História My Beautiful Oppa - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, Monsta X
Personagens Hyung Won, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Ki Hyun, Kim Namjoon (RM), Lisa, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Bangtan Boys (BTS), Imagine, Jeon Jungkook, Jungkook, Romance, Você
Visualizações 128
Palavras 2.256
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 19 - Flashback Project: Betrayal


Depois de ouvir tudo aquilo de Jungkook, apesar de toda a minha raiva pela Yeonji ter aumentado, eu não poderia deixar isso transparecer.

Jungkook recebeu alta depois que seus exames saíram e todos indicavam que o mesmo estava bem, o que me deixou um pouco aliviada.


-Você realmente consegue ir sozinho? - pergunto à Jungkook antes de descer do carro onde o mesmo insistia para que eu não o ajudasse a andar, eu estava em frente a porta do banco de trás do carro enquanto Jungkook me olhava rindo da minha preocupação - não ri Kookie, é sério.


-Eu posso fazer isso sozinho S/n, não insista. - disse o mais alto saindo do carro e logo depois fechando a porta e vindo em minha direção com um sorriso tranquilo no rosto e depositando um beijo em minha testa. -Agora, vamos.


Ele pega em minha mão enquanto sorrio para ele e nós andamos em direção a varanda de sua casa. Jungkook tem o dom da beleza, é impossível descrever a beleza desse homem, é simplesmente incrível como ele consegue me deixar desconcertada simplesmente respirando. Fico olhando para ele um pouco boba com sua beleza encantadora e o mesmo ao perceber dá uma risada que incrementa mais beleza neste rosto esculpido pelos anjos ao som de Halo.


-Sabe, enquanto eu estava no hospital eu pude refletir sobre muita coisa, mas a melhor delas foi sobre nós… - diz ele andando vagarosamente com suas mãos entrelaçadas às minhas.


-O que refletiu sobre nós? - pergunto sorrindo.


-Refleti que eu e você continuamos como crianças, ainda não definimos nada entre nós em palavras, mas sabemos bem o que cada um sente. - ele se põe em minha frente e acaricia meu rosto enquanto sorri olhando para o mesmo.


-Pode ser...mas acho que está melhor assim, tudo é tão puro e inocente… - digo em meio a tantas expressões que me vieram à cabeça.


-Sim, mas não podemos ser inocentes vida toda S/n, se é que você me entende… - diz com um sorriso malicioso.


-Só você para falar algo assim Jungkook… - digo e logo deixo um beijo que era um selinho, mas logo se transforma em um beijo de língua com paixão.


Alguém me diz com quem Jungkook aprendeu a beijar tão bem?

Esse garoto nasceu com toda a perfeição pra ele.


Depois disso, ele me olha um pouco sem ar com um sorriso lindo, retribuo com outro e assim entramos abraçados em sua casa, onde encontramos Rose, Yeonji e Lisa posicionados em frente à escada para receber Jungkook.


-Seja bem vindo de volta Sr. Jungkook. - disse Rose com um sorriso estampado em seu rosto.


-Por favor Rose, sem essa formalidade toda, pode me chamar apenas de Jungkook. - diz Jungkook a reverenciando e sorrindo para ela, deixando a mesma envergonhada.


-Que bom que está de volta Jungkook, fico muito menos preocupada com você em casa. - diz Yeonji vindo até ele e beijando em seu rosto.


Então foi assim que Jesus se sentiu com Judas?


-Sr. Jungkook para você Yeonji, e por favor...distância funcionária. - diz Jungkook passando um lenço sobre o local onde Yeonji o beijou -Bem, eu estou com fome, e já sinto de longe o cheiro do melhor café da manhã deste mundo.


-Imagine Jungkook, vamos até a sala de jantar, a mesa já está posta e você poderá se deliciar o quanto quiser. Me acompanhe. - Rose diz educadamente ainda com seu sorriso no rosto.


No caminho, Lisa veio e se jogou no braço esquerdo de Jungkook sorrindo igual uma retardada e fazendo gracinhas para cima dele.


-Fico feliz em te ver de volta Kookie. - Jungkook permanece sério, estava apenas esperando a sua típica resposta para quem o chama pelo seu apelido sem que ele tenha deixado.


-Eu não te dei essa intimidade toda para me chamar assim. - diz ele ao mesmo tempo que sorria não olhava para Lisa, desmanchando o sorriso no rosto da mesma.


Nós finalmente chegamos a mesa do café da manhã que estava repleta de delícias preparadas por Rose, tudo parecia estar muito bom, logo Jungkook se sentou e começou a comer.


