1. Spirit Fanfics >
  2. My Alpha Mobster >
  3. Capítulo 1

História My Alpha Mobster - Capítulo 1


Escrita por: ManddyLinds2

Notas do Autor


Oioi gente essa é a primeira vez que eu posto aqui kk
Espero que gostem e desculpa qualquer erro, dêem mt amor e suporte a essa obra que eu queria postar faz mais ou menos um ano e só tive coragem agr kkkk

Boa Leitura♡

Capítulo 1 - Capítulo 1



- VOCÊ ENLOUQUECEU?! - Gritou o pequeno Park ao seu pai que permanecia sentado no sofá da sala com uma expressão melancólica.


- Eu sinto muito... - Jinwoo olhou para a esposa que estava sentada no sofá a sua frente, podendo ver o ódio e desgosto nítidos em sua face.


- Como você pôde fazer isso Park Jinwoo?! - A mulher elevou a voz olhando para o homem que um dia acreditou amar com todo seu coração, mas que agora estava destruindo sua família.


Park Hyeon sempre avisou ao marido que seu vício em jogos iria afundar a família, e óbvio que o homem não ouviu.

Não foi novidade quando depois de mais de 4 anos viciado em apostas o marido tenha praticamente levado a família, que antes era uma prestigiada e rica família, a falência.


O marido perdeu o emprego, a grande casa luxuosa que haviam tido e como se não bastasse ter deixado a família com condições péssimas, agora havia apostado uma quantia absurda e dera o próprio filho ômega como garantia.


Não conhecia mais aquele homem a sua frente, mais de 20 anos de casados e não conseguia sentir nada naquele momento além de raiva e repulsa pelo único homem que teve em sua vida, o alfa que havia dado tudo a ela e agora estava tirando tudo, inclusive seu filho único por causa de um maldito vício que o homem não largou mesmo depois de tantos avisos e pedidos da esposa para que ele procurasse ajuda.


Olhou para o filho de 19 anos sem conseguir conter as lágrimas, vendo que o pequeno ômega já estava em prantos pela grande estupidez de seu pai.


- Eu sempre tentei ajudar o senhor, até quando perdeu seu grande império pra continuar nessa merda e depois de tudo o senhor faz isso?! - falou meio embolado pela mágoa e as lágrimas que caiam de seus belos olhos azuis, uma característica que puxou da sua bela mãe, tirando os fios claros quase dourados que vieram do pai.


- Me desculpe meu filho.. eu..- O alfa não conteve as lágrimas e começou a chorar, revendo tudo que havia feito e se arrependendo completamente de tudo que fez com a mulher que ama e seu amado filho.


Jimin esfregou o rosto limpando as lágrimas, e respirou fundo, apesar de tudo não conseguia odiar o pai, mas no momento a última coisa que queria era encarar o alfa mais velho.


- Ele disse que vem me buscar não é? - Perguntou mais para si mesmo doq para o pai e viu o mesmo assentir, fungou e se levantou do sofá - Vou arrumar minhas coisas então, quero ficar sozinho se puderem me fazer esse favor.


Dito isso o ômega correu para seu quarto trancando a porta e se encostando na mesma, sentindo mais lagrimas descerem pelo seu rosto, pode ouvir sua mãe gritando chorosa com o marido, o xingando de um monte de nomes e dizendo que não queria mais o ver.


O ômega andou lentamente até a cama com o colchão surrado e sentou na mesma se encostando na parede e trazendo os joelhos para junto do corpo, ainda chorando e repensando toda sua vida.


Park Jimin até os 16 anos era um ômega com pais ricos e bem sucedidos, a mãe do ômega era uma ex atriz super famosa, chegando até a atuar em alguns papéis principais e de grande sucesso no cinema. A antes Lee Hyeon (atualmente Park pelo status de casada) era uma grande estrela em seu auge, conquistando muitas coisas em sua vida desde cedo mesmo sendo jovem e sempre sendo posta para baixo por muitas pessoas que se achavam superiores pela mesma ser uma ômega.


Não surpreendia muitas pessoas afinal a ômega pequena de olhos azuis, cabelos escuros, pele branca, rosto oval e lábios carnudos era incrivelmente linda e simpática, nunca fora gananciosa demais e tudo isso se dava graças a família humilde e trabalhadora que tivera até os 18 quando terminou a escola e resolveu cursar teatro.


O pai do ômega era o oposto da mãe, Park Jinwoo veio de uma família rica e conhecida no ramo de transportação e exportação, era parte da quinta família mais rica da Coreia, estando atrás dos Byun, dos Kim, dos Jung e claro, dos Jeon's que ocupavam o topo em escalas mundiais como os mais ricos mundialmente.


Jinwoo foi um alfa que sempre teve tudo que quis, claro que também não era um babaca arrogante como muitos filhinhos de papai, trabalhava duro pelo império que os pais do mesmo construíram até falecerem em um acidente de carro.


