História My Bad Boy- Yoonmin - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 25
Palavras 1.510
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá.Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4


Sentimentos confusos despertou dentro dos dois meninos que desde que se conheceram de um jeito meio que inesperado, um acidente de carro que poderia realmente ter machucado Jimin. Mas que não seria um simples acidente que iria os separar do seu destino. Yoongi nunca sentiu nada parecido em toda a sua vida. Sempre teve seus casos casuais de algumas semanas que só rolava sexo. Nada amoroso. Ele não queria sentir amor pelas pessoas que ele só usava para seu prazer próprio. Yoongi era assim. Ao contrário de Jimin, que se apaixonou por seu melhor amigo e sofreu pela sua morte repentina. Feriu seu coração apaixonado, a culpa veio como um bônus. Sentia culpa por não falar com seu melhor amigo e primeiro amor pelo menos um dia daquele mês. Não iria querer se apaixonar novamente. Sentia medo.



Ser beijado por ele não deveria significar nada. Meu coração não tinha que acelerar tão rápido e aquelas típicas borboletas vir em monte no estômago por um simples beijo. Mas foi o que aconteceu. Algo despertou em mim sem nem eu querer ou deixar, apenas se apossou do meu coração. Porém, o meu ódio e raiva por Yoongi vai permanecer em cima disso que senti. Não deixaria um bad boy pegar o meu coração e despedaçar. Não mesmo.

– Porra Jimin. Aonde você estava?– Jungkook grita quando entro na enfermaria da faculdade.

– Eu me perdi.– Dou de ombros. Tento não transparecer meu rosto corado pelo beijo que aconteceu alguns minutos antes.

Fiquei parado igual um bobo tocando minha boca. O beijo foi muito bom. Balanço a cabeça tentando me desviar de tais pensamentos.

– Como você se perdeu? Você é mesmo um idiota.– Jungkook gargalha ao ver minha expressão de ofendido.

– Não enche irmãozinho. Ele já está bem? Podemos voltar para a aula?– Pergunto para a enfermeira que entra no quarto.

– Sim. Vocês podem ir. E pra você mocinho– aponta pro meu irmão– recomendo descansar quando chegar em casa. – Areum anda até o meu irmão tirando a agulha que leva o soro pro seu organismo com muita delicadeza e cuidado.

– Pronto. Tome mais cuidado com esses desmaios.– Sugere Areum.


– Tudo bem. Pode deixar Areum.– Sorri com seu sorriso de coelho, fofo.


– Vamos.– Jungkook desce da cama, vestindo sua blusa.


Saímos da enfermeira em silêncio. Agora que percebo, Taehyung não estava mais ali com ele.


– Onde que o Taehyung foi?– Jungkook cora quando falo do Kim. Estranho.


– Ele foi embora. Não esperava que ele ficasse muito tempo, certo?– Alguma coisa na sua voz parecia ser de decepção.


– Você gosta dele?– Pergunto direto.


– Não. Nem conheço ele.– Responde se atrapalhando ao andar.


– Tudo bem. Se você está dizendo.– Dou de ombros continuando a andar pra nossa sala.



– Estão atrasados.– Um professor alto, cheio de tatuagens pelo corpo diz. Nós entramos dentro da sala envergonhados.

– Nomes?– Pergunta mexendo em uma folha de presença em cima da mesa.


– Park Jimin.– Respondo ao sentar na carteira da frente.


– Park Jeon Jungkook.– Senta do meu lado respondendo o professor.


– Tudo bem. Porque chegaram atrasados?– Pergunta o professor  Dong-Sun.


–Eu desmaiei. – Jungkook responde envergonhado.


– Está tudo bem agora?– Vejo preocupação no seu tom de voz e rosto.


– Sim. – Responde abaixando a cabeça.


– Como estava falando pra turma me chamo Dong-Sun. Sou o professor de dança, canto, composição e teatro. Eu sou o mais legal também.–. Os alunos dão risada na sua última sentença me fazendo acompanhar nas risadas.


– Brincadeiras a parte, vou ficar com vocês por alguns anos. Até acabar a faculdade, na verdade. Espero que nos demos bem e podemos compartilhar nossos talentos um com o outro. – Diz sorrindo de orelha a orelha.


– Cadê o aluno Min Yoongi?– Estremeço ao ouvir seu nome. Não é possível que estamos tendo todas as aulas dentro dessa enorme faculdade.


– Eu não vi ele faz um tempo.– Responde o mesmo que estava grudado com ele anteriormente. Sua expressão no rosto é de preocupação.


– Já falei para ele não faltar mais nas minhas aulas ou ele ia reprovar.– Professor Dong-Sun afirma com raiva.


– Ele é um idiota.– Resmungo baixinho.


– O que disse?– O garoto de antes que não fazia ideia do seu nome sussurra em meus ouvidos com raiva. Nem percebi que ele estava sentado atrás de mim.


– Nada.



Não era para ser tão bom beijar ele. Apenas uma brincadeira. Meu coração não deveria acelerar tanto. Ignorei tudo em minha volta voltando pra casa. Não tinha cabeça para nada.

