1. Spirit Fanfics >
  2. My annoying roommate - Luqi >
  3. Chapter Eight

História My annoying roommate - Luqi - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Agradecimentos nas notas finais ❤️

Capítulo 8 - Chapter Eight


Fanfic / Fanfiction My annoying roommate - Luqi - Capítulo 8 - Chapter Eight

25/01/2020 - 05:45 am

- Vai dar tudo certo.

- Eu tô nervosa.

- Mas vai dar tudo certo.

- Eu sei que vai dar tudo certo, mas eu ainda estou nervosa.

- Por que ficar nervosa? Você gosta dos jovens, e não está com nenhuma espinha na cara. 

- Seu palhaço - ela bateu fraco no braço dele, e voltou a ajeitar o cabelo.

- Você acha que eu deveria fazer um penteado?

- Assim está bonito. - ele pegou nos cabelos dela e cheirou - Está cheiroso, por que você está tão nervosa?

- É meu primeiro dia! Eu não conheço ninguém, como você se sentiria?

- Eu me sentiria um professor gostoso de física pronto para arrasar nas aulas.

- Ah faz sentido. Mas eu não sou gostosa, e até estranho eu falar disso com alguém a não ser a Annchi.

- Eu quero fazer meu número um e você tá ocupando o banheiro com as suas inseguranças. 

- Nhe, nhe nhe. - ela resmungou, mostrou a língua e saiu do banheiro ajeitando sua calça jeans azul clara.

Ela recusou mais uma vez sua maquiagem, a qual estava parecendo bem natural. 

Talvez ela estivesse insegura demais sem muitos motivos.

- Você quer que eu te deixe lá? - ele perguntou parando no batente da porta do quarto dela.

- Não tudo bem, eu vou pedir um táxi.

- Ok então. 

Ele parecia realmente, chateado. Talvez por ser o aniversário dele, e sua "amiga" não tinha dito apenas uma palavra.

Yuqi foi até a cozinha e pegou um pote com um conteúdo marrom e o deixou na mesa.

- Senta aí!

Yukhei sentou e ela pegou um pote mediano, com um bolo de dentro da geladeira.

- Que merda é essa?

- Não é merda! É um bolo que eu fiz na madrugada para você! 

Ela pegou uma vela e um isqueiro e acendeu.

Eles (lê-se ela) cantaram a música que todos conhecem, e ela o obrigou a assoprar.

- Fez o pedido?

- Fiz. 

- E o que você pediu?

- Não posso contar. 

- Aff...

Ela correu e pegou a mochila amarela, pegando o celular.

- Estou atrasada! Meu deus... Ela pegou a chave que largou em cima da mesa e o olhou.

- Deixei o seu presente escondido no seu guarda-roupa, acho que você vai gostar.

Se abaixou e abraçou seu amigo, logo saiu apressada do apartamento.

Lucas estava até um pouco mais animado. Levantou da cadeira ainda comendo e foi até o seu quarto.

Deixou o pote bem decorado em cima do criado mudo e abriu o guarda-roupa.

Segurou a caixa relativamente pesada com um embrulho de ursinhos. 

Que ridículo, mas ao mesmo tempo é fofo.

Tinha uma foto impressa presa com uma fita, e ele a identificou por ser a foto que Yuqi tirou no primeiro dia nessa casa.

Sorriu ao ler: "feliz aniversário, seu palhaço" escrito ao lado da foto.

.

.

.

06:12 am

Yuqi o ligava insistentemente e já haviam quatro chamadas perdidas dela.

Ela estava começando a ficar irritada e temia que ele o ligasse durante uma aula.

Quando ela foi ativar o modo avião no celular, recebeu uma mensagem.

𝗟𝗨𝗖𝗔𝗦: eu estava no banho

Ela negou com a cabeça, e digitou mais rápido, ao ver a hora 

𝗬𝗤: numligo

Ela escreveu tudo junto, um pouco frustrada.

𝗟𝗨𝗖𝗔𝗦:: o que você quer?

𝗬𝗤: quero que compre arroz, presunto e um quilo de camarão, deixei o dinheiro em cima da minha cama.

𝗟𝗨𝗖𝗔𝗦:: mas tem camarão aqui...

𝗬𝗤: não o suficiente! tenho que ir.

Yuqi ligou o modo avião, sem se importar se ele mandaria uma mensagem e os alunos com treze e quatorze anos foram entrando.

Alguns deles sentaram em seus lugares e começaram a cochichar enquanto olhavam a menina mais baixa que poucos deles.

- Bom dia professora! - a turma disse em uníssono.

Seu coração bateu mais rápido e ela suava frio.

