1. Spirit Fanfics >
  2. My Babysitter - Imagine Sana >
  3. Past Feelings

História My Babysitter - Imagine Sana - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


✍️ Hiiie

Relevem os erros, saiu um pouco na pressa, mas prometi que iria postar ainda essa semana, então depois concerto..

boa leitura 💜

Capítulo 26 - Past Feelings


POV S/N

— Senti sua falta.— Jisoo diz enquanto caminhávamos abraçadas em direção ao seu carro, com Jin nos acompanhando.

Ela fez questão de vir nos buscar no aeroporto, e como eu estou sem carro eu aceitei a carona.

— Também senti a sua.— sorri abrindo a porta do carro para entrar, enquanto ela dava a volta e Jin entrou na parte traseira.— Já faz uns cinco meses, desde a última vez que nos vimos.

— E fazem cinco meses desde que me traumatizaram com aquela cena.— Jin se pronuncia.

— Quem mandou você entrar sem bater.— rebati colocando o cinto de segurança.

— E como eu poderia imaginar que vocês estavam transando no quarto ao lado do meu.— fala emburrado nos fazendo rir.— Da próxima vez me avisem, que eu saio de casa. Suas impuras.

O caminho foi entre conversas animadas, e quando chegamos chamei Jisoo para entrar também. Mas ela não pôde, já que ainda teria compromisso.

Meus pais ficaram felizes com minha volta, e por verem Jin novamente. Fizeram diversas perguntas. E queriam saber um pouco mais sobre tudo que aconteceu nesses últimos meses em que não nos vimos.

Agora estávamos eu e Seulgi em meu antigo quarto, conversando enquanto eu arrumava coisas da mala.

Senti falta da minha irmãzinha, agora não tão pequena assim. Já que acabará de completar seus dez anos.

— Unnie o que tem naquela caixinha?— olho para o objetivo em cima da escrivaninha.— Papai havia dito que não era para eu mexer. Mas eu sou curiosa, então me conte.— ri de seu pequeno desespero.

Peguei a caixinha azul, e sorri nostálgica com as lembranças que ela me trazia.

— Eu os comprei quando pedi Sana em namoro.— respondo abrindo a caixa para que Seulgi visse os anéis de pratas.

— Por que ainda guarda os anéis, se não estão mais juntas?— boa pergunta. Mas é uma pergunta que não sei responder.

— Você deve parar de ser curiosa mocinha.— dou uma pincelada na pontinha do nariz da menor.— Vamos logo no mercado, mamãe está praticamente me obrigando a ir. E eu irei te arrastar junto.

— Só vou se pudermos pegar alguns doces.— apenas assinto, e ela salta da cama animada.— Vou chamar o Jinnie.

[...]


— Vocês três, querem parar de brincar com a farinha.— minha mãe nos repreende, e rapidamente obedecemos, já que a mais velha estava com uma colher de madeira na mão.— Percebi que foi uma péssima idéia pedir ajuda de três crianças.

— Para que tanta comida?— questiono quebrando alguns ovos para fazer o bolo.— É tipo uma comemoração pela minha volta?

— Não.— meu pai responde rindo.— O jantar é para comemorar as vendas do restaurante de sua mãe, e a parceria que ela conseguiu.

— Poderia ter dormido sem essa.— Jin provoca, e eu pego uma mão cheia com farinha e sopro em seu rosto.

— Os três irão arrumar a cozinha, enquanto eu termino esse bolo.— minha mãe ordena batendo palmas.


Passamos um tempo arrumando a cozinha, felizmente o trabalho em equipe deu certo. Claro houveram umas guerrinhas de sabão, e algumas quedas no piso molhado. Mas fora isso estava tudo bem.

O horário do jantar havia chegado, meus pais estavam na cozinha terminando de arrumar a mesa. Seulgi e Jin estavam na área externa brincando com Max o novo cachorro da casa. 

Continuei na sala, conversando pelo kakao com Nayeon, Jeongyeon, Jihyo e Hoseok.

Eu estava louca para vê-los, mas não pude ir hoje por conta desse jantar. Então iria me encontrar com eles amanhã, já que iríamos organizar os preparativos finais para o casamento. Estou ansiosa por isso.

Levantei e segui até a porta, após a campainha tocar. Ainda bem que chegaram. Não aguentava mais olhar para toda aquela comida, e não poder pegar ao menos um pedacinho.

— Olá, boa noit...— o sorriso simpático que antes estava estampado em meu rosto morreu, assim que notei de quem se tratava a tal visita, a qual meus pais esperavam.

Sana! 

Sana estava ali, depois de tanto tempo. Parada em minha frente, com um semblante surpreso. Ela piscava algumas vezes e tentava falar algo, mas as palavras não saiam de seus lábios.

— Oi.— foi a única coisa que consegui dizer, eu estava meio sem jeito em vê-la novamente. Considerando que nosso último encontro não foi amistoso. Porém ela também não estava tão diferente de mim, parecia não saber ao certo o que dizer.

— Eu não sabia que tinha voltado.— diz passando a mão nos cabelos, de forma envergonhada.

