1. Spirit Fanfics >
  2. MVAD Limantha e Keyto >
  3. Perdida

História MVAD Limantha e Keyto - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pelos comentários. Espero que gostem.

Capítulo 6 - Perdida


- Clara por favor só me diz se você tá machucada. Pediu Lica  e a loira  tirou a mão do rosto revelando um hematoma e um pequeno  corte na bochecha. 

- Foi a Malu não foi?  

- Não.  Eu cai. Lica pensou em contestar a loira mas decidiu que era melhor focar em cuidar dela agora. 

- Sammy tem alguma coisa aqui pra fazer curativo?  E Gelo? Samantha logo voltou com uma bolsa térmica e um kit de primeiros socorros. Lica limpou o corte da irmã com cuidado  e colocou  um band-aid no local. Em seguida ela se sentou  ao lado dela e pressionou a bolsa de gelo contra o seu rosto.  Para sua surpresa a loira encostou a cabeça em seu ombro. Lica usou o braço que estava livre pra abraçar a irmã.  

- Meu Deus Clara você tá gelada.  Sammy guarda isso. Samantha pegou a bolsa de gelo  e Lica  abraçou a irmã forte contra o seu corpo. As duas não se abraçavam a mais de seis meses desde que Lica flargou o pai aos beijos com Malu na sala do apartamento de Clara. 

- Vai ficar tudo bem Clarinha. 

- Não.  Não vai. Eu não aguento mais Lica.  Desabafou Clara enquanto chorava.  

- Me conta o que aconteceu. 

- A minha mãe quis me arrastar pra casa do JM  com o Edgar   e eu não aguentei ficar lá ouvido os absurdos que eles estavam falando então eu fingi que ia no banheiro  meio que fugi de lá. Contou Clara. 

- Minha mãe não me da mais nem um centavo então eu andei  umas três horas até chegar aqui. Estava um dia chuvoso e frio atípico  para o verão.  Não era atoa que Clara estava tremendo.  

- Porque você não ligou pra mim ou pra Sammy  a gente teria ido te buscar.

- Ela tirou o meu celular de novo. Ela queria que eu organizasse  um grupo de alunos pra defender as apostilas e quando eu disse não ela resolveu fazer a minha vida ainda pior do que já é. Eu não aguento mais viver desse jeito. Eu só queria que esse inferno acabasse logo.  Disse Clara entre lágrimas. Ouvir a irmã dizer aquilo fez o peito de Lica arder de angústia e de medo.  

- Não fala assim por favor. Falta pouco mais de ano pra você  fazer dezoito anos.  Aí você não vai mais ter que morar com eles.  Respondeu Lica  que tentava conter as lágrimas. 

- Eu tinha uma vida feliz...Eu tinha uma família e agora eu não  tenho  nada.  Eu não posso mais  ver o Luís, o Edgar não consegue nem fingir direto  que  se importa comigo  e a minha  mãe...Ela me odeia. 

- Você  ainda  tem uma irmã que mesmo  sendo toda errada e fazendo um monte de besteira te ama muito. Eu tô aqui Clarinha.  Deixa eu te ajudar. Pediu Lica. A loira não disse nada em resposta. Apenas chorou de soluçar nos braços da irmã até adormecer.  Samatha se aproximou de Lica e fez carinho nos cabelos dela. 

- O que eu faço Sammy?  Sussurou Lica.

- Eu não sei mas a gente vai  ajudar a Clara. Você acha que a Malu seria mesmo capaz de bater nela? 

- Não seria a primeira vez.  Quando a gente tinha uns oito  anos a Clara  quebrou um vaso caro e a Malu bateu nela. Eu contei pra minha mãe que contou pro Luís. Que eu saiba isso nunca mais aconteceu mas agora que o Luís não tá mais lá eu não sei...

- Lica você e a Clara viviam grudadas acho que você saberia se você uma coisa recorrente e você realmente acredita que o seu pai iria deixar ela agredir a Clara desse jeito ? 

- Não mas ele pode estar muito ocupado pra perceber.  Mas mesmo que ela tenha realmente caído olha o estado em que ela tava... É tudo minha culpa...

