História My Beautiful Oppa - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, Monsta X
Personagens Hyung Won, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Ki Hyun, Kim Namjoon (RM), Lisa, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Bangtan Boys (BTS), Imagine, Jeon Jungkook, Jungkook, Romance, Você
Visualizações 174
Palavras 3.088
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aeeeeeeeeeeeee
Mais um projeto cumprido!✅
Sejam bem vindos ao Flashback Project!
Se preparem, só digo, espero que gostem desses capítulos...😍
Foram feitos com muito esforço mas com muito amor❤
Boa leitura!

Capítulo 18 - Flashback Project: Lie


Fanfic / Fanfiction My Beautiful Oppa - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 18 - Flashback Project: Lie

Jungkook acaba de desmaiar na saída do cinema, estou em choque até agora, dentro da ambulância que o leva já com uma máscara de oxigênio em seu rosto, o que me deixa mais aflita ainda, saber que ele está nesse estado e sem saber o que está acontecendo, o que causou esse desmaio repentino, vou ficar mais tempo me perguntando o por que disso tudo ter acontecido.

Já estamos a caminho do hospital, Lisa veio junto mesmo comigo pedindo que fosse pra casa, estou segurando a mão de Jungkook que se mantém inconsciente. Estou preocupada demais com ele, não consigo parar de chorar e tudo por minha culpa, eu não deveria ter levado ele pra fora de casa, o psicólogo disse que ele deveria ficar em repouso por alguns dias e eu, tonta, pensei que não iria fazer mal, e tenho certeza de que Yeonji vai jogar toda a culpa pra mim, e não estará errada se fizer isso.


-Vamos levá-lo para dentro do hospital, rápido. - disse um dos socorristas dentro da ambulância assim que chegamos no hospital.


Descemos da ambulância e eu do lado de Jungkook com os olhos cheios de lágrimas, me segurando para não chorar, queria me manter forte naquele momento, até porque não iria chorar na frente da Lisa, não sou de chorar na frente de desconhecidos mas não posso negar que estou frágil demais nesse momento.


-Peço que esperem aqui fora, logo daremos informações. - disse uma das enfermeiras que estava nos acompanhando.


Assenti com a cabeça, e ainda contendo minhas lágrimas, me sentei em uma das cadeiras que haviam logo em frente, coloquei minha bolsa do lado e me sentei com os cotovelos no joelho e as mãos na cabeça na tentativa de relaxar, tudo aquilo estava me deixando super tensa.

Mesmo naquela situação toda, ainda conseguia encontrar forças pra suportar tudo mais uma vez, apesar de já me cansar das vezes que tive que aparecer nesse hospital por causa da minha mãe, agora por causa de Jungkook. 


-Tem certeza que não quer ir para casa? - perguntou Lisa se sentando na cadeira ao lado e colocando suas mãos em minhas costas, apenas a olhei e me encarava com um olhar de compaixão mas de certa forma ainda não acreditava naquilo - eu ficarei aqui, e te darei notícias se algo acontecer.


-Não, eu vou ficar aqui, você que deveria ir afinal, a responsável por ele sou eu. - respondi ríspida sem pensar no que falei, mas achei bom, pelo menos ela aceitou aquilo.




(...)




Sem muitas insistências, e algumas horas de espera, Lisa finalmente foi embora, não confiaria a ela ficar aqui e esperar que ela me desse notícias do Kookie, provavelmente se aproveitaria da situação para se mostrar melhor do que eu.

 Apesar de toda essa enrolação dos médicos, uma enfermeira simpática veio me falar que Jungkook permanecia desacordado mas que seu quadro não era agravante, o que me deixou mais tranquila obviamente, só que mesmo assim não poderei vê-lo, ele ficará em observação por 2 dias e depois, se reagir bem aos exames, ele será liberado.

Como era de se imaginar, estou desesperada e completamente confusa, continuo sem resposta sobre o porquê de Jungkook desmaiar do nada que para mim era o que realmente importava, se for algo sério deve ser tratado imediatamente.

É horrível saber que não posso fazer nada, que apesar de estar aqui não é o necessário, a vontade que me dá é de correr para os braços de Jungkook, abraçar ele e dizer que vai ficar tudo bem, que isso tudo vai passar e que estarei ao lado dele, mas eu nem sei se ele vai estar ao meu lado.


Meu celular começa a tocar, e quando vejo, é  Rose que está me ligando provavelmente para saber se estou bem.


Ligação on



-Oi Rose.


-Querida, tá tudo bem com você? Lisa me contou o que aconteceu com o Kookie.


-Bem, eu tô desesperada, eu queria ver ele mas eu não posso por enquanto, mas nem adianta me pedir pra ir embora, eu quero ficar aqui.