— Voltei pela manhã.— me limitei a responder o essencial, e ela assentiu.— Me desculpe, entrem.— falo ao notar que não havia apenas Sana ali, como também seus pais e uma outra mulher ao seu lado.— É bom revê-los.— digo me direcionando ao Sr. e Sra.Minatozaki, após eles entrarem e eu fechar a porta.

— É bom revê-la também S/n. Já fazem anos.— a Sra me abraça carinhosamente, assim como seu marido fez em seguida.

— Olá! Sou Kang S/n. Prazer em conhecê-la.— digo me direcionando a mulher desconhecida, me curvei minimamente e ela repetiu o ato.

— Me chamo Cho Miyeon.— diz sorrindo gentil, entrelaçando sua mão com a de Sana.

— Vocês namoram?— quase me dei um soco pela pergunta feita. Por que tive que abrir a boca?

— Sim, estamos juntas.— a japonesa respondeu em um tom baixo, mas me olhando nos olhos. Parecia tentar decifrar qualquer tipo de pensamento que se passava em minha cabeça. 

Mas nem eu entendo o que se passa em minha mente. Isso se assemelha a uma linha que deve ser desenrolada, porém deve levar em conta a dificuldade de soltar o nó.

  Poético.

— Ahn...certo.— me afasto quase esbarrando na mesinha.— Meus pais, estão esperando por vocês.— aponto sinalizando para o outro cômodo.— Fiquem a vontade.

 Esperei que eles saíssem, me joguei no sofá fechando fortemente minhas pálpebras. Será que eu posso simplesmente sair correndo para qualquer lugar que não seja aqui?

— Aquela é a Sana?— olho para Jin que havia se sentado ao meu lado, e apenas assinto.— Ela é bem bonita.

— É, e mudou bastante nesses últimos anos.— a japonesa tinha uma imagem mais madura. Seus cabelos agora eram longos e castanhos, seus traços haviam mudado mais o olhar encantador continuava o mesmo.

Ela está linda. Para falar a verdade sempre foi.

— Você parece ter ficado bem mexida com a aparição dela. Ainda sente algo?— fiz uma careta em desaprovação. O Kim deve estar achando que é o Hitch conselheiro amoroso.

— Claro que não.— olho como se ele tivesse falado a coisa mais absurda do mundo.

Mas querendo ou não eu havia ficado mexida sim. A pergunta é: quem não ficaria? 

Sana e eu tivemos um relacionamento, com bons e más momentos. Seria difícil a esquecer, considerando o fato que ela possivelmente tenha sido a pessoa que eu mais amei durante um envolvimento.

E ver ela depois de alguns anos era estranho, ainda mais a vendo com outra pessoa.

— Jin se passaram quatro anos, os sentimentos mudam e as pessoas também. — digo.— Não é como se tudo que eu sentisse por ela fosse voltar, em um simples estalo.

Eu espero que tenha saído convincente, porque nem eu estou acreditando no que estou dizendo.

— Está muito na defensiva. Foi só uma pergunta.— ele ergue as mãos.

— Cala a boca. E vamos logo.


POV SANA 

Estar de novo perto dela, me fez lembrar de momentos do passado que eu preferia manter guardado no fundo do meu subconsciente. 

Não é como se eu quisesse apagar tudo que vivemos. Para falar a verdade eu gostaria de manter essas lembranças para sempre comigo, pois com ela eu aprendi bastante.

Mas essas memórias me traziam de volta todo sentimento que S/n ainda me causava. 

Era bom vê-la de novo, depois de tanto tempo. Ela parece estar bem.

Quero dizer, não aparenta estar chateada em me ver ou algo assim. Sempre esperei que se um dia nos reencontrássemos, ela fosse me ignorar.

Mas pelo contrário, ela havia sido simpática. Mesmo parecendo estar sem jeito, porém não julgo. Eu estava da mesma forma que ela.

Durante o jantar me peguei em alguns momentos a olhando, tentei me repreender e focar em qualquer coisa que não fosse ela. Mas era quase impossível.

— É legal em Londres?— Miyeon questiona entusiasmada, para S/n.

Apesar de eu ter conhecido Miyeon na época em que ainda estava com S/n, nenhuma das duas chegaram a se conhecer. 

— É um bom país para se morar.— a Kang responde.— Acho que você iria gostar de conhecer a Tower Bridge.— completa se referindo ao ponto turístico.

— Iria gostar também do Big Ben.— Jin, pelo que entendi é um amigo de S/n que veio de Londres também.

Os dois pareciam ser bem próximos, quase como uma relação de irmão, pelo pouco que vi da interação entre os dois. Era engraçado, Jin e S/n ficavam se provocando em alguns momentos junto com Seulgi.

Por falar na pequena, ela havia crescido bastante. Quando reencontrei sua mãe, fiquei surpresa por Seulgi se lembrar de mim. Já que na época em que eu e S/n estávamos juntas, a pequena tinha apenas cinco anos.