- Heloísa olha pra mim. Você errou com a Clara sim mas quem fez isso com ela foi a Malu. 

- É mas eu piorei tudo.  

- Você não pode mudar o passado. A única coisa que tá no seu alcance você já tá fazendo. Lica não respondeu nada . Samantha ficou fazendo carinho nos cabelos dela até ela dormir.  

Enquanto isso em Manaus 

Depois de várias tentativas Deco finalmente conseguiu que seu pai atendesse o telefone .

Ligação on

- Oi Adalberto aconteceu alguma coisa? 

- Aconteceu ... uma ex minha...teve um filho . Eu fiz o DNA e ... Eu sou o pai...

- Então você tem que ser homem e assumir essa criança! 

- Eu nunca quis ser pai! E ela já tá com outro cara, e ele assumiu a criança...

- Não interessa Adalbeto! Se você não quissesse  filho usasse camisinha.  Se você  não assumir esse filho eu vou cortar sua mesada!

- Eu não preciso do seu dinheiro! Gritou ele antes de desligar.  Ele sabia  que o certo a fazer era assumir  o filho mas aquilo significaria  abrir mão da sua vida e do seus sonhos. Ele não estava pronto para aquela decisão.  Ele ligou para o seu chefe na ONG em que trabalhava  e se ofereceu para trabalhar  na próxima missão nas florestas do Congo.  Ele partiria  em poucos dias. Aquele  tempo seria o suficiente pra ele decidir o que faria em relação ao filho.  

 Enquanto isso. Keyla tentava ignorar o nervosismo causado pela mensagem de Décio.  Ela escondeu as coisas que havia comprado para Tato e foi para o seu quarto  dar de mamar para Tônico. Ela já estava terminando de alimentar o filho quando Tato entrou no quarto. 

- Key  deixa que eu ponho ele pra arrotar e dou um banho.  Keyla entregou o filho para o pai. 

- Keyla você  tá com uma cara...Tá tudo bem ?

- Tá sim. Mentiu Keyla.  

 - Keyla  eu te conheço.  Você tá nervosa e não desgruda o olho do celular.  É o Deco não é? 

- Não viaja Tato. Eu não tenho nem notícias do Adalberto e nem faço questão de ter. Você que faz dias que tá quieto.  Eu fiz alguma coisa errada? 

- Não.  É coisa minha. Também mentiu  Tato. A Verdade é  que Keyla  ainda não havia  dito que o amava  e isso estava o incomodando.  Ele  foi dar banho no filho  e deixou Keyla lá perdida em seus pensamentos.  Não demorou para ele voltar com o filho nos braços. 

- O papai  na te deu um banho gostoso agora a mamãe vai te trocar. Disse Keyla  pegando  o filho no colo. Logo o menino estava dormindo.  Keyla o colocou no berço e foi até Tato. 

- Eu sei que tem alguma coisa te incomodando e se você quiser conversar eu tô aqui sempre. Declarou ela fazendo carinho no rosto dele. 

- Eu sei. Mas não precisa se preocupar eu tô bem. Eu te amo Keyla. Mais uma vez ela não respondeu ao invés disso ela tomou os lábios dele num beijo calmo e carinhoso.  

Mais tarde 

Lica acordou com a campainha tocando.  Clara também acordou e ao perceber que estava abraçada com a irmã ela tentou se descevecilar mas a outra não deixou. Samantha foi abrir a porta e deu de cara com Malu a loira praticamente atropelou Samantha para entrar na casa  e foi logo puxando Clara  pelo braço  mas Lica  a impediu.

- Tira a mão da minha  irmã! 

- Você não se mete Heloísa . Clara vamos pra casa! Você não tem idéia da vergonha que você  me fez passar hoje! Respondeu Malu tentando  alcançar  a filha e sendo novamente impedida por Heloísa. 

Você  não vai encostar um dedo num fio de cabelo da Clara! 

- Já  chega! Eu vou pra casa! Não precisa me arrastar não!  Respondeu Clara.  Ela foi direto para o carro junto com a mãe. Assim que as duas saíram Samantha abraçou Lica.   Samantha tinha um abraço gostoso que fazia a garota de franja se sentir  segura. Foi quando o celular de Lica tocou. Era Marta. 