-Não ia pedir para que voltasse, afinal é seu trabalho ficar ao lado dele, mas não se preocupe muito, ele vai ficar bem, eu vou orar para que ele melhore e saia dessa.


-Faça isso Rose, depois eu me viro para comer algo, apesar de que eu não sinto fome em momentos como esse.


-Ah mocinha, você tem que comer sim, como vai cuidar de Jungkook sem que você esteja bem? Coma e coma bem, por favor S/n.


-Tá bom, tá bom, eu prometo que farei isso.


-Ótimo, se precisar de algo, pode me ligar.


-Pode deixar, não se preocupe, tchau.


-Tchau querida.



Ligação off



Rose realmente é igualzinha minha mãe era, toda preocupada e doce, eu sinto tanto a falta dela, se ela estivesse aqui comigo com certeza eu me sentiria um pouco mais segura.

Só quero que tudo isso acabe.



(...)



Hoje eu acordei com uma super dor nas costas, eu tive que dormir naqueles bancos duros já que não pude entrar no quarto de Jungkook, percebi que estava toda descabelada, e logo arrumei meu cabelo com um pouco de pressa e uma cara de sono que assustaria qualquer um.

Assim que me levantei, uma enfermeira simpática me olhou e me disse:


-Você pode entrar, o paciente acordou há algum tempo. - disse me olhando com um sorriso.


-Sério? Que bom! Qual o quarto dele? - perguntei toda animada e me esquecendo que provavelmente estava com um pouco de bafo e me envergonhando por causa disso.


-Eu vou te levar até lá. - disse me levando até o quarto onde Kookie está internado.


Chegando lá, ela abriu a porta para que eu entrasse, deixou algumas coisas numa mesinha ao lado da cama de Jungkook, que estava olhando para a janela, logo depois saiu nos deixando sozinhos.


-Bom dia Kookie. - disse me aproximando da cama e pegando sua mão, mas logo o mesmo puxou sua mão de forma brusca - o que houve?


-Você mentiu para mim S/n, por quê? - perguntou virando seu rosto para mim, o mesmo estava sério.


-M-menti? Como assim Jungkook? - perguntei confusa.


-Por que me deixou pensar que meu pai estava vivo, sabendo que ele morreu há anos? - perguntou me deixando perplexa, fiquei naquela hora sem saber o que dizer, apenas abaixei minha cabeça.


-Me desculpa Jungkook...eu não podia…


-Não, você deveria ter me dito desde o começo, nunca esperei esse tipo de atitude vindo de você S/n, nunca. - disse ele com uma voz trêmula como se estivesse chorando.


-E-eu não sei o que te dizer, o seu psicólogo disse que era melhor que você não soubesse ainda e eu….


-Então você achou que mentir para mim seria uma boa ideia? Sabe do meu estado, sabe como fiquei todos esses anos o tanto de dor que você me causou por ter me abandonado por anos S/n, anos. - suas lágrimas foram mais intensas e o mesmo já gritava - Percebe o quanto eu confiava em você? Eu nunca faria isso com você porque eu te…..enfim, peço que me deixe sozinho, não quero te ver agora. Se puder respeitar isso, já que não se importa com meus sentimentos.


Eu comecei a chorar incontrolavelmente, e não sabia o que dizer, mas eu precisava falar algo, não queria sair dali sem dizer nada.


-Eu respeito sua decisão Jungkook, e eu me importo sim com seus sentimentos, e saiba que eu não tive culpa de termos nos afastados, mas não vou falar sobre isso agora, você não merece saber ainda, eu não vou te deixar sozinho por muito tempo, apenas o necessário. Estarei lá fora se precisar. - Sai da sala de cabeça baixa e me segurando para não chorar mais.


Sai correndo para o banheiro do hospital, e assim que cheguei lá me tranquei em uma das cabines e comecei a chorar como nunca antes.

Sentei na privada e abracei meus joelhos chorando. 

Eu realmente não tenho culpa, queria que Jungkook me entendesse, mas não quero falar nada sobre a carta agora, não é o momento, espero poder esclarecer isso para ele o mais rápido possível.



(...)



Já haviam se passado algumas horas, 6 para ser exata desde o ocorrido no quarto.

Estava do lado da porta, esperando o momento certo para entrar, mas não tinha coragem, me sinto estúpida por não ter dito nada a Jungkook desde o começo.


Respirei fundo, fechei os olhos e entrei no quarto, Jungkook olhou para a porta assim que entrei, mas ele não expressou emoção alguma, apenas me olhou friamente.


-Podemos conversar? - pergunto um pouco baixo, me aproximando aos poucos dele.


-Eu não tenho que conversar com você…


-Você tem que me ouvir, eu tenho explicações, por favor me deixe dizer o que realmente aconteceu.


-Não, eu não quero ouvir nada de você,

. - disse ele olhando para o teto e deixando uma lágrima rolar em seu rosto.


