1. Spirit Fanfics >
  2. My best friend is my Babyboy-TAEKOOK ABO >
  3. -Twelve-

História My best friend is my Babyboy-TAEKOOK ABO - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


HELOOOOOOOOOO MY ANGELS!!!!
MIL DESCUULPAAASS!!!!!
Então, né? Eu voltei com a maior cara de bunda pra cá, eu fiquei inativa alguns dias mas já voltei cambada!!
Enfim...
B
O
A

L
E
I
T
U
R
A
😖💜💜
Desculpem os erros!
~Capítulo não revisado.
AVISO: O spirit está bugando os capítulos então relevem esse bug de espaçamento.
LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!

Capítulo 12 - -Twelve-


                  Taehyung POV's.

Foram três dias intensos de cio e apenas fizemos fodas brutas e nada de romantismo, nem preliminares e nem chupões. Era apenas pra satisfazer o desejo do alfa e não que eu esteja fazendo birra, estou apenas narrando como foi. Que louco né? Um dia estamos apaixonados por certo alguém e outro dia podemos estar juntinho dela. Espero que vocês também consigam conquistar seus crushs assim como eu.

— Bom dia!— Fui despertado de meus devaneios matinais com o alfa a minha frente que tinha uma bandeja em mãos.

— Bom dia!— Respondi e sorri— E essa bandeja?— Perguntei olhando e vendo que tinha um café da manhã completo ali. Estou me sentindo lisonjeado.

— É pra você.— Não pude evitar de sorrir bobo com aquela fala dele.— Creio que deva estar cansado pelos dias intensos.— Sorriu ladino.

— Estou mesmo.— Peguei uma maçã e a encarei confuso, eu não comprei nada daquilo que tinha na bandeja.— Jungkook?— Ele se atentou— Você comprou tudo isso?— Apontei para o objeto de prata em cima da cama cheio de alimentos.

— Eu tinha um dinheiro sobrando na carteira e comprei.— Deu de ombros— Sua despensa estava vazia e então aproveitei e comprei.— Falou simplista.

— Não precisava seu bobo.— Estapeei de leve seu braço.

— O que você come diariamente?— Perguntou e eu o encarei com o cenho frazido. Pra quê aquela pergunta logo agora?

Terminei de mastigar a comida e estava pronto para responde-lo devidamente.

— Eu como Fast Food. É uma delícia, acredite!— Falei e sorri  ladino.

— Eu sei que é uma delícia mas aquilo não é nada saudável pra se alimentar.— Me repreendeu.— Você precisa comer comidas saudáveis, Tae.

— Meu Deus que fofo se preocupando comigo!— Segurei suas bochechas e ele fez manha.

— Claro que me preocupo!— Fez bico— Solta minhas bochechas Taehy... Tá doendo.— Soltei e ele massageou o local, meu Pai do Céu que dramático!

— Eu esqueci algo na cozinha. Vou buscar.— Estranhei o movimento repentino dele mas dei de ombros e continuei a degustar o que tinha na badeja até ver o o alfa voltar.

— O que é isso?— Me referi ao copo de água e uma cartela de remédios em suas mãos.

— Você já se esqueceu que não usamos camisinha?— Aquilo pareceu fazer tanto sentido na hora e só agora eu percebi que realmente tinha esquecido de comprar os remédios anti-gravidez.— É um anticocepcional, Tae. Toma, ao não ser que... você queira ter um bebê agora.— Brincou.

— Talvez em alguns anos eu queira gerar um bebê mas agora isso não está em meus planos.— Peguei o remédio junto da água e tomei. Deixei o copo dentro da bandeja vazia para levar depois.

De repente me lembrei de algo que possuía extrema importância tanto para mim quanto para o Jungkook.

— Jungkook?!— Chamei e rapidamente ele virou para mim.

— O que foi?

— Você avisou seus pais do seu cio?!— Perguntei e não tive resposta e com certeza obtive com convicção que ele não avisou nada e ainda dormiu 3 dias em meu apartamento e ainda não deu nenhuma notícia.

— Fodeu tudo, Taehy.— Ele parecia desesperado— O que eu faço agora?— Começou a andar pelo quarto de um lado para o outro e aquilo já estava me deixando mais nervoso.— Puta merda. Você sabe como meus pais são e com certeza eles vão me deixar de castigo por uns dois meses. Ai meu Deus!

 Com toda a certeza do mundo o Jungkook não ia ter nem um pingo de coragem de encarar ou falar com os pais depois da burrada que ele fez. Como ele pôde fazer isso? Sorri.

Peguei o celular de Jungkook que estava em cima da cama e então fiz tudo muito rápido, achei o número escrito "Pai Woobin♡" e prontamente liguei para esse contato da tela.
     Na mesma hora que chamava a ligação a chamada foi atendida por homem e pude escutar duas vozes que pareciam ser de dois homens e que eu julgo ser os pais do Jungkookie.

