História My Angel - Capítulo 29


Escrita por: ~ e ~UzuKitsune

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Anjo, Fanficsnaruhina, Fanficsnh, Fnh, Keina, Naruhina, Naruhina4ever, Revolução Naruhina, Romance
Visualizações 253
Palavras 3.848
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Noite, Boa Noite e Boa Noite!

A pedido da autora, Keina-chan... Eu ( Kitsune) mais uma vez venho trazer a atuaização de My Angel para vocês!
Eu não tenho muito oq dizer, só avisa-los que esse é o penultimo capitulo e que ele foi escrito, pensado e produzido com muita dediação, foco, amor e carinho.

Eu espero que vocês gostem e a Keina tambem!
Enfim... Boa Leitura!

Capítulo 29 - Filho das Trevas


Abriu os olhos, assustada, e a forte luz causou incomodo. Piscou algumas vezes para se acostumar com a luminosidade e um chiado forte a deixou tonta, provavelmente havia batido a cabeça. Tentou levantar a mão direita para passar sobre os cabelos, mas uma forte dor no ombro a atingiu, fazendo a morena choramingar. Percebeu enfim que estava presa em uma maca hospitalar.

 

Havia soro ligado a um de seus braços e ela se sentia um pouco tonta. Com muito esforço conseguiu olhar ao redor, tentando evitar a luz forte sobre si.

 

Uma mesinha com vários instrumentos cirúrgicos estava entre ela e outra maca. O lugar era totalmente branco e ela vestia uma bata verde, com a barriga à mostra. Seu coração acelerou por sentir Boruto tão quietinho, mas ela conseguia sentir o coração dele bater dentro de si, então isso queria dizer que ele ainda estava protegido, mesmo não estando seguro.

 

-Então já acordou? - um rapaz estranho se aproximou dela, checando os sinais vitais.

 

-Moço... Deixa eu sair daqui - a voz saiu tremida e ela soluçou desesperada

 

Ele a olhou com pena e suspirou. Parecia realmente triste.

 

-Infelizmente a vida da minha filha depende desse serviço...

 

-Mas e o meu filho? - ela derramava as lágrimas pelo rosto - Ele também não merece viver?

 

-Só estou fazendo isso porque sei que ele não vai viver. Nunca trocaria uma vida por outra. Acha que eu não sei... Que essa coisa não vai viver?

 

-Não é uma coisa! - ela gritou com raiva - É meu filho...

 

-E sequer é humano! - ele a cortou. - Sinto muito, mas não posso fazer nada.

 

Hinata tentou engolir o choro e se concentrar em uma maneira de sair daquele lugar. O desespero tomava conta a cada segundo, a cada gota de um soro estranho que entrava em seu corpo.

 

A porta foi aberta e o segundo de alívio passou imediatamente ao ver Menma entrando. Ele parecia diferente, mais feroz e com ar altivo. Atrás dele um outro homem trazia o pequeno Koji em uma maca. Colocaram a maca ao lado da morena e o mesmo homem de antes, ligou o soro ao cateter preso na mão do garoto.

 

-Quanto tempo Shino? - Menma se dirigiu ao primeiro homem

 

-Algumas horas senhor...

 

-Muito tempo - reclamou impaciente

 

-Duas horas e meia no máximo - Shino se retratou

 

-Hum... Comece – ordenou.

 

-Sim senhor. - Shino se levantou e aplicou uma solução escura no soro de Hinata. Agora a bolsa antes amarelada se tornava cada vez mais negra.

Hinata olhou para o menino ao lado e arfou. As veias finas e marcadas por todo o corpo da criança, se é que ela ainda podia pensar nele assim, formavam linhas negras. A pele parecia ressecada e sem vigor, podia dizer que até os cabelos dele não tinham brilho algum. Ela ergueu o olhar para Menma e engoliu o medo.

 

-O que você fez com ele?

 

-Ainda não fiz o suficiente - o moreno se aproximou do garoto o olhando com adoração.

 

-Ele é só uma criança! Você roubou ele de alguém? O transformou em um monstro... Alguém como você! – acusou.

 

Menma riu. Ele deu a volta na sala e se sentou em uma cadeira, pensando. Olhou para a morena e sorriu divertido.

 

-Quer saber sobre o Koji? - ele balançou na cadeira olhando para o teto, como se lembrasse de algo bom.

