História Mundos Cruzados - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Konan, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Pain, Pein, Rock Lee, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, Tsunade Senju
Visualizações 24
Palavras 1.906
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei

Capítulo 2 - Aquele certo alguém idiota


Narrado por Sasuke Uchiha

- Aqui está senhor Uchiha, seu uniforme. _ disse a diretora loira bonitona.

- Uniforme? Tem que usar uniforme aqui? - eu disse surpreso. Ninguém me avisou sobre uniformes ridículos.

- Sim. Essa é uma escola particular meu jovem. - respondeu a senhora Tsunade.

- Tudo bem. - me dei por vencido.

- Bem vindo ao Instituto Namikaze. Estamos muito felizes de ter você aqui. E com o resultado da sua prova. Você é um excelente aluno. - ela disse sorrindo e eu fiquei todo orgulhoso né.

- De nada. Feliz estou eu de estudar num colégio como esse. - respondi bancando o humildão.

- Obrigada e até amanhã, seu primeiro dia. - ela disse e eu me levantei.

- Até Amanhã. - respondi e sai.


--xx--

Abri a porta e cheguei em casa. Eram sete da noite. Eu passei na escola pra acertar os últimos detalhes e depois fui dar uma volta.

Meu pai e minha mãe já estavam em casa. Meu pai é o Fugaku e minha mãe Mikoto.

- Oi filho, chegou tarde pro jantar hoje. - disse minha mãe ao me ver sentar no sofá.

- Foi mal, já jantaram? - perguntei me sentando no sofá junto a eles.

- Ainda não, estávamos esperando você. Onde estava? - perguntou meu velho, fitando a TV.

- Fui na escola ver tudo sobre a minha bolsa. E pegar o uniforme. - respondi colocando minha mochila no sofá.

- Tem uniforme? Depois eu quero ver. - disse minha mãe animada. - Gente vamos jantar!

Ela disse e fomos pra mesa. Já estava montada.

 - E então filho? A escola? É grande? - perguntou meu pai.

- Enorme, acho que dá uma cinco da minha escola antiga. - respondi.

- E o que tem de bom lá referente a sua antiga escola? - perguntou minha mãe.

- Tudo, é tudo muito melhor é maior, também é a melhor instituição de ensino do país. - responde pegando salada e colocando no prato.

- Agora já sabe hein filho. Se comporta. Controla esse seu gênio que agora você é bolsista. Vê se não vai brigar com ninguém por lá. - disse meu pai.

- Eu sei pai. Vou tentar controlar. - respondi. - e o Itachi, ligou?

 - Sim. Ele disse que daqui a três meses vem nos visitar! Estou com tantas saudades do meu filho. - disse minha mãe. Também tava com saudades dele.

Depois do jantar fui pro quarto. Entrei na internet no site da escola pra ver mais detalhes. Eu realmente estava feliz de ter conseguido essa bolsa. A escola que eu estudava era muito ruim e eu estava louco pra sair daquela merda.


--xx--

Acordei de manhã, eram 6. Não tinha que me preocupar com o horário. A escola era tão perto. Dava pra ir andando.

Tomei banho e vesti o uniforme, era tipo uma calça preta com uma camisa social com gravata xadrez. Coloquei All star preto. Ninguém ia me obrigar a calçar aqueles sapatos ridículos. Tomei café da manhã com meus pais e em seguida eles saíram pra trabalhar e eu pra escola.

Fui andando e  resolvi tirar a cara do celular, fiquei olhando a rua. Tava perto. Comecei a perceber pelas mansões que eu via no caminho. Cada casa ridiculamente grande. Uma maior que a outra. Não sei pra que isso tudo. As vezes moram duas ou três pessoas na casa dessas. Mas tem 500 quartos e 300 banheiros. Ridículo.

