1. Spirit Fanfics >
  2. My Alpha, My Ômega - SasuSaku >
  3. Capítulo Dez

História My Alpha, My Ômega - SasuSaku - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


E
A
E
GALERA KSJDKDKD

Capítulo 11 - Capítulo Dez


Sakura

Enquanto escuto o papo animado de Ino sobre o tal do Sai, um garoto que conheceu há poucos dias, minha mente me faz lembrar sobre o que aconteceu ontem entre mim e o moreno e, automaticamente, meu corpo se esquenta tanto de tesão quanto de... Carinho.

Que garoto... Minha nossa...

Em pensar que um dia reclamei dele e da sua pose de durão, mas sendo sincera comigo mesma, eu não posso negar que gosto disso, que toda essa volúpia me atraí feito uma mariposa para a maldita luz que brilha sem parar porém, também me pego pensando se sempre será assim: briga, transa, briga, transa.

Não espero muito dele mas espero ao menos que não me diga mais aquelas coisas e sim, por mais que eu tenta dizer que não, elas doeram, me senti como se eu fosse a errada com tudo e agradeci muito por não ter chorado naquele banheiro ou então, quando saísse, ao invés de comer pizza, gritar feito louca pelo filme e fazer sexo, teria tido uma outra conversa e sabe se lá Kami, o que ele me falaria ou o que eu falaria.

Também não posso contrapor que ele foi um fofo, se desculpou pelo que fez e me encheu com aquela pizza e logo depois de toda aquela sacanagem, vimos um filme mais tranquilo e, por um momento, mesmo que tenha sido pouco, vi suas mãos acariciar os meus cabelos e ouvi as palavras que disse quando achou que eu estava dormindo.

"Você tem cabelos lindos... Mas você me enlouquece menina, muito."

Não sei o que está acontecendo comigo, mas aqui, vendo tudo isso, realmente penso que a melhor coisa foi ter perdido a virgindade com Sasuke naquele dia, me sinto mais livre, falo palavrões, procuro por coisas emocionantes e as encontro com ele, não só na cama mas nossa, quando foi que eu briguei tanto com alguém? Nunca, sempre me esforçava ao máximo para não ser mal educada e veja só agora, o chamei de animal e mandei ele ir se foder.

Um palavrão!!

- Amiga, está me ouvindo??- cutuca Ino e eu me espanto, olho ao redor e vejo que estamos na entrada do estacionamento da faculdade.

- Ah, desculpe, o que disse?? - pergunto, revirou os olhos e apontou para um carro super chique.

- Meu pai finalmente me deu um carro! Caramba, onde estava com a cabeça??? - voltei minha atenção para seu rosto e bati palmas para cessar o assunto.

- Uau! Que lindo! - ela sorri e estende as chaves como se fosse aquelas peruas ricas.

- Vamos ir trabalhar no melhor estilo, Saky! - comecei a gargalhar de forma discreta e caminhamos juntas até o pedaço de mal caminho caro que é esse automóvel.

O carro faz um barulho e logo entendo que está destravado, abro a porta da frente e me sento, coloco minha bolsa na parte de trás e conduzo o cinto de segurança ao meu corpo; a loira entra segundos depois e se acomoda no banco de couro, suspira, puxa todo o ar e o cheiro de estofado novo, sorri e bate palmas.

- Eu amei esse carro! - gargalhei outra vez com a sua animação e não demorou muito para darmos partida.

Ino pediu-me para conectar o seu celular ao rádio e, depois de fazer isso e selecionar uma música da sua playlist vivente, ergo a cabeça e vejo que estamos paradas num pequeno farol que tem na frente da universidade, o som meio baixo anuncia a música "Won't Mind - Hoodie Allen" e eu sorrio, começo a mover os ombros e viro a cabeça para a janela de imediato avisto a cabeleira escura de Sasuke e logo atrás, um lugar meio grande com a placa escrita: "Café de Konoha" mostra que é o local onde trabalha mas, ao invés de sorrir por ver o moreno usando uma roupa de cor branca e creme, sinto meu estresse aumentar com o que vejo, lá está ele e...