— Alô?— Falei e logo Jungkook e murmurou um "seu retardado. Por quê fez isso?".

—Jungkook?— A voz se fez presente na linha.

Aqui quem fala é o Kim Taehyung. Namorado do Jungkook.— Coloquei o celular no viva-voz e o alfa se sentou ao meu lado da cama logo depois de meu pronunciamento inesperado.

CADÊ O JUNGKOOK? AQUELE FILHO DE UMA PUTA! Ops, puta não. Fui eu que pari esse pirralho. Eu quero falar com esse moleque agora!

— Eu já irei passar para o Jungkook, senhor.— Estendi o celular para o presente a minha frente que ficou relulante diante do aparelho telefônico.

— Pega a porra do celular!— Sussurrei e ele fez como foi pedido por mim.

— Oi pai. Tudo bem com o senhor?— Dava pra ver o nervosismo na cara dele e pelo o pouco que conheço o pai do alfa é bem estressado ponta firme em certas coisas.

TUDO BEM O CARALHO! SEU CÚ! SEU DESGRAÇADO. QUE VOCÊ PENSA QUE É PRA SAIR ASSIM DO NADA E SUMIR POR 3 DIAS COMPLETOS? 3 DIAS COMPLETOS JUNGKOOK?! EU TÔ PUTO DE RAIVA DE VOCÊ E COM A MAIS PURA RAZÃO!

— É que... Eu entrei no cio pai e por isso eu não pude ficar aí' em casa com vocês então eu passei meu período de heat com meu namorado.— Meu coração se aquece apenas com a denominação namorado que ele disse, sou um idiota apaixonado mesmo. E quanto ao cio, pelo menos é a mais pura verdade de todas que ele contou.

Tá desculpe por te xingar desse jeito mas, porque você não nos avisou? Que eu me lembre a última ligação que tivemos você mesmo me disse sobre dormir na casa de um "amigo" e depois você simplesmente some por mais 2 dias...— Fez um pequeno som de frustação.

— Mil desculpas. Eu esqueci de avisar no meio de tudo isso...

         Enquanto Jungkook falava e se explicava para seus pais aproveitei para levar a bandeja vazia pra pia da cozinha e logo em seguida lavar toda a louça que sujamos essa manhã, enxuguei tudo e arrumei um pouco as coisas baguncadas pela casa.


      Subi de novo para o quarto mas dessa vez eu logo tratei de tomar um banho decente e escovar meus dentes lindos novamente. Minha bunda ainda estava um pouco dolorida por conta dos dias anteriores mas nada que pudesse me empatar de realizar tarefas comuns e também porque, o costume de ficar em piores condições com meu antigo dominador já fez com que eu me acostumasse a certas situações mas essa historia não vem ao caso agora.

— E aí? Como foi com seus pais?— Indaguei saindo do banheiro indo em direção ao meu closet procurando por uma peça de roupa que fosse deveras confortável pra mim.

— Eles disseram que eu tô' sem videogame por 2 semanas.— Fez bico e eu dei uma risadinha me vestindo na roupa que tinha escolhido. Não vejo problema em me trocar na frente dele, porque, afinal, ele já viu tudo o que tinha de ver aqui e não tem o por quê de esconder.— E...— Continuou— Eles querem conhecer você, Tae.

— O QUÊ? Para de brincadeira, Jungkook.— Eu estava levando isso como uma zoação mas no fundo eu sabia que era verdade e tudo nessa vida tem um porém e o meu porém é justamente a insegurança em relação a mim mesmo. E se por acaso eles não gostem de mim? E se por acaso eles não apoiarem essa relação repentina de nós dois? Tudo isso me deixa de um modo um tanto quanto apreensivo.

— Taehy? Eu não estou brincando com você, eu estou falando sério.— Ele falou. Eu acho que ainda não estou preparado para dar esse passo ainda, pelo meu ver julgo que ainda possa ser muito cedo para isso.

— Kookie...— Chamei em tom claro de insegurança e pelo visto ele percebeu.

— Está inseguro?— assenti positivamente— Não precisa ficar desse jeito. Meus pais são bastante compreensíveis e eu tenho certeza que vão amar você, Taehy.— Por mais que aquelas me confortassem de uma certa forma ainda sim não pude deixar de ficar receoso quanto a esse assunto.

— E quando eles querem me conhecer?— Perguntei com propósito de saber logo sobre e poder até me antecipar.

— Meus pais disseram que irão fazer um jantar e querem que eu leve você nele e no caso, esse jantar é ainda hoje.— Falou simples.

— Kookie. E se eles não gostarem de mim?— Subi no colo de Jungkook e pousei minha cabeça em sua clavícula quentinha.

— Não seja bobo. Eles vão amar você, eu tenho certeza disso.— Me tranquilizou.

— Eu vou confiar em você.— Falei calmamente aspirando levemente o cheirinho amadeirado natural que seu pescoço emanava.

