça e preguiçosamente se sentou na cama. Kakashi saiu do cômodo falando que logo voltaria.

Os dois ficaram em profundo silêncio.

Sumiko estava dentro de seu próprio mundo, em seus próprios pensamentos. Seu olhar estava baixo e seus pés indo para a frente e para trás, um tipo de movimento para se distrair. 

Lembranças rápidas e embaçadas passaram pela cabeça de Sasuke.

Antes de ser mordido pelo Orochimaru... o que havia acontecido?

Uma mulher de cabelos longos claros, olhos verdes, com o aspecto delicado lutava com toda sua fúria contra aquele homem.  Ela era muito parecida com Sumiko.

Ela era a mãe da garota. 

Mas, Sumiko não havia dito que seus pais estavam mortos? 

E outra, de onde tinha saído aquela mulher?

Algo de errado não estava certo.

— S-Sasuke-san... — Sumiko chamou o garoto com um fio de voz. — V-Você está me o-olhando muito, há algo de...de errado? — Perguntou ela olhando para as próprias mãos  e batendo um dedo indicador no outro. Os olhos verdes dela estavam úmidos e pareciam segurar lágrimas. Sua voz baixa estava mais trêmula que o normal.

Ficou em silêncio e não mudou sua expressão. O concorrente o qual ela lutou não era qualquer um, não se surpreendia do fato que ela saiu toda machucada. Sabia que qualquer pessoa nas mesmas condições dela sairia assim ou até mesmo pior, inclusive ele.

— Como fez para derrotar-lo com aquele golpe? — Perguntou Sasuke referindo-se à Takeshi.

— B-Bom, eu...eu simplesmente ataquei seu ponto de pressão da parada, assim parei os movimentos dele sem fazer algum mal ou outro machucado, seria crueldade...bom e-eu acho. — Explicou ela, botando uma mecha de seus cabelos atrás da orelha e respirando fundo.

— Como sempre, você não consegue fazer mal nem á uma mosca.Tsc. — Negou com a cabeça para si mesmo. Mesmo em uma batalha onde ela poderia morrer, ela pensava nos outros e não em si mesma. Isso era um erro fatal no mundo shinobi. O garoto poderia pegar-lá e machucar-la feio, ela poderia morrer e mesmo assim...

— D-Desculpa...e-eu só... eu...eu — Sua voz ficou cada vez mais baixa. Ela batia seus dedos indicadores cada vez mais rápido e parecia que iria explodir a qualquer momento.

Ficaram novamente em silêncio por alguns segundos.

Ele não queria magoar-la nem algo do tipo. 

Shinobis são criados especialmente para lutar. No mundo shinobi os fracos e os bondosos são presas fáceis, e isso não era uma coisa boa para Sumiko.

Os fracos e os bondosos não podiam ser chamados de Shinobi. E o que acontece quando você não é mais um ninja?

É fácil.

Vira uma presa.

— Os dois, sigam-me. — Kakashi apareceu na porta do local.

Foram para um local subterrâneo, longe dos demais participantes e de possíveis suspeitos espias de Orochimaru.

 

                      //. ———— . //.  ———— .//.  ————.//

 

Aqui está frio e escuro.

Kakashi-sensei começou a fazer dois círculos concêntricos com kunai colocadas nos intervalos da circunferência, além de um número de caracteres escritos com sangue que irradiam do centro do selo amaldiçoado.

No fim olhou diretamente para mim.

— Que tal primeiro você? — Perguntou ele ao se levantar após terminar o negócio que até hoje não entendi como funciona. Engulo seco. Eu???? Por que? Assim tão rápido?— Sabe, aquele ditado “as damas primeiro de tudo”. — Sorriu sem-graça atrás da máscara. 

Meio insegura e com muito medo do que vai acontecer daqui pra frente, afirmo com a cabeça. Sasuke se senta apoiando-se no pilar em frente ao círculo.

Me sinto como se estivesse sendo oferta a Jashin, nada de mais...eu espero.

— T-Tudo bem... — Seguro meu pulso enfaixado e ainda quebrado. Os médicos disseram que após terminar essa etapa irão curar-me completamente. 

Eu entendo eles, terão várias outras pessoas com ferimentos graves para curar, e para isso não devem gastar muito chakra. — O que devo fazer? —

— Tire a blusa. —Ordenou ele meio constrangido. 

