1. Spirit Fanfics >
  2. My Best Choice - Imagine Hoseok >
  3. Our Lily - Bônus

História My Best Choice - Imagine Hoseok - Capítulo 2


Escrita por: __starlady

Notas do Autor


Oi oi nenês! Finalmente cheguei com o bônus!
Infelizmente não batemos a meta, terminei o cap e não aguentei esperar, então tô aqui!
Quero agradecer a todos que divulgaram a fic, a cada favorito e a cada comentário, muito obrigada de verdade!

Obrigada a minha nenê ~Boo_MacFly pelo banner maravilhoso <3
sem mais delongas, vamos ao cap, nos vemos nas notas finais
Boa Leitura!

Capítulo 2 - Our Lily - Bônus


Fanfic / Fanfiction My Best Choice - Imagine Hoseok - Capítulo 2 - Our Lily - Bônus

Um ano depois...

Acordo com os raios solares aquecendo minha pele, sinto o perfume que a pele dela exala, perfume esse que me enlouquece a cada dia que passo ao seu lado.

Me aproximo um pouco mais do seu corpo, abraçando-a por trás, acariciando a sua barriga agora um pouco avantajada, cheiro seus cabelos, beijo seu ombro... Como eu a amo.

Pensei que depois de um ano que ela havia se tornado minha, o que eu sentia desde a primeira vez que pus os olhos nela, que a tive ao meu lado, que a determinei minha companheira, iria passar, ou esfriar, mas foi completamente ao contrário.

A cada dia que passa eu a amo mais, ainda mais agora, que minha pequena e eu não mais estaríamos sozinhos. Sinto a mais nova se aconchegar mais em meus braços, seus batimentos ritmados, sua respiração ainda calma... Não demorou muito para que sua voz melodiosa preenchesse o ambiente, desejando-me um bom dia um tanto quanto manhoso.

— Bom dia Princesa — selei sua cabeça enquanto aspirava seu perfume — Dormiu bem? — a mais nova acenou positivamente com a cabeça enquanto eu apertava o abraço cheirando seu pescoço.

Agora que minha menina estava grávida, o seu cheiro vem se tornando irresistível a cada dia que passa. Desde que a mais nova completou cinco meses de gestação nós não transávamos, não por vontade dela, mas por medo meu em machucá-la, afinal, eu sou um lobo, e convenhamos que não sou muito delicado em alguns quesitos, ainda mais no sexo. Infelizmente, ou felizmente essa decisão não deixou a ômega nada feliz.

— Hope...

— Hmm? — respondi ainda com o rosto na curvatura do seu pescoço

— Oppa... — chamou manhosa, rapidamente invertendo nossas posições sentando sobre o meu membro — Eu quero transar — dei uma risada baixa, não me surpreendendo com seu pedido. A garota dava reboladas intensas sobre o meu membro, fazendo com que o mesmo começasse a ficar desperto, ao contrário das grávidas normais, minha garota não perdeu sua agilidade por estar gravida e isso tornava nossos dias mais interessantes.

— Amor... Não faz assim.... — arfei pesado, enquanto ela intensificava um pouco mais seus movimentos — Você está grávida pequena, temos que ser cuidadosos, não quero que nada de ruim aconteça ao nosso bebê — falei acariciando seu rosto e sua barriga redondinha.

— A forma como você fala dá a impressão de gravidez é algo contagioso — revirou os olhos saindo do meu colo — A obstetra disse que sexo durante a gravidez é ótimo e também é super seguro.

— Jagi, você está com cinco meses, tem que evitar certos tipos de esforços — meu receio ao terminar a frase era palpável, minha lobo tem um temperamento muito forte e depois que ficamos juntos, acabou se mostrando bastante atrevida, estava se tornando difícil sobreviver a esse mês...

