1. Spirit Fanfics >
  2. My Best Friend >
  3. Capítulo Único - Important Celebration (Part - 1)

História My Best Friend - Capítulo 1


Escrita por: writing-lover

Notas do Autor


OI OI OI GALERA, EU SUMO, MAS EU JURO QUE VOLTO. NÃO ME ABANDONEMMMM

seguinte, eu tenho uma preferência por sempre manter a linguagem do Fefo e do Bru mais próximas possíveis da realidade, mas dessa vez eu deixei minha imaginação ir longe mesmo, então talvez não seja nesse capítulo, mas no próximo vocês vão notar isso KKKKKK (EU ESPERO NÉ)


tô postando a história mais pela capa do que pela própria história, eu juroooo hahaha

boa leitura, migos. espero que gostem :')


AI GENTE, AS VEZES EU ESQUEÇO QUE VOCÊS NÃO MORAM DENTRO DA MINHA CABEÇA E NÃO TEM COMO ADIVINHAREM O QUE EU ESTOU IMAGINANDO...
ADENDO IMPORTANTE; Felipe e Bruno já ficaram milhares de vezes, eles não tem um relacionamento sério, mas é quase isso kkkkkkk
nessa história eles estão solteiros!!!

Capítulo 1 - Capítulo Único - Important Celebration (Part - 1)


P.O.V – Felipe

Hoje completávamos 11 anos de canal, tinha que ser um dia absurdamente perfeito. Ao acordar e pegar meu celular já vi que havia algumas mensagens de parabéns, foi inevitável não soltar um sorriso bobo. Existiam poucas coisas pelas quais eu me orgulhava tanto na vida quanto meu canal, durar 11 anos no YouTube não era para qualquer um e isso todos tinham que admitir, gostando de mim, ou não. Principalmente com um canal que crescia cada vez mais...

Respirei fundo e entrei no Twitter para ver as homenagens dos fãs e já estávamos nos assuntos mais comentados do dia com uma tag de comemoração, que felicidade... Levantei e fui tomar um banho, mesmo sendo um dia de “festa”, eu precisava trabalhar, a pandemia não me permitiria estar com a minha equipe em um momento tão importante e isso me deixava um pouco triste, mas eu sabia que logo isso passaria. A água quente caia sobre meu cabelo fazendo com ele caísse sobre meus olhos me deixando com uma franjinha vergonhosa, passei a mão pelos meus fios de cabelo jogando-os para traz e suspirando... Não, eu não ia pensar nele agora... Terminei meu banho e desci para tomar um café e comer alguma coisa.

Nubia e Aline me esperavam com um bolinho de parabéns e alguns balões, que fofura. Agradeci e tomamos café da manhã juntos, comi um pedaço do bolo, peguei o celular novamente e mais algumas mensagens novas me parabenizando, ótimo... Agradeci as meninas novamente e subi para o escritório. Conectei meu whats no computador e comecei a responder as mensagens carinhosas pela data especial, cheguei ao grupo do canal e havia varias mensagens fofas e de agradecimento por todos anos comigo, fiquei feliz. Era muito importante saber que eu tinha mudado a vida de algumas pessoas e elas eram gratas por isso, pelo menos algumas né... Assim que respondi agradecendo o carinho de todos, Kleber respondeu perguntando o que eu tinha achado do vídeo de hoje e eu nem se quer tinha visto ainda, falei que ia assistir agora e ele respondeu com um “Depois diz o que achou, chefe.”.

O vídeo contava com a presença dos membros da equipe jogando “Sonic Gordo” o inferno do jogo que o Bruno tinha me desafiado a jogar anos atrás e era um dos mais pedidos do canal até hoje e todos estavam me imitando, dei boas risadas assistindo e fui conferir os comentários na expectativa de ver o que a galera estava achando... Os comentários do vídeo consistiam-se em uma batalha sobre qual membro da equipe tinha me imitado melhor e sem sombra de dúvidas o “Bru”, briguei mentalmente com a minha cabeça, o Bruno estava ganhando, era o mínimo... Voltei ao grupo e falei o quanto tinha me divertido e gostado da “homenagem”.