Ando pelas ruas de Seul, em um lugar barra pesada. Aqui eu tinha conhecidos não amigos. Por aqui ninguém é amigo de ninguém.


– Suga.– Uma voz atrás de mim grita meu nome que eles mesmo colocaram em mim. Jackson Wang.


Esse homem é um filho da puta para quem não for seu amigo. Se envolve com várias coisas perigosas. Mesmo assim, somos amigos.


– Jack. Quanto tempo.– Respondo virando meu rosto para trás.


– Sim muito. Alguns meses na verdade que você não aparece por aqui. O que aconteceu?


– Queria dar um tempo disso tudo.– Drogas e bebidas que eu estava dando um tempo. Aqui só tinha isso.


– Entendo cara. Sabe como é. Não posso sair disso.– Da de ombros.


Jackson não podia sair dessa vida por causa do seu namorado Mark. O mesmo comanda uma gangue de traficantes de Seul. Jack é muito apaixonado e não sai dessa vida por causa do seu namorado.

Andamos juntos lado a lado, conversando sobre tudo. Nessa área mais pesada de Seul não podia confiar em muita gente mais Jackson é alguém confiável. Ele me salvou da polícia alguns meses atrás o agradeço até hoje.Jackson e Mark morava em um apartamento enorme. Do lado tinha a boate que é aonde que tem a maior parte das drogas que eles distribui.


– Suga. Quanto tempo.– Mark ao me ver corre até mim me abraçando.


– Sim. Como você está?


– Está tudo bem. Na medida do possível.– Me solta do seu abraço me olhando preocupado.


– O que aconteceu?


– Nada demais. É que tem uma gangue rival que está nos arruinando. Estão querendo essa parte de Seul.– Jack responde.


– Quem é o líder dessa?– Pergunto.


– Sabe aquele cara que você trombou meses atrás?– Mark pergunta.


Assinto concordando. O cara é um babaca. Os chamam de Bambam ele é um tailandês que veio para Coreia aprimorar os seus tráficos, vender para um grupo maior de pessoas. Não tem nenhum escrúpulo, não liga muito para ninguém. Meses atrás ele vendeu uma droga horrível pra uma garota ela acabou tendo uma overdose. Eu experimentei também. Quase morri naquele dia. Eu fui cobrar dele, o babaca deu de ombros e mandou eu ir me foder. Fiquei com tanta raiva no momento que acabei entrando numa briga com ele. Nós dois se odiamos até hoje.


– Ele é um babaca.–  Jackson diz. Concordo com a cabeça.


– Se eles vier querer tomar essa parte de Seul eu acabo com ele.– Mark diz com um olhar perverso.


– Eu tenho que ir agora. Qualquer coisa me chamem.– Os dois concorda. Nos despedimos com um abraço e segui meu caminho pra casa.



Fiquei por muito tempo aqui. São 18:00 da noite. Acabou às aulas na faculdade. Eu teria que voltar até lá meu carro ficou no estacionamento. Meu irmão vai me matar se eu não o levar pra casa. Taehyung conseguia ser um idiota quando queria.




Taehyung POV:




Não era para ter acontecido isso. Fiquei sozinho com Jeon dentro da enfermaria, flertando com o mesmo. O que não foi nada bom foi o meu coração acelerando sempre que Jungkook sorria. Deixo ele sozinho e saio apressado pelos corredores da faculdade.

18:00 da noite. O período das aulas tinha acabado então andava livre pela faculdade esperando meu irmão que desapareceu. Sento em um banco observando as pessoas indo para seus apartamentos ou os dormitórios que a maioria dos estudantes daqui dividiam por ser mais barato do que pagar aluguel para ter moradia em Seul. A maioria vinham de várias cidades espalhadas pela Coreia.

Meu irmão vem em minha direção correndo.


– Vamos embora. Estou morrendo de fome.– Yoongi disse.


– Aonde você estava?– Pergunto para o mesmo. Que sai apressado para o estacionamento. Sigo ele.


– Estava com o Jack e o Mark.– Da de ombros, dando partida no carro.


– Você não falou para nossos pais que iria ficar longe desses dois e daquela parte de Seul?– Ergo as sombrancelhas.


– Eu lembro disso. Não precisa me lembrar toda hora.– Revira os olhos.


– Você sabe o que está fazendo. – Respondo.


Deito a cabeça na janela do carro adormecendo.


– Tae acorda. Chagamos.– Yoongi disse abrindo a porta do carro. Entramos dentro da nossa casa ouvindo o silêncio. Não tinha ninguém. Estranho.


– Cadê a mãe?– Pergunto sonolento deitando no sofá.


– Não sei. Vou ligar pra ela.– Yoongi responde pegando o celular nas mãos.


Alguns minutos depois Yoongi desliga o celular.


– Ela foi visitar nossa tia Mari. Está doente. Avisou que vai ficar alguns dias por lá.– Yoongi responde.


– Tudo bem. Cadê o pai?– Pergunto.


–Não sei. Daqui a pouco ele deve estar em casa.– Yoongi sobe as escadas indo pro seu quarto. Um minuto depois crio coragem e sigo em direção ao meu quarto.










Notas Finais


Deixa nos favoritos e comentem muito bjs até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...