História My Babysitter - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jin, Mark, Rap Monster, Yugyeom
Tags Bts, Jin, Namjin, Namjoon
Visualizações 323
Palavras 1.646
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uuuummmm!!!

Capítulo 58 - Capítulo 57: Acidente


— Amor, ainda falta o meu presente.— Namjoon disse entregando a caixinha a Seokjin

— Não precisava, Nam! Você veio de carro para Gwacheon e ainda se preocupou em comprar um presente pra mim?

— Você merece. E não comprei nada extremamente caro, porque conheço o namorado que eu tenho e toda sua simplicidade.

Seokjin sorriu abrindo a caixinha e tirando de lá o belo colar. Era de ouro puro, mas ele nem se importou ou sequer notou. O pingente do colar era o pelo que ele é mais chamado, "Jin".

Namjoon colocou o colar no pescoço do namorado e ambos sorriram um para o outro.

— Obrigado, Namjoon. Eu adorei!

— De nada.

A pequena festa ali seguiu normalmente. Todos conversaram, comeram, riram...

Seokjin não podia sentir-se mais feliz. Estava tudo, enfim, melhorando em sua vida. E se dependesse dele, só melhoraria ainda mais daqui pra frente.

— Já vai levar o Kookie? — Youngjae perguntou já no fim de tudo, quando Jaebum chegou para buscar Jungkook

— É a minha semana de ficar com ele, caso não lembre. O deixei aqui porque sei que você estava com saudade.

— Nayeon, convence seu irmão, não quero me afastar do Kookie.

— Jaebum mandou eu ficar quietinha aqui.— disse a Im

— Amanhã a tarde eu prometo que o levo na casa dos seus tios, para você ficar com ele.

— Okay.

Youngjae se convenceu e abraçou forte o filho que estava sonolento, deixando um beijo em sua testa. Jaebum pegou Jungkook e o colocou na cadeirinha.

— Tchau.— Youngjae se despediu

— Tchau.— disse Jaebum

O Im ficou hesitante, mas roubou um beijo do Choi, que ficou um pouco surpreso, porém não reclamou.

— Te vejo amanhã, Jae.

Jaebum entrou no banco de trás, querendo ficar ao lado do filho. Youngjae viu o carro partir, com um aperto no peito. Não estava com bons pressentimentos.

O Choi entrou na casa de Seokjin, tratando de ajudar a arrumar tudo, para depois ir pra casa de seus tios, onde iria ficar enquanto estivesse em Gwacheon.

— Daqui a pouco, eu posso te levar em casa, Youngjae.— disse Jinyoung — Senhor Namjoon me deixou cuidando do carro e eu e a Hye vamos dormir num hotel.

— Obrigado, Jinyoung.

— Cuida bem do meu carro, ele é precioso.

— Você tem outros dois, Namjoon! — Seokjin disse ao namorado, rindo

(...)

— Nayeon, onde está a manta de Jungkook?

— Veja na mochila do Binnie.— disse Nayeon, que estava dirigindo concentrada na estrada

Jaebum pegou a mochila do sobrinho, achando ali a manta do filho. Cobriu a criança para que não fique com frio e nesse momento prestou um pouco de atenção na estrada.

— NAYEON! CUIDADO, TEM UM CARRO VIND...

O Im nem pôde terminar de falar. Sentiu o impacto do outro carro e Nayeon perdeu o controle do volante. No mesmo momento jogou o corpo contra o do filho enquanto o veículo em que estava capotava pela pista.

— Que trânsito é esse? Estamos há um ano andando igual tartaruga aqui! — reclamou Youngjae

— Ei! Parece que houve um acidente...— disse Hyejeong que se esticava um pouco vendo o que acontecia a frente — Tem muito carro sem ninguém.

— Vou lá ver o que houve e quando esse trânsito acaba.— disse Jinyoung

— Eu também vou.— disse Hyejeong

— Eu também.

