História My Beloved Hybrid ( Imagine- Jeon Jungkook) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys
Visualizações 322
Palavras 2.758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Trouxe mais um capítulo para vocês espero que gostem :3
Acabei de escrever então se houver algum erro me desculpem :)

Boa leitura <3

Capítulo 3 - Espantada?


 O vi sorrir para mim dando uma leve reverencia, mas seus olhos em momento algum tiram a atenção de mim. Senti por um momento meus olhos arderem e com um movimento rápido, fechei meus olhos com um pouco de brutalidade, os abri novamente e agora a pessoa que até pouco tempo atrás me encarava sem qualquer tipo de expressão parecia surpreso. O havia acontecido?

- Vou deixá-los a sós agora, preciso resolver alguns assuntos pendentes. Usem esse tempo para se conhecerem melhor sim?! – Disse Jin dando-me um beijo estalado na testa e logo saindo do quarto.

 Assim que a porta foi fechada voltei minha atenção ao garoto que permanecia em pé e com a mesma expressão de surpresa. Ajeitei-me melhor na cama e continuei a observá-lo em silêncio. Qual o problema dele?

- Não quer se sentar? – Estendi minha mão a apontando para o espaço vago que tinha na minha cama, que por ser de casal, era espaçosa o suficiente.

 O vi tossir de leve desviando seu olhar de mim indo se sentar. Será que não passei uma boa impressão?  Sei que eu não conheço direito este rapaz, mas não quero que aconteça um mal-entendido entre nós; mesmo que não tenhamos dito praticamente nada um ao outro.

- Você está realmente bem? – E essa foi a primeira vez que pude ouvir sua voz, que por sinal soou baixa, mas que ecoou suavemente pelo quarto num tom doce.

- Sim. – Disse simplista. – Por quanto tempo fiquei desacordada? – Perguntei vendo o mesmo voltar sua atenção a mim.

- Só um dia. – Continuou me observando, mas dessa vez mais intensamente.

- Você está bem? Desde o momento que acordei você não para de me encarar, mas agora já está me assustando. – Perguntei indo um pouco para traz me encolhendo nos travesseiros.

- Desculpe, é que... – Desviou seu olhar agora observando o chão. – Seus olhos. – Praticamente sussurrou, mas consegui ouvi-lo. – Eles são assim o tempo todo? – Perguntou me observando de lado.

- Assim como? O que tem de errado? – Perguntei um pouco preocupada.

- Um preto e o outro branco, sem nenhuma pupila ou íris.

- Ah isso. – Murmurei tirando minha atenção de si e piscando algumas vezes. Às vezes não consigo controlar isso, eles apenas mudam de cor. – Acontece algumas vezes, mas não é nada demais. – Sorri minimamente.

  Um silêncio predominou todo o quarto causando-me certo desconforto. Continuei a observá-lo, mas depois de um curto período de tempo senti minhas bochechas esquentarem, então desviei meu olhar do seu dando atenção para o teto e posso jurar que ouvi uma risada alheia.

- Então... Quantos anos você tem? – Perguntei tentando tirar aquele desconforto que dominava todo o local.

- Cento e cinquenta e sete anos. – Arregalei meus olhos engolindo o seco. Ele tem essa idade com essa aparência? – Mas não diga a ninguém com formos para o colégio ok?! – Sorriu.

- Um rapaz desta idade que ainda não terminou os estudos. – Sorri sem perceber a atenção que foi direcionada a mim.

- EI! Isso são maneiras de tratar alguém mais velho que você? – Perguntou em um tom de raiva.

- Desculpa, não tive intenção, só escapou. – Disse envergonhada desviando meu olhar mais uma vez. O que era para ser só um pensamento acabou por soar alto demais. Por que carambolas eu tive que dizer aquilo? Meus parabéns S/n, meus parabéns, agora tenho certeza de que não causei uma boa impressão.

- Tudo bem, mas não volte a dizer isso, principalmente quando estivermos no colégio. – Bufou. – Queria entender Jin. – Disse se deitando sobre o espaço vago da cama, com a atenção voltada para o teto, parecia chateado. – Por que me colocar no mesmo colégio que estudei anos atrás? Espero apenas que as pessoas que estudam lá hoje em dia não sejam interesseiras como antigamente.