— Já entendi tudo Hoseok, você está com nojo de mim— me respondeu visivelmente irritada — Estou grávida de cinco meses, enorme de gorda, cheia de hormônios, louca para dar, com a boceta intocada a mais de um mês e meu marido não quer me foder — Estava impressionado e incrivelmente excitado com as palavras sujas que ela usou. Levantou da cama indo até a porta usando apenas uma camisa minha que não cobria totalmente sua barriga ou bunda, que estava coberta apenas pela calcinha, os olhos amarelos e suas presinhas amostra, evidenciavam a sua irritação — Vou arrumar alguém para me foder, já que o alfa que eu chamo de marido é frouxo e não tem coragem pra isso — continuou a falar, soltei um rosnado alto, que mostrava o quanto fiquei irritado devido a sua insinuação atrevida — Você está tão tranquilo que deve estar fodendo alguma vadia por aí quando não estou em casa... — não terminou de falar, saindo do quarto pisando duro, indo para o andar de baixo da casa.

— Aiish... o que eu faço com essa garota? — levantei da cama bagunçando os cabelos e fui atrás da mais nova.

— Amor... — chamei ela enquanto me aproximava da cozinha, ouvi seus soluços, odeio ver minha menina chorar, me aproximei abraçando a por trás — Eu nunca vou trocar você por outra minha princesa — sussurrei em seu ouvido — Eu amo você pequena, eu e meu lobo escolhemos você! — seus soluços se tornaram um pouco mais altos — Você é minha e eu sou seu, para sempre.

Virei a mais nova, para que ela ficasse de frente para mim, enxuguei as lagrimas que escorriam pelo seu rosto e selei nossos lábios brevemente, parti o beijo enquanto encostava nossas testas.

— Des-sculpa amor — falou com a voz entrecortada enterrando seu rosto em meu peito — sei que estou muito chata esses dias, me perdoa... — Passei a distribuir beijos por seu rosto, nariz, testa, bochechas, terminando o ciclo ao chegar em seus lábios.

— Vem cá — peguei sua mão, guiando a mais nova até nosso quarto. Iria enfrentar meu medo, não aguentava mais essa abstinência. Entramos no quarto, levei a menor até a cama, sentando-a na mesma. Beijei sua testa e logo após os seus lábios, descendo os beijos por seu pescoço maltratando aquela área.

— Hobi... aaah... — tentou falar, sendo interrompida por um gemido, continuando logo após — A gente não precisa transar só porque eu botei pressão.

— Eu sei Jagi — coloquei a lobo no centro da cama, sentando em suas pernas — Mas você foi tão má comigo — beijei sua barriga ainda coberta pela camisa — Me deixou tão puto e tão excitado — levei sua mão até minha ereção, apertando o local soltando um arfar pesado — Tá vendo o que você fez comigo? — me coloquei com cuidado sobre seu corpo, tomando seus lábios em um beijo voraz e quente.

Parti o beijo após um tempo, para despir a mais nova, deixando-a apenas de calcinha. Desci os beijos por seu pescoço e colo, mordiscando e sugando sua pele, marcando-a como eu bem entendia.

Dei leves sucções em suas clavículas descendo até seus seios fartos beijando, mordendo e sugando aquela área, beijei o vale de seus seios, indo até a barriga redondinha, beijando e acariciando a mesma, olhava a mais nova nos olhos, observando a mesma sorrir terna.

Retirei a última peça que a cobria, deixando-a totalmente exposta para mim. Passei a observar seu corpo, meus olhos percorriam toda sua pele exposta, gravando em minha mente aquela imagem única, as bochechas coradas, a respiração descompassada, os cabelos bagunçados, linda!

— Não me olha assim.... — comentou claramente envergonhada, arrancando uma risada contida minha.

— Você é tão linda! — distribuí beijos por suas coxas, indo até sua intimidade suplicante — Tão molhadinha... — passei estimular aquela área sensível, ora sugando ora friccionando minha língua em seu clitóris inchadinho, introduzi dois dedos em sua entrada, arrancando um gemido alto da mais nova.

Intensifiquei meus movimentos, olhando para a garota, os olhos fechados, os lábios partidos, suas mãos maltratando seus seios, as costas arqueadas enquanto gemia meu nome anunciando seu ápice, encharcando meus dedos, limpei todo seu liquido, me deliciando com o sabor doce do mesmo e o aroma inebriante.

Afastei meu rosto de sua intimidade aproximando-me do seu rosto, selei nossos lábios, aprofundando logo após, fazendo a mais nova sentir seu próprio gosto, acariciando sua língua com a minha, tornando o ósculo ainda mais quente, fazendo com que meu lobo vibrasse em excitação.