Avistei a escola. Era enorme. Maior do que eu me lembrava. Comecei a olhar na frente e a galera era diferente mesmo. Tinha tipo até limusine trazendo alunos. Conversíveis eram como mato. Tava me sentindo um merda no meio daquele pessoal Hahahaha. Não tinha ninguém igual a mim ali? Não é possível. Resolvi então sentar numa mesa que ficava lá fora. Fiquei observando aquelas pessoas. Que gente fútil... De repente vi a mais fútil de todas sair de seu conversível prateado. Ela tinha uma sandália rosa de salto muito alto, sinceramente aquilo era uma escola ou uma premiação de tv? Ela tinha saia xadrez do uniforme e uma camisa branca com um laço xadrez. Mas não era igual das outras garotas era personalizada. Ela tinha cabelos cor de rosa tão lisos e compridos como eu nunca vi na minha vida e ela mantinha as mãos neles direto. Todo mundo olhava pra ela e ela sorria pra todos e cumprimentava. Deve ser uma imbecil. Desculpa não deveria julgar o livro pela capa. Saiu da parte de trás do carro mais duas meninas. Uma loira alta de olhos azuis e uma morena elas se vestiam igual e tinham saltos tão altos e tão ridículos quanto.

Elas vieram pra dentro enquanto todos as observavam. Também com toda essa parafernália pra aparecer, quem não ia olhar.

Dei um sorriso involuntário vendo aquelas garotas fúteis se achando. Todo mundo é tão supérfluo aqui.

O sinal tocou e eu fui pra sala. Todo mundo foi de uma vez como uns desesperados. Seja rico ou pobre os adolescentes são os mesmos.

Esbarrei em alguém no corredor.

- Aaaaai! - aquele grito histérico.

- Olha por onde garota.. - disse estressado. Era ela, a garota do cabelo rosa.

- Olha por onde anda você seu imbecil! - disse ela com uma voz fina irritante.

- A única imbecil que tem aqui é você. - respondi sem nem hesitar.

- Grosso! - ela esbravejou e eu não tava nem aí. Entrei na sala. Que por ventura era a mesma sala da patricinha.

- Bom dia crianças! Tudo bem? Vamos sentando. - disse o professor. Sei lá o nome dele.

- Eu você! Não é de minha sala. - disse o professor moreno.

- Eu sou novato aqui. - disse pra ele.

- Ah! Você deve ser Sasuke Uchiha o garoto que gabaritei a avaliação bolsista. Prazer em conhecer. Vou gostar muito de ensinar História pra alguém tão esperto. - disse ele sorrindo.

- Tinha que ser bolsista. - ouvi a patricinha rosa dizer.

Ignorei.

- Obrigado. - limitei-me a responder.

- Pessoal, esse é Sasuke Uchiha, novo colega de vocês. - disse ele. Argh detesto apresentações.

- Oi Sasuke. - disseram em uníssono. Mas eu sabia bem que esses riquinhos me desprezavam.

- A propósito, meu nome é Asuma Sarutobi. Sou professor de História. Tem um lugar pro senhor ali junto ao Shikamaru. - disse o professor. Eu apenas sorri e olhei. O tal do Shikamaru acenou e eu sentei junto a ele. Pude notar olhares pra mim de cima a baixo inclusive da patricinha.

- E aí velho, meu nome é Shikamaru Nara. - disse o garoto com cara de sono.

- Eu sou Sasuke Uchiha. - respondi.

- Bolsista também né? - perguntou ele.

- Sim. - respondi.

- Legal pelo menos não tô sozinho..

- Você é novo aqui? - perguntei.

- Sim, cheguei faz uma semana e já sofri os diabos com essa galera. - ele respondeu, parecia entediado.

- Como assim. - perguntei curioso.

- Eles te zoam até dizer chega só porque você é sem grana. Eles zoam sapatos, mochila até a porra do nossos cabelos. - disse eles. - E nos ignoram. É como se fôssemos invisíveis.

- Que idiotas. Mas não esquenta, agora eu tô aqui. Tô louco pra ensinar a lição a esses riquinhos de merda. - eu respondi.

A garota de cabelo rosa não parava de olhar pra nós e cochichar. Na boa, que garota irritante.

- Tá me achando bonito? Tira uma foto gracinha. - disse eu e Shikamaru ficou chocado.

- Que cê disse? - ela perguntou com uma careta.

- Você ouviu o que eu disse. - respondi.

Ela bufou e se virou pra frente pra conversar com as amigas.

- Você ficou louco de falar assim com a Sakura? - disse Shikamaru.

- Quem? - perguntei.