—...N-Nani?! — Perguntei incrédula e meu rosto inteiro queimando pela vergonha. Como assim tirar a blusa na frente dele e do Sasuke?Eu sou uma garota!

A porta do local foi aberta e vi Kurenai se aproximar da gente.

— Kakashi, deixe essa parte para mim. — Disse ela olhando-me. Suspirei aliviada, seria muito constrangedor, mesmo sabendo que Kakashi-sensei tem respeito em relação às mulheres e Sasuke é de certa forma assexuado(brincadeiras à parte kkk)... Bom, assim eu espero.

Ele se distanciou e chamou Sasuke para ir com ele. Ufa...ainda bem.Tirei a blusa vermelha, ela está em péssimas condições assim como meu short. Os dois estão com partes rasgadas.— Tire a blusa debaixo dessa também, oras. — Oh sim,  claro...

Tiro a blusa escura e me sento em frente à Kurenai. Ela começa a escrever varias coisas em minhas costas, coisas que não consigo identificar o que são. 

Após dois minutos escrevendo ela parou.

Kami... estou seriamente com medo. Se o Sasuke gritou de dor, imagine eu que sou mais sensível que o normal para sentir dor?

Ela então se posicionou para fazer os selos. 

— Será rápido, mas doloroso. —  Disse ela botando sua mão em cima de meu selo.

Até que não é doloroso...

Esqueçam o que eu disse. Parece que o inferno está queimando em você.

— Aaa!!! — Grito com toda a força que tinha. Em um segundo deu um alívio, mas o seguinte foi um inferno.

As redes de chakra em todo meu corpo doíam. Tudo doía, meu pescoço especialmente. Minhas mãos tremem, fecho os olhos pois um cansaço enorme veio em mim.

Caio no chão, sentindo o encostar da minha pele naquele chão frio.

Ainda bem que fiz xixi antes, senão juro que soltaria o líquido aqui.

 

Kurenai então vestiu a garota e a deixou encostada no pilar.

— Já acabaram? — Perguntou Kakashi se aproximando junto à Sasuke.

— Sim. A marca da garota foi selada, ela acabou desmaiando. — Olhou para a menina e sorriu.— É uma boa garota, determinada. Informe-me sempre sobre ela, por favor. — Kakashi afirmou com a cabeça, a mulher que antes olhava para Sumiko ficou em silêncio por alguns segundos.— Acho estranho um Hyūga e um Uchiha terem uma relação, ambos com poderes oculares muito fortes e clãs diferentes... — Pensou em voz alta e olhou diretamente ao Hatake séria.— Temos que ter cuidado com ela, Kakashi. Dependendo do que acontecer, ela poderá se tornar um grande problema futuramente. — Kurenai desconfiava de algo. Aliás, se um Hyūga e Uchiha terem um filho, esse teria o Byakugan em um olho e o Sharingan em outro. Sumiko ou era “bugada” ou então havia algo escondido que eles não sabiam.

 

                 //. ———— . //.  ———— .//.  ————.//

 

— Aah! — Acordo ofegante, suada e assustada. O que aconteceu? Onde estou?

Olho ao meu redor, estou em um quarto de hospital. Vejo pela janela que está de noite.

Então essa parte da prova Chunin já acabou? Nossa... eu tinha apagado completamente.

Estou leve, não sinto mais tanta aquela dor.

Respiro fundo e tento me levantar, mas por sacanagem do destino meu pé embola no lençol da cama e acabo caindo de cara no chão.

Por que essas coisas acontecem só comigo? 

Após o gemido de dor e a vontade de ficar com a cara no chão pelo resto da vida, eu me levanto percebendo que estou com soro no braço direito. Trocaram minhas roupas, agora são escuras, fizeram algo com meu pulso e ele não dói tanto, só quando me mexo ou faço força no lugar. Minha mandíbula está dolorida mas pelo menos curada. 

Que bom que não havia sofrido tantos danos. Sofrer machucados não é o meu forte...

Mas, e agora? Em que dia estamos? Quanto tempo fiquei desacordada?

Vou para perto da janela onde tem um pequeno vaso de flor com dentro uma anêmona, uma delicada flor azul roxa.

Eu não sou experta em significados de flores, mas creio que essa têm por significado a persistência e perseverança, além de ser indicada para presentear pessoas debilitadas por doenças ou motivos emocionais.

