História My anorexic girl - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 7
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente. O Kwan não foi protagonista. E só teve amor nesse cap.

Boa leitura

Capítulo 5 - Melhora por nós.


Fanfic / Fanfiction My anorexic girl - Capítulo 5 - Melhora por nós.

Chapter 5 

 

Eu acordei de novo no mesmo lugar, com os mesmos fios enfiados em mim, porém estava groguê demais pra pensar em qualquer maneira de tirar de mim tudo aquilo. 

Me sentei na cama olhando a janela que estava aberta, e as cortinas que levantavam a cada rajada de vento que vinha. Não tinha mais ninguém ali na sala, e talvez isso fosse tudo o que eu quisesse naquele momento. 

Quatro dias sem comer, pra chegar no hospital e eles meterem tudo o que tem de caloria no mundo no meu corpo. Af. 

 

–O S/N. Eu to aqui. - Jungkook falou calmo, entrando na sala e sentando na minha cama. 

 

–Oi Jungkook. - Respondi ainda olhando pra janela. 

 

Ele ficou quietinho no canto da cama, e eu estava com vergonha demais pra olhar pra ele. Provavelmente, meu rosto estava atolado de olheiras e cansaço.  

O silêncio que dia antes era bom, estava se tornando cada vez mais sufocante e ficar sem assunto é a pior coisa que se tem, depois de ficar gorda.  

Jungkook se ajeitou na cama e desceu seu corpo até chegar bem próximo do meu. Seu rosto estava de encontro a minha bochecha esquerda, e ali mesmo ele desceu um selo. Gelado, porém confortável, capaz de me fazer corar e olhar pra ele. Nós encaramos por alguns segundos até que eu desci o olhar pra suas mãos, as mesmas que estava sangrando na parte do osso dos dedos. 

 

–Jungkook. - Falei seu nome erguendo meu dedo fraco em direção às suas mãos. 

 

–Tudo bem, vai ficar tudo bem. - Ele puxou as mãos feridas, pra tirar da minha vista. Mas, estava lá e eu já havia visto. 

 

–Me deixa chamar a enfermeira pra cuidar disso. - Eu pedi tirando um pouco dos seus cabelos da testa. 

 

Ele assentiu devagar e eu bipei pra que alguém viesse. 

Não demorou muito e uma mulher chegou pra limpar os pequenos machucado e colocar remédio. 

Eu sabia o que era aquilo, Jungkook fez mais uma vez, se transformou em outra pessoa, tirou a fofura do rosto e colocou a fúria que eu não conhecia. Ultimamente tudo o que Jungkook sabe fazer de melhor. 

Sei que não tenho o direito de falar isso, mas, aquele não era o meu Jungkook. Eu sabia todas as formas, todas as frases frequentes e todas as suas ações, brigar nunca foi uma delas. E é aí que percebemos que as pessoas mudam, e que ou você as acompanha ou você se afasta. Não sei ao certo o que fazer, Jungkook apesar de tudo, ainda estava comigo de alguma forma, e ir embora, como ele fez, nunca passou pela minha cabeça. Nem quando eu tinha a certeza de que ele não voltaria. 

 

Quando a enfermeira ou interna terminou, Jeon ergueu as mãos para eu ver o enfaixado e voltou para a minha cama, os olhos não eram mais aqueles frios da noite passada. Me transportavam uma ideia de paz e era bom. 

 

–Eu vou ficar aqui, Suzy vem amanhã lhe ver.  - Ele disse se sentando na cadeira da frente. –É melhor você descansar, deita e dorme, vou ver um jeito de te tirar daqui amanhã. 

 

–Jungkook? - Eu me deitei olhando pra cima. 

 

–Hum? 

 

–Sente raiva por eu fazer isso? - Perguntei referindo-me a minhas dietas. 

 

–Eu fico triste, não com raiva. Você era linda, e pra mim não é feia agora também, mas está doente, e eu não quero isso. Quero que você melhore, e fique do jeitinho que estava, saudável, bem e feliz. 

 

Ele disse e eu fui caindo no sono, enquanto isso. 