Eu me aproximei da cama e olhei em seus olhos que logo se desviaram dos meus.


-Pare com isso Jungkook, poxa eu gosto tanto de você, me desculpa por não ter te falado, eu fiquei remoendo isso durante muito tempo, eu sentia que deveria te contar mas...eu não podia, me desculpa… - acabei chorando muito ao seu lado, minha voz saiu rouca de tanto que chorei, e Jungkook apenas continuou me ignorando, sem ao menos olhar para mim.


O moreno finalmente vira seu rosto para mim, me olhando com seus olhos ameaçadores, se mantendo sério.


-Eu preciso te contar algo. - sussurrou um pouco rouco, seu tom de voz demonstrava que o assunto é sério.


-O quê? - pergunto


-Apenas se sente, e me escute, por favor… - disse ele fechando seus olhos rapidamente e depois os abrindo de novo.


Fiz o que ele disse, e me sentei em uma cadeira que estava logo de lado da cama, apenas a puxei para mais perto e fiquei ali ao lado.

Logo Kookie suspirou e começou a contar.


-Bom, isso aconteceu há 7 anos atrás, eu tinha 11 anos...




Flashback on





Me olhava naquele terno preto, os machucados em meu rosto destacados pelos pontos que foram feitos, não sei o que sentir, definitivamente me sinto perdido em meus sentimentos, posso ser apenas uma criança de 11 anos, mas entendo o mundo, tento enxergar da forma mais madura possível e por isso não consigo ser como as outras crianças, nunca fui privado de nada mas eu simplesmente quis me sobressair, e sai perdendo.


Eu não consigo chorar, e é o enterro dos meus pais, segundo a cultura coreana esse velório vai durar 3 dias e ainda é o segundo, ontem fiquei o dia todo recebendo familiares, os quais ainda se importam um pouco comigo apesar de algumas disputas desnecessárias. Estou aqui, para mais um dia, e não aguento mais, queria que isso tudo não passasse de um pesadelo e que eu acordasse em instantes, poxa, são meus pais, e eu perdi os dois ao mesmo tempo, não sei o que vai ser de mim, eu planejava tantas coisas, eles nem vão me ver me formando, não me verão dirigindo, meu pai não vai me contar histórias para dormir, e minha mãe não me dará seu abraço quando eu chorar. Agora eu terei que chorar sozinho e abraçar a mim mesmo.


Olho para aquele velório ocorrendo, o silêncio que tomava aquela sala e deixava o clima pior do que já estava, estou piorando a cada dia que se passa aqui, preciso sair.

Nessa hora eu saio correndo, vou para fora da capela e me sento na escada em frente, encolhendo meus joelhos e escondendo minha face, pela primeira vez, estava chorando.

Chorando com desespero, e ninguém do meu lado, as pessoas passavam por ali e me viam assim, nem sequer um abraço, sério, eu estava precisando.


-Jungkook, entre, não pode ficar aqui fora sozinho. - ouço a voz da maior cobra peçonhenta dessa terra, Yeonji coloca sua mão sobre minhas costas com frieza - vá lavar o rosto. - disse assim que olhei para seus olhos sem vida e seu rosto sem expressão alguma, olhando para o nada.


Não queria falar com ela, então apenas faço que disse, e vou até o banheiro. 

Quando chego, fico me encarando no espelho da mesma forma que fiz mais cedo, mas desta vez estava chorando, e eu estava demonstrando sentimentos, o que não conseguia fazer antes.

Alguns segundos me olhando e percebo que a porta se abre revelando uma Yeonji de cara amarrada, como sempre, inconveniente.


-Isso é um banheiro masculino. - disse eu olhando para ela pelo reflexo do espelho. - Saia. - sem precisar gritar, pedi que se retirasse.


-Você é uma criança tola Jungkook, não entende o mundo, não sabe o que ele tem pra você, apenas pare de chorar e encare essa situação. - disse ela sem nenhum sentimento.


-Cale sua boca, sabe bem que tudo isso é culpa sua, e saiba que eu vou fazer questão de acabar com você, eu vou te tirar da minha casa e você vai pra rua, e também quero ter o prazer de te ver morta. - disse eu chorando mais ainda, e segurando meu punho.


A mesma veio até mim sorrindo de forma assustadora vagarosamente, e quando estava a minha frente, me esbofeteou duas vezes. Com isso, senti uma dor imensa e que me fez chorar mais ainda, estava doendo por causa dos machucados do acidente.


