1. Spirit Fanfics >
  2. MuNDoS dIFEreNtES >
  3. Um visitante mal recebido

História MuNDoS dIFEreNtES - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Um visitante mal recebido


Fanfic / Fanfiction MuNDoS dIFEreNtES - Capítulo 2 - Um visitante mal recebido

Domminus*sentado em seu trono, escolhendo algum lugar do Multiverso para "visitar"*:

— Passo! Nefhesto eu fui mês passado, Carboncchila já está enjoando, Flighton é muito trabalhoso. Me leve para algum lugar que eu não fui, onde eu vou encontrar coisas diferentes lá. — aperta no botão de voz.

Na tela espacial vai se passando um monte de planetas e dimensões aleatoriamente.

Domminus: Espere! Esse planeta aqui. Aproxime-se dele.

Greynus( conselheiro real de Domminus):

— Não se deixe enganar pela sua aparência, meu soberano. É um lugar que está cheio de animais primitivos, selvagens e formas de vida inteligente desevoluídas, chamados de humanos. Acho que o senhor não acharia muito interessante.

Domminus: — Humanos, é?! Gostei desse nome. Eu quero ir lá, Greynus! Portanto, eu vou.

Greynus: — Mas, meu senhor...

Domminus: — Nem mais uma palavra, Greynus. Eu vou lá e acabou.

Greynus: — O senhor que manda. Vocês ouviram ele. Preparar para monitoração de todo o planeta. Meu senhor, só uma coisa: o senhor não pode chegar lá através de um portal que para eles "surgiu do nada". Eles não vão entender e vão querer lhe atacar.

Domminus: — Greynus, você sabe quem eu sou, não é mesmo?! Pois é... Foi o que eu pensei. Vamos Bace e Thompson!

Bace e Thompson o acompanham.

Mexy(servo de Domminus): — Abrindo portal em: 5, 4, 3, 2, 1...

Um portal se abre na cidade Recife, especificamente em um estacionamento de farmácia onde não tem ninguém.

Domminus e seus servos saem do estacionamento. Eles vêem muitas pessoas caminhando, falando, andando em seus atomóveis e buzinando.

Domminus: — Então, esses são os humanos?! É, eles não são tão evoluídos assim. Tem muita coisa que precisa melhorar. Quem foram os idiotas que criaram estas máquinas a vapor que soltam gases poluentes?!

Thompson: — Mestre, viu algo interessante?!

Domminus: — Até agora, nada. Você vê algum humano "diferenciado"?!

Greynus*comunica-se com Domminus*:

— Eles são humanos, meu senhor. Não espere muitas coisas.

Domminus: — Greynus, se eu vim aqui é porque aqui tem algo interessante. Vamos nos divertir rapazes.

Um homem esbarra em Domminus.

Carlos(pedestre aleatório): — Ei! Olha por onde anda seu... Tá com o olho aonde?!

Greynus: — Mestre, eu avisei.

Domminus: — Não vai ser esta mísera coisinha que vai conseguir chamar a minha atenção. Ah, você é tão insignificante!

Carlos desmaia no chão.

Domminus: Agradeça que eu não lhe reduzi à poeira cósmica. É que eu estou de bom humor.

Greynus: — Mestre, este lugar não te merece. Você é muito superior a tudo isso!

Domminus: — Greynus, se você continuar persistindo pra eu sair daqui, vou deixar você no mudo.

Um cachorro passa perto de Domminus e começa a comer lixo.

Domminus: — O que eu estou acabando de ver em minha frente?! Eu não acredito nisso! Como podem deixar um ser tão valoroso como esse nas ruas comendo dejetos e restos podres?! Isto é INADMISSÍVEL!

Ele chama o cachorro.

O cachorro vai até ele.

Domminus: Olá, extraordinaríssimo ser! Seu lugar não é aqui com estes inúteis. O que está fazendo em um planeta tão baixo como este?! Você deveria está nas estrelas, no Cosmos multiversal!

