1. Spirit Fanfics >
  2. My Alpha Mobster >
  3. Capítulo 2

História My Alpha Mobster - Capítulo 2


Escrita por: ManddyLinds2

Notas do Autor


Mais um capítulo aqui rs
Tenho alguns caps prontos mas não vou soltar tudo de uma vez, pretendo revisar e adicionar algumas coisas pra não entregar qualquer coisa a você.

Boa Leitura♡

Capítulo 2 - Capítulo 2



       O Kim andava rapidamente pelos corredores do quarto andar passando por diversas portas da grande mansão que mais parecia um castelo, do que uma casa, tendo o exterior da mesma sendo feita de pedras claras e tendo mármore enfeitando seu hall de entrada.

       O Grande Alfa Lúpus andou com uma pasta preta nas mãos até parar em frente à uma grande porta, batendo na mesma ouvindo o som ecoar pelo corredor, sem ouvir resposta da pessoa que se encontrava do outro lado dela.

       - Sou eu, Namjoon - Falou relativamente para a pessoa do outro lado escutar e prontamente foi respondido.

       - Entre - Disse uma voz rouca e séria, do outro lado.

        O Lúpus abriu a porta e viu o Lúpus Puro sentado atrás de uma mesa de escritório feita em madeira escura e superfície de vidro reforçado meio azulado, que combinava com os tons de preto, cinza e branco da sala tendo de colorido ali apenas os diversos livros em um canto sala e os quadros que enfeitavam as paredes de cor azul escuro.


        - Conseguiu o que eu pedi? - O Lúpus que estava sentado perguntou, olhando seriamente para o Alfa a sua frente.


       O Kim sorriu de lado em deboche e se aproximou da mesa, jogando levemente o envelope ali
       - Sabe que eu sempre termino o serviço meu caro amigo - Respondeu e se sentou em uma das cadeiras estofadas de cor preta de frente para a mesa - O pai foi tolo e assinou o contrato antes do jogo - Sorriu de lado mais uma vez.


       O Lúpus do outro lado da mesa pegou o envelope preto e na hora de abrir quase o rasgou de ansiedade, e lendo aquele conjunto de papéis, viu que finalmente havia conseguido algo que sonhara a anos.


       - Você é um filho da puta mesmo- Resmungou por mais uma vez seu amigo de infância e braço direito ter feito mais um serviço tão facilmente e em menos tempo do que esperava até.


       - Não precisa me agradecer Jeon - Respondeu sarcástico - O Park também não é muito esperto, não precisei falar nada e o velho já veio dando o filho como garantia da aposta - Falou e fez uma cara de nojo nítida - Velho babaca, não pensou duas vezes antes de colocar o filho nos próprios rolos dele.


       Jeon não prestava atenção no amigo, apenas olhava a foto que estava no meio daqueles papéis, admirando o lindo ômega loiro que havia o hipnotizado anos atrás.


       Jungkook Jeon Delyon não se importava com nada nem ninguém exceto sua mãe e irmã mais nova, não dava a mínima para o maldito que era seu pai.
Sua mãe era seu maior porto seguro, graças a ela não se entregou a completa insanidade devido seu envolvimento nos negócios da família.

       Jeon Nari era uma ômega sul coreana com traços americanos muito bonita, lindos olhos puxados mostrando sua origem asiática, verdes como esmeraldas, cabelos claros, pele branca e lábios finos porém bem chamativos, era a mulher que mais amava na vida, não demorou muito para a segunda mulher de sua vida nascer, sua irmã ômega Lisa Jeon Delyon.
       Jungkook não trocaria sua mãe e irmã por nada no mundo, mas infelizmente assim como as duas eram preciosas demais para ele, seu pai fazia questão de fazer da vida do Jeon menor um inferno desde a perda da mãe.

       Ettore Delyon mais conhecido como Torecci era um Alfa Lúpus Puro respeitado por tudo e todos e também era um pai ausente.
O Lúpus tinha uma aparência chamativa, devido seu tamanho grande, olhar sério, cabelos escuros e olhos tão escuros e profundos quanto o mais fundo dos poços.
       Se casou com a mãe de Jungkook através de um casamento arranjado quando jovens para juntar os negócios das famílias, claro que os pais da ômega não imaginavam que haviam entregado a filha para se casar com o familiar de uma das maiores máfias do mundo.
Torecci, um lúpus sem amor nenhum no coração, criado apenas para ser o Don.Torecci, chefe da família Delyon, a maior máfia italiana do continente, conhecida por diversos países e os mais procurados e temidos.

