História My Babysitter - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jin, Mark, Rap Monster, Yugyeom
Tags Bts, Jin, Namjin, Namjoon
Visualizações 176
Palavras 1.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello Babies!

Volteeeeeeeeeei!

Capítulo 59 - Capítulo 58: Tudo melhorando


Youngjae acariciava os fios negros de Jaebum, que permanecia inconsciente, respirando com ajuda de aparelhos. Uma semana se passou e ele continuava sem acordar.

O Choi não saía daquele hospital um segundo sequer, somente quando o arrastavam para ir tomar um banho e comer. Seu coração doía em ver o Im daquele jeito. Apesar de tudo, ainda o amava com toda a sua vida.

Youngjae sempre fora apaixonado por Jaebum desde que o conheceu. Era o amor de sua vida e nunca conseguiria acabar com esse amor, mesmo que quisesse.

— Quando você vai acordar, Bummie.— disse num tom choroso e segurando a ma— Você tem que acordar logo, meu amor. E-eu...eu sinto sua falta.

Já tinha lágrimas descendo por todo o seu rosto. Queria logo ver os olhos escuros de Jaebum, ouvir sua voz...precisava dele.

— Eu te amo tanto...por mais que eu queira, não consigo parar de te amar.— dizia — Volta pra mim. Acorde, eu preciso de você.— colocou a mão na barriga, a acariciando — Ela precisa de você, Jaebum. Fica com a gente, por favor.

Youngjae continuou aos prantos, chorando horrores. Então sentiu a mão de Jaebum apertar a sua levemente.

(...)

— Eu quero ver o Kookie.— Jimin chorava implorando ao pai para ver o amigo no hospital

— Acho melhor esperar mais um pouco, Jiminnie.— disse Chanyeol

Jimin continuou chorando. Desde que soube do acidente ele implora todos os dias para ver Jungkook, mas seu pai nunca deixa.

— Vem cá, Jiminnie.— Baekhyun chamou e o Park sentou-se em seu colo — Logo a gente te levar para ver o Kookie, tá bom? É que ele ainda está se recuperando.— disse acariciando o rosto do garotinho, secando suas lágrimas

— Promete?

— Eu juro de mindinho que a gente te leva para ver o Jungkook assim que puder.— diz enlaçando seu mindinho ao de Jimin e beijando a pontinha de seu nariz

Chanyeol sorriu vendo Baekhyun com o seu filho. Ele era sempre carinhoso e cuidadoso com o Jimin, Não restava dúvidas de que ele cuidaria muito bem dos filhos.

Baekhyun era bastante apegado ao pequeno Park. Gostava dele quase como se fosse seu filho e não se incomodava com esse sentimento maternal pelo garoto baixinho de bochechas gordinhas.

Jimin abraçou o Byun, da maneira que pôde já que tinha uma barriga enorme de 7 meses o atrapalhando.

— Não chora tá? O Kookie vai ficar bem, tá bom?

— Tá, Tio Baekkie.— o pequeno disse

— Impressionante como você consegue acalmá-lo.

— Peguei jeito fazendo meus sobrinhos parar de chorar. Eles choravam muito, acredite. Eram mais mimados que o Jungkook....talvez nem tanto, mas tavam quase lá.

Chanyeol riu e sentou-se ao lado do Byun. O observou atentamente, vendo ele todo atencioso com o Jimin. Sinceramente, sentia-se apaixonado pelo menor. Sempre fofo, divertido, com uma alegria contagiante... não se sentia assim por alguém desde quando sua esposa ainda era viva.

Park Minah fazia falta, sim muita. Mas Chanyeol sabe que ela não iria querer que ele ficasse sozinho e solteiro o resto da vida caso algo acontecesse a ela; ela mesma disse isso no dia que Jimin nasceu, pois sabia que talvez não resistisse muito depois de dar à luz ao filho. E Chanyeol faria o que ela queria. Seguiria em frente e com certeza estava tendo essa oportunidade agora, perante seus olhos.

— Ah Namjoon! Por favor! — Seokjin insistiu entrando na sala com o namorado

— Jin, é inverno e está até nevando lá fora! Como você quer comer sorvete?

— Quero é sanduíche de sorvete.

— Isso nem existe! — o Kim mais velho disse, não acreditando no desejo louco do namorado

— Se me permite, Senhor, tenho uma grande lição a ensinar: Grávidos inventam coisas inacreditáveis para comer.— disse Chanyeol

— Sei disso. Tive que atender os desejos de Youngjae nos últimos dias. Mas sanduíche de sorvete, Jin?!

— Nossos bebês estão com fome, Namjoon. Vai deixar eles passando fome? Não ama eles? — o Kim mais novo dramatizou, os hormônios entrando em ação

— Amo, mas...