Bace: — Senhor, ele é desevoluído!

Domminus: — MAS O QUÊ?! Tratem de levá-lo AGORA para o CONSELHO SÁBIO DOS ANIMAIS.

Mexy e sua equipe abre um portal para o cachorro passar.

O cachorro passa.

O portal se fecha.

Ninguém percebe o portal porque foi pequeno e os servos de Domminus o encobriram.

Thompson: — Meu senhor, estou detectando a presença de um ser com poderes. Ou melhor dizendo: uma ser. Vem daquela direção.

Domminus: — Eu disse que alguma coisa interessante iria aparecer. Vamos!

Eles vêem a menina caminhando com uma insegurança, como se soubesse que estava sendo perseguida.

Domminus: — O que ela pode fazer?

Thompson: — Ela tem poderes elementais provenientes daqui.

Domminus: — Servirá de lembrança da minha visita à Terra!

Uma serva do Domminus faz através da comunicação : ele e seus servos que estão com ele, ficarem invisíveis.

Domminus aproxima-se da garota invisivelmente e começa a mexer as mãos como se fossem uma espécie de modelador pra clonar ela com seus poderes.

Ela percebe que está sendo perseguida.

Tifylith: — Quem está aí?! Não adianta se esconder, eu consigo sentir a sua presença.

Domminus*junto de seus servos aparece com uma réplica exata de Tifylith*:

— Quem se importa com isso?! Eu posso agora mesmo fazer todos esses seres desevoluídos caírem em um sono profundo.

Tifylith*dirigindo-se à sua clone*: — Espera aí... Mas, o que é que está acontecendo aqui?! Quem é você?! Eu tenho uma irmã gêmea?!

Tifylith(clone de Domminus): — Eu não sei quem eu sou, apenas sei que estou aqui para servir ao meu soberano rei: Domminus.

Ela se ajoelha perante ele.

Tifylith: — O quê?! O que você fez?!

Domminus: — Eu não te devo explicações.

Tifylith: — Primeiro: você me persegue e depois você ainda não convencido me clona?!

Bace: — Mais respeito ao falar com o rei, sua ser desprezível. Ele não precisa de direito para nada! Ele é rei e reina onde e quando quiser.

Tifylith: — Por que você não desfaz meu clone? E todos nós saímos ganhando.

Domminus: — Não quero. É meu e ninguém vai tomar de mim.

Tifylith: — Já vi que não dá pra convencer você. Então, tudo bem. Leva ela né fazer o quê?!

Domminus: — Nossa! Que comportamento difer...

Tifylith concentra-se na clone.

A clone começa a pegar fogo, ela grita e explode.

As pessoas fazem um círculo em volta dela e deles e começam a pegar seus celulares para gravar o que estavam presenciando.

Domminus faz todos os celulares explodirem e as pessoas começam a correr desesperadas.

Thompson: — Que idiota, você! Realmente, vocês não passam de animais primitivos.

Thompson aponta duas pistolas de alta tecnologia para Tifylith.

Tifylith: — Vou te mostrar quem é primitivo.

Tifylith concentra-se em Thompson. Ele explode.

Bace drena a energia de Tifylith com seu poder.

Tifylith tenta explodí-lo mas não consegue. Ela tenta fazer chamas emergirem de suas mãos porém as chamas ficam se apagando.

Tifylith: — Mais que droga.

Domminus: — Bace, vá! Já tive muitas perdas hoje.

Bace ajoelha-se: — Sim, meu rei.

Bace atravessa o portal que foi criado para ele voltar.

Domminus: — Você acha que pode desrespeitar um rei e ficar por isso mesmo? Vou te pôr no em seu determinado lugar.

Ele sorri.

Ele faz todas as pessoas começarem a desmaiar.

Tifylith tenta fazer chamas emergirem de suas mãos mas apenas sai faíscas.