Os 3 saíram do carro, assim como outras pessoas. Andaram por todos aqueles carros que estavam a frente deles, até verem muita gente aglomerada e luzes de ambulância.

Aproximaram-se da multidão, tentando ver o que aconteceu. Passaram por entre as pessoas e conseguiram ver um carro capotado.

— O que aconteceu? — Hyejeong perguntou a uma mulher ali

— Parece que houve um grave acidente. Um carro bateu em outro é um deles capotou.

— Muitas pessoas ficaram muito machucadas? — Youngjae perguntou

— Pelo que entendi, no carro que capotou estavam um homem, uma mulher e duas crianças. Ainda estão tirando as crianças e o homem de lá.

— Aigoo! Espero que as crianças estejam bem....e os pais também é claro.— disse Jinyoung

Então o coração de Youngjae apertou ao ouvir um choro. Ele conhecia muito bem aquele choro e ficou desesperado por saber de quem era.

Seus olhos imediatamente marejaram e ele começou a se desesperar.

— O que foi, Youngjae? — Hyejeong perguntou preocupada

— J-Jungkook! Eu conheço esse choro! É do Jungkook!

— Youngjae, você deve estar imaginando coisas...

— Eu conheço o choro do meu filho! O Jungkook está chorando!

Olhou para todos os lados desesperado. Então viu os paramédicos carregando o garotinho machucado que chorava muito, devido as dores que sentia.

Youngjae ultrapassou a faixa ali, mesmo que tentassem o impedir. Vou colocarem Jungkook numa maca e correu até lá.

— Senhor, não pode se aproximar. Afaste-se, por fav...

— É O MEU FILHO ALI! — empurrou o paramédico que tentou o afastar e foi até o filho — Calma bebê, calma. O omma está aqui.

Abraçou de leve o corpo do garoto, que não parava de chorar. Estava com o rosto machucado e com um corte na bochecha causado pelos vidros que estouraram das janelas. As penas pequenas também estavam um pouco machucadas e os braços.

Youngjae engoliu em seco vendo ali um corpo sendo coberto...e sabia que aquela pessoa ali não estava mais viva.

— Não...— disse chorando

Se aliviou um pouco vendo os paramédicos trazendo Jaebum, inconsciente, em uma maca. Porém, se Jaebum estava vivo, aquele corpo era de Nayeon. Sua pobre cunhada que morreu tão jovem.

— Nayeon...— murmurou

— Ommaaaa! — ouviu outro choro, agora de Moon Bin que chamava pela mãe ali naquela maca todo machucado

— Ah Binnie...— sussurrou chorando

Levaram Jungkook para dentro da mesma ambulância que Moon Bin, enquanto Jaebum era levado em outra urgentemente devido seu estado grave.

Youngjae foi junto das crianças, fazendo o possível para as acalmar. O Choi queria muito acalmar o filho, mas somente ficou pior quando o garotinho parou de chorar e ao mesmo tempo ficou desacordado.

— Jungkook...Kookie!

Os paramédicos o afastaram um pouco, cuidando do pequeno Im e colocando um aparelho para o ajudar a respirar.

— Parada respiratória, ele precisa de oxigênio logo.— disse uma das paramédicas

Youngjae ficou ali parado, com medo do que poderia acontecer com seu filho. O desespero era muito grande e o fazia sentir certo incômodo na barriga.

"Nada de emoções forte." Disse o médico

Estava difícil seguir as ordens médicas naquele momento. Segurou fortemente a barriga, respirando fundo, tentando, em vão, se acalmar.

— Calma, minha bebê. Vai ficar tudo bem.— sussurrou fechando os olhos, sentindo uma leve dor

— Ele tem algum problema respiratório? — perguntaram

— Não...que eu saiba.

(...)

Youngjae esperava nervoso por notícias de seu filho. Fazia duas horas que não tinha novidade alguma sobre seu estado.