-Você vai ficar em pé Rose? Sente e coma comigo, S/n você também, vou ser bonzinho e deixar Lisa comer também. - disse ele já pegando algumas coisas da mesa.


Eu e Rose trocamos alguns olhares, depois de rirmos um para a outra, finalmente sentamos a mesa e comemos algo. Lisa fez o mesmo, apenas Yeonji permaneceu em pé, e ao insinuar que não iria comer nada por estar de dieta, Jungkook apenas disse que de qualquer forma ela não estava convidada a se sentar conosco.

Eu acho é pouco tudo isso.



(...)


Já era finalzinho de tarde, eu fiquei boa parte do dia pegando parte do conteúdo que perdi na facul, Jungkook dormiu um pouco já que no hospital suas noites não foram tão boas, todas as noites ele acordava dizendo que não se sentia bem ou a cama não estava ajustada de forma confortável, espero que agora ele consiga se sentir melhor e dormir bastante, para mim não basta que ele esteja apenas bem de saúde se não estiver descansado.


Quando eu finalmente terminei tudo, coloquei os livros de lado, coloquei meus fones de ouvido e me deitei na cama, fechando meus olhos e me imaginando em um mundo completamente meu, minhas músicas favoritas tocando e eu ali embrazando.

Até que sinto que tem alguém no quarto, e ao abrir meus olhos, vejo um Jungkook me observando de pé ao lado da cama.

Então é essa a visão né?


-Quer ouvir música? - pergunto tirando um lado do fone.


-O que está ouvindo? Espero que seja música boa. - diz ele pegando o outro lado do fone e se sentando do meu lado na cama.


-Estou ouvindo "Lie", de um cantor incrível, Jimin, conhece? - pergunto.


-Já ouvi falar, mas não escutei nada dele, na verdade não escutei muitas músicas por esses anos, mas parece ser boa. - disse ele enquanto escutava um pouco.


-Não seja por isso, vou te mostrar toda a minha playlist e você vai ver quanta música boa tem. - digo colocando minha cabeça em seu ombro, fazendo Kookie sorrir.


-Claro, mas vamos deixar isso para depois, agora eu quero conversar com você. - disse ele colocando o fone de lado.


-Sobre o quê? - coloco o celular na mesinha do lado da cama.


-Bem… - ele suspira e olha para baixo - eu andei lembrando de algumas coisas que me deixaram um tanto quanto intrigado, e eu sinto que preciso falar disso com alguém, e ninguém melhor do que você para ouvir. - ele fala sorrindo, agora olhando para mim.


-Eu vou adorar te ouvir Kookie.


-Mas já adianto, vem muita coisa então o papo vai longe...mas faço isso porque eu confio em você, e você precisa saber dessas coisas…


Eu pego em sua mão e a seguro próximo ao meu rosto beijando a mesma.


-Bem, então vamos lá...




Flashback on


Eu estava em casa, creio que eram umas 15:00 da tarde, S/n não veio para casa hoje, fiquei sabendo que ela está doente mas espero que ela melhore logo e que possamos brincar amanhã.

Estava no meu quarto jogando video game, mas já estava cansado de ficar ali sentado em frente a televisão, queria fazer algo divertido e que me distraísse. Depois que consegui vencer mais uma partida coloquei o controle do lado e me estiquei de tão cansado e com tédio que estava, assim que desliguei o jogo, saí do meu quarto e fui para o andar de baixo, no caminho percebi que a porta do escritório de meu pai, que fica quase em frente ao meu quarto. Pensei que poderia ser errado espiar, mas meu pai quase nunca me deixa entrar lá dentro, e eu nunca sei o que acontece lá, curioso como sou, fui disfarçadamente até a porta.


Comecei a ouvir alguns cochichos, e percebi um movimento estranho, e uma conversa entre a governanta e meu pai. 

Me escondi por uma abertura bem pequena da porta e consegui ver o que estava acontecendo.


-Sabe que essa empresa nem deveria existir, não sei porque ainda insisto em fazer essa merda ir para frente. - diz meu pai estressado, sua gravata frouxa e o mesmo suava um pouco, ele colocava sua mão sobre sua testa jogando sua cabeça para trás e demonstrava indignação.


-Você já chegou até aqui, não tem mais volta, acho que deveria assinar esse acordo com o cliente, ou você acha que vai conseguir recuperar tudo sozinho? - pergunta a governanta em um tom um tanto autoritário e com vários papéis em sua mão.


Mas afinal, o que Yeonji tem a ver com os negócios do meu pai? Acho estranho que meu pai não tenha dito que ela está sendo intrometida.