- Karin... - murmuro baixo contraindo os dedos num aperto nervoso.

- An?! - diz Ino aproveitando o som enquanto batuca no volante.

- Nada, amiga! - digo e ela sorri acelerando o carro logo em seguida, fazendo com que a imagem deles dois desapareça.

Viro meu rosto para trás até chegar em mil graus porém, não consigo mais vê-los; inferno de garota chata, o que ele está falando com ela? Não consegui ver a sua expressão por conta daquela coisa que ele chama de cabelo mas na verdade é só um mato queimado e bem feio, que safado, o que estavam falando?!

E por quê estou irritada com isso? Me pego fazendo essa pergunta desde quando Naruto falou que os dois tiveram algo e, se de repente, Sasuke resolveu tentar com ela outra vez? E, se ela está ali para se oferecer e ele? Pode estar pronto para aceitar ela, provavelmente, mas que coisa, moleque!

- Amiga, que horror! Essa sua cara me desanima, estamos indo trabalhar, pela primeira vez em toda a nossa linda vida, faça o favor! - suspiro em silêncio e sorrio fingida para Ino, ela devolve e volta a aproveitar a música.

Sasuke... Eu vou te afundar num balde cheio de merda!

[...]

Eu sabia desde o início que ficaria encantada com o hospital mas aqui, olhando ele de cabo a rabo, me sinto a melhor médica estagiária de todo o mundo e ninguém vai acabar com isso, nem mesmo Sasuke e aquela garota oferecida.

Vem cá, ela não ia se casar, hein?!

- Saky... - sussurra Ino e eu me assusto, jogando o peso do corpo de um pé para o outro enquanto estamos dependuradas na sala de exames. - Estou começando a ficar preocupada, de verdade... Não gosta do hospital do meu pai?? - ergo a sombrancelha e balanço a cabeça num 'não'.

O lugar não é só limpo e chique como também, passa a sensação de conforto; nem todo hospital tem esse mesmo ar, quando as pessoas entram, ficam com medo do que os cirurgiões vão falar quando sair de trás da porta que os leva para as salas de cirurgia mas aqui, nesse hospital, me sinto como se eu nunca fosse receber notícia péssima mas sim, uma ótima e perfeita notícia.

- Ino, é claro que eu gosto, vou trabalhar aqui de verdade quando terminar a faculdade e olha, você viu aquele salário?? - murmuro mesmo sabendo que ela não vai receber nada.

O tio Yamanaka foi bem generoso comigo, a loira comentou quase tudo sobre o que aconteceu e ele entendeu perfeitamente, até pediu desculpas por saber de algo que não lhe diz respeito e, no fim, me ofereceu de salário 40.5358* ine por mês, eu fiquei mais do que feliz porque, quando na minha vida eu achei que teria esse valor na minha nova conta bancária?? Nunca!

Para ser bem sincera, percebo que as minhas asas foram cortadas de forma brusca pelos meus avós, quando era mais nova, via os filmes e revistas de outros países e queria muito atuar fora daqui, em Nova York, na Suiça, em qualquer outro país, menos no Japão mas enfim, eles me jogaram para Sasori e não poderia sair de perto do meu marido, me acostumei com a ideia mas agora, estando por conta própria e vendo o quão fantástico é esse hospital, eu vou ficar, com certeza.

- Eu fico feliz que tenha gostado, de verdade, e então, como está sendo morar com Sasuke? - pergunta minha amiga enquanto separa uns exames e eu levemente me enfureço com seu nome.

Ah, Sasuke.

- Legal, foi como eu disse antes, me respeita. - uma ova, esse... Aaah!

- Você parece um pouco seria em relação à isso. - me junto a ela e pego um exame de sangue, passo os olhos por cima mas ainda vejo com atenção.