Ligação on

- Heloísa cadê você?  Eu tô a horas tentado falar com você!

- Eu tô na casa da Sammy. Eu acabei acodormecendo. 

- Filha você tá bem ? Sua voz tá estranha. 

- Eu tô preocupada com a Clara. Ela tava aqui , tava machucada  e falando umas coisas... A Malu chegou aqui descontrolada pra buscar ela... Mãe você acha que a Malu seria capaz de fazer mal pra Clara? 

- Eu não sei mais quem a Maria Luísa é.  Eu acho que nunca soube. Mas não vamos tirar conclusões precipitadas.   Vocês duas fizeram as pazes?

- Eu  não sei. Eu cuidei dos machucados dela e ela chorou até dormir no meu colo.  Nós  não conversamos sobre  a gente.  

- Eu posso conversar com o seu pai sobre isso...

- Não. A Malu pode ficar com raiva e descontar na Clara. Eu vou tentar falar com ela amanhã  na escola.

- Tudo bem mas se precisar de mim eu tô aqui. Você vai vir pra casa? 

- Eu não sei. Eu te aviso.  Disse Lica antes de desligar. 

- Que tal a gente assistir alguma coisa? Sugeriu Samantha. 

- Eu tô precisado mesmo me distrair.  As duas  se sentaram no sofá  e começaram a assistir . Samantha colocou  o braço em volta dos ombros de Lica e deu um beijo em seu rosto. 

 - Eu acabei de perceber que ainda não ganhei um beijo seu hoje. Declarou Samantha. Lica  se virou  e deu um beijo calmo nos lábios da ficante.

- Eu  também ainda não disse hoje que você é linda. 

- Você  também é linda Sammy. 

- Que tal a gente se deitar ? Convidou a cacheada. As duas deitaram e ficaram de conchinha.  Samantha abraçava Lica por trás. 

Eu tô curtindo  muito  a gente.  Confessou Samantha. 

- Eu também Sammy.  Lica se virou ficando de frente para Sam.

- Eu nunca fui muito de  ficar de conchinha  ou de ser carinhosa com os caras que eu tava ficando mas com você é diferente . Declarou Sam. 

- Pra mim  tudo é  diferente  também Sammy.  Ao ouvir aquilo Samantha  tomou os lábios de Lica  num beijo intenso e quente.  Logo Samantha  estava  em cima de Lica  a beijando  enquanto passava a mão por dentro de sua blusa. Sam percebeu  que Lica não estava  totalmente confortável com aquilo então ela parou.

- Desculpa  eu te quero muito Sammy  mas tudo isso  é muito novo...

- Não precisa se desculpar  linda. Samantha deu um selinho  na ficante  e saiu  de cima dela voltando a abraça-la. 

- Ficar assim com você  me faz tão bem.  Confessou Lica. 

- Você também me faz bem. Eu ainda não sai o que é isso que a gente tá vivendo mas eu quero muito descobrir tudo com você.   Declarou Samantha antes de beijar Lica. 


No dia seguinte 

Keyla acordou e sorriu ao ver que Tato ainda dormia em seus braços. Tônico estava com cólica então ele acabou dormindo lá.  Ela se desvencilhou dele com cuidado para não acorda-lo e foi até a lanchonete preparar café da manhã pra ele.  

- Caiu da cama minha filha?  Perguntou Josefina.

- Bom dia Jo. Não eu vou levar café na cama pro Tato. Ele tá quieto nos últimos dias então  eu quero fazer uma coisa legal pra ele. 

- Deixa eu te ajudar então  que eu não quero que você ponha fogo na casa. Vou aproveitar e fazer um agrado pro seu pai também. As duas começaram a cozinhar juntas. 

- Keyla eu tenho reparado que a Samantha não desgruda mais da Lica.  E elas se olham de um jeito... Tem alguma coisa acontecendo entre elas? 

- Eu.. não ...Elas...

- Isso foi um sim.

- Não fala nada. Eu acho que a Sam tem medo de vocês rejeitarem ela se souberem.  E eu também não sei como o Roney reagiria. 