- Sakura. Ela é a manda chuva do colégio. Ela pode ferrar a gente em dois segundos. - disse Shikamaru.

- Tô nem aí. - respondi e me virei pra frente pra assistir a aula.

Na hora do intervalo eu e Shikamaru fomos pro refeitório. Parecia até um restaurante francês.

Tinha uma mesa sobrando, então. Sentamos lá. A comida era de graça, igual na escola pública, então fiquei mais aliviado.

O grupinho da tal Sakura passou por nós. Ela tava de mãos dadas com um ruivo alto. Ele segurava uma bola de basquete. Em seguida tinha a loira alta de abraçada com um ruivo com uma tatuagem na testa e a morena agarradas com um loiro sorridente com cara de tonto. Tinha também um cara cabeludo com cara de metido.

- Olha só amor. O Shikarino finalmente achou alguém da própria espécie pra conversar. - disse ela.

Meu sangue começou a borbulhar já.

- Na verdade meu nome é Shikamaru. - respondeu ele tímido.

- Quem te perguntou alguma coisa garoto? - respondeu o ruivo.

- Vão se ferrar! - respondi irado já.

- O que disse? - perguntou o ruivo.

- Eu disse, vão se ferrar, cambada de imbecil. - disse sem medo nenhum. Qualquer coisa, já vou preparando as passagens de ônibus.

- Como ousa falar com a gente desse jeito? - disse a tal Sakura e eu me levantei ficando de frente pra ela.

- Você tá achando o que? Que é superior a mim em alguma coisa? Eu não sou menor que você em nada aqui e nem em lugar nenhum, então sugiro que baixe sua bolinha. Pois saiba, senhorita de nariz empinado, que comigo o buraco é mais embaixo. Eu não tolero esse tipo de babaquice nem na próxima encarnação. - eu disse e ela me olhou de sombrancelhas franzidas. O refeitório todo olhava pra gente em silêncio. - Agora saiam daqui que eu quero comer em paz.

 Ela ficou muda, então eu sentei na minha mesa.

- Você vai se arrepender de falar assim comigo! - ela disse e eu fingi que não a vi nem a ouvi. E então foi embora pra mesa dela. Ela e os amigos.

- Cara, você é realmente maluco. - disse Shikamaru. - eles vão transformar sua vida num inferno aqui dentro.

- Eu não ligo. - disse eu.

- Mas foi muito maneiro. - ele disse. Eu ri.

- É... Você viu a cara da patricinha? Ela ficou sem saber o que dizer. - eu disse entre as gargalhadas.

- Todos eles. - completou Shikamaru rindo.

Narrado por Sakura Haruno.

Babaca, idiota, imbecil, palhaço, grosso, estupido. Ridículo...

Tudo isso é esse tal de Uchiha. Que ódio que eu tô dele. Me humilhou e me rebaixou diante a escola inteira. Mas ele vai me passar por essa.

 Eu fuzilava ele com os olhos enquanto ele comia seu sanduíche e ria com Shikarinho. Shikarino... Sei lá qual o nome desse infeliz. E ele me ignorava completamente quem ele pensa que é?

- Tá tudo bem amor? - perguntou Sasori me dando um beijinho na bochecha.

- Não! - disse zangada.

- o que a minha rainha quer? É só pedir. - ele responde.

- Ela tá bolada com o show que o bolsista deu pra cima dela. - disse Naruto.

- Que ódio desse pé rapado. Mas ele me paga. - eu disse quase chorando de raiva.

- Não fica assim minha deusa, amanhã a a gente dá um jeito nesse bolsista insolente. - ele me respondeu e eu o beijei na boca.

- O cara é brabo, gostei da atitude dele. - disse Temari chegando na nossa mesa.

- Tá louca, Temari? Ele me humilhou na frente do refeitório todo mundo viu. - eu disse incredula.

- Mas você provocou né Sakura , agora aguenta. - disse Temari. Eu detestava aquela irmã do Gaara.

Narrado por Sasuke Uchiha

Tem uma lavada naquela pentelha ridícula. Também quem mandou vir me zoar? Bom, ela disse que eu vou me arrepender bom talvez hoje seja o primeiro é o último dia nessa escola hahahahah mas valeu a pena. Dar um fora naquela metidinha foi foda.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...