Não sei quem me deu, mas só sei que é linda.

Lá fora está chovendo levemente, e cada pingo de chuva que cai na janela parece ficar em câmera lenta.

Passo o tempo vendo qual é a gota que chega primeiro em baixo, e sim, acabo torcendo para a gota do meio.

Posso parecer louca, mas meu cérebro é assim quando eu acordo.

E em pensar que a mamãe também amava dias de chuva, assim como eu...faz meu coração apertar mais uma vez.

Se eu conseguisse ao menos salvar-la...

Eu não posso culpar o Orochimaru, nem ao Kabuto e nem à ninguém, pois foi o mundo que os fez ficar assim. A vida deles não foi uma das melhores.

Orochimaru, ele quer obter a vida eterna e tem medo da morte. Kabuto, foi somente uma criança indefesa exposta á este mundo, foi manipulado pelo Orochimaru. Kabuto só quer saber sua identidade, quer ser aceitado assim como é.

Minha mãe, ela também sofreu na vida, e muito! Eu não gosto de lembrar dos acontecimentos...

Meu pai...ele batia nela. Ele batia seja nela seja no meu irmão.

Ela era tão forte ao ponto de criar dois filhos sozinha depois da separação.

Nunca a desobedeci, ao contrário do meu irmão que só fazia burrada. Claro, ela brigava comigo porque eu era muito preguiçosa e não queria nunca sair da cama, e pra sair de casa só Kami para me tirar.

Se eu pudesse mudar o passado...talvez aproveitaria mais o tempo passado com ela e com meu irmão.

Boto a mão no selo. Tenho que parar de pensar nessas coisas, por mais difícil que seja. Mamãe morreu dando o seu melhor, tudo bem que ela não conseguiu mas pelo menos tentou.

Eu...estou chorando?

 

                                                   [...]

 

— Poxa! — Resmungo olhando as peças e tentando bolar uma estratégia. 

Estou jogando shogi com o Shikamaru, e ele está vencendo uma partida sim e uma não. Essa partida está sendo uma batalha e tanto seja para mim seja para ele.

Estamos jogando desde depois do horário de almoço, no qual comi bastante aqui no hospital mesmo a comida não sendo uma das melhores. A comida simplesmente não tem gosto! Bleah! Não vejo a hora de voltar para casa e poder dormir o quanto eu quiser, treinar ou até mesmo dormir mais. Dormir não mata, ou mata?

— Calma! Você é uma iniciante, é normal que erre as vezes. — Falou ele tentando me tranquilizar. Sorri maleficamente enquanto vejo um peão dele na diagonal do meu bispo. Ahá!! Te peguei! 

— Prontinho! — Sorrio amigavelmente vendo ele sério pensando. No entanto sua reação não foi como eu esperava. Ele tinha uma carta na manga. A torre dele capturou meu bispo, tsc!

— Você se distraiu tanto com os peões que se esqueceu daquilo que havia atrás deles, trouxa! — Começou a rir, revirei os olhos. A vingança é um prato que se come frio, espere só...

Movi meu peão da primeira fileira (da esquerda para a direita) para a frente, e a merda daquela torre dele capturou um peão meu.

— Filho da... —  Movi meu general de prata para a frente tentando capturar aquela maldita torre.Ele moveu para trás.

Hmmmm, agora você quer recuar né seu...seu...eu não consigo achar um xingamento para ele!!— Toma! — Boto o peão que havia capturado dele em uma casinha perto do rei. Mais um movimento e ele estava morto!

— Quem é trouxa uma vez, é trouxa duas, três... —  Ele moveu lentamente seu bispo até o meu rei enquanto falava isso. Kami... como eu fui burra! Eu deixei as casinhas diagonais livres e ele me enganou, fazendo-me concentrar somente em um lado enquanto ele atacava do outro.— E por fim, quatro. Ganhei. — Sorriu vitorioso. Encarei incrédula ele e voltei a olhar o tabuleiro. Eu estava quase lá...— Você ataca muito e esquece da defesa. Isso é uma coisa que aprenderá com o tempo. — Explica. — Por enquanto de sete partidas, ganhei quatro e você três. — O tempo de visita havia acabado. Droga! Mas já? Eu queria jogar mais com ele e ficar falando bobeiras. 