- Eu não vou falar nada com o seu pai.  Mas eu vou conversar com a Samantha sim. Eu preciso que ela saiba que pode conversar comigo. 

- Você  é a melhor Jo.  A gente tem muita sorte de ter você nas nossas vidas. 

- Eu  que tenho sorte de ter vocês meu amor.  Disse Josefina abraçando w menina e danado um beijo em seu rosto. 

Logo Keyla subiu para seu quarto equilibrando uma bandeja. Quando ela entrou no quarto Tato que havia acabado de acordar sorriu.

- Bom dia meu bem. Não precisava de tudo isso.

- Bom dia lindo. Precisava sim.  Você cuida de mim e do nosso filho e eu quero cuidar de você.  Keyla colocou a bandeja no colo dele e deu um selinho nele.

- Você  fica ainda mais lindo assim sorrindo. Declarou Keyla deixando Tato envergonhado.  Antes que ele pudesse responder Tônico começou a chorar então  Keyla pegou o menino no colo  e começou a amamentar.  Tato colocou um bombom na boca dela. Depois que ela terminou de alimentar Tônico  ela o deitou na cama no meio  dos dois e eles termiaram de comer. Tato colocou a bandeja de lado e colocou Tônico  deitado em seu peito. Keyla tirou uma foto e mandou no grupo das five. 

Whatsapp on

Grupo as Five 

Tina 

Keyla Maria coloca logo um anel no dedo desse boy!  Ele e o Tônico juntos é a coisa mais fofa! 

Lica

Se você ficar enrolando vem alguém e leva.  

Benê 

Lica, o Tato é muito grande pra alguém levar ele mas eu não entendo porque ele e a Keyla ainda não são namorados. 

Ellen 

Porque nenhum dos dois tem coragem de fazer o pedido. 

Keyla 

Calma as quatro.  A gente tá junto q pouco tempo eu não quero assustar ele.

Tina 

Claro se você pedir ele em namoro  ele pode  achar que você  quer morar com ele e ter um filho.  

Benê 

Eu não entendi.  O Tato já mora com a gente e vocês  já tem o Tônico.  

Lica 

É exatamente essa questão Benê.  Keyla acho que tudo isso é medo de compromisso.  

Keyla 

Você e a minha  irmã começaram a ficar no mesmo dia que eu e o Tato e eu não vi até agora um anel no dedo dela  então  não me enche.  

Whatsapp off

- O que foi Key? 

- Nada. Só besteira das meninas.  A gente  ainda  tem vinte minutos  antes  de você  ter levantar  e eu prefiro  aproveitar  ficando agarrada com os meus meninos  que ficar  lendo as asneiras delas.  Disse  Keyla abraçando Tato  e beijando sua bochecha. 

Muito obrigado  pelo café da manhã. 

Não  precisa agradecer. Eu queria  te mostrar  que você  é  importante pra mim. 

- Eu  não  tô  muito acostumado com isso. Com  ser importante pra alguém. É um pouco estranho sabe?  Confessou ele. 

- Eu sei. Eu lembro  quando  a gente tinha  uns onze anos  eu te dei um gorro de crochê  que eu  fiz  e você  disse  que nunca tinha  ganhado um presente.  Lembrou Keyla  enquanto  fazia  carinho  nos cabelos dele. 

- Eu sei que a vida  foi bem cruel com. você  mas eu prometo  que no que depender  de mim vai ser diferente  daqui pra frente.  Você só  merece coisas boas  e eu quero entregar  o melhor  de mim pra você. 

- Você  e  o Tônico  já são  as melhores  coisas da minha vida.  Respondeu ele. O casal  ficou ali mais um pouco. 

Mais  tarde.

Lica percebeu que Clara não estava na escola então ela foi até a sala do pai atrás de notícias da irmã.

- Pai  porque a Clara  não veio pra aula hoje? 

- Ela tá gripada. Lica ontem a sua irmã apareceu  machucada  ela disse que caiu mas eu não sei...Você  sabe de alguma coisa? 

- Ela me deu a mesma desculpa esfarrapada.  Pai  o jeito que ela tava ontem eu nunca tinha visto ela assim. E ela falou umas coisas... Eu tô com medo pai. Confessou Lica. Edgar foi até a filha e a abraçou.  