— Deixa, eles vão ficar famintos porque o pai não quer alimentá-los.— Seokjin disse de olhos marejados se sentando no sofá

Namjoon revirou os olhos, pegando seu casaco e as chaves do carro. Nunca pensou que aconteceria isso, mas agora preferia mil vezes os desejos loucos da Seolhyun; eram loucos, mas nem tanto e tinham tudo em casa.

— Que sorvete você quer?

— Napolitano.— Seokjin sorriu

Namjoon saiu a busca de sorvete em pleno inverno para atender o desejo do namorado e seus filhos.

— Chany...sabe do que me deu desejo agora?

— Começou...— o Park revirou os olhos

— Lamen com bastante queijo, manteiga e katchup. Faz pra mim?

— Faço.

Chanyeol fez careta, indo fazer o o desejo do gestante.

(...)

— Kookie-ah! — Jimin se esticou no colo do pai em direção a maca do amigo

— Calma, Jiminnie.— Chanyeol disse

— Jiminnie-ah.— Jungkook chamou chorando, devido a dor enquanto a enfermeira terminava de trocar seus curativos

Quando a enfermeira saiu, Chanyeol colocou Jimin na maca onde Jungkook estava sentado. O mais novo imediatamente abraçou o pequeno Park.

Taehyung se esticou na direção deles e Seokjin riu, colocando o garoto na maca também. O Kim se colocou no meio de Jimin e Jungkook, fazendo um bico brotar nos lábios do Park.

— Que bom que o Jungkook está melhor.— disse Baekhyun

— Já está tudo melhorando.

— Omma, quero ver o Appa! — disse Yugyeom

— Appa! — Jungkook disse — Appa, omma! O Appa!

— Quer ver o Appa, bebê? — disse Youngjae

— Quero! Quero ver o Appa.

— Então venha mais tarde eu levo, tá bom? Antes de te levar pra casa.

— Então, já vou indo levar o Yugyeom para ver o JB. Venha Yug.

— Eu vou também. Fica quietinho com o Jimin e o Tae, tá bom? Qualquer coisa fale com o Chanyeol e o Baek.

Youngjae, Seokjin, Yugyeom e Namjoon saíram do quarto, indo para o de Jaebum, que já estava se recuperando aos poucos das lesões do acidente.

No quarto, Jaebum estava com a cara emburrada, ouvindo sua mãe falando tantas coisas.

— Para omma! Não sou mais nenhum bebê, eu tô bem!

— Olha seu estado, você não está bem, Jaebum. Meu menininho! Fiquei tão preocupada...

— Appa! — Jaebum suplicou por ajuda ao pai de forma um pouco manhosa

— Ele já se sente bem, querida. Deixe de desespero.

Então Youngjae entrou com os outros e Jaebum sorriu ao ver o marido. Seokjin olhou os pais do Im, sentindo-se nervoso.

— Youngjae, querido!

— Olá, Ah-yeon.— Youngjae sorriu gentilmente para a sogra

— Appa! — Yugyeom correu até o pai, subindo no banco ao lado da maca

— Oi Yug! — Jaebum disse sorrindo, recebendo um abraço do filho mais velho, que não foi tão forte para não o machucar — Tudo bem?

— Sim! — o garoto ficou sentado na maca junto do pai, tendo o olhar confuso dos avós

— Quem é esse menino e porque te chamou de "Appa", Jaebum?! — Ah-yeon perguntou ao filho, com as mãos na cintura

— É o meu filho, Senhora Im.— Seokjin se pronunciou, saindo de trás de Namjoon, onde ficou meio escondido

— Seokjin?!?!

O Kim sorriu fraco e abaixou a cabeça um pouco envergonhado. Conhecia os pais de Jaebum, já foi muitas vezes na casa dele. Com o pai nunca teve problemas, mas com a mãe...ela nunca aceitou realmente o namoro deles, somente...suportou a realidade.

— Esse menino é seu filho?!

— E meu também, omma — disse Jaebum acariciando os cabelos do filho com a mão boa

— Agora vê que eu não estava dando nenhum golpe da barriga.— Seokjin murmurou se recordando da última vez que viu a Senhora Im

— Você fez um teste de DNA, não fez filho?

— O Yugyeom é meu filho, omma! Para com isso!

— É sempre bom duvidar.

— Mas não duvido. Sou inteligente o suficiente para conseguir fazer as contas da idade do Yugyeom para quando eu e o Jin......er......— Jaebum olhou Namjoon ali e também para o filho — Pode parar com isso, tá omma?

Seokjin ficou completamente corado, pois sabia muito bem do que Jaebum quase falou. Namjoon também, por isso segurou a cintura do namorado possessivamente.

— Quando você e o omma o quê, Appa? — Yugyeom perguntou curioso

— Er...Daqui uns 3 anos eu conto.— Jaebum engoliu em seco com o olhar de Seokjin — 5...

— Jaebum!

— 10! Melhorou?


Notas Finais


Tudo ficando bem! Eehh

Comentem o que acharam, viu?!?!
Beijos de uma Army, bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...