E agora?

𝗡𝗼 𝗮𝗽𝗮𝗿𝘁𝗮𝗺𝗲𝗻𝘁𝗼

11:34 am

- Pé direito no amarelo.

Ji-sung estava ditando posições no jogo Twister, e isso está tremendamente bagunçado.

- Porra Hendery, você é burro? Eu falei direito, não esquerdo.

- Ah, calma! Pra que xingar?

- Eu odeio vocês! - Lucas disse.

- Você só está dizendo isso por que o seu rosto está praticamente embaixo da minha bunda.

Yukhei riu e ajeitou sua posição. A posição não era das que exigiam muito equilíbrio ou algo do tipo, mas com certeza era a mais vergonhosa.

- Já imaginou se aquela menina chega e vê você com a cara na bunda do Ximen?

- Mano, tu é gay? - Ji-sung diz e todos rimos.

- Ela só chega mais tarde e - paro de falar por alguns instantes - eu tinha que comprar alguma coisa...

- Ih, começou.

- Cala a boca. Cadê meu celular?

- Se sair do seu lugar, cada um te dá um socão.

- Eu aguento... 

Ele saiu e em vez de um socão Ximen me deu um chute.

- Não era soco?

- Ah, desculpa. 

Ele me socou também e os outros foram saindo de seus lugares e vindo me socar.

- Vou ficar roxo desse jeito!

- Vou ficar roxo desse jeito. - Hendery repetiu com voz de menina.

Começou a dobrar o tapete do jogo, e Ji-sung ajeitou a caixa.

Eles conseguiram bagunçar a sala com muito pouco. Por mais que não tenha slime no teto, tem pacote de biscoito espalhado e caixas de vídeo-games pelo carpete.

A porta foi aberta e Yuqi estava falando no telefone, como sempre. Ela estava tirando os sapatos e não reparou em nada, pois ficamos em silêncio.

- Tchau...

Ela desligou a chamada e pendurou o casaco no cabideiro da entrada, enquanto deixava a chave na cômoda.

Quando ela levantou o olhar, qualquer um que a olhasse, poderia ver até o sangue subindo.

- A gente promete arrumar... - disse.

- Eu só quero saber se você comprou o que eu pedi. 

Algum dos meninos riu e Lucas olhou com o canto do olho para eles, logo negando devagar com a cabeça.

Ela xingou mentalmente e pôs o casaco novamente. Pegou suas chaves e saiu.

- Alguém vai ver se ela tá estressada?

- Eu não! - Ji-sung e Ximen disseram em primeiro lugar, fazendo com que Hendery ficasse relutante em ir.

- O máximo que ela pode fazer é morder sua canela. Fica tranquilo. - lucas ditou enquanto ia juntar os jogos e desligar a televisão.

- Mas e se ela gritar comigo?

- Tá com medo? - Ximen perguntou rindo e empurrou o amigo no sofá.

- Eu não. - levantou - Sou mais macho que todos vocês juntos.

- Então vai lá, macho alfa.

Hendery levantou e ajeitou a calça.

- Ela já te bateu alguma vez? 

- Já. Ela jogou uma panela na minha cabeça. - mentiu e começou a rir - Óbvio que não, deixa de ser idiota cara! Vai logo!

- Tá calma!

Ele calçou os tênis vans e ajeitou o casaco.

- Eu levo sua chave?

- Ela está com a dela, vai na fé. E não morre.

- Para de me colocar medo!

Ele caminhou rapidamente até a porta e saiu.

Ele olhava para todos os lados e correu até o mercado próximo.

Nem lembrava por que estava fazendo isso.

Ele parou em frente a porta do mercado e perguntou a algumas pessoas se viram uma garota de cabelos castanhos e casaco comprido cinza passando por ali.

- Ela estava nesse corredor tem uns cinco minutos.

Um senhor respondeu enquanto acendia seu cigarro.

Que nojo.

- Obrigado...

Hendery pegou um pouco de ar e voltou a proucurar por ela.

Ele viu ao longe ela pesando uma sacola transparente. Não parecia irritada.

Foi se aproximando, como quem não quer nada, e ela o olhou automaticamente.

- Que foi?

- Mandaram-me até aqui.

- E você veio.

- É... - coçou a cabeça.

- O que você quer?

- Era só para ver se você estava irritada.

- Estou.

Ela pegou a cesta e colocou o saco transparente dentro dela.

- Está pesado?

- Camarão não pesa.

- Quer que eu carregue?

- Quero que vá embora.

- Eu corri até aqui, para você me expulsar?

- Sim.