- Vai ficar tudo bem filha. Eu vou  ajudar a Clara. Eu vou falar com o Luís por mais que eu não goste a Clara precisa dele. 

- Obrigada pai.  

- Eu  sei que eu errei muito com vocês  mas eu  não quero que nada de ruim aconteça com nenhuma de vocês duas. 

Mais tarde 

Na casa dos Romano 

- Roney eu vou na casa da Samantha. 

- Eu vou com você.  Ela vive sozinha naquela casa nem sei se ela tá se alimentando direito. 

- Você  não vai porque  eu tenho um assunto de mulher pra falar com ela. 

- Não vai me falar que a Samantha também tá grávida! 

- Não Roney claro que não!

- Que outro papo de mulher pode ser então?  Josefina não mente pra mim! Josefina conhecia o marido sabia que os piores cenários possíveis estavam passeando pela sua cabeça.  

- Roney respira.  A Samantha  tá ficando com a Lica.  

- Mas ela sempre gostou de meninos agora do nada decide virar  lésbica?  Eu não entendo  

- Roney a Samantha  tá com medo da gente  rejeitar ela por conta  disso! 

- Eu  vou com você  então.  Eu posso não  entender  direito  isso de gostar  de homem  aí do nada gostar de mulher  mas é a Samantha  e ela  tem saber que vai contar com a gente sempre.  





Josefina e Roney  foram até a casa de Samantha. 

- Oi Jo. Oi Roney. Aconteceu alguma coisa com algum dos meus bebês? 

- Seus bebês estão ótimos. Eu vim aqui pra conversar com você.  Os três  sentaram  no sofá. 

- Eu percebi que você  e  a Lica  estão muito próximas. Eu fui perguntar pra Keyla se vocês eram um casal  e ela tentou mentir  mas não conseguiu.  

-Eu não sou lésbica na verdade eu não sei... Eu não sei de nada...Eu só não quero que vocês me odeiem.  Disse Samantha entre lágrimas. Josefina puxou a menina para um abraço. 

Calma meu amor  a gente nunca poderia te odiar. Eu não me importo  se você  gosta de meninos ou de meninas. Eu te amo muito e nada vai mudar isso. Declarou Josefina.   

-  A gente vai estar aqui com você sempre Sam.  Eu não entendo direito essa modernidade de vocês  mas  se isso  te faz feliz eu dou um jeito de me acostumar.  Disse Roney.

- Eu não entendo porque vocês se importam tanto comigo. Minha  mãe nunca me quis  e o meu pai não dá a mínima pra mim...

- A gente se importa porque a gente  te ama.  A sua mãe  ela amava você e a Keyla sim só que ela não era capaz de ser mãe. E o seu pai eu juro que ela se importa.  Agora  vem pra casa com a gente.  Você  não  precisa ficar aqui nessa solidão.  Declarou  Roney. 

- A casa já  te cheia...

- O Julinho pode dividir  o quarto  com o Tato  e você  pode dormir com a Benê.  Você  vai ter a vida  toda  pra  ser adulta independente.  Agora deixa a gente cuidar  de você. Declarou Josefina  

Tá eu vou pra lá nas só  por uns dias.  Respondeu Samantha secando as lágrimas.   

Dias depois 

Lica  chegou na escola  e se deparou com Clara. 

- Oi Clara você tá melhor?  

- Tô sim. Obrigada por ter cuidando de mim. Eu acho que a gente precisa conversar.  

Vem na minha casa hoje a noite  

Eu não quero ir na sua casa eu...

Eu falo com a Keyla pra me emprestar o galpão.   

Tá eu te mando mensagem mais tarde. 

Clara será que a gente pode conversar?  Preferiu Felipe. Lica se afastou dos dois e foi até Samantha.  

- Eu queria  te pedir perdão .  Eu fui um completo babaca e  você não merecia.  

- Eu entendo  porquê a Lica ficou com você mas eu nunca entendi porque você me traiu. 

- Você  tava  distante, não tava me dando atenção nem tava se abrindo comigo.  Eu  fiquei com raiva e fui um babaca infantil.  Eu juro que se eu pudesse voltar no tempo  eu não teria feito nada daquilo.  