Olhei tristonha para o teto. Quero sair desse lugar!Pelo que eu soube, estou aqui faz dois dias, e hoje a noite terá o assassinato do nosso examinador, Hayate. Obviamente, como a vida é problemática e eu também sou um “imã de encrencas” como dito por Naruto, irei interferir a morte dele. 

Após Shikamaru sair fui até o banheiro e escovei os dentes, iria dormir, de novo.

Nunca iria cansar de dormir, dormir é uma coisa bem louca! Tipo, você está acordada aí do nada pá!!! Não está mais.

Eu sei, não sou normal. Ao voltar para meu quarto encontrei a enfermeira em pé.

— Amanhã receberá alta e assim poderá sair daqui. — Disse amigavelmente. — O Hokage-sama pediu para que passasse em seu escritório após sair. — Afirmei com a cabeça. Talvez ele me dê dinheiro para esse mês ou então programará os treinamentos como sempre.— Está precisando de algo? — A enfermeira mudou de assunto, enquanto trocava o saco de soro.

Eu estou precisando de algo? Só de mais doze horas de sono, nada de mais.

— Eu...Eu posso visitar uma pessoa que está aqui também? —Pergunto timidamente e vejo ela abrir um grande sorriso. 

— Claro! Quem deseja ver? — Perguntou saindo do quarto para pegar alguns remédios para tirar minha dor futura dos ossos. Nem fiz treze anos neste mundo e já me sinto uma velha de cem anos que precisa tomar remédio. Claro, nada contra velhinhos. Amo eles, tirando aqueles mau-humorados com a vida e com os outros.

Boto minhas sandálias ninjas e sigo ela trazendo o suporte de soro junto, ela pega um copo de água e me dá junto aos remédios.

— Sasuke Uchiha, eu gostaria de ver ele...claro se não for um incômodo. — Digo sentindo minhas bochechas formigarem, sinal que estou um pouco vermelha.

Ela pareceu pensar.

— Olha, ele ainda não pode receber visitas... —  Dei o copo vazio à ela enquanto escutava. —  Mas já que você é uma boa paciente, pode ficar cinco minutos com ele, claro que sem fazer muito esforço ou ele fazer senão terei que interromper. —

Por que no meu mundo os enfermeiros não são doces assim como ela? É sério, essa garota é um anjo. Agradeço à ela e logo a mesma me acompanhou até um quarto não tão longe do meu.

Ao entrar vejo Sasuke sentado em sua cama olhando para nada em especial. Ele estava em seu próprio mundo, em seus próprios pensamentos. Ele nos olhou meio incomodado com nossa presença.

— Trouxe sua amiga para ficar um pouco com você. — Sorriu virando sua atenção para mim.

— B-Bom, e-era...era só mesmo para ver se você estava bem. — Sorri sem graça e nervosa com minha gagueira.

Eu senti à vontade de me enfiar em um buraco e depois ser enterrada pra ninguém nunca mais me ver. 

Ainda tenho tempo para sumir e voltar ao meu quarto e dormir?

Me sentei em uma cadeira perto dele, a enfermeira saiu do quarto deixando-nos sozinhos. Ai meu Deus, estou sozinha com Sasuke Uchiha. Estamos só eu e ele aqui...Socorro. Alguém pra me ajudar?

Ficamos em silêncio, eu brincando nervosamente com meus dedos e ele me olhando sério. Deve estar me achando louca ou estranha, se ainda não acha isso de mim.— E-e então,você... você... — Engulo seco, o que eu falo pra quebrar o silêncio? O que minha amigas do meu mundo falariam com os garotos que elas gostam?Qualquer coisa, creio eu. Um assunto aleatório e legal de se falar. Eu nunca consegui falar com os garotos e parecer normal.Certo. Respirei fundo e tomei coragem. — Você gosta de passarinhos? — Perguntei já me arrependendo. Quem em plena saúde mental perguntaria isso para começar uma conversa com a pessoa que gosta? Ele me olha como se eu fosse uma retardada ou algo do tipo.

— Não. — Respondeu curto. — Na verdade nem gosto e nem desgosto. — Se esclareceu. Ficamos novamente em silêncio por cerca de alguns longos segundos.— Por que veio aqui? — Perguntou.

Uma leve brisa entrou pela janela e passou pela gente. O sol estava se pondo.

