História Mundo obscuro (Min Yoongi) -HOT - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga)
Tags Adolescences, Drama, Hot, Minyoongi, Romance
Visualizações 135
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Já agradeceram por ter Kim Seokjin no mundo hoje?! Então agradeça... aniversário do nosso Worldwide handsome ❤️🥳 (na Coreia né)
Boa Leitura 😇

Capítulo 15 - Cap 15.


Fanfic / Fanfiction Mundo obscuro (Min Yoongi) -HOT - Capítulo 15 - Cap 15.


 

—Tá amiga, eu posso fazer isso, mas só me fala o que aconteceu? Sua voz está péssima! 

—Não posso falar agora Ana, te falo na escola depois, ok?! 

—Tá bom, vou ligar pra sua mãe e confirmar que você vai dormir aqui. Beijo e se cuida.

—Obrigado mesmo Ana! Te amo. 

 

Desligo o celular e respiro aliviada. Sorte a minha por ter uma amiga disposta a mentir por mim. Olho pro Yoongi que não expressa reação alguma, está de cabeça baixa, no seu próprio mundo.

—Deveríamos ir no hospital, você perdeu muito sangue. 

—Não foi a primeira vez Bella, relaxa. -Ele indaga baixinho.

—Por que fez isso? -Eu ainda estou em choque, minha voz totalmente embargada.

—Não sei exatamente. Punição, talvez?! -Ele afirma pra si mesmo incrédulo.

—Punição pelo o que? Pela forma como agiu na escola? 

Ele não me olha diretamente, e o quando o faz logo desvia o olhar para baixo novamente. Ainda estávamos sentados no chão todo vermelho com seu sangue.

—Também.

—Por que só não pediu desculpas? Me ligou, sei lá!

—Não sou o tipo de cara que pede desculpas Bella. -Ele me olha e mantém os olhos nos meus.

—Mas e aí você tenta se matar? É assim que costuma resolver seus problemas? -As palavras são um pouco duras, mas as falo de forma cautelosa.

—Sim, é assim que “resolvo” meus problemas. -Ele faz leves aspas.

—Caralho Yoongi! Você tem noção de que quase me matou do coração? -Meus olhos voltam a transbordar.

—Eu não queria fazer isso, aliás, não te pedi para vir aqui. 

O olho boquiaberta! Silêncio total..

—Desculpa. Droga! Olha eu pedindo desculpa de novo. -Ele suspira.

—Viu? Não é tão difícil. -Consigo dar um leve sorriso.

—Boba. -o garoto dá um sorriso também.

—Não quer tomar um banho? Está todo sujo de sangue.. 

—Se você me ajudar eu aceito. -Ele ri sapeca.

Reviro meus olhos e sorrio. Me levanto com cuidado e pego no braço sem machucados o ajudando a levantar. Yoongi geme de dor e parece bem fraco. Tiro sua roupa com o maior cuidado do mundo, principalmente a camiseta. Ele de escora no meu pescoço e o levo até o banheiro que fica em frente ao seu quarto.

—Vai me dar banho de cueca? 

—Não abusa Yoon, você foi um garoto muito mal! 

—Mas ninguém toma banho de roupa.. -Ele ri. 

—Tá bom.. -Suspiro e desço sua cueca preta, enquanto ele se apoia nos meus ombros.

 

Dou um banho rápido nele e o seu braço sangrento fica bem longe da água. Coloco um pouco de sabão na minha mão e massageio seu pênis, lavando. O pálido geme baixinho e eu começo uma leve masturbação no seu pau que endurece mais a cada toque.

—Era pra me dar banho, não abusar de mim. -Ele geme.

—Xii.. você está sem condições de protestar. -Sorrio sapeca e continuo.

Observo sua carinha de prazer. Mordendo o lábio com força, boca entreaberta e bochechas rosadas. Eu percebi que ele se aproximava do orgasmo pelo gemidos mais altos, porém parei. 

—Bella.. -Ele indaga manhoso, protestando.

—Já está limpo. -Falo séria mas rindo por dentro.

O enrolo na toalha —só a cintura— e o levo apoiado novamente até o quarto. Ele se senta na cama e eu abro seu guarda roupa a procura de algo confortável.

—Só tem roupa preta aqui. -Suspiro olhando os cabides só com peças pretas.

—É o que eu uso amor. -Ah essa palavrinha... fez meu coração pular no peito.

—Ok.. -observo as camisetas. —Vai essa. -Pego uma camiseta com um desenho de caveira. Abro umas das gavetas e pego uma cueca branca e um moletom, preto.

—Que sacola é essa? -Ele pega minha sacola e observa curioso.

—Um presentinho pra você, mas não sei se está merecendo. -Me sento ao seu lado.

—Presente pra mim? -Ele pergunta em choque.

—Sim. -Pego a sacola e tiro o moletom de lá, estendendo para ele.

—saranghae. -Ele fala algo que não entendo nada.

—Que? -Pergunto confusa tentando decifrar o que mais parecia um símbolo no moletom.

—Eu te amo em coreano. -Ele ri parecendo não acreditar.

—Olha como eu sou fofa. -Finjo saber exatamente o que estava escrito ali.

—Aposto que você comprou sem nem saber se isso era coreano. -Ele ri debochado.