Seu toque delicado em meu peito, acariciando minha pele, descendo as caricias até retirar a única peça que cobria meu corpo. Inverti nossas posições deixando a lobo por cima, posicionando meu membro em sua intimidade necessitada, me afundando nela em seguida. Gememos em uníssono quando a mais nova iniciou seus movimentos lentos, subindo e descendo engolindo meu membro por completo.

Segurei firmemente em sua cintura, intensificando os movimentos, tornando-os mais rápidos, uma fina camade de suor se formava na mais nova, seus cabelos bagunçados colados ao rosto, nossas respirações descompassadas e os gemidos altos e descontrolados, unidos aos sons de nossos corpos se chocando preenchendo o ambiente.

Sua intimidade passou a me apertar de uma forma intensa, nossos gemidos se tornando mais altos, os movimentos mais rápidos, os olhos cerrados, os lábios partidos, a cabeça pendida para trás, seus seios fartos balançando, não consegui mais me segurar observando toda essa cena maravilhosa e atingi meu ápice, liberando meu liquido dentro da mais nova, sendo seguido por ela logo após. A mais nova saiu de cima de mim deitando sobre meu peito, cobri nossos corpos e logo adormecemos.

[...]

Sentado na cadeira de amamentar, embalava o sono da pequenina em meus braços, os cabelinhos pretos e lisos como os meus, olhos grandes e redondos como os da mãe, as bochechinhas redondinhas e grandes, perfeita!

— Imaginei que estaria aqui, babando nossa filha — direcionei minha atenção para a mais nova, que esboçava o sorriso mais lindo ao observar a pequena em meus braços.

— É inevitável Jagi — comentei desviando meu olhar do seu rosto para admirar a pequena — Ela é muito linda, parece um bolinho de tão fofa, as vezes quero espremer ela...

— Você quer é matar a menina asfixiada, isso sim! Me dá ela — tirou a pequena dos meus braços e sentou no meu colo, enquanto abraçava sua cintura — Que nome vamos dar a ela Hobi?

— Andei pensando em Nari, é um nome puramente coreano que significa Lírio — fiz uma pausa, vendo a mais nova me observar atentamente, olhei o arranjo de Lírios brancos no quarto e continuei — Flores as quais me lembram você e sua pureza e beleza, qualidades que eu tenho certeza que nossa pequena herdará de ti — seu rosto se iluminou de uma forma maravilhosa, esboçando um sorriso que aqueceu meu coração.

— Aigoo, depois de todo esse tempo você ainda consegue fazer com que eu me apaixone ainda mais por ti! Amei o nome que você escolheu pra nossa pequena amor — selou nossos lábios — Nossa pequena Nari, nosso Lírio. — Tenho plena certeza que agora eu estou cem por cento completo, observava a minha menina que agora acariciava o rosto da pequena adormecida em seus braços, sorrindo terna. Sim... definitivamente agora eu posso dizer que sou o alfa mais feliz e completo do universo, junto a minha garota e nosso pequeno Lírio.


Notas Finais


E então? Gostaram? Espero que sim!

Tenho uma indicação para vocês, essa fic é meu novo amorzinho, é com meu ult, o Jiminzinho <3 espero muito que vocês gostem dela e deem muito amor a essa obra!

Marcas da Mordida - Imagine Park Jimin:
Sinopse:
"Minha visão estava turva, vi alguém se aproximando mas não consegui ver seu rosto, já que vestia uma grande capa vermelho-sangue. Deixei que meu corpo caísse a beira do lago, já não havia forças suficientes para me manter de pé.

— Ei, senhorita. Estás bem? — Perguntou-me uma voz doce e calma, a mesma me trouxera um pouco de alívio e pânico ao mesmo tempo, afinal, muitos dizem que lobos se escondem na pele de um cordeiro. Que grande ironia essa frase, todos somos lobos, mas nem todos tem consigo um demônio.

"É o meu fim." - Pensei."

https://spiritfanfics.com/historia/marcas-da-mordida-long-imagine-jimin--bts-8180123

Por favor, comentem, a opinião de vocês é sempre importante.
Beijinhos nenês, até o próximo imagine <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...