O dia seguiu e eu continuava esperando por uma mensagem dele, não é possível que ele achasse que aquelas palavras que ele disse no vídeo que saiu no canal hoje eram o suficiente, o Bruno só podia estar de brincadeira com a minha cara. Eu não conseguia mais fazer nada só pensava nele e por qual motivo ele não tinha me mandado nada ainda, minha vontade era de mandar mensagens xingando-o de palavras de baixo calão e proferindo ofensas bem grandes para ele deixar de ser mal agradecido. Isso estava muito estranho, pelo que eu conheço dele, eu iria ter que xinga-lo para não aparecer aqui em casa de surpresa me abraçando e agradecendo por tudo. Esse sumiço não podia ser normal, alguma coisa estava acontecendo... Voltei ao grupo do canal e iria mandar uma mensagem perguntando por ele, para ver se alguém sabia o que estava rolando ou se ele mesmo aparecia, mas foi como se Sam lesse meus pensamentos;

Sam via mensagem;

Gente, cadê o Bruno?

Antes que eu pudesse responder que também queria saber dele, ele apareceu respondendo-a;

Bruno via mensagem;

Oi Sam, tô aqui...

Filho da puta, desgraçado. Moleque que ódio desse menino...

Sam via mensagem;

Tá ocupado, Bruno? Preciso de ajuda em um joguinho aqui...

Eu espero que ele esteja muito ocupado para tentar justificar esse sumiço...

Bruno via mensagem;

Chama no PV Sam que eu te ajudo, tô de boa hoje!

Lendo aquilo senti como se meu coração quebrasse em milhares de pedacinho... Segundos depois já tinha arremessado minha xícara de friends na parede com tanta raiva... Observei o chão e lá estava os cacos do que sobrou de uma das minha xicaras favoritas.

— Desgraçado, desgraçado, desgraçado – proferi em múrmuros repetidamente

— Felipe, está tudo bem? – a voz da Aline ecoava em todo cômodo.

Foi como se eu saísse de um transe...

— Ta sim, Aline. Se puder me deixar sozinho aqui, por favor. – falei sem olhar para ela.

— Qualquer coisa é só chamar... – ela respondeu e eu pude ouvir seus paços descendo as escadas de forma rápida...

Levei minhas mãos ao rosto e bufava de raiva, me peguei pensando em quanto isso era ridículo e patético. Eu estava exagerando? Será que era mesmo besteira ficar tão irritado por uma coisa tão besta? A resposta só podia ser sim. Inclinei minha cabeça para trás e ainda bufava de raiva enquanto tentava me recompor. Por coincidência, ou não, avistei a caneta que ele me deu em cima da minha mesa e joguei ela o mais longe possível...

— Merda – soltei ao pensar o quanto aquele objeto era caro.

— Que isso, cara? – aquela maldita voz – Vai ficar jogando as coisas que eu te dei agora? – virei minha cadeira olhando para ele – Isso foi caro, Felipe – ele pegou a caneta do chão e me olhava com aquela cara de inocente, eu mataria o Bruno nesse instante se não fosse um crime.  

— O que você ta fazendo na minha casa, Bruno? – minha voz saiu tremula o suficiente para que ele me encarasse ainda mais com seus olhos curioso

— Sou seu vizinho agora, lembra? – eu não lembrava – Aline me ligou e disse que você não estava bem e pelo jeito ela não está errada – ele continuava com seus olhos pousados nos meus.

— Eu amo a Aline, mas ela se preocupa demais comigo e as vezes passa do limite – soltei enquanto eu me virava para as telas do computador novamente o Bruno tinha adentrado de vez ao escritório e sentando-se no sofá – ALI... – gritei com raiva, mas o Bruno me interrompeu

— Que isso, Felipe, vai brigar com ela por ter me chamado? – ele soltou em um tom indignado – ALINE PODE CONTINUAR AI EMBAIXO – ele gritou

— Que direito você tem de mandar nas minhas funcionárias, Bruno? – perguntei virando minha cadeira para ele novamente – ALINE VEM AQUI, POR GENTILEZA – gritei olhando para o Bruno que brincava com a minha caneta

— ALINE, NÃO VEM NÃO – ele gritou de volta e agora me encarava – Para de show, Felipe.