- Duvido. – Ri baixo.

- Por quê? – Perguntou me fitando. Eu deveria ter um zíper ao invés de boca.

- Por que, mesmo que eu não tenha muitas convivências com outras pessoas, sei muito bem que elas só se aproximam de você por puro interesse, e digo por experiência própria. São poucas as vezes que se encontra alguém com que pode ter uma relação amigável sem que exista qualquer tipo de interesse. – Disse a verdade, minha experiência não foi boa e tenho certeza que isso não mudou.

- E em quantos colégios você estudou para ter tanta certeza assim?

- Só em um, e já deve fazer uns três anos que não piso em um colégio.

- Então como sabe se já faz três anos que não estuda em um colégio? As coisas podem ter mudado nesse tempo. – Se sentou novamente na cama.

- Acho que não, esse é um hábito comum que todo mundo tem e deve ser difícil deixar de existir em tão pouco tempo assim, mesmo nos dias de hoje. Se você parar para pensar em toda a experiência que possui, quantas vezes alguém se aproximou de você por querem apenas ser seu amigo de verdade e quantas se aproximaram de você por puro interesse? A diferença é grande não acha?! – Assentiu.

- É você tem razão... – Sua voz soou fraca. – Mas como você disse existem exceções. O que acha de sermos amigos? – O olhei um pouco surpresa.

- Não muita experiência com amigos. – Disse cabisbaixa.

- Então podemos ter uma relação como irmão, o que acha? – Sorriu.

- Meu irmão morreu quando eu tinha quatorze anos de idade. Minha mãe me disse que foi porque ele não tinha resistido e veio a óbito. Você vai morrer também? – Perguntei e o vi arregalar os olhos. Será que disse algo errado?

- Não! Que tipo de pergunta é essa?! Vou cuidar de você e te proteger como um irmão mais velho e não deixarei nada de ruim acontecer a você. Não volte mais nesse assunto. – Assenti. – Bom, o que quer fazer agora? – Mudou de assunto.

- Quero tomar um bom banho e comer alguma coisa, por que eu estou com fome. – O vi levar da cama.

- Ah claro. Bem, quando terminar desça para comer, vou preparar algo para você. – Disse indo em direção à porta.

- JungKook?

- Sim? – Voltou sua atenção a mim.

- Você sabe onde estão as minhas malas? Não me lembro de mais nada depois daquele acidente, você sabe o que aconteceu? – O vi tossir novamente.

- Suas malas? – Coçou sua orelha esquerda. – Acho que estão lá em baixo. Pode deixar que eu as pego tudo bem. Enquanto isso pode ir tomar seu banho, deve ter toalhas limpas no banheiro, Jin sempre deixa uma. Não se preocupe ok, já volto. E não se esqueça S/n, a partir de agora somos irmão e não deixarei mais nada de ruim te acontecer tá! – Sorriu saindo do quarto.

- Tá né. – Fui para o banheiro sem entender aquele tipo de reação dele. Parece que agora estamos nos dando bem, acho que Jin ficará feliz por isso.

 Despi-me no banheiro e fui direto para a banheira tomar meu banho, finalmente iria sentir-me limpa.

 

 

            JungKook Pov’s

 

 Que idiota eu fui, tenho certeza que ela suspeitou de algo, mas pelo menos acho que agi bem em tentar me aproximar dela, deve ter dado certo já que ela não negou. Jin deve ficar feliz com meu progresso, mas a única coisa que devo me preocupar agora é em onde aquele carro deve estar.

 Continuei andando pela rua deserta, já que ela dava apenas na residência de Jin por ser mais afastada dos outros lugares. Adentrei pelo vácuo que tinha entre algumas árvores ali, e se olhar para o chão ainda é possível ver as marcas do pneu. Espero que S/n não descubra que foi eu o causador do acidente.

 Avistei o carro que estava com duas das rodas laterais para cima encostado-se a uma árvore meio tombada. O desci e arranquei a porta do porta-malas, que estava entre aberta. Jin com certeza ficará mais irritado ainda, mesmo que ele não tenha dito nada tenho certeza que ele está furioso por eu ter sido culpado do estrago um de seus carros.