Ficamos assim por alguns minutos apenas abraçadinhos até decidirmos nos separarmos e irmos ao andar de baixo fazer algo.

— O que você quer assistir?— Jungkook me perguntou assim que chegamos ao sofá da sala.

— Eu quero assistir dorama, Jungkookie...— Sentei ao lado e o abracei de lado, o alfa estava apenas com uma calça moletom cinza e sem camisa, então seu corpo naturalmente me aquece confortavelmente.

— Eu não gosto desses dorama aí' mas vou colocar porque você gosta.— Pegou o controle e logo pôs no catálogo da Netflix.

— Coloca Are You Human Too nessa bagaça aí.— Mandei e me aconcheguei mais ao seu lado.

   Minutos depois de alguns capítulos assistidos, parecia que Jungkookie realmente gostou da trama que envolvia a séria e eu como eu sou fã de doramas consegui realizar a missão. Fazer pessoas gostarem de dorama.

— Eu não beijaria um robô-humano.— Meu namorado implicou.

— E se-

  Fui interrompido por batidas na porta da frente.

— Você está esperando visitas, Taehy?— Indagou.

— Eu não tô' esperando ninguém.— Franzi o cenho confuso indo a passos lentos até a porta. Me surpreendi com a figura que estava em minha frente me encarando.

Minha mãe chegou.
Eu me fodi.
Jungkook se fodeu.

Não deu nem tempo de racionar direito e ela já foi entrando cheia de sacolas nas mãos.

— Mãe, espera eu-

— Quem é esse garoto sem camisa no seu sofá Kim Taehyung?!— Minha fala foi cortada pelo berro de minha mãe.

     Corri até a sala e a situação era essa: minha mãe encarando o Jungkook como se fosse  matar o garoto, ele cobrindo o peitoral com uma almofada e eu com vontade de gargalhar de tudo.

— Omma! Não assusta o Jungkookie...— Gargalhei, o alfa estava visivelmente nervoso e talvez com medo da reação que minha mãe teve.

— Quem é ele, Taehyungie?— Minha omma perguntou ainda em pé ao lado de Jungkook.

— Ele é meu namorado, omma.— Falei simples esperando qualquer reação inesperada.

3.

2.

1.

Já!

— MEU NENÉM TÁ NAMORANDO! Nem parece aquele bebê que eu dava de mamar!— Fungou chorosa se sentando no sofá.

— Omma! Não precisa chorar, céus!— Falei me agachando e enxugando as poucas lágrimas de sua bochecha.

— Sou Jeon Jungkook, prazer.— Meu namorado estendeu a mão.

— Prazer, Kim Hyuna.— Minha mãe retribuiu o aperto.— Não me chame de senhora porque não sou tão velha assim, tenho quase a sua idade ainda.— Hyuna não perde tempo mesmo.

— Omma você tem 39 anos de idade!— Impliquei.

— Cala boca seu pirralho catarrento!— Me repreendeu engraçada.

— Então esse é seu namorado?— Analisou o alfa dos pés a cabeça como se estivesse fazendo um diagnóstico dele.

— Sim. É lindo né? É só meu!— Brinquei deixando Jungkook corado e envergonhado.

— Taehy! Para. Eu nem sou tão lindo assim.— Resmungou divertido.

— Você é um pitéu' garoto, um pedaço de mal caminho. Olha esse peitoral malhado!— Minha omma falou convicta e se ela não fosse minha mãe eu até ficaria com ciúmes.

— Obrigado.

— Então omma... Cadê meu pai?— Indaguei curioso já sentado no sofá ao seu lado e Jungkook em meu lado direito.

— Ele teve alguns problemas na loja de música dele e então decidiu ficar por lá.— Explicou calmamente.

— Hum... okay.— Resmunguei baixinho mais em um tom audível.

— Você tem quantos anos Jungkook?— Minha omma perguntou interessada.

— Tenho 22.— Respondeu.

— Omma, a senhora quer alguma coisa? Água? Suco?

— Quero uma água e não me chame de senhora novamente moleque!— Sorri me levantando e indo até cozinha e aproveitando pegando um copo de água pra mim também.
Levei um copo com água pra minha omma e logo me sentei no sofá bebericando a água que havia no meu.

— E então, já transaram?

  Engasguei com a água que estava bebendo e tossi repetidas vezes tentando me acalmar, eu realmente me engasguei de verdade, parece que o H2O que eu tava' tomando havia ficado preso na minha garganta. Porra. Porque minha mãe tem que ser tão direta?

— Filho, tá tudo bem?— Assenti positivamente.

— Tá tudo bem mesmo, Taehy?— Dessa vez foi Jungkook que me perguntou.

— Tá tudo bem, gente.— Eu disse por fim.

— E então?

— Então o quê?— Me fingi de idiota.

— Quê o quê?— Minha omma sabe que eu quero fugir desse assunto.

— Usaram camisinha pelo menos?

— Omma!— Repreendi ela e Jungkook só soltava risadas curtas de nossa situação.