Ela não vê outro jeito há não ser correr e à medida que ela corre, as pessoas vão desmaiando.

Seus clones cercam todo o Recife com um domo, deixando todo o Recife invisível e impedindo assim que pessoas de fora intervenham.

[Mundo dos desejos]:

Lucas faz um círculo com suas mãos de mago e prende o adversário.

Mackenzie: — Boa, unicórnio.

Lucas sorri.

3 adversários cercam Mackenzie mas nenhum consegue atingí-lo, muito pelo contrário: ele mata os três com suas adagas de ladino.

Zafina com suas habilidades de necromante fazem os três que morreram, juntarem-se à ela, ressuscitando eles.

Lucas: — A gente vai ganhar!

Arfródite está destruindo a torre adversária.

Mackenzie, Zafina e Lucas começam a destruir a torre inimiga, junto de Arfródite.

A invocadora do time adversário invoca uma fera-bomba. Um golém gigante aparece onde eles estavam e explode. Os 4 morrem.

Arfródite: — Droga! A gente esqueceu dessa invocadora.

Os 3 que Mackenzie matou, voltam e chegam na torre do time dele.

Os adversários começam a atacar.

Lucas: — Talvez dê tempo!

Os 3 concordam.

Quando eles retornam, a torre deles é destruída e o time adversário vence.

Eles saem da área do jogo.

Lucas: — MEU DEUS... EU FIZ MAGIA! EU FIZ MAGIA! EU FIZ MAGIA! Ai, vou pular aqui de emoção.

Zafina: — Não se empolgue muito, é só um jogo.

Lucas: — Ainda assim...

Mackenzie: — Vocês, humanos não podem realmente fazer algo mágico?!

Lucas: — Não que eu saiba.

Arfródite: — Você é tão fascinado assim por magia?!

Lucas: — Logicamente que sim. Magia está na minha essência! Mesmo não fazendo e nem sentindo nada, ela faz parte de quem eu sou. Um dia a gente vence! Esse jogo é MUITO INCRÍVEL. Esse mundo é INCRÍVEL, EXTRAORDINÁRIO! Mackenzie, quanta habilidade você teve ao empunhar aquelas adagas. Eu sei que tipo é um jogo e você adquire as habilidades dos personagens mas você não foi atingido uma vezinha sequer.

Mackenzie: — Ah, obrigado. O resultado de tudo isso foi a escola do meu mundo.

Lucas: — Pera... Todos vocês possuem escolas de magia?!

Os 3 respondem na mesma hora: — Claro!

Arfródite: — Você não?!

Lucas: — Sim, mas a gente não aprende essas habilidades e tals. É que como não praticamos magia, nem temos poderes, nossas habilidades são diferentes. É mais coisas relacionadas ao cérebro e enfim... Capacidades humanas.

Zafina: — Faz sentido!

Lucas: — Um dia vou apresentar vocês às minhas amizades. Eu quero conhecer os mundos de vocês também! Como já deu pra ver, um dos meus objetivos é fazer magia, conseguir mais e mais poder mas claro que sem passar por cima de alguém.

Zafina: — Quanta ambição.

Lucas: — Eu diria que é uma ambição boa porque na minha visão, eu não preciso pisar em ninguém pra conseguir o que quero. Pra o que eu quero, eu preciso ter força de vontade!

Mackenzie: — Falou com o coração novamente. Você fala muito com o coração, sabia?! Gosto quando você fala com o coração.

Lucas: — Acho que sim.

Lucas sorri.

Arfródite: — Uau! Impressionante. Você é uma das pessoas mais direferentes que já encontrei.

Lucas: — A meta é essa né?! Quebrar os padrões.

Ele sorri.

Zafina: — Pra um humano, você sonha alto demais.

Lucas: — Sabe como é né?! Dizem que o céu é o limite mas eu ultrapasso este limite e a propósito... Falando em mundos. Em relação ao mundo dos desejos, se eu desejar trazer alguém de volta à vida, o que vai acontecer?!