—Eu decifrei que sim, mas comprei na sorte. -Ele ri fofo.

—Já sei o que quero vestir. -Ele mantém o sorriso.

—Tem kit de primeiros socorros aqui? -Olhei seu braço ainda enfaixado, mas o sangue já havia encharcado as faixas.

—Lá no armário da cozinha.

—Já volto! -Deixo o moletom na cama e vou pra cozinha.

Abro os armários á procura da maleta, assim que a acho eu subo. Yoongi já havia vestido a cueca e a calça. Seu braço só piorava. Me sentei ao seu lado e abri a maleta vermelha e branca. Peguei com cuidado o braço mutilado e tirei as faixas. A visão é horrível! Cortes profundos por todo o antibraço. Yoon geme de dor a medida que despejo soro fisiológico, limpando as feridas.

—Aprendeu isso com quem? -Ele pergunta depois de gemer de dor novamente.

—Minha mãe é médica veterinária. -Coloco as gazes para estancar de vez o sangramento.

—Nossa, me chamou de animal?! -Ele finge chateação.

—Já disse que você é um gatinho. -Rio pra ele e passo a faixa no seu braço, prendendo o final com uma fita médica branca.

—Gatinho. -Ele bufa.

—Quem manda você ficar ronronando. -Dou gargalhada e me levanto pegando o moletom ao seu lado.

—Ninguém nunca cuidou tão bem de mim, nem minha tia quando me adotou e fingia gostar de mim. -Ele fala com deboche o final.

—Quando vai entender que eu te amo? -Passo o moletom por sua cabeça, e com muito cuidado, passo seus braços.

—Não fala assim Bella. 

—Você tem que parar de duvidar do meu sentimento! Se eu não amasse, não estaria aqui agora. -Me sento ao seu lado e pego sua mão direita.

—Pode muito bem ser por dó. 

—Acha que eu mentiria pros meus pais por dó de você? Transaria contigo, fumaria e todo resto somente por dó? E além de tudo, você é de longe a pessoa que eu teria esse sentimento. 

—Pode ser só porque estivesse entediada com sua vidinha perfeita. -Ele ri, e aí percebo que ele só queria ouvir tudo isso.

—Seu idiota! -Bato no seu braço e faz uma cara de dor, o olho desesperada! Puts, o braço machucado.

—Droga! Foi mal... -Acaricio o local que bati.

—Não é esse o braço. -Ele começa a rir se divertindo com minha cara. Bato novamente e rio junto com ele. 

 

Me escoro na cabeceira e ele deita no meu colo. Passo minha mão por seus cabelos enquanto ele olho algum ponto do quarto. 

—Sua tia estava aqui quando eu cheguei.

—É, ela veio ver se já não morri. -Ele ri mas de forma triste. 

—Vocês não conversam? -Continuo a mover minha mão no seu cabelo.

—Ela mal vem aqui, e quando vem ela mal me olha quando não estou no quarto. 

—Que ódio! -Exclamo entre dentes.

—Eu não a culpo, eu sou um porre mesmo. 

—Sabe que pode mudar né? 

—Eu nasci assim Bella, não tem como mudar. -Sua voz está melancólica novamente.

—Claro que tem! É só querer. Pode parar de fumar, roubar, se cortar, ser agressivo...

—Você não viu nada ainda.

Meu coração se aperta. Essa frase ronda minha cabeça e me assusta de um modo que me deixa sem palavras, completamente muda! 

—Ainda pode se afastar se quiser, estou completamente envolvido, mas vou sobreviver. 

—Não posso mais. -Escoro na cabeceira e minha mente voa pra longe. —Ficou com ciúmes do Lucas? 

—Aquele idiota ficou todo engraçadinho pro seu lado! -Ele fala bravo.

—E que culpa eu tive? -Pergunto cética.

—Não teve. Isso foi só medo... não sei o que você viu em mim, mas não quero te perder pra outro. -Ele fala baixo, como se ele estivesse enfiando uma faca em si mesmo por confessar tal coisa.

—Eu sou sua Yoongi, sabe disso. 

—Desculpa por ser desse jeito.

—Gostei de você assim, relaxa. -Volto a acariciar seus cabelos.

 

Ficamos em silêncio, percebo Yoon dormindo como um anjo, apesar que acordado às vezes parecer um capetinha. Deixo sua cabeça em um travesseiro e desço pra lavanderia. Pego um balde com água, pano, rodo e um cheirinho. Limpo todo o sangue do chão do seu quarto, tirando o cheiro terrível de sangue. Vou pro banheiro e tomo um banho me limpando do suor e do sangue que também me sujou.

 

Coloco uma camiseta cumprida do garoto e minha calcinha. Me deito ao seu lado vendo sua linda carinha em um sono profundo. Eu sei que estou passando por cima de muita coisa, estou fazendo coisas que nunca pensei em fazer! Estou em um mundo obscuro que nunca cogitei habitar, mas vale a pena. Por ele eu viveria nessa escuridão. A essa altura, nem sei se é possível o tirar daqui, levando em conta que estou tão absorta nesse mundo quanto ele.

 


Notas Finais


Desculpa os erros de ortografia se tiver.
Fico grata por estarem gostando da história (baseada em alguns fatos reais) ♥️ Vamos que vamos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...