— Cê ta de brincadeira com a minha cara né?! – balancei minha cabeça e ri levando minhas mãos ao meu rosto...

A raiva me consumia e eu sentia meu sangue ferver. Os olhos do Bruno me julgando e me encarando daquela forma me deixava ainda mais irritado.

 — O pior é ela realmente não vir – soltei me levantando para ir procura-la lá embaixo, mas as mãos dele me impediram de descer ao me segurar pelo pulso – Bruno, me solta – falei tentando me soltar, mas é claro que eu não consegui, ele era muito mais forte que eu.   

— Olha para mim – ele disse e continuei tentando me soltar e observando as escadas – Olha para mim, Felipe – ele pediu novamente e eu continuei ignorando – Felipe – mais um apelo e eu cedi...

Ao observar o Bruno de frente e tão próximo enquanto ele ainda segurava meu pulso, pude sentir meu coração batendo descompensado, minhas pernas amolecendo e me peguei observando sua boca, como era linda.

— O que você tem, cara? – ele me perguntou e eu não conseguia parar de encarar sua boca – Felipe, você ta muito estranho. Hoje era para ser um dia feliz pra você, eu não consigo entender por qual motivo você está assi...

Beijei o Bruno e ele retribuiu como sempre senti sua mão soltando meu pulso e agarrando minha cintura, ele me beijava de volta com a mesma vontade que eu, ou até mais. O beijo foi diminuindo por canta da falta de ar e ao descolar minha boca da sua eu podia sentir sua respiração quente no meu rosto...

— Vamos pro meu quarto – convidei sem nem pensar

— Não – ele respondeu seco e se afastou, fiquei confuso – Não vim aqui para isso, não dessa vez.

— Mas não pareceu isso segundos atrás – disse tentando me aproximar dele novamente, ele foi caminhando para trás conforme eu fui tentando me aproximar, até ele bater com as costas na parede – Para de fugir de mim – pedi manhoso encostando meu corpo no dele e ficando na pontinha dos pés para alcançar seu pescoço e fiquei ali depositando vários beijinhos e chupões, ouvindo-o gemer baixinho com os carinhos

— Felipe, para, por favor – ele disse com a voz tremula de tesão, segurando na minha cintura.

Eu sabia que se o Bruno não quisesse estar ali ele teria saído a muito tempo, ele é muito forte. No entanto, alguma coisa estava errada, ele não era de ficar negando fogo assim, quem costumava fazer isso era eu.

— Você não me quer, Bruno? – sussurrei em seu ouvido e senti suas mãos me apertando com força

Ele me girou e agora estava me encurralando na parede, me olhava como se eu fosse uma presa, seu corpo me prendia...

— Não me provoca, Felipe – ele disse e eu que já tinha perdido a consciência faz tempo...

— Por que eu não posso te provocar? – sussurrei enquanto ele me olhava – Você vai fazer o que? – desafiei

Senti sua boca na minha com muita pressão, que beijo gostoso. Uma de suas mãos estava no meu cabelo puxando-o enquanto a outra se encontrava hora na minha cintura e instantes depois descia até minha bunda. Minhas mãos puxavam seus cabelos e eu agradecia mentalmente por ele ter decidido deixar o cabelo crescer. Infelizmente o ar acabou de novo e o beijo foi parando para que pudéssemos respirar, eu tentei dar continuidade ao beijo, mas ele virou o rosto, droga.

— Me fala – ele parou ao sentir minha boca seu pescoço novamente, sua respiração ficou pesada, mas ele não desistia – Me fala o motivo pelo qual você estava daquele jeito, Felipe – mal sabia ele que ouvi-lo falar meu nome me deixava com mais tesão ainda, chupei o pescoço dele com força – Caralho – ele soltou involuntariamente e gemeu em seguida – Você ta difícil hoje, hein – sorri ao escutar ele falando assim...

