1. Spirit Fanfics >
  2. My bad boy 2 >
  3. Capítulo 1

História My bad boy 2 - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


• Mudei meu jeito de escrever 🤡 O capítulo anterior já tá editado. Vou reescrever Seduction Club, só My sexy Boss que vai ficar daquele jeito pq não vou editar aquele mundaréu de Capítulo e vcs que lutem

Capítulo 2 - Capítulo 1


MILLIE

Odiava a sensação

Sensação de estar de volta

De todos os traumas e desesperos que eu deixei pra trás agora estarem todos de volta

Entramos na mansão, com a Kiara adormecida no meu colo e o Finn segurando a mão do Nicholas

- Papai eu telo i pra casa – disse o pequeno com a voz deprimida

- Eu sei... Mas a gente volta pra casa logo logo tá

- Promete?

- Prometo

Ao ver a Sadie descer as escadas o Finn pegou a Kiara do meu colo e então fui até a mesma, que desabou logo que eu a abracei

- Faltava uma semana, uma semana pra gente casar – disse com a voz tomada pelo choro

- Eu sinto muito, Sadie

- Isso não é justo...

- Eu sei que não. Mas você consegue, consegue continuar. Mesmo que doa

- Não sei se consigo, amiga. Você tem a sua vida, seus filhos, seu casamento, você tem o Finn. Eu só tinha o Caleb

- Minha vida não faz de você menos importante pra mim

- Eu senti sua falta...

- Eu também senti a sua – disse por fim

Descemos as escadas e ela abaixou na frente do Nicholas, que se retraiu e segurou na calça do Finn

- Tímido igual a sua mãe, mas idêntico ao pai. Ele deve estar cansado

- Está. A Kiara dormiu a viagem toda, mas ele não

- Os quartos estão limpos. E arrumados. – começou – Inclusive o que é ao lado do de vocês

- Obrigada, Sadie

Eu e Finn subimos as escadas até o quarto vazio ao lado do nosso

- Mamãe, eu não quero ficar aqui – Disse manhoso

- Mas quem vai cuidar da Kiara? Você é o irmão mais velho dela

-Mas mamãe...

- Porque você não quer ficar

- Eu tô com medo

- De que?

- Eu quero a minha casa, papai – Disse ameaçando a começar a chorar

Ajeitei a Kiara na cama, de uma maneira que parecesse que ela estava no berço pra que não caísse

- Todos queremos ir embora

- Então porque a gente não pode ir?

- Porque o papai tem resolver algumas coisas

Ele esfregou os olhos secando algumas lágrimas

- Você fica aqui, e cuida da sua irmã enquanto o papai resolve as coisas. Se você cuidar dela a gente vai pra casa mais rápido – Ele assentiu

- Tá... – disse tristonho

- Então deita aí - O Finn o cobriu com o cobertor

Saímos do quarto deles

- Não vai ser fácil adaptar ele, Finn

- Mas a gente precisa ficar. Vai ser pior se formos agora

- Como quiser – Disse com naturalidade

Fui para o “nosso” quarto

- Você tá brava?

- Não tenho motivo para estar. Simplesmente não gosto de estar aqui, me trás muitas lembranças

Parei em frente ao espelho da penteadeira prendendo o cabelo. Pelo reflexo vi ele parar atrás de mim e beijar meu pescoço

- Tipo das nossas intensas noites quentes?

- Tipo elas...

Me virei pra ele e mordisquei seu lábio inferior

Em um movimento rápido, me puxou pela cintura, me fazendo sobressaltar

- Adoro o jeito que você samba na cova do leão

- É que pra mim você não passa de um gatinho assustado – O adjetivo pareceu ferir seu ego

- Ah você jura?

- Juro... – Sussurrei próximo ao seu ouvido

Unimos nossos lábios em um beijo ardente

Quando me dei por mim, mais nenhuma peça de roupa separava nossos corpos

Senti minhas costas no macio do colchão. Ele deu início a uma trilha de beijos do meu pescoço até meu sexo

Senti sua boca quente me tocar com delicadeza e intensidade

Seus movimentos com a língua sem um padrão exato, me fizeram revirar os olhos

Afundei as mãos em seus cachos o impulsionando a continuar

Arqueei as costas da cama, sentindo meu ápice se aproximar

- A-ah F-Finn!