Mas, antes de realmente dormir:

 

–Eu gosto de você, Jeon. 

 

 

//// No outro dia ////

 

Os cochichos ao meu redor acabaram por me acordar. Tentei identificar as vozes do diálogo antes que me fizesse de acordada. 

 

–A mãe dela não vai vim. - Jeon disse. 

 

–Ah, por que precisamos dela aqui? Diga para nós. - Suzy falava um pouco mais alto que cochicho. 

 

–Tudo bem! - Era algum integrante do hospital. –A paciente S/N está com uma porosidade anormal nos seus ossos, isso é consequência de seu transtorno alimentar. Infelizmente não podemos fazer nada por ela, se a mesma não concordar.  E pelo o que vimos do comportamento dela, parece que ela não vai querer. 

 

–E por que ela não toparia? É a vida dela. Lógico que toparia. - Jungkook tremeu a voz. 

 

–Os remédios tem alto teor de gordura óssea e as calorias são horríveis. Se acontecer o milagre dela querer, me avisem. Vocês têm dois dias para darem a respostas - A médica/enfermeira/interna saiu sem mais explicações. 

 

Abri os olhos, em choque pelo assunto, mas, fazendo a fina que acabou de acordar e não ouvi nada. 

Suzy estava com os braços esticados ao lado do corpo, e Jeon com os braços cruzados. 

Assim, que ela percebeu que eu olhava pra eles, correu até minha cama e se sentou sem jeito, porém, confiante. Abriu um sorriso bem largo. 

 

–Trouxe maquiagem. Vamos ter um dia de princesa. - Ela falou mexendo na minha franjinha que ainda estava atrás da orelha. 

 

Jeon saiu do quarto sem dizer nada e eu fiquei triste por isso. Porque eu sabia o que ele iria me pedir, e eu também sabia no que estava pensando em responder. 

Ignorei aquilo e sorri pra Suzy, que queria chorar no lugar de sorrir. Ela estava com uma bolsinha cheia de esmalte, maquiagem, cremes de pele e produtos pra cabelo. 

 

–Hoje você vai se sentir linda. E sentir vontade de comer um pratão de arroz. - Ela arrumou minhas pernas pra fora da cama. 

 

–Se você conseguir me fazer sentir bem, eu como. - Disse sorrindo, claro que não sério. 

 

–Vou te dar banho e começar meus trabalhos. - Ela se animou com a ideia e me levantou. 

 

Eu não estava fraca, nenhum pouco, mas mesmo assim ela se abraçou ao meu corpo “me ajudando” a caminhar. E esse gesto me fez sentir uma nostalgia dos nossos tempos de amizade. Foi incrível. 

No quarto do hospital mesmo tinha um banheiro, lá ela me ajudou a tirar as roupas, e me colocou debaixo do banho. Esfregou meu pouco cabelo com um shampoo com cheiro de chocolate, fez hidratação de óleo de coco e condicionador. 

Enrolou uma toalha no meu cabelo, e me entregou outra para o corpo. Quando saímos do banheiro ela me sentou em uma cadeira na frente da janela que estava ensolarada. 

Pegou sua bolsa e pôs no chão, se sentando no mesmo, puxou meu pé um alicate na bolsa, começando a futucar logo em seguida. 

 