Meu pai não fala nada apenas bate sua mão com força na mesa me assustando um pouco, logo Yeonji vai até ele e passa suas mãos pelas suas costas, provavelmente tentando o fazer ficar relaxado.


-Fique calmo, acho que você deveria relaxar… - dizia ela enquanto passava suas mãos nas costas de meu pai e logo as levando para seu rosto e o virando para ela de forma estranha - E eu sei bem como fazer isso…


Yeonji se joga em meu pai e o beija de forma intensa, me choquei com aquilo, afinal ele era um homem casado, poderíamos dizer que ela está dando em cima dele, mas era nítido que ele retribuía os beijos e as carícias.

Meu pai simplesmente coloca Yeonji sobre sua mesa e a mesma arranca sua gravata e começa a desabotoar os botões de sua camisa, enquanto meu pai beijava seu pescoço e acariciava as coxas da governanta.


Aquilo estava ficando ruim demais para que continuasse vendo, então eu sai dali, mas assim que me virei acabo por trombar em minha mãe que estava com um sorriso lindo em seu rosto.


-Calma filho, o que estava fazendo? Estava espiando seu pai? - perguntava simpática depois que percebeu uma pequena abertura da porta a qual eu estava olhando - sabe que seu pai não gosta disso.


-Sei mamãe, não farei novamente. - disse eu perplexo com o que tinha visto, um pouco sério mas meu sentimento na hora era decepção.


-Eu vou fechar melhor essa port… - minha mãe vai até a porta com um sorriso, mas assim que vê o que estava acontecendo ela para e quando olho, apenas a vejo de costas em frente a porta. - Entre no seu quarto filho. - disse ela sem expressar nada em sua fala, como foi uma ordem, apenas a obedeci, mas estava com medo do que viria.


Entrei em meu quarto correndo, fechei minha porta e fiquei atrás dela com minhas mãos sobre meus olhos, apenas desejando que tudo aquilo fosse um pesadelo.

Da porta conseguia ouvir os gritos, minha mãe xingava meu pai e a governanta que tentavam se defender, a casa parecia uma confusão, o eco dos gritos corriam pela casa como o vento, até que se cessou após um estalo bem forte, provavelmente de um tapa, não fazia ideia, mas minha mãe bateu em meu pai.

Abri a porta, e percebi o que aconteceu, meu pai ficou irado e pegou minha mãe pelo braço a levando em direção ao quarto dos dois, a governanta apenas se manteve ali, parada.

Não vi nada mais depois disso, me joguei em minha cama e segurei para não chorar, não queria chorar naquele momento pois não entendia nada e minha cabeça estava uma confusão completa. Queria que tudo aquilo nunca tivesse acontecido.



(...)



Depois de 2 horas, meu pai e minha mãe ainda estavam trancados no quarto, não se ouvia nada e nem vi Yeonji mais naquele dia, mas lembro de Rose conversando com a mãe de S/n na escada, estavam cochichando sobre algo, que não sei até hoje o que era.

Até que finalmente, a porta do quarto de meus pais abriu, e de lá saíram os dois, minha mãe na frente de meu pai, a mesma sorria com graça assim como meu pai que a beijava no rosto.

Eles vieram até minha direção assim que me viram sentado na escada em frente ao corredor que levava ao quarto deles.

Minha mãe abaixou e olhou em meus olhos, pegou em minha mão e sussurrou em meu ouvido. 


-Nada daquilo foi real, esqueça pois foi apenas uma fantasia. Está tudo bem. - sussurrou ela ainda com seu sorriso e depois se levantou indo até o andar de baixo.


Eu continuei ali, sem dizer nada, não conseguia e nem se conseguisse eu o faria, queria ficar calado e deixar com que os fatos falassem por si só.

Eu não sei e nem passa pela minha cabeça o que aconteceu naquele quarto muito menos o que meu pai possa ter feito, mas de jeito algum eu acreditei no que minha mãe disse, pois sua boca disse algo, mas seus olhos me diziam completamente o contrário, nada estava bem, nada fazia sentido. 

Mesmo sendo criança, sabia bem o que era real ou não, e aquilo, por mais que me doa, foi real.


Flashback off



Estava muito chocada com essa revelação de Jungkook, nem consegui dizer nada, o mesmo deixou uma lágrima rolar de seu rosto e eu apenas o abracei, que retribui o abraço.

Sinto que de acordo com as coisas que ele for me falando eu terei que abraçá-lo mais vezes, já que ele insiste em querer me contar tudo de uma vez.










Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...