Ela andou mais um pouco e ele seguia o caminho perguntando coisas incrivelmente desnecessárias.

- O que você vai cozinhar?

- Já que você está aqui, procura um pacote de arroz e traz para mim.

Ele pôs os braços nos bolsos e caminhou pelos corredores, procurando o certo.

Ela foi pegou o presunto em uma cessão.

- Vocês nem se beijaram?

- Que susto... - ela se virou e pegou rapidamente o arroz, colocando na cesta azul - Não. Que nojo!

- Ah, sei lá... Vai que...

- Não. Nunca, credo.

Hendery sorriu mínimo e segurou a cesta.

- Falei que não era para segurar.

- Me sinto inútil não carregando nada. Me deixa te ajudar!

Eles encararam um ao outro por alguns segundos e Yuqi quebrou o silêncio.

- Tá bom... 

- Já acabou?

- Já.

Hendery correu até o caixa e ela foi atrás. Acabou ficando mais para trás por ele ser bem mais alto.

Alguns adultos mais amadurecidos, olhavam com um olhar de reprovação para eles, mas eles não repararam.

- Por que você correu? - yuqi disse parando ao lado dele, que já estava passando as coisas para o lado em que ficavam as sacolas.

- Você é pequena, e fica fofa quando corre.

Ela o encarou e logo entregou o dinheiro para a moça entendia configurando a caixa registradora.

- Deixa que eu levo.

- Mas só tem uma!

- E daí? - ele disse e logo encarou a garota - Eu só estou tentando ser gentil.

- Não confio.

Ele riu e mesmo sem a permissão segurou a sacola. Yuqi cruzou os braços e andou até a saída.

Não estava brava, estava até um pouco mais feliz que antes.

- O Lucas não deixou a gente comer o bolo que estava em cima da mesa...

- E o que eu tenho haver com isso?

- Ele disse que foi você quem fez, pode fazer um para mim?

- Não. Demora, gasta ingrediente, e sem falar que a farinha lá de casa acabou.

- Poxa... 

Eles andaram mais um pouco e pararam frente a entrada do condomínio. Hendery entregou a sacola e ela o olhou confuso.

- Essa é a hora que eu iria embora da casa dele. 

- Tchau... 

Ela estendeu os braços e o abraçou por um curto intervalo de tempo e adentrou os portões, caminhando pelo longo estacionamento, até adentrar o prédio principal.

Encontrou com Ximen e Ji-sung na saída e os cumprimentou antes de seguir seu rumo.

- Cheguei!

Gritou ao abrir a porta e fechar.

- Desculpa por não ter comprado... - disse saindo da cozinha e fuçando a frente dela.

- Tudo bem... Eu já esperava, não me surpreende em nada.

Lucas abriu a boca e a fechou umas duas vezes, e ficou um pouco triste por ter decepcionado sua colega de quarto.

- Posso te ajudar na comida?

- Pode.

.

.

.

- Eu já falei para você parar de colocar sal nessa merda. 

- É mais forte que eu!

Eles discutiram algumas vezes por conta da quantidade em excesso de sal que Yukhei colocava. 

Ele estava um pouco irritado pois as vozes das meninas do TWICE estavam tocando pelo celular, na música que ele acha mais chata.

- Pode trocar?

- Trocar o que?

- Essa música! É chata demais...

- É uma das minhas favoritas! Solendan me likey...

Ele mesmo pegou o celular dela e avançou uma música.

- Essa é menos pior.

Estava tocando Cheer Up, e Yuqi começou a cantar também, em coreano.

- Molla molla sumdo mot swindae

Na ttaemune himdeureo-

- Para que eu não estou entendendo um "A" disso tudo. 

- Nem eu, eu só canto mesmo. Cheer Up baby, Cheer Up baby...

- Você beijou o Hendery?

- Que? Que nojo!

- Ué...

- Por que?

- Eu vi vocês abraçados agora pouco, quando eu fui estender as roupas na varanda.

- Eu estava me despedindo dele!

- Hm.


Notas Finais


Obrigada a: @sayturysanpan por me ajudar a superar o bloqueio criativo que tive. Você é um amor 💞

Agradeço aos comentários (que por mais que tenham sido curtos) mostraram que vocês realmente se importam com a história e eu fiquei muito emocionada lendo eles.
[ @nixxxxxxxxxxx & @viihmin01]


Muito obrigada também aos que vizualizaram, pois muitos não lêem capítulos com aquele tipo de título.

Sei que ele chegou antes do que vocês esperavam, mas isso é algo bom :)

Talvez o capítulo não esteja do jeito que vocês esperavam, mas eu me esforcei muito nele!

ass: @SongYuqi_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...