 Peguei as duas malas que continham ali e fui diretamente para casa, S/n já deve estar esperando por suas roupas. Talvez ela não se importe de ter um ou dois “arranhões” em suas malas, que por sinal não estavam nem um pouquinho leves e ainda por cima desse tamanho. Será que tem só roupas aqui mesmo?!  

 Cheguei em casa e deixei uma das malas na sala e a outra iria levar para cima. Abri a porta de seu quarto o observando para ter certeza de que ela ainda estava no banho, deixei a mala lá e desci para pegar a outra.

 Peguei-a indo em direção novamente ao quarto de S/n, que era um dos últimos do corredor. Abri a porta mais uma vez e adentrei seu quarto, mas deveria ter verificado de novo por que agora ela estava em minha frente, parada me observando envergonhada, enquanto estava enrolada em uma toalha branca que cobria suas partes intimas.

- Desculpa, eu achei que você ainda estava no banho. – Desviei meu olhar de seu corpo, soltando as malas de uma vez. Eu não deveria ter feito isso, aquela mala caiu bem em cima do meu pé. – AI, MERDA. – Gritei de dor abaixando para ver se eu ainda tinha um pé.

- JungKook, você está bem? – S/n disse vindo em minha direção enquanto segurava o encontro da toalha para não se desenrolar.

- Estou, só doeu um pouco. – Observei seu tom de preocupação. Seu cabelo estava molhado e em seu corpo havia algumas gotas de água. Observei seu rosto, que ainda estava direcionado para meu pé, uma gota de água desceu por rosto parando no queixo, sua boca estava entre aberta e a mesma piscava lentamente; seus olhos brilhavam. Desde quando ficamos tão próximos assim? Tossi de leve recebendo sua atenção, recuei um pouco e me levantei, a vi fazer o mesmo se afastando um pouco. – Desculpa por isso, vou deixa-la sozinha agora, não se preocupe tá. – Saí rapidamente de seu quarto indo para a cozinha, já que ela me disse que estava com fome.

 Como Jin havia feito massa para panquecas mais sedo a usei, peguei na geladeira o suco de laranja que tinha e coloquei sobre a mesa de jantar. Peguei um prato para as panquecas que já estavam prontas e as coloquei ao lado do suco, peguei a manteiga e o mel e deixei-os também sobre a mesma.

 Vi S/n adentra a cozinha, mas agora vestida. Observei-a enquanto caminhava calmamente até a mesa, seu rosto estava vermelho, e ela segurava seu braço esquerdo enquanto mordiscava seu lábio inferior. Ela estava envergonhada e não tinha sua atenção voltada a mim, provavelmente pelo ocorrido mais cedo.

- Desculpe por aquilo S/n, eu realmente não tive intenção. – Sorriu minimamente e me olhou.

- Tudo bem, não se preocupe. – Sorriu sem mostrar os dentes. – Nossa que cheiro bom. – Se aproximou das panquecas

- Coma, elas acabaram de ficar prontas. – Assentiu se sentando.

 Voltei para o fogão para preparar mais, peguei outro prato e coloquei as últimas panquecas dentro dele. Sentei a frente S/n e a vi devorar as panquecas que continham em seu prato. Ela realmente deve estar com fome.

- Está bom? – Sorri ao a ver olhar para mim com as bochechas cheinhas, pois acabara de comer um pedaço generoso da panqueca.

- Sim. – Disse com a mão na frente da boca e voltou a comer.

Coloquei um pouco da calda em minhas panquecas e comi junto com ela. Ora ou outra nossos olhares se encontravam, mas sempre que acontecia, ela desviava o olhar rapidamente. Era algo realmente fofo.

 Terminamos de comer e me ofereci para arrumar as coisas, mas ela insistiu em me ajudar então não neguei. Tenho certeza que estou conseguindo me aproximar dela e estou feliz por isso, S/n é uma garota legal.

 

 

ƔƔƔƔƔƔƔƔƔƔƔƔƔƔ

 

 

 Já se passava das sete da noite, S/n estava em seu quarto e Jin ainda não tinha chegado. Ele é realmente um homem muito ocupado, trabalha em um dos maiores hospitais de Seul nos dias normais e é um mago egrégio, com muitos afazeres no mundo que conhecemos. Fico me perguntando como pude ser tão burro e chegar ao ponto de odiar a pessoa que sempre cuidou de mim e me tratou como filho. Mesmo que ele tenha dito que está tudo bem e que me perdoou pelo que fiz, ainda me sinto culpado por tudo. Fiz muito mal a ele, mas isso não irá se repetir.  