Pude ver seus cabelos balançarem, ele mesmo com a cara sonolenta mantém seu jeito rabugento de ser. Os raios luminosos que chegam ao rosto dele o deixa com a pele mais...como posso dizer? Viva. Ele está cansado, na verdade exausto. Ele também está com roupas de hospital, seus machucados causados na floresta da morte e na última luta, foram curados.

Mesmo ele neste estado... Como ele pode ser tão perfeito?

— Eu só queria saber se você está melhor. — Respondo à sua pergunta, pegando mais coragem. Parece que perguntar sobre passarinhos deu certo...— E-Estou lhe incomodando? — Pergunto olhando para meus próprios pés que iam para a frente e para trás.

— Quando sairá do hospital? —Perguntou ele olhando diretamente á mim e ignorando minha pergunta.

Eu nunca na minha vida tive uma conversa tão longa e serena com ele.

Me sinto mais a vontade.

— Amanhã. E você? — Me levanto da cadeira perto dele e pego uma jarra de água em um criado-mudo, enchendo dois copos e dando um pra ele e o outro ficou comigo.

— Obrigado. — Agradeceu pelo gesto. — Ainda não sei. — Respondeu murmurando. Levou o copo até a boca, fiz o mesmo. 

Cinco minutos já se passaram, mas a enfermeira ainda não chegou.

— Sasuke-san... — O chamo. — P-Posso te pedir algo? — Ele me entregou o copo vazio, não falou nada, fazendo entender que era para eu falar.— Você tem armas ninjas aqui? —Eu preciso começar a me mover, se eu ficar de moleza aqui o Hayate irá morrer. Por que só tenho momentos com o Sasuke quando não posso ficar tanto tempo com ele? Bah... que vida injusta.

— Pra que servem? — Perguntou ele um pouco curioso.

— Só... um mau presentimento. — Trouxe uma mecha dos meus cabelos para trás da orelha. É uma pequena mania que tenho e faço quando minto. É uma coisa que não consigo controlar.

— Abra o armário, no ângulo da esquerda achará uma bolsa ninja. Pegue-a. — Fiz de acordo com a explicação.— Já sei que quando tens um mau presentimento é quando algo muito ruim acontecerá. — Soltou um suspiro. Ri sem-graça.

— O-Obrigada Sasuke-san, irei comprar aqueles que faltarem o mais rápido possível.— Amarro a bolsa ninja em minha coxa direita, faço um clone. —   Não diga nada à enfermeira, por favor! — Ouvi passos se aproximarem do quarto. Agora vem a pior parte, tirar a agulha que está conectada com o soro do meu braço. Respiro fundo e fecho os olhos fortemente enquanto puxo de uma vez a agulha com cuidado para não deixar o sangue cair no chão. Faço uma careta, no entanto meu clone pega o negócio da minha mão enquanto fazia uma careta também. O chato de fazer clones é que eles são minha copia, e eu não confio em mim pois sou muito desastrada(entre muitos outros medos e fraquezas). Meu clone começa a me empurrar para fora da janela.

Boto um pé na janela e olho uma última vez para o garoto dos meus sonhos. A hora que Hayate será assasinado está chegando, e eu quero salvar-lo. Proteger às pessoas e meus amigos, este é o caminho que escolhi seguir. E voltar atrás com minha palavra não está em minha conduta ninja. Protejer e mudar a história para um fim melhor, este é o meu jeito ninja!

— Tsk.Não morra, procuradora de encrencas. —   Foi como uma “boa sorte” estilo Uchiha, assim eu espero. Faço que ‘sim’ com a cabeça, e dou um pulo para sair daqui.

Agora o que me resta é achar o lugar onde estão eles, pois nunca havia ido ali.

Pulo de casa em casa meio desesperada.

— Byakugan! — Espero que sirva à algo, pois ainda não treinei meu Byakugan, e assim não posso ver tão longe. Quando eu puder sair do hospital -sem precisar fugir- , irei treinar tanto, tanto e tanto que ninguém irá me ver por um mês inteiro. Então, após concentrar chakra em meus olhos e sentir as veias elevando-se em minha têmporas, minha visão fica mais ampla. Na parte est vejo Jiraiya falar com Ebisu.

E então o Naruto finalmente conheceu o sábio tarado...