— Agora sei pra quem o Tae puxou desse jeitinho único!— Meu alfa falou arrancando nossas risadas e alguns resmungos por minha parte.

— Então, filho. O que vocês irão almoçar hoje?— Dona Hyuna me indagou como se esperasse uma boa resposta mas a resposta é que: eu não costumo cozinhar comidas caseiras. É claro que eu sei preparar pratos caseiros mas não gosto muito de cozinhar que nem minha omma.

— Na verdade é que... eu não costumo cozinhar comida caseira aqui em casa. Jungkook apenas dormiu aqui mas vai embora hoje, infelizmente. Então eu ia pedir um lanche-

— Você não vai pedir lanche nenhum moleque! Hoje vocês provarão da comida de Kim Hyuna!

— Pensei que modelos bonitas que nem Dona Kim Hyuna não soubessem cozinhar.  — Jungkook disse.

— É...— Suspirou— As vezes precisamos aprender a fazer certas coisas. Eu nunca pensei que eu conheceria seu pai e pudesse virar uma dona de casa, sabe? Certas vezes, é bom aprendermos quanto mais pudermos.— Disse suspiradamente como se refletisse sobre aquilo.— Antigamente, eu era um pouco ambiciosa com as coisas mundanas que acabei esquecendo um pouco do que realmente me importava e me fazia feliz de verdade.— Falou por fim.

— Isso foi muito profundo, Dona Hyuna.— Jungkook fungou  e só assim percebi que ele chorava com o discusso de minha mãe, o Jungkook é tão sensível em alguns momentos que até parece um bebê indefeso.

— O Jungkookie é muito sensível. Céus! Você é tão fofo!— Falei direcionando meu olhar para o alfa ao meu lado.

— Chega de chororô' gente.— Minha progenitora levantou animadamente batendo palmas.— Agora vamos cozinhar rapaziada'!

— O que a senhora vai cozinhar?— Indaguei já com um papel em mãos e uma caneta, afinal, o Jungkook comprou uma alimentação básica e não para pratos desse tipo. Eu iria no mercado comprar o  restante.

— Se você me chamar de senhora de novo eu arranco seu brinquedinho, Sr.Kim Taehyung.— A olhei espantado e me pus a gargalhar com Jungkook— Eu vou cozinhar Nakji bokkeum¹ e hotteok².

Conforme a mais velha falava os ingredientes de cada prato que iria fazer fui anotando tudo corretamente. Dona Kim Hyuna é uma mulher muito requintada e sabe fazer diversas coisas distintas.
   Já havia chegado no mercado e pegado tudo o que precisava para fazer o almoço e agora estava apenas na fila esperando chegar minha vez de pagar as compras que havia feito.

— Deu 80.042,98 wons(350 reais) senhor.— O atendente disse depois de passar os produtos e apenas paguei devidamente e sai em direção ao apartamento que por sorte era perto do mercado.
   Assim que cheguei ao meu andar com as compras em mãos não pude deixar de escutar um pouco da conversa entre minha mãe e meu namorado.

— E então Jungkook, como você e o meu Taetae se conheceram?— Pude ouvir a voz de minha mãe um pouco abafada pela distância.

Bem, sempre fomos melhores amigos e desde então confesso que sempre via o Taehy como um irmão pra mim apesar dele sempre falar que gostava de mim romanticamente. Tudo mudou quando entramos na faculdade porque até então fizemos o ensino médio juntos também.
  Teve um momento em que eu comecei a enxergar o Tae com outra visão que não era a de irmão e então comecei a gostar dele quando finalmente percebi tudo o que estava perdendo esse tempo todo em não estar junto dele de verdade.
  De primeira, eu não enxergava que gostava do Taehyung desse jeito mas sempre que eu via o sorriso dele e a maneira de como agia e lidava com as coisas me deixou realmente encantado por ele.
  Enfim, eu gosto muito dele assim como sei que ele gosta de mim.— Aquelas palavras foram tão surreais pra mim porque finalmente pude entender o que se passava e como o Jeongguk se sente em relação a nós dois. Um sorriso contente brotou instantaneamente em meus lábios.

Que bom que realmente gosta do meu filho. Quais são suas verdadeiras intenções com meu bebê?— Sra. Kim indagou.

Pretendo levar esse relacionamento o mais sério e se possível ainda irá ter casamento, Dona Hyuna.— Ouvi de longe o riso de meu amado e sorri também. As sacolas que eu segurava em minhas mãos já estavam fazendo meus braços adormecerem pelo peso.

Que ótimo. Não quero que o machuque ou o magoe que nem Hyeon fez.— Suspirei pesadamente pelo fato de minha omma lembrar dessa história antiga e sem relevância.

Hyeon?—  Jeon resmungou.

É uma longa história. Se o Tae quiser lhe contar ou não, aceite a decisão dele.

  Abri a porta entrando com as sacolas afim de encerrar aquela conversa entre os dois.