Zafina: — Que aleatório.

Mackenzie, Zafina e Arfródite começam a rir.

Lucas: — O que foi gente?!

Arfródite: — É que foi muito engraçado essa sua aleatoriedade do nada.

Mackenzie: — Eu falei pra você, Zafina. Que eu não estava errado em escolher ele.

Zafina: — Ainda assim, é sempre bom manter cuidado ao extremo.

Mackenzie: — Mas... Respondendo a sua pergunta: não acontece nada.

Lucas: — Por quê?!

Zafina: — Este mundo não possui influência sobre os outros. Todas as pessoas aqui são de algum lugar diferente do multiverso mas nenhuma é originária daqui. O que só pode ressuscitar aqui são coisas que foram originadas aqui.

Mackenzie: — Existem várias teorias sobre esse assunto mas essa é a mais lógica.

Arfródite: — Tem uma teoria que fala que este mundo não pode ressuscitar seres vivos porque quando algum ser morre, ele deixa de fazer parte do plano físico e passa para o espiritual. Logo, existem forças controladoras da vida e da morte mas claro isso são crenças e acredita quem quer.

Lucas: — Então... Quer dizer que este mundo é limitado certo?!

Mackenzie: — Em parte, sim. Ele não é um mundo onipotente mas chega perto.

Lucas: — Bateu uma fome, agora.

Mackenzie: — É só você desejar a comida que quer.

Lucas: — Eu sei. Quero só ver quais os babados que estão acontecendo na escola.

Zafina e Arfródite: — "Babados"?!

Mackenzie: — É uma expressão humana brasileira que significa: novidade.

Lucas: — Nossa Mackenzie, você é bem estudioso. Até me lembra um amigo. Enfim gente... Daqui a pouco eu volto porque eu sou fogo no rabo, aí fico lá e cá.

Arfródite e Zafina: — "Fogo no rabo"?!

Elas começam a rir.

Mackenzie: — Outra expressão brasileira que possui 2 significados. O que ele quis dizer foi que ele não para quieto.

Mackenzie ri também.

Lucas: — Beijos, galera! #Amo MUITO E DEMAIS, vocês!

Zafina: — Mas já?!

Arfródite*rindo*: — "Fogo no rabo".

Ele faz a batida do unicórnio com elas e ele.

Lucas: — Não se esqueçam que quando eu voltar, iremos explorar as maravilhas deste mundo e juntos vamos criar novas coisas.

Lucas volta para a Terra.

Mackenzie: — Ele realmente fala com o coração. Esse menino...

*Sorri*.

Lucas sai do banheiro e vê um monte de pessoas caídas no chão.

Narrador: — Acho que eu lhes devo explicações sobre uma determinada coisa que ficou em aberto. "Se quando você vai pra o mundo dos desejos e volta, o tempo fica parado até você voltar mas como Lucas e Mackenzie estão acordados?!" Eu lhes respondo: Mackenzie sentiu um pouco de cansaço mas ele consegiu resistir ao poder de Domminus. Ele pensava que era só cansaço dele. Lucas desmaiou mas Mackenzie pensou que ele só estava muito cansado. Então Mackenzie levou Lucas desmaiado até o mundo dos desejos e lá ele acordou. Continuando a história que tá muito babado...

Lucas: — MEU DEUS! O que tá acontecendo aqui?! Por que tá todo mundo desmaiado?!

Ele anda mais adiante e só vê mais pessoas desmaiadas.

Tifylith: — Eu preciso parar em algum lugar, não aguento mais correr.

Ela vê uma escola e tenta fazer uma pequena bola de fogo para abrir a porta, porém de suas mãos saem apenas faíscas.

Domminus: — Aonde você pensa que vai?! Nós ainda não terminamos.

Tifylith impulsionada pelo medo.

Tifylith: — Vai droga, funciona, funciona!

Ela consegue fazer uma pequena explosão de fogo, arrombando o portão. Ela corre para dentro da escola.