- Sífilis... - murmuro tentando mudar de assunto e ela enruga o rosto.

- Ninguém usa mais proteção nessa cidade?! Já o quarto exame que vejo com esse nome! - protesta e eu suspiro; pelo visto a proteção e tão ins... Merda.

Abro os olhos e troco de exame rapidamente, pego um aleatório e vejo que é alguém está grávida e meu espanto fica cada vez maior; mudo novamente e relaxo quando vejo que é um exame normal, de rotina. Não posso deixar que Ino me questione sobre essa expressão enquanto eu pergunto onde estava a minha cabeça esse tempo todo? Claro, no pau do Sasuke, por Kami, quem começa a transar e não toma anticoncepcional?? Eu, porque até então, não sabia que iria precisar, merda, Sakura! Você nem ao menos tem uma ginecologista, sua... Sasuke, Sasuke, Sasuke e seu... Merda!

- Amiga, vamos, temos que acompanhar uma cirurgia de uma das baias, se lembra?? - esse "se lembra" me adverte que eu não me lembro de nada, nem ao menos de me proteger!

- Claro que sim, claro e... Podemos passar na farmácia quando estivermos indo embora? Eu preciso comprar uns absorventes. - murmuro e a loira concorda sorrindo.

- Está chegando, né? Ah... É tão difícil ser mulher!! - começa a andar balançando a cabeça e eu vou atrás.

Ainda mais se a mulher e burra que nem uma porta como eu!

Assim que chegamos perto da escada, acabo esbarrando em um homem alto de cabelos grisalhos, iria cair de bunda no chão, mas ele foi bem rápido e me agarrou pela cintura, me atraindo para o seu corpo; dei uma suspirada em susto e encarei seus olhos negros, o homem ficou me olhando na mesma intensidade e jurei que iria ter um treco daqueles.

- Você está bem, querida? - a voz rouca e sensual, por Kami...

- Eu... Acho... Sim, talvez. - murmuro sem desviar minha atenção.

- Espero que esteja, imagina se tivesse um machucado em você, hm? - ergo a sombrancelha e sinto meu corpo todo pinicar.

- E... Imagino... Quer dizer, nossa, ia doer! - ele sorri e me afasta do seu corpo, me colocando de volta no lugar.

- Bom, até mais e... Tenha cuidado, viu? - balanço a cabeça feito uma boneca e ele se afasta, indo na direção das portas de emergência.

- Amiga... Que homem! - rosna Ino e eu sacudi minha cabeça.

- Quietinha, vamos vamos, temos que aprender! - começo a subir as escadas de forma rápida enquanto ela tenta me acompanhar.

Por Kami... Que homem!

[...]

Emoção que uma pessoa tem de ver o coração palpitar é diferente da minha quando vi um daqueles ótimos médicos fazer um transplante de forma tranquila e preparada, fiquei mais do que feliz, só faltei soltar fogos de artifício e girar bandeirinhas.

Não vejo a hora de ser a minha vez, não vejo mesmo!

Assim como previ, não vamos passar duas noites no hospital como é o costume dos médicos porém, vamos ficar até perto das sete da noite; mesmo não estando perto do fim da faculdade, creio que, colocar em prática tudo aquilo que aprendi durante três anos, me deixe suficientemente preparada para quando vir como interna de verdade, o que me deixa super feliz é saber do salário enorme.

E falando nisso... Como ainda não tenho um tostão, tive que pedir dinheiro emprestado para Ino e agora estou aqui, numa farmácia com dois pacotes de absorvente para a distração, duas cartelas de anticoncepcional e camisinhas - não sei quando vamos fazer isso de novo porém, quero estar preparada -; ao caminhar para o caixa, me deparo com uma prateleira cheia de potinhos em promoção, pego um em minhas mãos e quando vou ler o rótulo, a vendedora me assusta.