 

Hinata ficou calada, torcendo para que Naruto chegasse logo. O soro ainda se misturava, como fumaça. Aquilo faria mal para ela e principalmente para Boruto, ela tinha certeza.

 

-Eu conheci a mãe dele a alguns anos. Ela era bem bonita - ele riu - Não que fosse importante. O importante é que ela era uma descendente dos Uzumakis. Claro que mesmo indiretamente, o pouco sangue já é de muita serventia. A conquistei tão rápido, sabe que sou capaz disso pois sua amiga Ino é a prova. Então ela ficou grávida.

 

-Então Koji...

 

-Sim, ele é meu filho. - respondeu em um sorriso de canto

 

-Então... Não! Não é possível. - ela arregalou os olhos se lembrando do pequeno Itachi morto em seus braços. Se fosse pelo sangue, Naruto é um Uzumaki.

 

-Tudo é possível, querida. O sangue prova isso. Os Uzumakis e Uchihas são os únicos. O sangue deles carrega o legado dos dois reinos, céu e trevas.

 

-Mas o filho do Sasuke... - ela ainda não conseguia acreditar no que ele falava.

 

-Só porque ele não soube fazer, não quer dizer que não seja possível. O bebê precisa do sangue da mãe. Ele precisa receber a benção da sua progenitora.

 

-Oh! - ela não soube o que responder, seu braço começava a arder de leve.

 

-Ver você assim é nostálgico - ele tinha um sorriso cruel- me lembra da minha querida Karin... Me lembro de quando Koji nasceu e drenou todo o restante de sangue daquele corpo...

 

-Para! - ela fechou os olhos desesperada- Eu não quero ouvir mais!

 

-Eu só preciso do sangue dele - tocou na barriga da morena - Apenas para corrigir essa falha que a mãe deixou... Ela era fraca e não tinha sangue o suficiente, mas seu bebê é diferente – fazia carinho na barriga da morena – Ele é filho daquele maldito...

 

Hinata finalmente compreendeu o motivo de estar ali. Não seria nada mais que um mero sacrifício para que seu filho viesse ao mundo. Claro que faria isso, mas o que a deixava desesperada era saber que depois disso, seu próprio filho serviria como sacrifício para o outro. Ela abriu a boca para responder, mas tudo que saiu foi um grito. Seu coração batia tão rápido que a estava sufocando. O sangue parecia correr em suas veias como fogo. Queimava e doía.

 

-Cuide dela - Menma se levantou para sair da sala na mesma hora que outra pessoa entrava.

 

-Sim, meu senhor. – A mulher exclamou e Hinata não podia acreditar. Ela estava ali por vingança? Queria tanto Naruto para si? Naquele momento, quando viu Ayane entrar, teve vontade de se levantar e socar o rosto bonito da outra. Mas tudo o que conseguiu fazer foi deixar algumas lágrimas escaparem enquanto seu corpo começava a tremer em pequenos espasmos.

 

 

[ ... ]

 

 

Naruto bufou enquanto apertava as mãos nos joelhos. Sasuke dirigia rápido e o loiro balançava a perna nervoso no banco do carona.

 

-Merda Sasuke, vai mais rápido!

 

-Estou indo - o moreno acelerou o quanto pôde, Itachi já deve ter chegado lá. Você tem certeza que eles estão nessas docas?

 

-Tenho. Posso sentir o Bolt... A Hina não ta bem... - a voz dele falhou

 

O carro deu a volta por trás do galpão e parou. Eles correram para fora, dando a volta pela lateral do lugar. O som do mar agitado indicava uma tempestade. A noite silenciosa não revelava nada do que acontecia no interior daquelas sala.

 

Os dois se esgueiraram entre caixas de papelão e lixo acumulados entre dois prédios e não viram nenhuma movimentação. Naruto sentia o ar faltar, o corpo reclamar descanso, mas ele não podia parar. Próximo da entrada havia um corpo caído no chão. Sasuke se aproximou com cuidado.

 

-Humano - constatou - está morto.

 

-Itachi fez isso? - o loiro se aproximou passando pelo corpo caído e entrando no lugar.

 

-Ele não pode ferir humanos - o moreno falou breve, mas um ruído alto e curto seguido de um baque foi ouvido, fazendo eles correrem para o lugar.