–Lembro-me quando eramos melhores amigas , sabe ? Aqueles que qualquer um sentiria inveja , lembro que nossa amizade era uma das mais verdadeiras , aquelas que se ficarmos dias sem se ver seria sempre a mesmas , aquela que quando eu te via iria correndo falar contigo, aquela que eu passava o dia se poder conversando e desabafando , lembro quando eu tinha seu ombro amigo , lembro quando você me dava conselhos , lembro quando você me zoava falando mal do garoto que eu gostava , lembro das suas crises de ciumes , lembro ate o medo que você dizia que tinha de perder minha amizade , pois é em menos de um ano em entrei em seu mundo , e um ano aconteceu tudo isso , sempre acreditei que seria pra sempre , mais não foi , não é ? acabou não foi ? todos os momentos , abraços, risadas, conselhos, tudo acabou ? Você sabe que eu não queria te perder, você sabe que por mim seria pra sempre, eu nem ao menos sei o que aconteceu, mas eu realmente não entendi o que se passa. Estou aguentando você assim comigo há muito tempo, porque prefiro te ter comigo desse jeito, do que não te ter… Mas eu já não sei mais o que fazer, só queria te lembrar do que a gente passou, do que a gente viveu, das promessas que foram feitas, e do quanto uma fez bem pra outra, só queria te lembrar que a gente não precisava estar em um lugar divertido, ou com pessoas divertidas, a gente só precisava estar juntas, eu só queria te lembrar que eramos melhores amigas, prometemos que nunca deixaríamos de ser, e eu quero que a nossa promessa seja cumprida. Eu preciso de você ao meu lado, eu não trocaria nenhuma amiga, nenhum amigo, nenhum amor por você, porque é difícil ter alguém verdadeiro por perto, e eu quero conservar a sua amizade, pois eu sei que pelo menos eramos amigas de verdade. Não sei qual vai ser a solução, mas a gente sempre achava uma, e eu espero que a gente ache uma pra esse caso, porque eu gosto muito de ti , e você sempre vai ser minha melhor amiga. -Ela me olhou com os olhos cheios de lágrimas e os meus já estavam transbordando. 

 

–Eu ainda te amo pra caramba, Suzy. A gente vai dar um jeito. - Falei baixando meu corpo o suficiente pra conseguir abraçá-la. 

 

–Ai... eu odeio momentos melancólicos rsrsrs, vou continuar aqui. - Ela baixou a cabeça e voltou a pintar e tirar as cutículas do meu pé. 

 

Passou um bom tempinho até que ela terminasse com minhas unhas. Então, vendo que meu cabelo estava seco, ela começou a pentea-los, enquanto isso eu só pensavam em quanto aquilo me deixava calma. 

Pegou uma chapinha e passou pelos meus fios curtinhos, deixando um peteado quase channel nele. 

Me puxou pra cama e começou a passar a maquiagem. Base e corretivo apenas nas olheiras, rímel, iluminador debaixo dos olhos e um brilho de menta. Escondeu algumas espinhas minhas, e fez minha sobrancelha. 

Emprestou-me uns brincos de concha do mar e anéis. 

E do nada, começou a chorar como um bebê, soluçando alto e desesperadamente. 

 

–S/N... você está muito linda. Me desculpa pelo choro... não consigo mais ver você se matando. - Suzy se levantou às pressas e correu do quarto. 

 

Aaah, eu amo todos eles. Eu queria melhorar por todos eles, mas, eu também queria estar bem comigo. 

Eu sou uma egoísta de merda, mas, Kwan pegou muito pesado quando tomou minha autoestima. Não consigo nem me imaginar comendo uma porção de arroz, imagina comer normalmente como a S/N de antes fazia. 

Me desculpem. 

 

–Vi Suzy lá embaixo. Ela me mandou vir aqui te ver. -Jungkook entrou no quarto me dando um pequeno susto. –Você está linda, inclusive. 

 

–Obrigada... -Ele se sentou ao meu lado e começou a me encarar. 

 

–Posso adivinhar o sabor do seu brilho? -Ele perguntou entre nosso momento de silêncio. 

 

Eu assenti sorrindo pra ele. Boba. 

Ele encostou nossos lábios rapidamente. E não, eu não estava esperando por isso. 

Puxei meus lábios com carinho, descolou o seu do meu e me olhou mais uma vez. 

 

–Menta. - Sorriu docemente. –Você gostava de batom vermelho. Deixe-me passar esse. 

 

Ele pegou um dos batons jogados na cama e abriu a embalagem. Chegando devagar com ele ao meu lábio passou toda a coloração ali, sorrindo, porém com os olhos fixos aos meus. 

 

–Você vai aceitar o tratamento. Por nós dois. E quando você melhorar, nem vamos namorar. Vamos casar. Entendido?


Notas Finais


O que acharam? Acho que tá curtinho. Mas é que tá acontecendo umas coisas aqui em casa e tá foda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...