- É um lubrificante para sexo anal, ele é a base de água. - encaro seus olhos azuis com atenção e mordo a boca. - Está procurando por algo novo, não é? Recomendo levar, são ótimos. - balanço a cabeça.

- Sexo anal... - murmuro e olho os outros potes, vejo e preço e pego mais um. - Tudo bem... Vou levar. - seu sorriso fica gigante e eu me sinto num sexy shop.

Caminhamos juntas até o caixa e ela começou a passar as coisas, pegou duas sacolas e colocou primeiro os lubrificantes, depois o pacote de camisinha, logo depois o anticoncepcional e enfim, os absorventes; me estendeu os produtos e eu peguei o dinheiro do bolso da calça, antes de me falar o preço, me olhou com bastante atenção.

- Olha, vou te dar uma dica para usar esse lubrificante. - me aproximo mais do balcão e ela sussurra. - Ele é bom para usar com camisinha mas, se você confia no seu namorado, pede para ele usar sem, é coisa de outro mundo... Deu 911,94 ine. - pisquei algumas vezes e dei todo o dinheiro da minha mão.

Que isso...

Ela me deu o troco e antes que eu saia por completo, me desejou um ótimo sexo bem baixinho, caminhei até o carro mais rápida do que um carro de corrida, estou com vergonha, muita mesmo e eu nem sei porquê estou levando isso, não vou dar a minha bunda para Sasuke e nem para ninguém, que isso! Eu posso ser nova em tudo isso mas eu já li relatos, dói, dói demais e eu não quero sentir essa dor, não mesmo; abro a porta do carro e entro de uma vez, Ino me olha por um momento e eu já jogo a sacolinha dentro da bolsa para que não me faça tantas perguntas.

- Tudo bem, Sakura? Parece que vai explodir, está vermelha que nem uma bomba animada. - balanço a cabeça e sorrio.

- É, passei uma vergonha para procurar os absorventes! - ela riu e ligou o carro.

- Por isso demorou, né? Já imaginei que estava perdida nos corredores. - enquanto o carro passeia pelas ruas meio molhadas de Konoha, tento tirar essas coisas da minha cabeça.

- Amiga, posso ligar o rádio?? - ela balança a cabeça e eu vou mais do que depressa, assim que o som invade o espaço, ele logo é cortado com a previsão do tempo.

" - Por toda essa semana, o dia será de chuva intensa e a noite, um frio de arrepiar então, se protejam!"

Proteger, proteger, Sakura!!

- Iih!! Amiga, quer que eu venha te buscar de manhã?? - levanto as sombrancelhas e balanço a cabeça.

- Não... Eu vejo se Sasuke pode me levar, sabe? - por um momento os olhos claros ficam contrariados.

- Então... Como está sendo morar com ele? Você fala bem pouco Sakura, estão se dando mesmo bem?? - viro meus olhos para a estrada e suspiro.

- Sim... Ele é legal, está tendo sair da sua zona de conforto para poder me acolher, relaxa. - digo baixo e escuto seu suspiro.

- Não sei se consigo, se lembra do que ele fazia com você quando éramos pequenos?? E ele continua brigão, fiquei sabendo que hoje pela manhã, brigou perto do prédio de advocacia. - assim que escuto isso fico meio estranha.

- Ah, foi? - ele estava normal quando vi ele naquele café e... - Sabe Ino, descobriu alguma coisa mais sobre a Karin?? - ela começa a rir.

- Sim, está entregando convites do casamento para toda a universidade! - ela começa a rir e eu a sigo mas logo paro e fico pensativa.

Será que é isso que eles estavam conversando...?


Notas Finais


Nota: esperem uma Sakura Haruno totalmente mudada ein galera e um Sasuke também; agora que ela conheceu esse homem gostosão, vai ter muitas brigas por ciúmes e não se esqueçam... Karin está aprontando algo e... Ainda temos o nosso marido traído ein!!

Até maaais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...