 

Itachi segurava um longo bastão em uma das mãos. O corpo aos seus pés se desfazia aos poucos deixando apenas uma mancha escura no chão. O suor escorria do rosto dele e os cabelos compridos estavam soltos. Visivelmente cansado, o moreno sorriu ao ver os dois homens entrando.

 

-É difícil lutar nessa forma. - Apontou para o corredor- Mas deixei a entrada livre para vocês. Infelizmente paro por aqui.

 

-Obrigado Itachi! - Naruto correu pelo corredor.

 

Sasuke se deteve por alguns instantes diante do garoto. Ele aparentava ter seus 15 anos,os olhos e cabelos negros. Um aperto no coração do mais velho e ele abriu a boca para dizer algo mas foi cortado pelo mais novo.

 

-Eu vou buscar ajuda. Cuide dele por enquanto.

 

-Obrigado - tinha tanta coisa para dizer, mas por ora foi o que bastou.

 

Sasuke seguiu o loiro, dando uma pequena olhada para trás vendo Itachi alçar voo. Suspirou e correu atrás do amigo. Naruto se viu em uma grande sala. O lugar estava vazio e tinha um cheiro forte de produto de limpeza. Caixas de papelão e madeira se amontoavam sobre as prateleiras que ocupavam uma parede inteira. Olhando mais de perto ele percebeu se tratar de produtos hospitalares. Uma risada fez ele apertar os olhos no momento que a sala se iluminou.

 

-Olha só, se não é o anjinho... - Kiba arrastou um taco de beisebol atrás de si. A camisa social sempre arrumada estava aberta e ele estava descalço. Seus cabelos sempre comportados estavam rebeldes e seus olhos amarelados pediam por diversão. Naruto fechou as mãos em punho.

 

-Onde elas estão? - Sasuke se colocou ao lado do amigo.

 

-Tem uma ali - apontou na direção da parede oposta onde Ino estava amarrada e amordaçada, observando com olhos bem arregalados.

 

-Cadê a Hinata? - Naruto esbravejou.

 

-Quem sabe?... - O moreno deu de ombros e bateu o taco no chão. -Vamos brincar anjinho... - e avançou eufórico na direção do loiro.

 

Sasuke tentou defender o amigo, se colocando na frente de Naruto, mas foi jogado contra a parede. Ao erguer a cabeça se deparou com um enorme cão negro que andava em sua direção. Olhou para Naruto que já tinha sido atingido pelo demônio.

 

-Droga - resmungou quando o cão correu em sua direção. O moreno conseguiu desviar por pouco, tendo parte da calça esfarrapada pelas garras da criatura. Não conseguiria ajudar o loiro enquanto não eliminasse a criatura. Agarrou um pedaço grosso de corrente de ferro que estava jogado no canto e lamentou a falta de uma arma apropriada.

 

Naruto arfou quando o punho de Kiba se alojou no meio do seu estômago. Sentiu a falta de ar e ainda tonto, viu o moreno girar o corpo e atingir suas pernas com o taco. O loiro caiu no chão sem ar, colocando uma mão sobre a barriga.

 

-Não vai dar nem pro gasto? O chefe falou tanto de vocês dois. E em dez segundos já estão rastejando - Kiba riu - Lamentável...

 

-Ora seu... - o loiro vociferou

 

Cambaleante, Naruto se levantou firmando as pernas e olhando para o sorriso debochado do moreno. Seus ouvidos atentos a qualquer sinal que Hinata pudesse dar, pensando que nao poderia perder tempo ali. Desviou os olhos para a porta de ferro atrás do moreno.

 

-Só passando por cima de mim, anjinho. - Kiba riu e avançou com o punho fechado.

 

Naruto sentiu o braço latejar ao segurar o golpe. Apertou o punho fechado de Kiba e o trouxe mais para perto de si, levantando o joelho e atingindo o estômago do moreno. Pelo menos retrucou o golpe de antes. Mas diferente dele, que sentia o corpo ranger a cada movimento, o adversário apenas limpou o fio de sangue que escorria no canto da boca e sorriu com empolgação. Queria ter tido tempo de se recuperar totalmente. A camisa já colava no corpo devido ao suor, os olhos atentos aos movimentos do outro e mais uma vez defendeu o chute que veio em sua direção, mas caiu ao receber um soco. Seu corpo estava lento e seu tempo realmente estava acabando.