Passou mal assim que chegou ao hospital e foi atendido pelo médico da família, que trabalhava ali. Todo seu desespero e nervosismo fizeram mal a ele e seu bebê, mas tudo estava bem, por enquanto.

— Se acalme, Youngjae. Logo teremos notícias.— disse Hyejeong o entregando um copo d'água

— Eu quero saber como está o meu filho.— disse bebendo toda a água

Mais um tempo se passou e Youngjae ficava cada vez mais preocupado. Viu o médico e praticamente correu até ele.

— Doutor Lee! Como está o Jungkook?! Por favor, me diz como está o meu filho!

— Youngjae, acalme-se, okay? Está tudo bem com ele no momento.

— Ele está bem?

— Sim, acabou quebrando um dos braços e torceu o pé direito. Graças ao seu marido, pelo que me foi dito por Moon Bin, não houve coisas piores com Jungkook.

Youngjae olhou o médico um pouco confuso.

— G-graças ao Jaebum?

— Sim, ao que parece, ele viu que o outro carro estava prestes a bater neles e jogou o corpo por cima dele, sendo quase como um escudo. Isso foi algo...bom por um lado, pois segundo os policiais que olharam o carro, a cadeirinha não o protegeria o suficiente devido uma falha quase imperceptível, mas que poderia ser fatal num acidente desses.

— Bem que eu soube que muitos estavam processando a empresa que fez aquela cadeirinha.

O Choi suspirou. Graças a Jaebum seu filho estava bem e vivos, um pouco machucado, mas pelo menos ainda com vida, isso era o mais importante. Ele não se importou em se machucar gravemente para proteger o filho deles.

Jaebum fez coisas ruins de fato, mas seus filhos vinham acima de tudo, até mesmo de sua própria vida. Youngjae sentiu-se bem de certa forma pelo Im proteger os filhos tão bem e se preocupar com eles acima de sua vida.

— E o JB? Como ele está?

— Está passando por uma cirurgia nesse momento. Ele ficou gravemente ferido, principalmente pelo ato para proteger Jungkook. Teve fraturas na coluna e nos braços, contundiu a costela, rompeu tendões na região das pernas...estamos fazendo de tudo para que ele fique bem.

— Salvem ele, por favor...

— Farei o que estiver ao meu alcance que ele sobreviva, Youngjae.

— E o Moon Bin? Ele está bem?

Youngjae no mesmo instante preocupou-se com o filho de sua falecida cunhada.

— Ele está bem agora. Quebrou a perna e teve cortes pelos braços e no rosto, devido ao vidro da janela que quebrou no acidente.— disse o médico — Consegui o colocar no mesmo quarto que Jungkook e os dois estão dormindo agora.

— Nem imagino como vai reagir quando souber que a Nayeon...

— Será difícil, mas ele terá que saber.

— Eu sei. E também ainda tenho que avisar ao Joohyun que a Nayeon morreu...

(...)

— Me diz que é mentira, Youngjae, por favor. Me diz que a minha Nayeon está viva!

— Infelizmente é verdade. A Nayeon não resistiu e morreu na hora.

Joohyun caiu aos prantos, sentando-se no sofá que havia no quarto. Não acreditava que sua esposa que tanto amava havia partido.

— O Binnie já sabe?

— Não... não consegui contar.

— Então acho que eu terei que contar.

Suspirou. Youngjae foi até o filho, acariciando seu rostinho um pouco pálido. Ele tinha um curativo na bochecha e provavelmente aquilo ficaria com uma cicatriz.

— Appa...— Moon Bin chamou ao acordar, vendo o pai ali

— Oi Binnie. Como você está? — perguntou

— Bem.— disse — Cadê a omma?

Joohyun e Youngjae se entreolharam.


Notas Finais


Pobre Nayeon ;-;
Como será que o JB tá?!

Tô TT ;-; Cadê aquela centena de notificação de comentários que sempre recebo? Diminui muuuuuuito! TT

Comenteeeeeeeeeeeeeeem!
Beijos de uma Army, bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...