Após chegar no meu limite, seus lábios voltaram a percorrer cada centímetro do meu corpo. Seus olhos voltaram a se conectar com os meus

- Eu te amo sabia? – um sorriso leve escapou dele e então voltamos a nos beijar

Ele deu a primeira estocada lenta, me arrancando um gemido baixo. Logo as estocadas se tornaram consecutivas e mais rápidas

Cravei as unhas nas suas costas e tirei as costas do colchão

Uma camada fina de suor escorria pelo seu rosto

Inverti as posições, ficando sobre ele. Coloquei minhas mãos no seu peitoral, passando os dedos delicadamente pelas suas tatuagens. Suas mãos percorreram da minha cintura ao meu quadril, me guiando em movimentos ritmados

Senti o líquido quente me invadir, me levando ao ápice

Me deitei ao seu lado e logo me aninhei a ele

- Você é a mulher da minha vida. A única que eu amo

- Gosto de ser a única – uma risada boba desarvorou dos nossos lábios – você também... é meu único

...

Na manhã seguinte, acordei sozinha na cama

Vesti a camiseta do Finn que estava no chão do quarto e um short meu

Sai do quarto vendo a porta do lado aberta. Encostei do batente da porta, vendo o Finn sentado no centro da cama com um livro infantil em mãos, e os dois ao lado dele

Ambos ouviam com atenção o que o Finn lia. Nicholas olhou pra mim no cantinho dos olhos e então sorriu

- Mamãe! – ele levantou da cama e correu até mim – Mamãe, eu cuidei da Kiala, igual a senhola mandou

- Mas o meu menino já tá um homem! – Ele esticou os bracinhos e então o peguei no colo

A Kiara ficou em pé na cama

- O papai tava lendo a histolia do teis poiquinho, mamãe

- Seu pai é um ótimo contador de histórias

- Todo mundo ama tanto a mamãe, que até esquecem do papai – fingiu estar com ciúme

- eu amo o papai – beijei sua bochecha – Agora a gente tem que tomar café

Descemos as escadas, vendo um bilhete na cozinha. O Finn pegou o bilhete e leu

- Sadie, vai passar o dia fora. – começou – Vai cancelar as coisas do casamento. Devolver o vestido e fazer mais algumas coisas

- Sinto muito por ela. – disse sincera – Eles se amavam muito

- Sim

Me passou na cabeça a voz do médico após a cirurgia do Finn. Esse pesadelo ecoou na minha mente durante todos esses anos

A ideia de ter criado o Nicholas sozinha, e não ter a Kiara, ainda me fazia estremecer

- Tá tudo bem? – Perguntou preocupado – Ficou esquisita do nada

- Não é nada. Só pensei comigo mesma

...

Mais tarde, as crianças estavam brincando no tapete da sala, enquanto assistiam algum desenho infantil, que eu e o Finn também fomos obrigados a assistir

Ouvi a campainha tocar e então me levantei

Uma mulher, poucos anos mais velha que eu, cabelos castanhos avermelhados soltos, olhos verdes esmeralda e um batom quase rosa pink

- Quem é?

- Eu que pergunto, amor

- Desculpe, você está na minha casa, perguntando quem eu sou?

- Jesse Carter Wolfhard, o Finn está?

Wolfhard...

- F-Finn...

Ele parou atrás de mim e um sorriso radiante surgiu em seus lábios

- Finn! Que saudade docinho!

- Docinho? – perguntei incrédula

- M-Mills não é o que você tá pensando

- Quem é amor, sua ficante nova? – Disse o abraçando

- Eu sou a esposa dele!

- Esposa? Me disse que estava solteiro

- Jesse, eu não falo com você desde que mandei vocês pra longe

- Não faça graça amor – disse ela em tom manhoso – Conversamos muito esses três anos – Sorriu maliciosa

Suspirei desacreditada e subi as escadas batendo o pé. Senti ele segurar o meu braço e então me virei pra ele

- Não encosta em mim! Me disse que eu era a única na sua vida! Finn, eu sou a mãe dos seus filhos! Larguei a faculdade pra poder dar conta de tudo!

- Millie, eu juro que eu não sei do que ela tá falando

- Pois eu sei! – Comecei – Você estava transando comigo, mas flertando com ela! Bom saber que eu não passo de um banco de esperma pra você!

Subi as escadas furiosa


Notas Finais


• amo vcs ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...