 

Não podia fraquejar ali. Hinata precisava dele e seu filho também. Correu para frente, em uma vã tentativa de golpear Kiba que defendeu todos os socos e chutes. O taco voltou para as mãos do moreno, que acertou em cheio o lado direito do loiro, provavelmente quebrando suas costelas que ainda não estavam totalmente recuperadas.

 

-Deplorável! - Kiba gritou chutando o mesmo lugar que acabara de atingir com o taco, fazendo Naruto gritar de dor – E você ainda queria enfrentar o Mestre! - disse rindo

 

Sasuke tentava golpear o cão com a corrente, mas o animal era extremamente rápido. Sabia que não conseguiria distraí-lo ou tentar fazer errar o alvo. Cães infernais nunca erravam o alvo. A corrente de ferro em suas mãos era a única arma eficiente que tinha. Já sentia o fôlego faltar, de tanto desviar das garras e presas, precisava fazer algo, antes que cansasse completamente. Ouviu o grito de dor de Naruto e se virou para ele. Gritou ao sentir as presas afundarem em seu braço esquerdo. Com o braço direito, jogou a corrente ao redor do pescoço do grande animal e puxou com força.

 

O cão guinchou e sacudiu o Uchiha, que tentou se manter firme e apertou mais a garganta da criatura. Sua mão escorregou e ele caiu no chão, batendo as costas com força no chão. Ao abrir os olhos, as grandes presas e os olhos amarelos estavam bem acima dele. O moreno sentia o braço queimar e não via como poderia sair dali.

 

Naruto tentou respirar, mas a dor apenas aumentou. Não podia fracassar ali. Apertou os olhos e gritou mais uma vez. Kiba tinha um sorriso sádico no rosto ao socar o joelho de Naruto, as mãos seguravam o pesado taco com firmeza sobre o joelho do outro e girava enquanto apertava mais a arma sobre a perna trêmula do loiro.

 

Os sentidos de Naruto ficaram confusos, ele ouviu um baque e a pressão na perna diminuiu.

 

-Naruto?

 

Ele não conseguia respirar direito, muito menos responder ou saber quem o chamava. Tentava puxar o ar em vão, tinha a sensação de estar se afogando. Mãos apoiaram as suas costas e uma pressão grande o fez arfar e puxar o ar rapidamente. Ele tossiu com a quantidade de oxigênio que entrou em seu pulmão.

 

-Melhor? - O sorriso de Itachi foi a primeira coisa que ele distinguiu

 

Apoiou o corpo melhor e virou o corpo, sentindo suas costelas latejarem. Procurou Sasuke com o olhar e viu Sarutobi ao lado do moreno, o enorme cão caído ao lado começava a virar pó. Suspirou em alívio.

 

-Hinata... - ele se esforçou para levantar e arfou com dor no joelho.

 

-Tentei curar o máximo possível... O resto é com você. - Ele estendeu a mão para o loiro que tentou firmar o corpo da melhor maneira que conseguiu.

 

-Obrigado Itachi. Posso pedir mais um favor? - o anjo acenou com a cabeça - Leve eles para o hospital – apontou para Sasuke e Ino.

 

-Vou levar você também...

 

-Não... Preciso ajudar Hinata. – Argumentou e  Itachi pensou em retrucar, mas a determinação nos olhos do loiro o fez concordar.

 

-Tudo bem.

 

Hinata gritou de dor e Ayane se colocou ao lado dela. As mãos da mulher tremeram ao diminuir a velocidade do soro.

 

-Assim vai demorar mais – Shino falou sem tirar os olhos do computador

 

-Ela tá sentindo muito – Ayane retrucou

 

-E qual a parte importa para você? - o homem respondeu

 

Pronta para falar algo, ela se calou quando a porta se abriu e Menma entrou. Olhou para os dois e depois para Hinata.

 

-E então?

 

-Sua querida enfermeira está com pena da mulher – resmungou incomodado pelo serviço

 

Menma semicerrou os olhos para a morena e caminhou para ela, encurralando a mulher entre as duas macas. Estendeu a mão e a segurou pela garganta, apertando o pescoço enquanto erguia o corpo dela um pouco.