       Mesmo não amando a mulher com quem divia a cama e não interagindo muito com os filhos, o chefe da máfia nunca traíra sua esposa ou levantara um dedo para a moça ou as crianças, sabia que a mulher era gentil e frágil diferente de si e a última coisa que faria é machucar alguém que não poderia sequer se defender de si, era sua honra como chefe da família e como Lúpus.
       Apesar de ser ausente na vida dos filhos Torecci colocava a proteção necessária no encalço de sua família caso algo ruim acontecesse, mas era inevitável tal futuro...

       Em uma noite, quando estava em uma viagem de "negócios" a casa de férias onde deixará a mulher e os filhos foi invadida, a mãe de Jungkook correu e escondeu Jeon de 8 anos e Lisa de 3 numa das passagens escondidas para escapar em caso de invasão pelo grande sítio.

      Infelizmente o espaço era pequeno e só poderia esconder as duas crianças até que a ajuda chegasse, a mulher sentiu seus olhos encherem de lágrimas, deu um beijo na testa dos dois filhos antes de fechar o lugar para a segurança dos pequenos.

       - Cuide da sua irmã querido - A ômega falou baixo e chorosa enquanto fechava a porta, e o Jeon novo apertou a pequena bebê que ainda dormia nos braços, rezando para seu pai aparecer ou enviar alguém para acabar com aquele inferno.

       Após um tempo, Jeon ouviu um grito de sua mãe e tensionou o corpo tentado a sair do lugar e ir atrás dela, mas não podia deixar Lisa sozinha.
Mal Jeon sabia que aquele grito era a última coisa que ouviria de sua mãe.

      Quando Torecci soube voltou apressado para casa, mas não estava pronto para a notícia de que sua mulher havia sido estuprada e morta por inimigos da família Delyon.
O alfa mesmo sendo frio, lamentou a morte da esposa profundamente, percebeu que agora teria que ser mais duro em relação ao filho menor para que ele pudesse proteger sua filha ômega.

       Jungkook culpava constantemente o pai pela morte da mãe, talvez se ele fosse mais presente ou se esforçace em ser um marido melhor já que quando pequeno não aguentava ouvir a mãe chorando por causa do pai, que havia ganho o coração da ômega mas não deu nenhuma parte do seu a ela.
       Apesar de culpar o pai, Jeon também se culpava, talvez se fosse mais forte, talvez se tivesse ouvido constantemente as broncas do pai sobre ele ser fraco e que ele era um lúpus da família Delyon e que futuramente ia assumir tudo (coisa que não queria), se talvez tivesse feito tudo isso, poderia ter salvo a mãe e hoje a irmã do mesmo se lembraria da mulher incrível que era sua progenitora.

       Como esperado, o pai do alfa não esperou o luto do menino passar e prontamente introduziu o garoto na máfia, tendo treinos constantes, aulas de línguas diferentes, aulas de tiro e negócios.
       Quando tinha 12 anos o Jeon matou o primeiro homem na vida e aos 14 anos participou da primeira reunião de negócios ao lado do pai.

       Jungkook aos poucos foi se tornando igual ao pai, um lúpus frio, sem sentimentos de afeto com ninguém, afastou tudo e todos de si, até mesmo sua irmã mais nova.
       Bem, Kim Namjoon não era muito diferente de Jungkook, o Kim cresceu numa família rica que por trás dos negócios tinha uma máfia assim como a família de Jeon. Sendo o único Alfa Lúpus dos Kim, o mesmo também exerceu seu lugar cedo na máfia, já que assim como Jungkook, Namjoon tinha um irmão ômega que não poderia assumir os negócios.

       Como melhor amigo de Jungkook, Namjoon não desistiu de sair do lado do outro Lúpus, e mesmo sem ainda conseguir abrir seu coração, Jeon aceitou o Kim em sua vida, e não demorou muito para o irmão ômega de Namjoon se aproximar aos poucos e foi entrando no círculo de "amigos" do Jungkook, e não muito tempo depois Kim Taehyung entrou para a "Família Jeon", junto de Namjoon, e as famílias Byun e Jung.

       Essas poderosas famílias com ligação na máfia se juntaram e se tornaram uma só, "os Jeon's" tendo como lider, Jungkook que resolveu tirar o nome Delyon da máfia e por o sobrenome de sua falecida mãe como um protesto ao falecido pai que sempre jogou em sua cara que os Delyon deveriam ser mais poderosos que qualquer família e era dever dele como um Delyon fazer isso acontecer.