- Você realmente  gostava de mim ou você  era afim da minha irmã  o tempo todo? 

- Eu e a Lica  era carinho de amigo misturado com atração e a gente acabou confundindo as coisas.  Com você  não. Com você sempre foi diferente.  Eu gosto de você Clara e muito. Eu não vou  pedir uma segunda chance porque eu sei que eu não mereço mas eu quero pelo menos que você não me odeie.  

- Eu te perdoo. Eu espero que um dia a gente possa ser amigo  mas agora não dá.  Disse Clara antes de sair. 

Do outro lado do pátio. 

- Tá sendo muito legal trabalhar com você ele.  Você  é  a pessoa mais inteligente que eu já conheci. Confessou  Jota fazendo Ellen sorrir. 

- Eu também  to curtindo muito trabalhar com você.

- Você topa sair comigo qualquer dia desse ...Tipo só eu e você? 

- Eu topo sim . É  melhor eu ir pra aula. Ellen deu um beijo no rosto do loiro antes de sair.  Do outro lado do pátio  Clara observava a cena.  

Na hora do intervalo.  

Ellen estava sentada numa mesinha  quando Rafael  e seus amigos  começaram  colocaram  uma cesta com bananas na frente dela.  

- Presente pra você macaca! Jota que estava por perto  foi em defesa da Crush.

- Deixa  ela em paz  seus racistas ! O grito de Jota chamou a atenção  de Boris.  

- O que tá acontecendo aqui? 

- Esse imbecis chamaram a Ellen de macaca. Envergonhada  a nerd saiu correndo de lá e entre lágrimas.  Clara a e foi atrás dela.  A hacker acabou  por entrar numa sala vazia. Ela se sentou no chão e começou a chorar.  Clara se ajoelhou na frente dela.

Eu não devia  ter aceitado essa maldita bolsa. Essw Colégio de risquinho não é lugar pra mim...

- Ellen  qualquer lugar em que você  quiser estar é  lugar pra você. Eu não vou  fingir  que sei o que você sente quando as pessoas são racistas com você  mas se você desistir por conta deles eles vencem.  Falou Clara.

- Você  é  tão inteligente.  Você  tá destinada a grandes coisas.  E pessoas como o Rafael não merecem  o seu tempo ou as suas lágrimas. Além disso  eu vou falar com o Edgar e a minha  mãe o Rafael  não vai sair impune. Garantiu a loira.  

Eu não quero que você brigue com eles por minha causa..

- Eu  tenho nojo de gente rascista  e além disso por você vale a pena brigar. Disse Clara olhando no fundo dos olhos de Ellen. Ter a loira olhando  para ela daquele  jeito  deixou Ellen praticamente hipnotizada. As duas foram aproximado os seus rostos e logo  o seus lábios se juntaram  num beijo  calmo e carinhoso. O sinal tocou fazendo  as duas dispararem se seu transe. Alguém abriu a porta fazendo Clara se afatar  da outra imediatamente. Era Guto que olhou para elas confuso. A nerd saiu dali como se a sala tivesse em chamas.  

- Guto pelo amor de Deus não conta  nada pra ninguém!

- Clara se acalma eu nem vi nada.  

- Eu  beijei a Ellen! Eu não acredito que eu beijei a Ellen se a minha mãe descobrir...

- Clara respira . Não é a primeira vez que você beija uma garota.  

- É mas essa não é uma garota aleatória de uma balada! A minha mãe conhece ela! E  eu. .. Eu acho que eu gosto dela ! Eu não posso gostar dela Guto! Disse Clara entre lágrimas.  Ao ver o estado da loira o rapaz a abraçou.  Os dois tinha se afastado depois da desastrosa tentativa de namoro deles  e ele sentia falta da amizade deles. 

- Calma vai ficar tudo bem. A sua mãe não vai descobrir nada.  

- Eu  não devia  ter feito isso . Agora como eu vou tirar a Ellen da minha cabeça? 

- Talvez você  não deva fazer isso. 

- Mas a minha mãe...

- Ela não precisa saber de nada.  Pessoas LGBT namoram escondido dps pais o tempo todo. 