 

-Mudou de ideia? - apertou um pouco mais

 

Sem ar, ela balançou a cabeça negando, sentindo as lágrimas nos olhos. O demônio soltou ela e se virou para o fraco de soro, aumentando a velocidade que as gotas caíam. Shino engoliu em seco quando os gritos da morena aumentaram. Seu corpo convulsionava e linhas negras iam aparecendo sob a pele, como se tinta preta estivesse sendo injetada em suas veias.

 

-As contrações começaram. - O médico informou em um fio de voz.

 

-Comece – ordenou para Ayane, enquanto ela ainda massageava o pescoço.

 

A mulher segurou o bisturi com as mãos trêmulas.

 

-Eu não sei se consigo....

 

-Não precisa ser nada bonito – Menma falou já sem paciência - Ela nem vai sobreviver de qualquer forma.

 

Ayane olhou para a morena que respirava com dificuldade, totalmente absorta pelo soro. Segurou o bisturi e fez uma pequena incisão. Sangue vermelho vivo brotou do corte e ela se atrapalhou, deixando cair o instrumento.

 

Menma bateu na mesa com força e em menos de um segundo estava apertando o pescoço da mulher contra a parede.

 

-Minha paciência com você já esgotou! Já teve muito da minha bondade.

 

A pele de Ayane começou a descamar em grandes feridas. A dor que elas causavam fez a mulher gritar. O demônio sorriu e jogou o corpo dela para o lado, fazendo ela bater contra alguns equipamentos.

 

-Cansei de lidar com lixos como você! Uma mulher mesquinha...

 

Ayane fungou e se levantou tremendo.

 

-Fiz tudo o que me pediu, sempre. Sempre obedecendo, baixando a cabeça. Só queria minha saúde de volta...

 

O demônio riu.

 

-Você sabe que não tem cura para seu problema. Se afundou nessa vida de cachorro... meu cachorrinho de estimação - falou sorrindo- Faz o que eu mandar entendeu? Na hora que eu quiser... sua alma já é minha...

 

-Não! Não é verdade! Você me enganou... me disse que podia me curar.

 

-Oh faça-me o favor! O que acha que eu sou? Papai noel? - gargalhou – Todas aquelas crianças que você me trouxe... Não sou dono de um orfanato, sabe?

 

-Você é um monstro...

 

O homem revirou os olhos.

 

-Não tenho tempo para você. -estalou os dedos e a mulher começou a gritar.

 

-Leve ela para fora e depois venha me ajudar – ordenou para Shino.

 

O homem correu para arrastar a mulher para fora da sala, amedrontado com a presença do chefe. Fechou a porta e recostou a morena na parede do corredor. Limpou o suor da testa e se levantou para voltar.

 

-Isso é errado! - ela falou em um suspiro - Você também vai pagar caro...

 

-Não se eu fizer o que ele quer...

 

-Ele vai te matar de qualquer... jeito... - ela parou de respirar

 

Shino sentiu as pernas tremerem e se apoiou na parede. Olhou para o outro lado do corredor e deu um passo. Depois de três passos ele começou a correr. Antes de alcançar a porta, parou bruscamente com a mão sobre o peito. Seu coração parou de bater no instante que ele decidiu abandonar o demônio.

 

Menma resmungou ao se virar para Hinata. Chegou até ali, daria um reino para seu filho. Um reino que foi negado à ele. Apertou algumas teclas no computador e caminhou para as macas. O escalpe no braço da morena começou a tencionar, drenando pouco a pouco o sangue da mulher, indo diretamente  para o corpo do pequeno. Testes anteriores já tinham provado que era a melhor forma de fazer os sinais vitais de Koji voltarem. Ou quando ele bebia diretamente dos recém nascidos. O sangue de anjo no bebê que ela trazia na barriga era a verdadeira cura para seu filho. O sangue que ele vinha procurando por anos.

 

Da última vez quase conseguiu com o Uchiha, mas o bebê não tinha a resistência dos Uzumakis, necessária para aguentar todo o processo. Agora ele tinha a oportunidade perfeita.

 

 

Naruto abriu a porta e quase tropeçou no corpo de um homem. Continuou em frente e abriu a porta com todo o corpo, quase caindo para dentro do lugar. A luz forte quase o cegou e ele foi jogado apar o lado, sem ter tempo para se defender ou amortecer o impacto.