Lucas*erguendo o bracelete que brilha à medida que ele fala*: — Mackenzie, Zafina ou Arfródite quem tiver por favor vem aqui. Aconteceu uma coisa muito estranha, tem pessoas desmaiadas por todos os cantos e eu não sei o que fazer, já estou entrando em desespero. Será que quem passou por aqui foi algum tipo de ser mágico/sobrenatural?!

Tifylith*correndo na direção de Lucas*: — Oi! Você precisa me ajudar.

*Fala ofegante*.

Lucas: — Tá. Calma. Por que todo mundo tá desmaiado? E por que eu preciso te ajudar?!

Tifylith*fala ofegante*: — Eu não tenho muito tempo pra explicar. Só que eu irritei um garoto egocêntrico poderoso e acabou nisso que está agora. Cuidado! Ele tem poder de clonagem.

Domminus*andando*: — Por que você foge de mim?! Não era você que estava desrespeitando a minha autoridade?!

Tifylith cai desmaiando no chão.

Lucas: — AI MEU DEUS! AI MEU DEUS! AI MEU DEUS! O QUE FAZER?!

Domminus: — Por que você não apagou também?!

Lucas: — Apagar?! Quê?! Eu não sei do que você está falando! E agora?! Você vai me apagar?! Por que ela desmaiou?! O que você fez com ela?!

Domminus: — Você faz muitas perguntas. Eu não vejo nada de especial em você mas mesmo assim você não desmaiou. Quero saber... Por quê?!

Lucas: — Eu... Eu não sei!

*Fala trêmulo*

Domminus: — Meus poderes não estão com defeitos! Não, eles nunca erram.

Lucas apaga, caindo no chão mas Mackenzie o segura e faz um domo ao redor dele.

Mackenzie: — Quem é você e por que está aqui?!

Domminus*suspirando*: — Vocês humanos são todos assim?!

Mackenzie corre em sua direção e solta uma rajada de energia rosa.

Domminus clona a energia de Mackenzie e anula com outra rajada de energia clonada e clona mais uma vez essa rajada que volta para Mackenzie e o mesmo absorve.

Domminus: — Então... Você não é um humano, não é mesmo?!

Mackenzie: — Por que está aqui?!

Domminus: — Suas habilidades parecem ser interessantes...

Domminus clona Mackenzie.

Mackenzie(clone)*ajoelhando-se*: — Mestre.

Domminus: — Derrote este ser insignificante.

Mackenzie: — Isso aqui tem cara de arena, pra você?!

Mackenzie(clone) potencializando sua rajada.

Mackenzie fica na frente de seu clone.

O clone dispara a rajada em Mackenzie mas ela não surte efeito. Mackenzie abraça seu clone, o mesmo grita e vira pó.

Mackenzie: Por que não vem lutar comigo e deixa pra brincar de fantoche depois?

Domminus: — Como é?!

Mackenzie: — Você acha que pode simplesmente chegar, fazer uma confusão que vai ficar por isso mesmo?

Domminus: — Como ousa?! Agora eu fiquei de MAL HUMOR.

Uma aura rosa cobre Domminus. Ele parte pra cima de Mackenzie dando vários ataques sequenciais. Ele soca mas Mackenzie desvia, ele soca novamente e Mackenzie mais uma vez desvia. Ele chuta e em seguida joga uma rajada de energia rosa em Mackenzie, o mesmo absorve.

Mackenzie: — Você é tão criativo lutando que imita os poderes dos outros.

Domminus se enfurece e dá um amontoado de socos e chutes em Mackenzie. O mesmo fica coberto por uma aura rosa e dá vários chutes e socos também. Os dois estão na mesma intensidade de força, é tão rápido que não dá nem pra acompanhar com os olhos humanos normais.

Mackenzie dá um soco na barriga de Domminus, dá uma joelhada em seu queixo que faz ele pular , o pega pelo braço e arremessa-lhe até a porta de vidro da coordenação.