 

A lua está grande e bem alta no meio do céu, ela está cheia e tem algumas nuvens perto de si. Mas é claro! A lua!! O Gaara faria uma pequena sombra ao matar Dosu.

Concentro minha visão naquela parte. 

Por mais que eu já tenha aprendido a lutar, a fazer ninjutsu e varias outras coisas, nunca me acostumaria com essa adrenalina que percorre agitadamente todo o meu corpo. Eu sinto medo, medo de não conseguir.

Enquanto acelero meus passos olho para a bolsa cheia de armas ninjas. É como se o Sasuke estivesse lutando comigo. Eu não posso vacilar, eu não irei vacilar!

Estou demorando demais, ai ai aiiii!!

Focalizo minha visão para perto das casas, onde é este lugar?!

Respire fundo, respire novamente. Eu tenho que achar-lo!

Vamos começar assim: o que eu lembro daquele lugar quando vi o episódio?

Estavam de baixo de um grande edifício, haviam visto a morte de Dosu. Então eu estou perto.

Ativo meu Sharingan também e oculto meu chakra. Hayate está perto. Uso a técnica de ocultar os meus passos, essa técnica é muito usada por ninjas para espionagem. Abro a bolsa ninja e amarro rapidamente fios de arame ás shurikens e kunais.

Chego perto dele, o mesmo toma um susto imenso ao me ver. Tapei a boca dele.

Meu dōjutsu está brilhando no escuro, pôde-se dizer que eu não sei ainda usar-lo bem e isso significa que não sei botar alguém em um genjutsu.No entanto consigo prever o movimentos do meu inimigo e atacar em tempo. Pelo que me informei, se tenho somente essas habilidades com o dōjutsu devo ter um tomoe.

— Bem...vou indo. — Escuto Kabuto falar enquanto dava alguns passos se afastando de Baki.— Mais uma coisinha... — Tiro a mão da boca de Hayate e faço sinal para correr, no entanto ele ainda quer ficar para escutar até o final o discurso deles dois. Que idiota.Puxo ele pela mão. —  Eu cuidarei do nosso pequeno espião. — Senti que Hayate congelou completamente, se perguntando como eles descobriram.

Faço rapidamente os selos necessários para fazer o máximo de clones possíveis, seja meus seja dele.  Puxo ele para longe dali, e então sumimos.

— Você é a candidata Sumiko. — Disse ele. — O que está fazendo aqui? Não deveria... —O interrompo. Para ele deve ser estranho que alguém como eu já tenha me recuperado, pois eu estava em péssimas condições.

— Oculte mais seu chakra. Falaremos depois sobre isso! — Virei a rua e continuei correndo puxando ele. 

Baki está procurando a gente, ele é rápido.— Temos que fugir, posso explicar depois mas por favor, faça como estou falando! — Olhei para ele séria. Sim, devo estar assustadora com os dōjutsu ativados. Corremos por cerca de dois minutos nessa rua.

Devo achar um lugar para nos esconder por enquanto.

Achei um beco escuro, onde as pessoas usam para jogar lixo, vou para lá e digo à ele para me seguir.

— Por que apareceu ali? É perigoso. Crianças não podem sair por aí à noite. —  Sussurrou ele baixo.

Pego todas as armas ninjas que havia preparado antes e preparo armadilhas, mesmo eu não sendo profissional nisso.

Os fios de arame por sorte não refletem a luz da lua, nem parece que estão ali. Seria péssimo eles verem a armadilha, meu esforço não serviria de nada.

Concentro minha visão para onde estávamos segundos atrás. Baki e Kabuto não se encontram mais ali. Será que consegui? Não. Isso foi muito fácil, não é possível.

— Teremos que achar ninjas de Konoha, para você passar a noite ao seguro. Amanhã falará com o Hokage sobre o que está acontecendo. — Sussurro tudo como se fosse a coisa mais fácil do mundo a se fazer. Ele tem uma pequena crise de tosse. Esse lugar fede demais por culpa do tanto de lixo que tem.

Eu sei, devo estar parecendo uma pessoa mais velha e experiente falando com um Genin. 

— Devo relatar isso agora. —Disse dirigindo á mim seu olhar decidido e já levantando-se para ir embora.  — São coisas de extrema importância, Konoha pode ser atacada a qualquer momento. — Tossiu novamente.

Eu não consigo mais sentir o chakra deles por aqui, eles estão longe, que sorte.