 Ouvi passos pela sala e então avistei Jin entrar sorridente, mas não me parecia boa coisa, pois sei diferenciar o sorriso sarcástico do verdadeiro de Jin. O que será que viria?

- Oi. – Recebi sua atenção e ele vinha diretamente em minha direção.

- Oi. – Se sentou ao meu lado. – O que acha de irmos jantar em um restaurante com o Yoongi e os sobrinhos dele? – Perguntou

- Não sei. Bom? – Disse e o vi sorrir ainda mais.

- Excelente. Agora quero que faça algo para mim.

- Sabia. – Murmurei.

- Como tenho certeza que você conseguiu se aproximar da S/n, quero que vá convencê-la. Ela não gosta muito de sair com outras pessoas e sempre se recusa em ir a algum lugar que tenha muita gente e o lugar que vamos vai estar cheio. Como não se faz nenhum dia direito que se conheceram, ela certamente não negará um pedido seu já que tentará ter uma boa impressão para você, então vá logo que combinei com eles às oito horas.

- Por que é que ela vai tentar ter uma boa impressão para mim? – Indaguei

- Por que conheço minha sobrinha e se por um acaso vocês conseguiram ter uma conversa com mais de dez palavras proferidas delas, o que certamente aconteceu, significa que você está conseguindo se aproximar dela e ela não vai querer que tenha a impressão errada dela. Então vá logo. – Disse me levantado do sofá me empurrando para cima. – Ah, e peça para ela colocar o vestido que comprei para ela em seu último aniversário.

 Subi e parei em frente ao quarto de S/n, bati algumas vezes na porta, mas não obtive resposta então apenas entrei esperando de verdade que ela estava vestida. Assim que adentrei seu quarto a vi deitada, seus olhos estavam fechados e ela ouvia música com os fones, que mesmo de longe, pude ouvir que estavam no último volume. Por isso que não recebia nenhum tipo de resposta.

 Cheguei mais próximo dela e cutuquei seu braço e mais uma vez não obtive resposta, então fiz o que com certeza uma pessoa que não sabia o que fazer para receber atenção faria; tirei um de seus fones e foi nesse momento que ela abriu seus olhos. Assustei-me um já que seus olhos estavam com hoje mais cedo, um totalmente preto e o outro totalmente branco.

- Ah, oi. – Disse um pouco receoso. – É que o Jin chegou e pediu para avisar para você arrumar, pois vamos a um jantar com um dos amigos dele e os seus sobrinhos às oito horas e ele pediu para dizer que era para você por um vestido que ele te deu em seu último aniversário. – Ela em momento algum desviou seu olhar de mim e apenas se sentou em sua cama.

- Ok. – Disse meio triste, parecia cansada. Até que foi mais fácil do que pensei. Ela se levantou indo ao guarda-roupa, pegou de lá o vestido que estava dentro de um tipo que capa e colocou sobre a cama.

- Vou indo agora. – A vi sorrir de lado. Ela não me parecia bem, mas seus olhos logo voltaram ao normal talvez não tivesse percebido o que acabara de acontecer.

 Fui para meu quarto e me ajeitei, coloquei uma calça jeans preta, blusa branca de manga curta, meu tênis preto e uma jaqueta. Não iria tão formal assim já que conhecia aqueles três há anos.

 Desci as escadas e me surpreendi ao ver S/n estava linda em um vestido azul, seus cabelos estavam saltos - o que a deixava encantadora - e por incrível que pareça ficou pronta primeiro do que eu. Talvez eu me preocupe demais com a minha vaidade e olha que nem me produzi todo.

 Fomos em direção ao carro, a viajem toda foi em silêncio e ao chegarmos a frente ao restaurante, que como Jin disse estava lotado, ouvi S/n bufar. Descemos e fomos em direção a mesa reservada, nela já estavam as três pessoas que encontraríamos e pude ver a expressão de S/n de uma certa tristeza para espantada

 


Notas Finais


Então é isso. Espero que tenham gostado <3

Até a próxima, beijos '3'

Comentem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...