Domminus atravessa a coordenação e cai no chão. Ele fica coberto de chamas. Sua voz se altera.

Domminus*gritando*: — SEU IDIOTA!!!

Domminus faz uma explosão emanar de seu corpo.

Mackenzie vendo a explosão se formar, teletransporta ele e Domminus para as nuvens. Mackenzie faz um domo em sua volta mas a explosão de seu adversário é mais forte e faz o domo dele quebrar, envolvendo o mesmo na explosão.

A explosão foi equivalente a uma bomba nuclear. A fumaça encobriu os dois. A devastação foi tão forte que deixou Mackenzie e Domminus pelados. Mackenzie ficou coberto por uma aura rosa( ele ficou todo rosa, cheio de energia e sua voz também mudou) e Domminus coberto por fogo, quase como se fosse um ser feito apenas desse elemento. No lugar de nuvens, só se via fogo por todo o lado.

Mackenzie competiu com a explosão de fogo que o envolvia emanando uma explosão de energia rosa. Ele e Domminus voltaram ao combate corpo a corpo, era soco pra lá e pontapé pra cá... Enquanto isso a explosão de Mackenzie e a explosão de Domminus continuavam se "enfrentando".

[Na dimensão CLONATIO]:

Greynus: — EQUIPE ELEMENTAR AQUÁTICA... EM 3, 2, 1...

Portais se abrem ao redor de Mackenzie e Domminus. Jatos de água saem de todos os portais, todos os jatos se juntam e fazem um redemoinho do tamanho daquela explosão.

Mackenzie escapa deste redemoinho.

O redemoinho de água, vira vapor e o portal suga Domminus.

Domminus*gritando*:

— O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO?! SEUS CLONES IDIOTAS! NÃO, NÃO... EU VOLTAREI, SEU IDIOTAAAA...

O domo foi retirado de Recife e ele voltou a ser visível.

Mackenzie vai para o mundo dos desejos. Ele deseja uma roupa. Vai até o PALÁCIO DOS PROTETORES DA ORDEM. Encontra Zafina.

Zafina: — E aí?! O que aconteceu?!

Mackenzie: — Um menino fez um monte de pessoas dormirem na cidade de Unicórnio, inclusives ele. Eu preciso da sua ajuda para apagar a memória das pessoas e apagar as câmeras.

Zafina: — Vamos lá!

Zafina chama um protetor da ordem que é bom em hackear sistemas.

Eles e ela vão para a Terra.

Zafina: Infiltre-se na rede de câmeras e apague todos os registros do dia de hoje.

Nash: — Certo!

Zafina: — Cérebro de Lucas Unicórnio, faça o mesmo acordar.

Lucas acorda.

Lucas: — O que aconteceu aqui?!

Mackenzie: — Aquele garoto fez você apagar.

Lucas: — Ah... Sim, sim! Eita é, tem essa menina aqui que desmaiou também. Ela tava tentando me falar algo sobre esse menino.

Zafina acorda Tifylith.

Zafina: — Olá cérebro, estou falando diretamente com você. Você recebe as informações e não tem como impedí-las. Acorde o resto do corpo.

Tifylith acorda.

Lucas: — Oi?! Tá tudo bem aí?!

Tifylith: — Ai mano, que fome.

Lucas pega o biscoito dele e dá pra ela comer.

Ela come como se tivesse com fome há mais de 30 dias.

Tifylith: — Obrigada. Eu estava com MUITA FOME.

Lucas: — Eu percebi.

— ri.

Lucas: Qual o seu nome?!

Tifylith se apresenta.

Mackenzie: — Você sabe por que ele estava fazendo as pessoas dormirem?!

Tifylith: — Tudo que me lembro é que ele tinha feito uma clone minha e eu a destruí porque eu não tinha dado aquele direito para ele. Acho que ele ficou com raiva e pra me intimidar, decidiu fazer todo mundo apagar.