— Eu sei o que estou fazendo, Gekkō-san. — Digo segurando ele enquanto desativo meus dōjutsu, preciso descansar um pouco pois mau me recuperei e já estou aqui, arriscando minha vida e a vida de muitas pessoas.

Você ataca muito e esquece da defesa. Isso é uma coisa que aprenderá com o tempo.“ — A voz de Shikamaru resoou em minha mente.

Eu não pensei nas consequências. E se algo der de errado com Suna? Eles estão em crise por culpa daquele daimyo egoista.

A quem estou querendo enganar quando disse “Eu sei o que estou fazendo...”? 

Eu não sei de nada! Isso que fiz foi puro impulso de querer proteger as pessoas de Konoha e acabei por ignorar as outras vilas.

Não, espera. A morte de Hayate não havia ajudado ninguém. Eu não ferrei nada, ainda. Amanhã irei falar com o Hokage sobre a situação de Suna. 

Meu Kami... meu clone sumiu!! Daqui a pouco será o horário de jantar e meu clone sumiu porque a enfermeira deu uma injeção nela. Por que sou tão desastrada e tenho medo de agulhas?

— Como sabia que eu estava ali? — Perguntou ele. Até eu acharia estranho se uma garota me desse um susto e começasse a me puxar para um canto qualquer dizendo coisas estranhas. Na verdade eu pensaria que seria uma armadilha do inimigo para me atrair. Eu não sei porque ele confiou em mim realmente.

— Você morreria se ficasse ali. — Falei para fazer-lo parar de falar e confiar um pouco em mim.—  Baki não é qualquer um. Ele é um shinobi de nível jōnin de Sunagakure e um membro do conselho consultivo da vila. — Ele iria abrir a boca para falar, mas eu o interrompi antes.— Orochimaru está manipulando Sunagakure e nenhum deles sabem disso. —Suspiro cansada.

— Impressionante. — Ele disse.— E pensar que eu achava você era uma simples pirralha sendo coberta pelo Hokage. Eu estava enganado. — Olhei para ele confusa com seu tom de voz. 

Por que todo mundo tem essa impressão de mim? Pareço ser tão fraca e frágil como dizem? Bah...Eu realmente não sei.

— Eu sou como qualquer um ninja daqui ou de outros lugares, exerci somente meu trabalho como uma Genin de Konoha. — Digo séria. Isso é pura verdade, não significa que se salvamos alguém somos uma pessoa importantíssima e talz. Sou uma simples pessoa como qualquer outra.

— Você se comporta como se fosse adulta e soubesse mais coisas que eu, um Jonin. — Seus lábios ficaram em linha reta e sua expressão facial mais séria. Respiro fundo. Ele realmente acha que eu não sei de nada...baka. Eu sei de toda a história do anime ahahahahah!!

Tenho que me manter com os olhos abertos mesmo morrendo de sono, que saco!

 

Duas horas haviam se passado e estávamos ainda no mesmo lugar. Decidi sair dali, afinal estou com medo sobre o que irá acontecer se as pessoas do hospital não me acharem.

Não quero causar um escândalo.

 

Ao chegar pela janela do meu quarto, vou direto para o banheiro e tomo um banho rápido, botando um pijama que pegaram em minha casa e deixaram no pequeno armário. Fui para o quarto de Sasuke.

Ele está dormindo e nem parece que é sempre mau-humorado. Esse rosto perfeito aos meus olhos é quase impossível de parar de observar.

É melhor eu me apressar, não quero parecer uma psicopata que fica olhando pra cara dos outros enquanto eles estão dormindo. Caminho até o armário dele e abro com o maior cuidado do mundo para não fazer barulho.

Deixo a bolsa ninja no mesmo lugar de antes e me levanto. 

Perto da cama dele tem uma roupa sua um pouco bagunçada, o que custa arrumar? Ele me ajudou.

Dobro a roupa dele o melhor possível e a deixo em seu criado-mudo. Por fim antes de me dirigir à porta, cubro ele com a coberta/lençol.Fecho a porta do quarto dele e volto para meu quarto. Vou direto para a cama.

Olho para o negócio de soro, amanhã eu dou um jeito nisso!

Enfio meu rosto no travesseiro após me cobrir. Eu ainda não acredito que o Sasuke me ajudou. Eu ainda não acredito que tive uma conversa tão serena com ele.