—  Filho, você demorou. O que foi?—  Hyuna indagou a mim enquanto eu colocava as sacolas no balcão da cozinha.

— Não foi nada, mãe. Apenas demorei um pouco para achar esses ingredientes que me passou.—  Menti e ela murmurou um "ahh".

     Minha mãe começou a preparar a refeição na cozinha enquanto eu seguia para a sala onde estava Jungkook, o alfa e eu perguntamos se ela queria ajuda mas ela apenas alegou que preferia cozinhar sozinha.

— Sua mãe é legal, Tae.—  o alfa falou. Por incrível que pareça Jungkook vestiu uma blusa preta para não deixar minha mãe desconfortável e agora assistiámos "Your name".

—  Sim.—  Respondi.

—  Eu quase morri de um ataque nervoso quando ela entrou aqui.—  Sorri e selei seus lábios finos e rosados.

— Deu pra ver seu nervosismo nitidamente mas não se preocupe, ela amou você.

— Ainda bem porque eu não te largaria por nada nesse mundo, Taehy.—  Corei.

      Beijei seus lábios com desejo envolvendo minha língua e a dele, posicionei minhas mãos em seu rosto o puxando para perto de mim e chupei seu músculo molhado o fazendo arfar com o contato, suas mãos pousaram em minha cintura e infelizmente tivemos que separar o ósculo, lambi atrevidamente seus lábios e puxei o inferior contra meus dentes o deixando vermelhinho.



...

— PAREM DE SE COMER AÍ NA SALA E VENHAM ALMOÇAR!— Sorrimos um pro outro e seguimos para a cozinha onde pairava um cheiro maravilhoso no ar.

— Me deu até água na boca.

— Eu sei que minha comida é deliciosa mas água da sua boca é a saliva do Taehyung, isso sim.

— Omma!— A repreendi e Jungkook ficou levemente corado, que fofo.

Nos servimos com o Nakji bokkeum e começamos a degustar lentamente da mistura de alimentos que tinha no prato e estava- Desculpe o palavrão- mas estava fodidamente delicioso.

— E então, o que acharam?— A mais velha bateu palminhas toda animada.

— Credo, tá horrível, mãe.— Menti descaradamente e em um instante pro  outro ela começou a chorar copiosamente.

— Taehy!— Jungkook me repreendeu, eu não queria decepcionar ela, era só uma brincadeira.

— É mentira mãe. Tá maravilhosa sua comida, eu e Jungkook amamos.—  Tentei contornar a situação.

— Porra de hormônios da gravidez.— Enxugou as lágrimas restantes.

— Tá tudo bem- O QUE?!— Berrei.— Como assim?

— Eu estou grávida sim. E respondendo a sua outra pergunta, eu acho que você sabe como se fecunda um óvulo, né?

— Que nojo mãe! É claro que eu sei.—  Falei com a boca lotada de comida.

— Parabéns Hyun. —Jungkook disse devorando a refeição.

— "Hyun"? Amei!—  Minha omma disse e começamos a comer em total silêncio, não era desconfortável, era deveras relaxante em certa parte.

— Você já contou pro papai?— Quebrei o silêncio.

— Ainda não.— Redarguiu— Pretendo contar assim que eu voltar, ele vai surtar com a notícia.

— Está de quantos meses, omma?— Eu estava de fato curioso, sempre quis ter um irmãozinho para brincar.

—Estou de apenas 1 mês e 5 dias.

— Eba! Finalmente vou ter um irmãozinho!       — Sorri largo.

— Ou irmãzinha, Taehy...— Jungkook sorriu singelo.

— Eu sempre quis ter uma bonequinha pra cuidar! Vou mima-la muito ou se for ele também.

— Tae, eu acho que uma menina, eu sinto um cheiro fraco meio adocicado vindo da sua mãe...— O alfa aspirou o ar como se inalasse o cheiro.

— Ou pode ser um menino ômega...—A mais velha se pronunciou.

     Depois de almoçarmos bastante, conversamos um pouco sobre nós e arrumamos as malas da minha mãe no quarto de hóspedes porque segundo ela, vai embora depois de amanhã contar a notícia pro meu pai que permaneceu em Daegu.
    É tudo tão novo pra mim, estou em um misto de surpresa e felicidade ao mesmo tempo, sei que o bebê ainda está se formando mas mal posso ver a hora de segurar minha irmãzinha ou irmãozinho nos braços, também torço para que tudo ocorra bem durante esse gestação pois minha omma já está em uma idade um pouco avançada para se ter bebês.

Tudo vai dar certo.

                                 [...]

      Já era de noite e a essa hora, eu e Jungkook estávamos nos preparando para o jantar que ia ter na casa do mesmo, estou um pouco nervoso sim mas meu namorado soube me acalmar o tempo todo e me assegurar de que nada irá dar errado hoje.