No entanto, sempre se sentiu vazio em questão de amor, sexo casual não era sua praia e a maioria das mulheres se jogavam em si por interesse então nunca teve muita esperança de achar alguém para si.

Foi então que durante uma saida ao teatro com um amigo para esfriar a cabeça, tendo que ouvir o beta falar repetidamente de uma atriz nova que estava fazendo sucesso e que iria se apresentar.


De começo não deu importância, não era como se não tivesse ido ao teatro outras vezes ou visto outras atrizes e atores. Não teve ciência de que quando as cortinas do grande teatro se abrissem, revelariam a única mulher que prendeu seu olhar e nariz.


Hyeon atuava perfeitamente bem, quase como se tivesse nascido para fazer aquilo, e não diferente de muitos alfas, prendeu a atenção de Jinwoo, claro que o cheiro de rosas e baunilha da ômega também era encantador além de viciante na visão do Park.


A ômega não esperava que uma semana depois dessa apresentação, foi lhe enviado flores em seu camarim quando se arrumava para mais uma peça, e que depois de descer do palco nesse mesmo dia ainda se perguntando quem havia mandado as flores, foi surpreendida por um alfa bem vestido a chamando para sair.


A Lee não era uma ômega fácil e recusou prontamente, mas claro que o que a ômega tinha de difícil o alfa tinha de insistente, depois de meses enviando presentes que a mesma recusava, flores e até constantes convites para um encontro, a ômega finalmente aceitou sair com o alfa.

Se encantou pelo jeito simpático e até simples do homem, que era muito diferente de outros alfas com dinheiro que já haviam a abordado.


Não demorou muito para os encontros se tornarem constantes e logo começarem um relacionamento, que em poucos anos terminou em matrimônio certo.

Mais alguns anos mais tarde foram agraciados com seu primeiro e único filho, Park Jimin, o maior tesouro que poderiam querer.

Jimin era uma criança obediente e fofa, sempre agia educadamente pelas etiquetas que aprendeu em casa com a mãe, e claro que a ômega mais velha não deixaria de ensinar valores e acima de tudo humildade ao filho.


Agora com 19 anos Jimin se via em prantos pelo simples fato de seu pai ter dado o filho como garantia de um dos jogos idiotas de cassino em que havia se viciado a anos quando conseguiu uma grande quantia pela primeira vez, não conseguindo parar de jogar.


Mesmo depois do pequeno ômega até conseguir um emprego e trabalhar arduamente para por comida na mesa já que a mãe não podia se estressar por conta da idade e do problema no coração, e o pai mais tirava do que colocava dinheiro em casa, o ômega se pegou pensando no seu destino que em sua visão não era nada agradável, depois que descobriu que seria entregado a um alfa lúpus que tinha muito além de atatus e poder.


O fato que considerava ser o pior de todos era que seria dado ao atual chefe da família Jeon, um alfa lúpus que era conhecido por ser sério e tão frio quanto gelo, haviam até mesmo boatos de que o lúpus tivesse o rosto deformado já que nunca fora visto pessoalmente por ninguém fora seus sócios e empregados.


Tremeu só de pensar nisso, nunca viu o rosto do alfa nem mesmo nas festas sociais em que seus pais o levavam, apenas sabia que o Jeon tinha uma irmã e que assumiu a família cedo depois dos pais terem sido assassinados, e que o mesmo era metade francês nada que qualquer um não soubesse por causa dos jornais e fofocas de velhas ricas.


Poucas pessoas conheciam o verdadeiro rosto de Jeon, não saia muito e era reservado até demais, derrubando qualquer um de tentasse revelar seu rosto, pelo ou menos era o que ouviu do pai quando criança ouvindo o mesmo conversar com um amigo na época.


Jungkook Jeon Delyon estava longe de ser alguém que agradava o Park, principalmente por ter ouvido sobre as atitudes do alfa quanto a ômegas, dizendo que o mesmo sempre era grosso e afastava a maioria de si.

Não acreditava que o pai havia o dado de bandeja para um dos homens mais ricos e mundialmente aclamado, que mesmo não tendo o rosto revelado era conhecido pelas jovens ômegas de família rica como um "um lúpus misterioso e gostoso"


"Como será que ele é?", "E se os rumores forem reais e ele ser um carrasco comigo também?", "Pior, se ele me usar como algum tipo de brinquedo sexual?"


Se assustando com seus pensamentos, e sem ouvir mais a gritaria pela casa, pensando que a mãe havia se trancado no quarto e tentando não pensar mais em seu pai, Jimin respirou fundo percebendo que já não chorava mais se levantou e pegou uma mala desgastada, abrindo sua cômoda que continha as poucas de suas roupas e colocando todas dobradas delicadamente dentro da mala velha.


Terminando de guardar tudo, olhou para a janela do quarto vendo o por do Sol, se perguntando o que seria de sua vida a partir daquele momento.












Notas Finais


Esse é o primeiro capítulo espero que tenham gostado, é o primeiro de muitos projetos que pretendo postar aqui pra entreter um pouco a quarentena de vocês.

Bjos Amoras♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...