-Olhe para você - pegou em meu rosto me fazendo ficar de frente com o espelho - entenda que você foi a causa disso tudo, se você não existisse seus pais nunca teriam ficado juntos, já que a mãe do Sr. Jeon nunca quis que ele se casasse com uma bastarda como sua mãe, e só porque ela estava grávida eles aceitaram isso, então saiba, que se você não tivesse nascido nada do que aconteceu teria acontecido, desde a noite do baile. - disse ela próximo ao meu ouvido me deixando paralisado, e assim, me fazendo chorar muito mais do que já estava - Olhando assim, você é exatamente igual ao seu pai, mas eu digo, em todos os sentidos. - a mesma começa a passar suas mãos pelo meu corpo enquanto passava sua língua em meu pescoço me deixando perplexo.


Eu simplesmente não sabia o que fazer nem o que dizer, tentava gritar mas não conseguia. Suas mãos estavam em minha cintura, e aos poucos ela foi abaixando minha calça e minha cueca me deixando quase nu. 


-Fique quieto. - sussurrou em meu ouvido colocando sua mão esquerda sobre minha boca para que eu não gritasse, e começou a movimentar sua mão em meu pênis e ainda com sua boca em meu pescoço, não tinha ideia do que ela estava fazendo, mas era ruim demais, estava agoniado, ainda chorando e tentando sair daquela situação, comecei a suar frio e minha visão começa a escurecer até que eu desmaiei.


Não conseguia ver muita coisa, antes que ficasse completamente desacordado, pude perceber que mesmo depois de desmaiar, Yeonji não parou com o que estava fazendo.

Me senti completamente desconfortável, foi nojento, foi horrível, me sinto sujo e fraco por não ter conseguido sair daquela situação.


(...)



Depois de um tempo, eu acordei, estava deitado em um sofá, e a governanta estava sentada ao lado conversando com um médico.

Assim que abri os olhos eles olharam para mim e segundo o médico que logo veio falar comigo, mesmo eu não conseguindo entender bem o que estava acontecendo, eu havia desmaiado e que Yeonji disse que me encontrou desmaiado no banheiro depois de esperar por um longo tempo, querendo se safar do que ela fez, como eu não conseguia reagir, apenas assenti com a cabeça, que estava doendo demais.


Logo depois disso, o médico se retira da sala e Yeonji me olha da porta com um sorriso ladino, e logo depois colocando seu dedo na frente da boca indicando que eu deveria permanecer calado, foi então que eu entendi o que estava acontecendo, preferia nunca ter entendido.


Mesmo naquele estado, eu assisti o enterro de meus pais, e minhas lágrimas foram minha companhia enquanto via dois caixões sendo levados ao fundo da terra e logo enterrados por mais terra.

Esse foi o pior dia, o pior momento da minha vida.



Flashback off



-Eu preferia nunca ter lembrado disso, queria poder apagar isso da minha memória, estava tão bem sem lembrar disso, agora me sinto com 11 anos, a mesma sensação...e a vontade de me enterrar junto com aqueles caixões. - dizia Jungkook me deixando completamente chocada.


Eu só conseguia chorar com tudo aquilo, não consigo acreditar no que Yeonji fez com Jungkook, só consigo sentir nojo e raiva, se eu já odiava ela, agora odeio mais ainda, ela é uma criminosa.


-Jungkook, i-isso é muito sério, Yeonji precisa ser presa… - disse eu ainda sem saber como reagir- Que ódio dessa mulher! - gritei eu batendo a mão na parede com força.


-S/n….. - Jungkook me chamou com uma voz tranquila, quando me viro ele está com sua mão estendida a mim, eu respondo indo até ele ainda chorando um pouco, seguro sua mão - por isso eu precisava tanto de você, eu não tive ninguém que pudesse me ouvir, você é a primeira pessoa a saber disso, e me desculpa pelo o que eu disse mais cedo...eu ainda confio em você, mas por favor nunca mais esconda nada de mim, e não me deixe sozinho. - disse ele também deixando algumas lágrimas saírem de seus olhos.


-Nunca Jungkook, eu preciso de você mais do que você precisa de mim, você é tudo o que tenho. - passo minha mão sobre seu rosto enxugando suas lágrimas fazendo o mesmo sorrir.

Ele segura minha mão e beija a mesma, logo depois me olha com um olhar sereno.


-Te amo Kookie… - aproximo meu rosto do seu, e beijo seus lábios em um selinho demorado, mas muito apaixonado, agora ele sabe o que está fazendo, não foi como da primeira vez, mas sinto como se essa fosse a primeira vez que o beijo.


-Também te amo S/n...e por isso, quero te contar mais do que aconteceu, você precisa saber de tudo… - disse Kookie me deixando um pouco preocupada.


-Eu vou ouvir você Kookie, mas vamos deixar isso pra depois, e se recupere… - disse eu colocando minha testa a sua, e assim, demonstrando que tudo já estava bem, mas sentia que muita coisa estava por vir ainda.

Acho melhor me preparar...









Continua...


Notas Finais


Não vou nem falar nada...❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...