— Taehy... Me empresta uma roupa sua.— Pediu manhoso saindo do banheiro apenas com uma toalha enrolada na cintura e os cabelos levemente molhados junto com o abdômen e o peitoral expostos, porra, esse alfa mexe muito comigo.— Tae, você está me secando a uns 2 minutos.

— É que você é muito gostoso.— Levantei da cama e procurei e conjunto de roupas minhas que com certeza daria muito bem nele já que eu prefiro roupas com um número maior de tamanho.

— E você é um tarado de carteirinha,Taehy.

— Sou mesmo, e daí?— Dei de ombros.

— Ainda assume que é verdade.— Riu pegando a roupa que eu havia separado e logo se trocando e como eu já tinha tomado banho primeiro já estava preparado e estava apenas esperando o alfa.

— Terminou?— Ele assentiu.

— Você acha que estou bom?— Perguntei apontando para a roupa que trajava no momento enquanto descíamos as escadas.

— Você está lindo, como sempre.— Selou meus lábios rapidamente e logo estavamos já no andar debaixo da casa, pude avistar minha omma assistindo algo na TV.

— Vão sair?—A mais velha nos perguntou.

— Sim.— Jungkook respondeu—Irei apresentar Tae aos meu pais.

—  Okay. Boa sorte com seus sogros Teteco!
  
       Nos despedimos um última vez de Dona Hyuna e logo estávamos no estacionamento interno do condôminio, o alfa logo pegou a chave do automóvel que estava em seu bolso e ligou o veículo dando sinal de que eu poderia entrar.

— Posso colocar uma música?— Perguntei após me sentar no banco a seu lado.

— Claro.— Eu iria apertar o botão da playlist mas Jeon me parou— MAS com uma condição, Tae.

— Qual?

— Se você me der um beijo.

— Seu bobo, nem precisa pedir.— Pousei minhas mãos delicadamente em seu rosto enquanto mantinha um ósculo calmo e lento, porém a sensação de suculência era muita durante o ato. Nossas línguas buscavam espaços se encaixando perfeitamente na boca um do outro, a atmosfera do ambiente não poderia estar melhor.

— Nunca conheci um ômega tão intenso que nem você, Tae.— Separamos nossos lábios e Jeon falou um pouco ofegante.

— E eu nunca conheci um alfa tão perfeito que nem você, Kookie.— Trocamos um pequena e intensa troca de olhares antes do meu namorado dar partida com seu carro e por fim sairmos do estacionamento.

      Ainda eram 19:30 da noite mas mesmo assim o trânsito ainda estava agitado na grande Seul. Enquanto a playlist já rodava tocando Ashe encostei devagar minha cabeça no vidro da janela e me pus a observar as pessoas, a paisagem, as lojas, o lugar, divaguei por longo minutos olhando as estrelas no céu e fiquei em transe por alguns minutos.

     As vezes ficar sozinho e observar tudo ao meu redor sem dizer nada ou questionar me faz ficar de certa maneira calmo. Eu sou uma pessoa alegre e extrovertida mas também tenho meus momentos de meditação e silêncio, eu faço isso sempre em contato com a natureza, me sinto livre quando estou em um lugar natural, sem barulhos de buzinas, motos aceleradas, outdoors por toda parte, propagandas irritantes.

— Tae?— Abanou as mãos em frente a meu rosto.

— O que foi?

— Eu te chamei umas 3 vezes mas você parecia estar em outro galáxia. E a propósito, já chegamos.—  Ri de seu comentário anterior e sai do carro juntamente com o alfa que me acompanhou até a porta. Jeon tocou a campainha que logo foi aberta por um homem muito bonito, seus cabelos eram loiros e tinha lábios finos assim como os do Jungkook.

— Meu filho!— O loiro abraçou Jungkook que logo retribuiu o carinho.— Nunca mais suma desse jeito, ouviu? E aliás, seu castigo está de pé ainda.— o alfa resmungou descontente.

— Omma esse é meu namorado, ele se chama Kim Taehyung.— O mais velho se desfez do abraço e me encarou de cima pra baixo como se me analisasse, fiquei apreensivo com essa situação mas o loiro logo soltou um sorriso encantador.

— Prazer em conhecê-lo senhor...

— Jeon Woobin. Não me chame de senhor, chame de Woobin ou Woo, como preferir.—  Assenti.

   Entramos dentro da residência e me surpreendi com o tamanho daquilo, era 10 vezes mais que meu apartamento todo. Fiquei deslumbrado com tudo aquilo por alguns instantes mas logo me atentei a conversa. Estávamos na mesa de jantar nesse momento.

— Você é Kim Taehyung, certo?— Assenti e deduzi ser um alfa o homem a minha frente pelo cheiro marcante.— Sou Sungwoo, o outro pai do Jeon Jungkook, prazer em conhecê-lo.

— Igualmente.— Sorri gentilmente.

— E então, como você fez o nosso bebê se apaixonar por você? Porque ele só ficava com pessoas em seu cio...— Woobin se pronunciou.