- Do jeito que ela saiu daqui ela deve  ter detestado o beijo. Além disso vi ela no maior clima com o Jota. Essa coisa de amor não é pra mim Guto.  

- Você só teve dois namoros  na vida e você  não tem culpa  do Felipe  ser um babaca e a gente... A gente é  melhor como amigo.

- Eu sinto falta  da nossa amizade.  Falou a loira. 

- Eu  também.  Eu nem sei porque a gente se afastou. 

- Nem eu. Amigos ?

- Amigos. Então tem um lance que tá acontecendo e eu não posso nem sonhar em falar com a Samantha. Eu acho que eu to gostando da Benê. 

- Não pode nem sonhar mesmo. Mas me  conta . Rolou alguma coisa depois da balada?

- Não. Ela disse que me beijou por conta de uma aposta mas que gostou de me beijar.  E eu também gostei  e dando as aulas pra ela eu tô conhecendo ela melhor e ela é incrível. 

- Pelo que você  tá me falando você gosta dela então você deveria tentar. 

- Clara eu gosto de viver.  Eu não quero ser morto pela Samantha.

- O Tato engravidou a Keyla e ta vivo até hoje. Então para de ser frouxo e se declara pra Benedita!

Mais tarde as Five estavam reunidas no galpão. 

- Ellen você  tá bem? Perguntou Tina. 

- Eu não sei. Eu e a Clara...A gente  se beijou. Ellen contou  todo o ocorrido pras amigas. 

- Ellen  eu vi o clima entre você e o Jota hoje. Não brinca com os sentimentos da minha irmã.  

- Eu não planejei isso. Simplesmente aconteceu. 

- Eu acho que você deveria conversar com ela sobre esse beijo. Sugeriu  Keyla.

- E  dizer  o que?  Eu não sei o que eu sinto pela Clara  ou o que eu sinto pelo Jota ! Eu tô confusa!

- Puta que pariu Ellen você  não devia ter beijando a Clara se não sabe  o que quer da vida.  Ela não tá nada bem e não precisa de mais problemas! Eu te avisei pra ficar longe dela! Esbravejou Lica.

- Ela que veio atrás  de mim! A Clara  é a mina  mais gata que eu já vi na vida  e ela tava me olhando de um jeito... Eu  nem sei direito o que aconteceu. 

- Lica não briga com a Ellen.  Ela não fez nada na maldade.  Defendeu Tina.  

- O pior é que antes da gente se beijar  eu aceitei sair com o  Jota. Eu sinto alguma coisa por ele e ao mesmo  tempo eu não consigo tirar a Clara da minha cabeça! 

- Olha eu sei como é isso . Quando eu comecei a gostar do Tato eu ainda tava com o Deco. Eu sei que é bem confuso.  Mas me diz uma coisa.  Se você  tivesse  que escolher qual dos dois você  excluiria  completamente da sua  vida? 

- Eu não sei.  Eu e o Jota a gente  tem mais coisa em comum , ele é  lindo  e eu me sinto leve perto dele e a Clara  ela é muito gata e  parece que tem um imã que me puxa pra perto dela.  

- Bom  eu só te digo uma coisa . Eu nunca vou te perdoar se essa sua indecisão fizer a Clara sofrer. Avisou Lica.  

- Mudando de assunto! Eu  preciso de ajuda. Eu e o Anderson até agora a gente  não transou! Falou Tina  para evitar  uma briga  de Ellen  e Lica.  

- Como assim Cristina?  Indagou Keyla surpresa.  

- o Anderson  deve  achar que você  é virgem.  Sugeriu Ellen.  

- Só pode ser isso. A gente nunca falou sobre relacionamentos anteriores. Hoje mesmo eu vou levar o seu irmão pra sair  e  é hoje que eu sento. 

- Senta onde?  Indagou Benê. 

-  Acredite você não quer saber! Cristina por favor se contenha.  Eu não quero saber da vida sexual do meu irmão. 

- Foi mal.  Falando em vida sexual de irmãos . E você Lica?  Já rolou entre  você  e a Samantha? 