Mackenzie: — Não foi tão fácil assim lidar com ele.

Lucas: — Pera... O que aconteceu?! Vocês lutaram?!

Mackenzie: — Sim. Ele ia explodir esta escola mas eu nos levei para as nuvens, onde ele fez uma explosão que deixou eu e ele completamente pelados.

Lucas e Tifylith fazem uma expressão de surpresa: — Uau!

Lucas: Alguém te viu nu?!

Mackenzie: — Não. Eu estava coberto por uma aura rosa que cobria todo o meu corpo.

Tifylith: — Nossa! Quem diria que eu ia me meter em uma confusão dessas?! Logo eu que já estava tentando sair de uma.

Lucas: — Você quer falar sobre isso?!

Tifylith: — Eu explico depois, acho que vai ficar mais fácil pra vocês entenderem.

Lucas: — Por que tu não podes explicar agora?! Fiquei curioso!

Tifylith: — Porque eu estou com fome.

Lucas: — Ah é, lembrei! Turo baun?! #Tu gostas de pão?! #Graça e paz! Bate!

Tifylith: — Pão?!

Lucas: — É a minha forma de conhecer as pessoas, é para as pessoas notarem que eu já sou "loko" e diferente.

Ele faz a batida do unicórnio com ela.

Tifylith: — Mas você tem problemas mentais?!

Lucas: — Quando eu falo "loko" não é nesse sentido mas sim no sentido de ser uma pessoa que chega toda doida mesmo e começa a fazer perguntas aleatórias pra um ou uma desconhecida. Que fica dançando na rua entre outras coisas.

Mackenzie conserta a porta da coordenação e a parte que estava destruída.

Lucas: — Pera, você regrediu o tempo do objeto ou reintegrou as moléculas dele?

Mackenzie: — Reintegrei as moléculas dele.

Mackenzie teletransporta os cacos de vidro deixados no chão para um lixeiro próximo da rua da escola. Ele vai até a porta e reintegra as moléculas dela, deixando-a como era antes.

Zafina: — Subconscientes humanos, me escutem. Este dia nunca existiu. Vocês todos acordarão de uma só vez e na mesma hora. Quando voces acordarem, vão fazer o que estavam fazendo antes e continuar suas vidas normalmente. Vocês acordarão dentro de 5 minutos e essa hipnose é pra todos que estiverem ou passarem por este lugar.

Lucas: — Cidade, Recife.

Zafina: — Por Recife.

Tifylith: — Você tem mais comida, unicórnio?! Tô cheia de fome.

Lucas: — Sabia que só os biscoitos não iriam servir. Mas calma...

Ele fala no ouvido de Mackenzie e Zafina.

Lucas: — E aí?! Vocês vão deixar ela entrar?!

Zafina: — Sabia que você está sendo muito discreto?!

Tifylith: — Olá?! Pessoal?!

Os olhos de Mackenzie ficam brancos e dos olhos dele sai uma espécie de holograma que analisa Tifylith de cima para baixo.

Mackenzie: — Aprovada. Vamos!

Tifylith: — Vamos? Pra onde?

Lucas: — Mundo dos desejos.

Tifylith: — Mundo dos desejos?!

Zafina: — Um mundo onde o que você deseja, torna-se real.

Tifylith: — Qualquer coisa?!

Zafina: — Lá existem regras, então nem todos os desejos se realizam. Nash, você acabou?!

Nash afirma.

Lucas: — A propósito, como você entrou aqui nesta escola?

Tifylith: — Eu usei pouco que restava do meu poder.

Lucas fica encantado.

Lucas: — Você é uma ser humana?

Tifylith: — Sobre isso...

Nash abre o portal, elas e eles entram no Mundo dos Desejos.

Tifylith vê um monte de seres diferentes fazendo diferentes atividades.

Lucas*desejando uma barca de Sushi*: — Você precisa provar isso!