— Ciúmes.— Respondi causando risadas.

— "Ciúmes"?— Sungwoo indagou curioso.

— Sim.— Respondi— Eu sempre tive sentimentos por ele desde o ensino médio mas ele nunca me notava— Falei mexendo na comida— então um amigo meu chegou do interior e ele ficou morrendo de ciúmes de mim e assumiu de uma vez por todas que gostava de mim também.

— Meu Deus, filho! Ele sempre gostou de você.— Woobin falou.

— Eu era um babaca, omma!— Ri do comentário do alfa.

— E quanto ao cio? Vocês se protegeram, né?— O alfa mais velho deixou a pergunta no ar.

— Eu tomei anticoncepcional.— Falei pegando a taça para beber o vinho-

— Não beba vinho, pode cortar o efeito do remédio!— Coloquei a taça na mesa e peguei um copo de suco.

— Como está a faculdade, filho?— Sungwoo indagou a Jeon.

— Chata como sempre. Aí!— Recebeu um peteleco na cabeça.
   
       O jantar seguiu assim, risadas e historias  contadas pelos pais de Jungkook. Minha insegurança se esvaiu aos poucos enquanto eu interagia com as pessoas ali.
Os pais do Kookie são pessoas legais e bastante engraçadas, fiquei confortável com eles por perto.
   O jantar não foi muito demorado e agora são 20:05 da noite e eu meu namorado estamos subindo a escada indo em direção ao quarto do Jungkook, ele disse que ia me mostrar como era o cômodo.

— Esse é meu quarto, Taehy!— Entrei e observei a decoração clara misturada com a preta, a cama bem grande, varios aparelhos eletrônicos pelo quarto e um banheiro bem grande no final. Era um quarto suíte muito chique.

— Seu quarto é lindo e você adora preto, né?— Falei me sentando na cama e observado as paredes com detalhes na cor preta.

— É a minha cor favorita.—Se sentou ao meu lado e eu lentamente dei um chupão estalado e bem feito no seu pescoço.

— Seu louco, agora você vai ver!— Me deitou na cama ficando entre minhas pernas começando a distribuir chupões por toda parte de meus ombros.

— Hum...— Gemi pertinho de seu rosto quando meu pescoço foi atingido por sua boca, elevei um pouco meu quadril por conta do arrepio que percorreu meu corpo.

       Encarei Jungkook que sorriu ladino, sem esperar troquei nossas posições ficando por cima do alfa, puxei seu rosto para um beijo molhado com nossas línguas, enlacei seus fios sedosos em meus dedos e fiz pressão pra trás, o alfa agora mantinha suas mãos em minha cintura pressionando a carne entre seus dedos e me fazendo arfar enquanto estava em seu colo.
   
        Separamos nossas bocas ainda ofegantes e olhamos um para o outro como se existisse uma telepatia mútua entre nós dois.
    
       Enquanto o alfa tirava a blusa sensualmente ao meu ver, eu rebolava em seu colo enquanto fazias pequenas marquinhas roxas em suas pele. Notei que ele já tinha ficado excitado e eu também apenas com esses toques iniciais. Parei de remexer minhas nadégas em sua intimidade e pressionei com um pouco de força nossas ereções uma contra a outra causando um espasmo em nossos corpos.

— Taehy, meus pais estão em casa...

— Vai ser rapidinho, Jungkookie...— Menti. Com certeza não iria ser rápido, eu sei controlar meus gemidos e essa noite pode ficar ainda melhor.

     Ainda em cima de seu membro tirei a blusa que usava jogando-a no chão e logo iniciei outro beijo com desejo e luxúria, eu já estava imerso entre nós dois e para mim, existia apenas nós dois naquele quarto e mais ninguém.
   
    Jungkook inverteu as posições ficando entre minhas pernas e tirando minha calça fora, aquele olhar dele trasmitia tudo pra mim, ele queria e eu também. Fechei os olhos com força sentindo o alfa massagear meu membro duro por cima da cueca.

     Arqueei o quadril querendo mais contato e parece que o mais velho atendeu ao meu pedido mudo de mais toques; Minha última peça foi retirada rapidamente que logo foi jogada em algum canto, Jeon sequenciou beijos molhados de meu pescoço até minha virilha, a cada selo que ele dava meu corpo reagia de forma maneira diferente e prazerosa.

      O mais velho tirou a blusa que usava, retirou a calça e por último sua boxer sempre mantendo o contato visual comigo de maneira intensa. Agora estávamos completamente nus em frente um ao outro, minha lubrificação natural já sujava os lençóis da cama e o pênis do alfa não estava muito diferente, já expelia pré-gozo pingando na cama.

— Awnn...— Arfei sentindo o dedo do moreno me penetrar lentamente, no começo foi desconfortável mas agora já me acostumei melhor.

   Jungkook começou uma punheta em mim enquanto introduzia seu segundo dedo a minha entrada, gemi pelo desconforto causado e o alfa aumentou a velocidade da masturbação em mim.