- Não. Ontem as coisas esquentaram um pouco  mais eu fiquei insegura. Eu nunca  transei com uma garota  e fiquei com medo de não saber o que fazer. 

- Quem diria  que a Keyla a única de nós com uma vida sexual ativa.  Ironizou Tina. Foi quando o celular de Keyla apitou.  

" Foi por isso que você me trocou ? Um chapeiro pé rapado?  " 

Anexada a mensagem  estava uma foto recém tirada de Tato trabalhando.  

" Seria uma pena se alguém atropela-se que enquanto ele a anda de bicicleta " 

- Keyla  você tá bem?  Perguntou Lica.  

- Aquele  cara do Tinder  . Ele  não para de mandar  mensagem.  A uns dias atrás ele tava me seguindo  e agora ele tá seguindo o Tato. Contou Keyla nervosa. 

- Me passa o número dele que eu vou tentar rastrear. Pediu Ellen. 

- Tem alguma coisa me bloqueando.  Key acho melhor você ir na polícia.  Esse cara pode ser perigoso.  

- Tá eu vou . Eu só preciso arrumar uma desculpa pro Roney e pro Tato. 

Mais tarde.

Samantha estava com Lica no galpão enquanto esperava Clara chegar.  

- Calma  Heloísa a Clara  marcou com você  é pra vocês se acertarem.  

- Você  tá certa. É que eu achei que esse dia não ia chegar nunca. Foi quando o celular  de Samantha apitou.

- É o meu pai.  Aparentemente ele lembrou que tem uma filha e está vindo me ver. 

- Você não parece muito feliz com isso.

- Meu pai odeia o Roney  e a Keyla.  Minha mãe  teve um caso com ele enquanto  ainda era casada com o meu pai mas o Roney  não sabia que ela era casada. Ele fez uma vasectomia  depois que eu nasci então quando minha mãe apareceu grávida eles se separaram.

- E o seu pai culpa o Roney e a Keyla por isso. 

- Sim. O meu pai nunca foi muito presente na minha vida e muitas vezes  o Roney que cuidou de mim o mínimo  que o meu pai deveria demonstrar  era respeito e gratidão. Mas não.  Ele perdoou  a minha mãe e até voltou pra ela mas trata mal a minha irmã  e o cara que cuidou de mim mesmo sem ter qualquer obrigação.  

- E como ele é com a Benê  e o Julinho?  

- Um babaca também.  Sem falar que ele fica dando em cima da Josefina.  Ele  é  ridículo.  Contou Samantha. 

- Talvez ele tenha ciúmes da sua relação com o Roney.

- Ele não se importa comigo o suficiente pra sentir isso.  Disse Samantha já com lágrimas nos olhos.  Lica se aproximou  da ficante e deu um selinho nela.  

- Não fica assim Sammy. Você é  incrível  e seu pai não consegue  ver isso azar o dele.  Declarou  Lica fazendo carinho no rosto da ficante. Samantha puxou Lica  para um beijo intenso..


- Samantha  não quero ver você  transado com a minha irmã! 

- Para de ser exagerada Clara.  Eu vou deixar vocês duas conversarem. Ela deu um selinho em Lica em um beijo no rosto de Clara.

Enquanto  isso 

Keyla estava a caminho da delegacia para denunciar  o seu stalker quando  um carro parou na sua frente.  Décio saiu do veículo parecendo alucinado. 

- Finalmente  nos encontramos.  Keyla  saiu correndo  dali desesperada  com o stalker  atrás dela.  Ela  já estava  perto da chapa  do Romano quando  caiu no chão.  Décio estava  se aproximando  de Keyla quando alguém acertou um soco nele o fazendo  dar alguns passos pra trás.  


Notas Finais


Vocês acreditaram nessa história de queda da Clara? E essa volta do pai da Sam acham que vai dar ruim? E a Ellen vai decidir se quer o Jota ou a Clara? Aliás o Felipe acham que tem segundas intenções? O que vira namoro primeiro Limantha ou Keyto?
Vou colocar duas coisa votação aqui.
1)Vocês querem que a Clara e a Lica façam as pazes?

2) Quem deu o soco no stalker? Tato ou Samantha?

A meta desse capítulo é ter três pessoas comentando . XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...