— Sobe comigo pro quarto e eu te mostro que to muito mais fácil do que você pode imaginar, moreno – falei deixando o pescoço dele e olhando nos seus olhos

— Você não vale nada – ele falou me encarando e acariciando meu rosto, passou o dedo pela minha boca e eu comecei a chupa-lo e ele me encarava boquiaberto – Que isso? Você quer mesmo comemorar seus 11 anos de YouTube transando com um simples funcionário? – fiquei confuso com a frase e ele tirou o dedo da minha boca me encarando com raiva – Sua memoraria ta ruim assim? – ele saiu de perto de mim e foi até o meio do escritório e ficou encarando meus livros

— Bruno, desculpa, mas eu não sei do que você ta falando, cara... – tentei buscar na minha memoria quando eu tinha falado isso e merda, lembrei

Lembranças on:   

Respondendo as perguntas em meio a uma das lives de among que rolava, alguém mandou um superchat falando:

“Felipe, qual a importância do Bruno nesses seus 11 anos de YouTube?”

— O Bruno é um funcionário como qualquer outro gente e que me acrescentou muito... - falei sem pensar muito

— Nossa, Felipe, ele vai surtar quando ouvir isso... – A Sam soltou

— Ué cara mais é a verdade, ele é tão importante quanto todos vocês...

— AI AI FELIPE NETOO – ela disse com uma voz de reprovação

Lembranças off.

— Caraca, Bruno – falei com um tom de arrependimento e logo ele olhou para mim novamente

— Lembrou, né? – ele perguntou e eu assenti que sim com a cabeça

—  Eu me retratei depois, você viu a live toda? – perguntei tentando me justificar

— Depois da Samanta ter falado alguma coisa de como eu ia ficar chateado, Felipe – ele disse com raiva me olhando

— Por isso você decidiu que eu não merecia uma mensagem de parabéns por hoje? – acusei de volta com o mesmo tom de raiva dele

 — Eu sou só um funcionário como qualquer outro, não faria diferença minha mensagem

— Você é um idiota, Bruno – respondi com raiva – Eu não acredito que por causa de uma reposta boba minha para uma pergunta no meio de uma live você agiu dessa forma comigo...

— Eu sou um idiota? – ele perguntou indignado – Admite que estava com raiva por eu não ter conseguido participar daquela porcaria de live e por isso disse aquilo – esbravejou

— E você não participou por qual razão mesmo? – perguntei com raiva por já saber a resposta, ele continuou quieto – Fala, Bruno. Você não está aí todo cheio de razão, então fala na minha cara de novo por qual motivo você não participou – ele continuava quieto – Parece que você desaprendeu a falar... – ele me interrompeu

— Não justifica, Felipe! – ele disse e eu o vi observando o conto da sala aonde os cacos da xícara se encontravam – Que isso? – ele perguntou me olhando e voltou o olhar para os cacos da xícara em seguida continuando – Você quebrou essa xícara de friends caríssima?

Você ficou com outro cara – eu falei baixinho, mas alto o suficiente para ele ouvir, eu odiava falar sobre aquilo, mas as palavras saíram da minha boca como quando vem aquela ânsia de vomito e a gente não consegue controlar, ele olhou para mim novamente – FICOU COM OUTRO CARA – gritei e continuei abaixando o tom de voz - Agora em um dos dias mais importante da minha vida você sumiu e nem se quer me mandou uma mensagem de parabéns – olhei para ele com raiva deixando sair tudo que eu estava sentido de ruim nos últimos dias...

 

 

 

CONTINUAAAAA

 


Notas Finais


OI OI OI voltei :')

me falem o que estão achando da história, assim vocês motivam a tia a postar o próximo capítulo que

tantantan

JÁ ESTÁ PRONTO, então como diria Felipe Neto "isso só depende de vocês" hahahaha
seria um capítulo só, galera, mas ficou muito grande...
a minha amiga linda, maravilhosa e cheirosa @scookie me deu a brilhante ideia de dividir o capítulo em dois e foi isso que eu fiz 😇
comentem, comentem e comentem <3

~ quem encontrar as referências ganha um espaço especial no meu coração ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...