— Jungkookie...— Falei sôfrego pelos movimentos de vai e vem de seus dois dedos, estava imerso em tesão e queria mais, eu queria provar mais daquilo que só ele podia me proporcionar.

— Amo ver você assim, baby. Contraindo em meus dedos. Geme gostoso pra mim, vai.

— A-ah! F-faz de novo...— Ondulei a cintura, minha próstata estava sendo surrada apenas pelos dedos do mais velho que tinha uma expressão de puro desejo em sua face.

— Será que meu baby aguenta mais um dedo?— Assenti novamente com a sensação de algo entrando em mim e me alargando aos poucos, não senti muita dor pois minhas paredes internas estavam bem deslizantes.

— Contrai pra mim baby, vai.— o lúpus começou uma auto-masturbação em si mesmo enquanto me fodia com seus dedos, nunca imaginei ver essa visão tão pornográfica em toda minha vida.

— A-alfa. Coloca mais um dedo, por favor.—  Eu não estava raciocinando corretamente no momento, estava inerte em sensações e espasmos que nem me dei conta do que pedi naquele instante.

— 4 dedos?— Sorriu ladino— Desse jeito vai ficar arrombadinho demais, meu amor.

       Eu não estava lúcido em cima daqueles lençóis brancos, era a primeira vez que tinhamos algum contato mais íntimo sem ser no cio dele. Eu apenas sentia, eu não pensava em nada mais, minha mente parecia estar em branco total, apenas sentia solavancos em minha entrada, minha próstata sendo surrada algumas vezes e um alfa extremamente lindo sorrindo de forma maliciosa pra mim deixando chupões por toda parte de meu tronco.

— E-eu a-acho que vou gozar...— Resmunguei baixinho.

— Eu amo ver você assim, goza pra mim, meu amor.— Foi apenas mais algumas investidas de seus dedos e me desfiz em nossos abdômens suados e ofegantes.

— Me chupa.— Ordenou e eu fiz como foi mandado, não precisei ir até o alfa pois o mesmo já fodia e abusava de minha boquinha linda.

— Que boquinha gostosa, baby. A-ah...— Raspei meus dentes contra sua glande inchada e fiz uma sucção maravilhosa, acariciei suas bolas e logo senti um líquido branco invadir minha boca, engoli tudo e sorri perversamente.

— Precisamos de um banho.— Jungkook saiu de cima de mim.

— Aí!— Tentei me levantar mas não consegui, minha entrada tava' dolorida por conta do momento anterior.— Não ria seu filho da puta! Quando eu for o ativo você irá sofrer na minhas mãos. Anote o que estou lhe dizendo.— Cessou o riso e me pegou no colo estilo noiva fazendo o percurso em direção ao banheiro.

— Taehy...—Me chamou ligando o chuveiro enquanto eu me apoiava em seus ombros.— Amanhã é sábado e nós temos que repor nossas atividades perdidas da faculdade.— Assenti a sua fala e relaxei quando a água percorreu meu corpo.

     Tomamos um banho juntos até porque eu estava dolorido e minhas pernas estavam fracas.

    Jungkook retirou os lençóis sujos da cama e os trocou por outros enquanto eu descansava. Peguei minhas peças de roupa e as vesti novamente pois assim que desse eu iria embora para meu apartamento pois por conta do cio do alfa tive que faltar 3 duas de aula e então tenho que repor os deveres de casa amanhã que é sábado.



Hoje foi um bom dia para mim e espero que todos sejam assim daqui para frente.


Notas Finais


6 MIL PALAVRAS?! CARALHO VOCÊS ESTÃO BEM RECOMPENSADOS DESSA VEZ!!!
EU TÔ SATISFEITA COM ESSE CAPÍTULO PORQUE EU ESCREVI ELE EM POUCO TEMPO E EU DEI O MEU MELHOR!!!
Espero não ter decepcionado vocês,🙂.

¹: Polvo com macarrão udon e cebolas feitas em um molho picante.

²: É uma sobremesa feita e recheada de sementes,mel, canela e amendoim. Como se fosse uma panqueca.

GENTE, em questão aos 4 dedos sempre lembrem-se de que quando um ômega lubrifica isso facilita o escorregamento e a penetração, ok?

Vocês querem saber porque eu sumi? Sim. Eu sumi daqui uns dias porque eu não estava me sentindo bem comigo mesma. Eu tirei um tempo de meu afazeres para colocar um tempinho pra organizar minhas idéias.

🌈|| O que acharam do capítulo de hoje? Amo saber a reação de vcs.
🌈|| Favoritem e comentem my angels🌚
🌈|| Bjs na nuca e até o próximo capítulo💋

VOTEM NO STARPLAY E NO MTV HONEST, NÃO SE ESQUEÇAM MY ANGELS!!!

Próximo capítulo vai ser POV's Jungkook.🙄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...