Ela come um uramaki e seus olhos brilham.

Tifylith: — Que delícia! É uma comida desse mundo?!

Mackenzie pega um. Os olhos dele brilham.

Mackenzie: — Isso é muito bom!

Mackenzie deseja outra barca de Sushi.

Zafina prova. Os olhos dela brilham. Ela deseja uma barca de Sushi também.

Lucas: — Não. É do mundo onde nós estávamos. Eu tô muito curioso pra saber o que é você e o que está fazendo por aqui. Peraí... Zafina?! Você tá comendo?!

Zafina: — Só porque os vampiros se alimentam de sangue não quer dizer que não podem gostar de degustar os sabores das comidas.

Tifylith come um monte de uramakis de sabores diferentes.

Lucas: — Mano, só de olhar pra tudo isso, sabe?! Meu Deus! Que sonho! Eu queria muito tudo isso, sabe?! Essa vida mágica repleta de aventuras.

Tifylith: — O que você é?

Lucas: — Um humano que tem uma ligação especial com unicórnios.

Tifylith: — Você fala com unicórnios?!

Lucas: — Não. Eu estou em uma fase de descoberta unicorniana. Digamos que eu esteja na descoberta de identidade do : Unicórnio Cósmico.

Tifylith começa a brilhar. Luzes de diversas cores envolvem-na. A atmosfera na qual ela está presente, começa a fazer parte dela formando um espiral(parecido com uma galáxia). Sua aparência está diferente. Seu corpo fica brilhando. Ela ganha um par de chifres, onde ficam envoltos dos chifres círculos azúis, roxos e verdes. Os dois chifres apontam para uma pequena esfera brilhante e preta energizada que fica em cima de sua cabeça(como se fosse um tipo de aurela). Sua pele fica dividida em 3 tonalidades de cores diferentes: verde, roxo e azul. Sua pele fica recoberta por brilho, bastante brilho como se fosse um "glitter natural". Seus olhos azúis possui um monte de círculos e sua esclera fica preta. As pontas de seu cabelo ficam revestidas de um azul brilhante( como se fosse glitter). Ela ganha uma cauda dourada brilhante que em sua ponta se parece com uma seta. Ela ganha uma tiara vermelha brilhante com uma jóia no centro preta brilhante. Um par de braceletes feitos de fumaça azul. Suas pernas ficam revestidas de uma meia-calça. Um short feito de cristais fragmentados brilhantes. Uma faixa cinza cheia de brilho em cima do short, deixando o umbigo à amostra. Uma camisa prateada e dourada brilhante de uma alça só. Um tridente dourado brilhante com as 3 partes de cima pintadas de azul, roxo e verde brilhantes e um par de asas banhadas à tinta colorida brilhante que fica escorrendo. Sua voz muda.

Todos os seres presentes ali pararam pra prestar atenção nela e admirá-la, inclusive Lucas, Mackenzie e Zafina.

Tifylith: — A cada 30 dias, meu corpo passa por uma transformação, ele fica transitando entre raças. Exemplo: humana=fada.

Zafina: — Por todos os meus anos de vampira, nunca vi algo assim.

Mackenzie: — Eu digo o mesmo.

Lucas: — Peraí?! Mackenzie, você não tem 15 anos?!

Mackenzie: — Tenho mas acontece que meu tempo biológico é diferente do seu. Comparando a idade das nossas raças: eu demoro mais pra completar ano do que você.

Tifylith: — Por que não apostamos uma corrida?!

Os 3 topam. Os 4 começam a correr.

[Dimensão CLONATIO]:

Domminus*sentado em seu trono*: — Eles vão se ARREPENDER de ter desrespeitado a MIM, O REI DE TUDO E TODOS. E no final, todos irão se ajoelhar perante mim!



Notas Finais


#Quando Tifylith se transformou, veio uma transformação estilo: clube das Winx e Miraculous. Com musiquinha e aqueles detalhes todos😂😂😂.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...