História My Best Friend (Jikook) - Capítulo 152


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO, Got7, Lee Min Ho, Lee Taemin, Monsta X, TWICE
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook, Kookmin, Namjin, Vhope
Visualizações 83
Palavras 1.207
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey! Tchau!
Kk

Capítulo 152 - Momento irmãs


                              — Yun —

Fazia uma semana desde que perdi minha virgindade com uma pessoa que conheci pouco dias e hoje ele era meu namorado. Conterei para Mega que estava namorando, ela de fato não gostou nem um pouco e por isso que nossa amizade não está como antes. Jihan me ajudava no trabalho e sempre reclamava e levava broncar de Mega, e eu não gostava nem um pouco disso. O caso do meu pai Jimin finalmente foi resolvido, e parecia que as coisas enfim estavam entrando no eixos. Hoje teria uma jantar na casa do meu tio Taemin, e pelo o que descobrir, Bon estava lá. Lembrando que de início eu havia uma grande queda pelo garoto, mas hoje eu não sinto nada além de uma simples amizade. Outra coisa que descobri também, é que EunJi veio visitar os pais e com isso eles também estariam esse jantar na casa do Taemin, não sabia como séria minha reação depois de um bom tempo sem ver eles.

— Porra!.— Soltou Jihan, sentando do meu lado em uma das mesas. Hoje o movimento estava devagar e por isso íamos sair cedo.— Aquela sua amiga é um pé no saco.

— O que ela fez dessa vez?.— Eu achava engraçado a relação da Jihan com Mega, pareciam que sempre viviam brigando por coisas inútil. Lembrava das vezes que isso acontecia comigo e ela.

— Eu estava de boa lavando a louça, e sua amiga não parava de procurar defeito nos pratos.— Bufou só de imagina a situação.— Sendo que a porra do prato tava brilhando mais que a cara dela.

— Quer que eu converse com ela?.— Rir fraco, olhei em direção a Mega que não parava de encarar nós duas.

— Não, eu mesma irei conversa com essa menina.— Jihan levantou da cadeira e seguiu em direção a Mega, fiquei ainda sentada olhando só de longe as duas conversando.

Peguei meu celular e havia uma mensagem de Luís, o mesmo dizendo que estava morrendo de saudades minha e logo estaria aqui comigo. Pensava numa maneira de dizer a ele que iria viajar pro Brasil, e isso estava próximo. Ter um relacionamento a distância era bastante complicado, pois a gente ia sentir saudades e um pouco de carinho sempre era bom, não sei como Luís ia reagir a isso. Jihan logo voltou e sentou novamente na cadeira, parecia menos irritada do que antes.

— Sua amiga é louca!.— Reclamou, mas não de um modo irritado nem nada do tipo, isso já não era novidade pra mim.— Acho que ela só pega no meu pé porque gosta de você.

— Do que tá falando sua doida?. — Me fazendo de sonsa novamente, já queria esquecer que um dia nossos lábios haviam se tocados, apesar de ter gostado muito daquele dia.

— Eu acho que ela gosta de você sua heterezona.— Disse rindo, fiquei surpresa que ela havia notado isso ou Mega havia dito a ela. Isso não importava agora, pois Luís era a única pessoa que eu gostaria de estar.— Vou roubar tua namorada de você.

— Ela não é minha namorada.— Me inclinei em direção a Jihan, não sabia se ela tava falando isso pra zombar de mim ou porque realmente queria.— E outra, tenho namorado e ele se chamar Luís.

— Ah claro. — Riu.— Apesar de eu parece nova já fiquei com várias meninas, e sinceramente Mega é uma garota bastante atraente.

— Não sabia que você curtia garotas.— Parece que ela realmente curtia isso, nada contra até porque meus pais são dois homens. Se ela quisesse algo com Mega, óbvio que não ia me meter no meio.— Nem pense mágoa a Mega, ela é um garota sensível demais.— Mas também não ia deixar ela iludi minha amiga.

— Não sou uma filha da puta.— Esse comentário dela só me fez rir. O sorriso dela era igual do Jimin e quando sorria mais, cada vez fechava os olhinhos dela, achei fofo.— Apesar de eu ter pego muitas meninas, foram poucas que me chamava atenção.

— Hum.

[...]

Já era seis horas da noite, Mega fechou a lanchonete enquanto eu e Jihan seguimos a pé até em casa. Queriamos passar um tempo juntas e ser uma boa irmã uma para outra, fiquei feliz por Jihan me deixar aproxima dela como uma verdadeira irmã mais velha, porém sempre tinhamos nossos desentendimentos.

— Eu gostei do seu pai Jungkook.— Comentou ela.— Ele é legal demais.

— Sim, ele é.— Paramos em uma parada e ficamos esperando nosso ônibus. Enquanto ele não vinha, resolvi puxar assunto com Jihan.— Você se sentir bem com a gente?

— Pra ser sincera sim, vocês parecem uma família feliz e eu sinto o amor que eles tem por você.— Pra chegamos onde estamos hoje, tivemos que enfrentar muitas coisas. Meu pai Jimin me pediu pra ser legal com Jihan e ter paciência com ela, e parece que ela está começando a ficar bem comigo.— Você também não é uma garota chata como eu achei que fosse.

— Digo o mesmo.— Nosso ônibus chegou e sentamos no fundo, por sorte havia pouca pessoas lá. E um silêncio tão bom, olhei para céu e não demorou muito obra começar a chover.— Hoje vai chove muito.

Hoje o dia finalmente iria terminar bem, e não esperava pra está em uma mesa com todas as pessoas que sentia falta de conversar. Porém, aconteceu algo que eu e nem mesmo as pessoaz estavam esperando, o ônibus bateu com tanta força contrar algo que tudo que eu vi foi minha visão ficar embaraçado. [...] abrir meus olhos e vi que Jihan não estava do meu lado, minha cabeça doía muito e quando olhei em volta ao ônibus, as poucas pessoas estavam machucada, metade do ônibus destruído. Então só assim caiu a ficha que havíamos sofrido um acidente, mas minha pergunta era: Onde está Jihan?!

Tentei me mover sentindo uma dor enorme na minha perna esquerda, minha perna havia quebrado e tudo só pirou quando tentei puxar de baixo de uma cadeira, comecei a chorar gritando horrores. Minha cabeça saia sangue e pra onde eu olhava havia um corredor de sangues e pessoas machucadas pedido ajudar. Eu precisava encontrar Jihan, e minha mente apenas conseguia pensar o pior que havia acontecido com ela. Ouvi barulhos de polícia e talvez até o corpo de bombeiro. Novamente me arrastei devagar pra longe da cadeira, quando finalmente consegui ficar em pé olhei ao redor tentando encontrar Jihan.

— JIHAN?!.— Gritei o nome dela, mas não obtiver respostar, meu desespero começou a tomar conta de mim e tentei meu máximo andar, mas todo meu corpo doía pra cacete.— JIHAN?!

          Finalmente reconheci a roupa que ela usava, mas minha felicidade foi por água abaixo quando vi ela toda machucada. Jihan havia sido arremessada pra frente, perto de onde o motorista ficava, não conseguia ter certeza se estava bem pois a iluminação não era uma das boas. Os. Homens foram tirando uma pessoa de cada e logo pegaram Jihan e era só isso que conseguia lembrar depois de desanimar.


Notas Finais


#Choramos
😢

Parece que elas finalmente estão se dando bem...

-2
😭

Não deixe comentar, até a próxima 😳


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...