 

-Odeio ser interrompido!

 

Naruto abriu os olhos e viu o demônio ao lado de Hinata. Seus olhos arregalaram ao ver o corpo marcado da mulher. Ele sentiu o cheiro de sangue demoníaco por todo o corpo dela e as linhas escuras desenhando a pele clara não o deixava se enganar. O demônio se voltou para ela de novo e fincou o bisturi na barriga da morena, fazendo o sangue escorrer com mais intensidade.

 

-Hinata!  - Naruto tentou correr, mas Menma chegou nele com uma velocidade incrível.

 

O loiro ainda via o bisturi fincado na esposa. Voltou seus olhos para a criatura em sua frente e tentou se soltar dele. Antes que conseguisse falar algo, o moreno o empurrou contra a parede, batendo suas costas várias vezes como se fosse um boneco. Sem ar, Naruto tentou agarrar a mão que segurava sua camisa, tentando afastar o homem de si.

 

-Acabou Naruto.

 

Ele caiu com força no chão, puxando o ar com força e sentindo o corpo inteiro doer. Voltou sua atenção para Hinata e se arrastou para ela. No mesmo instante Menma foi jogado para o outro lado da sala.

 

-Você quebrou todas as regras hoje Arashi. - Diante dele, Hashirama caminhou para perto.

 

-Você e suas porcarias de regras – o moreno cuspiu.

 

-Regras que mantiveram esse mundo seguro. Porque fazer isso?

 

Menma se levantou e olhou para o loiro com raiva. Naruto arrancava o bisturi da barriga de Hinata e tentava estancar o sangue que fluía.

 

-Porque você me privou de tudo! Esse mundo deveria ser meu...

 

-Sempre dei tudo o que você quis, fiz tudo por você - Hashirama estendeu a mão para tocar no rosto do moreno, mas parou antes de fazê-lo

 

-Me jogando no inferno? - o outro falou – Que belo modo de amar!

 

-Você não sabe o que é amor. Você é egoísta, sempre querendo ser o principal, sempre querendo ser o melhor...

 

-EU TE AMEI!!!- ele bateu no peito –EU FIZ TUDO O QUE NINGUÉM MAIS FARIA POR AMOR!!!!

 

-Isso não era amor! - Hashirama baixou a mão

 

-Diz isso porque você se apaixonou por aquela mulher! Aquela desgraçada da Mito! E foi incapaz de admitir isso. Diz que ama os anjos que criou, mas seu coração é duro o suficiente para vê-los sofrendo, culpa das suas regras desmedidas.

 

-Regras necessárias....

 

-Covardia! Não quis deixar o seu lugar de honra, de conforto, de exaltação, pela mulher que amava. Se manteve escondido atrás das próprias lamentações, castigando aqueles que fizeram uma escolha que não teve coragem de fazer.

 

-Mito nunca teve nada a ver com as minhas decisões. Você sempre teve o temperamento descontrolado. Em vez de te destruir como deveria ter feito, te dei um presente. Um lugar para reinar. E ainda assim você quebra tudo o que eu sempre pedi para respeitar. Isso... – apontou para Koji - é a maior prova da sua estupidez!

 

-Olho por olho e dente por dente, lembra?

 

Hashirama beijou o rosto do moreno e em seguida encostou a testa na dele.

 

-Vou fazer o certo dessa vez.

 

-Sou parte sua... sou o seu coração.

 

-Então destruirei meu coração.

 

Menma riu. Segurou o Anjo pelos ombros com força e o olhou nos olhos. Hashirama viu todas as coisas que o fizeram se apaixonar por ele uma vez. A força, a paixão, a devoção. Mas também distinguiu todos os defeitos -  a avareza, a soberba, vaidade e a obsessão -  que sempre conseguiu ignorar.

 

-Me perdoe... - sussurrou para o demônio.


Notas Finais


Já deixo avisado que se forem matar, ameaçar ou escalpelar alguém... Façam isso com a Keina!!!
Recado dado, gostaria de dizer uma palavrinhas. Agradecer a vcs por cada favorito e comentário, somos (eu e Keina) muito gratas e ficamos muito felizes pelo incentivo!

Não morram e diz ae oq acharam do capitulo. Pq n somos adivinhas e gostamos de interagir com vc leitores ^^
Até o próximo! Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...