E normalmente as pessoas não tem muitas lembranças dessa fase, eu por exemplo não faço idéia do que eu fazia com cinco anos. Provavelmente ficava correndo atrás de Momo, por ela ter comido meus doces.

— E você Sana, conseguiu escolher para qual país abrirá a nova filial?— a Sra.Kang questiona, fazendo com que eu parasse de reviver a era dos meus cinco anos.

— Filial?— S/n questiona confusa, esboço um sorriso discreto pela carinha que ela havia feito.

— Esqueci de te dizer, mas a parceria na qual eu me referia era a Sana.— Sra.Kang se pronuncia. Olhei para S/n prestando atenção em sua feição mudar de confusa para surpresa.— Sana tem um restaurante japonês, e esteve abrindo filiais por alguns outros países.

— Não sabia que trabalhava com restaurantes.

— Tive a idéia depois do falecimento de minha avó.— expliquei brincando com os hashis em mãos, era um tanto doloroso lembrar de minha querida avó. Gostaria que ela estivesse aqui, para presenciar tudo que tem acontecido.— Ela sempre teve o sonho de compartilhar com o mundo suas receitas. Acabei levando isso a diante.

— É lindo de sua parte.— S/n diz quase em um sussurro, ela estava com aquele olhar compreensível. Me transmitia a sensação de que se ela pudesse segurar minha mão, iria segurar.— Tenho certeza que ela está orgulhosa pelo que você vem conquistando.

Parecia que só havia eu e ela naquela mesa, era como um mundinho alternativo. Ela mudou, eu mudei, tudo está diferente agora.

Mas ainda sim, pelo olhar parecia que nunca havíamos nos separado.

Continuamos por mais um tempo conversando, o clima estava divertido. Jin e meu pai, contavam aquelas piadas de tio do natal nos fazendo rir com cada uma contada.

Depois o adultos ficaram na cozinha conversando e o restante foi para a sala, apenas Seulgi já havia subido para seu quarto. Já que teria aula no dia seguinte, e tinha que dormir.

Miyeon havia ido ao banheiro, e Jin subiu por não estar se sentindo muito bem. Sobrando apenas eu e S/n na sala.

Um dos assuntos abordados no jantar repercutiu em minha cabeça, quando a mãe de S/n perguntou o porquê de Jisoo não ter vindo ao jantar.

Isso me fez repensar na possibilidade delas estarem juntas. Mas a resposta de S/n não deixou claro sobre essa minha dúvida, e eu não iria conseguir segurar a língua por muito tempo.

Só de lembrar o nome de Jisoo já me sobe a vontade genuína de quebrar algo na cabeça dela.

Os anos se passaram, mais o ódio continua o mesmo. Até porque em partes foi culpa dela eu ter tomado uma decisão idiota e precipita. E a outra parte da culpa foi inteiramente minha, por ter sido estúpida e ter sido influenciável.

Eu precisava ter a certeza.

— Você e Jisoo estão juntas?— meu tom saiu mais sério que o normal, mesmo sem intenção. Eu não queria transmitir muita curiosidade ou incômodo ao perguntar.

 Mas falhei um pouco e S/n percebeu, já que sorriu daquela mesma forma em que costumava me irritar.

— Não.— ela negou, querendo ou não me senti aliviada com a resposta.— Somos apenas amigas. Eu acho.— ela sussurrou a última parte.— Por que o interesse? Ainda sente algo por mim?— um sorriso pretensioso toma conta de seus lábios.

— É uma piada. Certo?— cruzei as pernas e ela acompanhou o movimento, sorri percebendo ela desviar o olhar para outro lugar.— Depois de tanto tempo, é claro que eu não sentiria mais nada por você.

— Não é o que parece.— levanta indo até a mesa de centro para pegar a garrafa de vinho que havíamos trazido, junto a mais três taças.— Você parece ter ficado interessada quando mencionaram a possibilidade de eu estar com alguém.

— Eu só fiquei curiosa.— levanto para pegar a taça que ela havia estendido em minha direção.— A sua vida não me interessa.— seu olhar e sorriso provocativo estava começando me irritar.

— Por que acho que está mentindo?

— Pense o que quiser. Você ter voltado não muda em nada.— a tensão entre nós era notável.

— Claro que não muda. Não vim aqui na intenção de fazer as coisas acontecerem de outra forma.— fala se aproximando, me deixando um pouco sem rumo por tê-la tão perto.— Miyeon parece ser uma pessoa legal, e por mais que não acredite. Espero que seja feliz Sannie.— maldita! Por que esse apelido soa tão bem saindo dos lábios dela?

— Está tudo bem?— me afasto de S/n logo após Miyeon chegar, impedindo com que continuassemos nossa conversa.

Apenas assenti sorrindo para ela.

— Acho que já está ficando tarde. Vou chamar meus pais para irmos embora.— aviso pegando minha bolsa.

Eu não deveria ter perguntado nada, não deveria ter criado esse clima e nem tão pouco quase ter discutido com ela. 

Eu vou acabar enlouquecendo.



Notas Finais


( ๏ิ₃๏ิ)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...