       Jungkook viveu sua vida aumentando cada vez mais o poder da família e quando o pai do mesmo morreu em um tiroteio onde também foi acertado e ficou em coma por meses, (tendo que lembrar constantemente do acontecido devido a cicatriz de bala no abdômen acima do umbigo), Jungkook pensou que talvez agora poderia seguir sua vida, mas não conseguiu.

       A adrenalina e o perigo da máfia haviam o pego, já estava nesse meio e não poderia sair, seria como colocar uma bala em sua cabeça e na das pessoas em que confiava.

       Aos 19 anos Jungkook conheceu a luz de sua vida, durante um baile beneficente que apareceu apenas por aparência, claro que usando a máscara (que era obrigatória por ser um baile de máscara) e ficando nos cantos do salão para não chamar atenção.

       O baile estava senso organizado pelos Park's, a quinta família mais rica da Coreia então como não teria que mostrar o rosto por ser um baile de máscara o lúpus se deu ao luxo de ir e ainda levar sua irmã e ter Min Yoongi, seu segurança e *Caporegime em seu encalço já que Namjoon que era seu *Consigliere já estaria no baile com o irmão mais novo.

       Nesse dia o a mulher do Park, uma bela mulher em um vestido deslumbrante, segurando sua máscara em mãos deu um discurso e parabenizou seu filho único por ter tido a idéia do evento beneficente (Que estava arrecadando dinheiro para doar a orfanatos) e ajudado a organizar tudo, e assim que chamou o filho para seu lado o Jeon travou.

       Era como se estivesse olhando um anjo, Park Jimin, um ômega que cheirava a rosas e pêssego com um toquezinho de baunilha estava em frente à toda aquela gente, sem máscara e corado por sua mãe apresentar o filho a todos como o principal motivo de suas presenças ali.

       O pequeno ômega de 13 anos era incrivelmente belo mesmo com tão pouca idade, olhos azuis e serenos, lábios cheinhos e fios loiros que combinavam com a pele branca e o rosado de suas bochechas e nariz.
       Jungkook sabia que assim que sentiu o cheiro do ômega deveria fazer dele seu, mas claro que analisou as circunstâncias e resolveu esperar o ômega chegar aos 18 para propor um negócio com a família Park pela mão do ômega.


       Nesse meio tempo esteve observando o pequeno Park de longe, colocava pessoas para o vigiar na escola e em qualquer lugar que o pequeno ômega ia, até a empresa que fazia a segurança da casa dos Park ele comprou para ficar constantemente de olho no ômega.
       Não demorou muito para saber que os Park faliram e amaldiçoou Jinwoo em diversas línguas diferentes, sabia que o homem tinha problemas com jogos, inclusive o cassino onde o alfa jogava era seu, mas não achou que o homem iria levar a família a falência quando Jimin tinha 15 anos, muito antes de chegar aos 18.
       Jungkook então teve que arranjar um jeito de ter o ômega, sequestro era uma opção mas seria bruto demais e o ômega o odiaria se o fizesse, então resolveu usar o vício do pai do Park ao seu favor.


       O homem jogava constantemente e compulsivamente, então sua jogada foi simples, enviou Namjoon para jogar contra o Park, apostou uma quantia alta, (digamos que na casa dos milhões) e esperou Jinwoo perder, o que obviamente aconteceu já que Namjoon era quase um profissional e ajudava a administrar o cassino então sabia as jogadas certas para ganhar o jogo.

       Inicialmente o plano era fazer o homem perder, e se ele não conseguisse pagar (o que o Lúpus sabia que ele não conseguiria prontamente) pediria o ômega como garantia, ou se o alfa pedisse mais tempo iria acrescentar juros até o alfa se pressionar a dar seu bem mais precioso.
       No final Jeon não precisou nem pedir, o Park já foi logo oferecendo o filho como garantia para poder pagar o alfa depois, antes de ir embora o homem assinou mais um contrato que garantia que o Jeon teria o ômega, de início ele achou que o filho iria para a família Kim, mas quando viu o nome Jeon depois de ter assinado o contrato temeu pelo filho, mas era tarde demais.


       Agora Jungkook tinha em mãos o que ele sempre quis, seu ômega com cheiro de pêssego, e faria de tudo para o pequeno Park se entregar a si, faria o ômega implorar por si e o amar como jamais amaria outro Alfa, faria dele o pai de seus filhotes e acima de tudo, marcaria o Park para torná-lo oficialmente seu ômega.





Notas Finais


Talvez eu demore pra postar mas não pretendo iniciar nenhum projeto novo para poder me focar só nesse.

Espero que tenham gostado♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...