Kami!! Estou vermelha. Comemoro mentalmente por hoje.

Talvez eu tenha conseguido subir um degrau para ser uma amiga dele. Talvez...

Ou talvez eu seja apenas uma garota irritante que está sempre no pé dele.

Bah... eu realmente não sei. O que realmente espero é não fazer-lo afogar na escuridão, pois Sasuke é um dos motivos por eu ter desejado mais do que tudo entrar neste mundo.  

No fim eu consegui salvar Hayate Gekkō, nosso examinador, e isso me deu força e esperança de sempre tentar daqui para a frente.

Ser um ninja é ter sempre a esperança de conseguir, mesmo em momentos críticos e os mais desesperadores.Ser um ninja é ter fé que tudo vai dar certo. 

Um ninja vê através da decepção.

Cada dia eu aprendo mais coisas neste mundo, e não me arrependo disso.

 

                                                       [...]

 

Acordo me sentindo de um certo modo estranha. O que está acontecendo?

Abro os olhos lentamente. Me sinto observada.

Grito assustada dando um pulo da cama ao perceber que haviam dois ANBU no meu quarto me observando. Não posso ver o rosto deles pois estão com máscara. Um está sentado na cadeira ao lado da cama, antes quando eu dormia ele deveria estar pertíssimo de mim, o outro estava apoiando-se na parede perto da porta.

— Deve vir com a gente, Hinode-san. — Disse aquele sentado ao lado da cama, sua voz grave me fez tremer da cabeça aos pés, ele levantou-se e se aproximou de mim. Me sentei na cama não entendendo nada ainda, eu sou lerda quando acordo, isso é fato. Esfrego minha mão no meu rosto, meu coração está acelerado. Deixo escapar um gemido de insatisfação. Ele segura meu braço e sua respiração é forte e chegou até meus cabelos. O jeito firme e forte no qual ele me segurou, senti que me meti em uma grande encrenca. 

Acreditem, nunca queiram me acordar e terem pressa para que eu me levante. Isso é fatal para os humanos. Nunca se metam comigo enquanto durmo.

— N-Nani? — Pergunto incrédula com a situação. Eles vão me levar para onde? Isso tudo só por ter fugido do hospital?

Suspiro derrotada.Que problemático... — P-Posso ir ao banheiro antes? Estou...estou um pouco apertada. — Puxo meu braço para perto meu corpo como para dizer “Me solte, você está me machucando”, fazendo ele soltar sua mão de mim. Tateei o chão antes de ficar em pé. Fui até o banheiro sendo seguida pelo ANBU. Eu não acredito... ele vai ficar me olhando enquanto faço minhas necessidades? Deve ser para que eu não tente fugir. — E-Eu...eu não consigo fazer minhas necessidades sendo observada por alguém... — Cruzo os braços emburrada.

 


Notas Finais


Eai, gostaram do capítulo??
Aceito criticas construtivas, elogios, dicas, tudo!! Espero que tenham gostado deste capítulo, se sim comentem!

Fanfictions de Thalia_Uchiha que mais gostei:
Amor doentio— https://www.spiritfanfiction.com/historia/amor-doentio--previa-13877623
Infected- O Resgate - — https://www.spiritfanfiction.com/historia/infected--o-resgate-12967480
Destinada —https://www.spiritfanfiction.com/historia/destinada-11833645
Dois caminhos— https://www.spiritfanfiction.com/historia/dois-caminhos-12621172
Laço Vital —https://www.spiritfanfiction.com/historia/laco-vital-5501885

Minhas fanfictions e da yPekena_Natsumi:
Fodeu!!Entrei no anime Naruto!!— https://www.spiritfanfiction.com/historia/fodeu-entrei-no-anime-naruto-13397615
Dois corações, um único destino!- SasuHina —https://www.spiritfanfiction.com/historia/dois-coracoesum-unico-destino-sasuhina-11215364

Eu sinto muito...(SasuHina)— https://www.spiritfanfiction.com/historia/eu-sinto-muitosasuhina-13932324

Nos vemos no próximo capitulo(ou nos comentários)!!
Um grande beijo e um imenso abraço a todos vocês anjinhos do meu coração! Obrigada pelo apoio, por estarem lendo sempre e também gostando💕

Kissuuuussss!!😘😘😘💙💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...