1. Spirit Fanfics >
  2. My Best Friend Lover >
  3. Capítulo 73 - Namorar?

História My Best Friend Lover - Capítulo 75


Escrita por:


Capítulo 75 - Capítulo 73 - Namorar?


Fanfic / Fanfiction My Best Friend Lover - Capítulo 75 - Capítulo 73 - Namorar?

Jungkook chegou em casa após a conversa com Ruby e Namjoon, chegou mais cedo do que de costume, seus filhos ainda não haviam chegado ou se chegaram, estavam brincando na casa do Jin.

Ouviu um barulho vindo da cozinha ao seu lado e assim que entrou encontrou Nari sentada na mesa comendo chocolate, com a boca completamente lambuzada, sem contar suas mãos e roupas.

Logo em frente a garota estava Jun, vestindo um hobby vinho que Jungkook particularmente amava. Ela estava na pontinha dos pés esticando suas mãos, em uma tentativa falha de alcançar o pacote com guardanapo de papel.

Jungkook riu baixo e se aproximou, vendo Nari já sorrir por vê-lo. Andou até sua mulher e segurou na cintura dela, colando seu corpo no dela e esticando sua mão, assim pegando o que ela não alcançava.

Jun sorriu assim que sentiu o aperto gostoso e carinhoso do marido atrás de si, seu corpo quentinho colado no seu. Jeon deixou o pacote de papel toalha na pia ao lado e a abraçou, dando um cheiro na nuca da esposa.

– Nem me esperou para tomar banho? – Perguntou baixo.

– Pensei que chegaria mais tarde, então eu e Nari tomamos banho.

Se virou ficando de frente para ele, e entrelaçou seus braços no pescoço dele, lhe dando um selar rápido. Tombou sua cabeça para o lado olhando sua filha.

– Mas acho que ela vai precisar de outro.

Jungkook se virou para o lado, ainda abraçando a cintura de Jun, e riu ao ver sua filha lambendo os dedos de chocolate.

– Que sujeira. – Soltou sua esposa e se aproximou da filha, deixando uma selar na cabeça da menor. – Que princesa mais porca. – A olhou de perto.

Nari riu e colocou sua mão lambuzada no rosto do pai, na pura inocência em deixar um carinho. Jeon fez uma careta ao sentir o chocolate em sua bochecha.

– Acho que agora os dois precisam de um banho. – Riu Jun.

– Omma, quelo mais. – Disse a pequena surpreendendo os dois.

– E-Ela pediu mais? – Disse Jungkook com seus olhos arregalados.

– ELA PEDIU MAIS CHOCOLATE. – Gritou Jun.

– AAAH QUE LINDA! – Gritou Jungkook a pegando no colo e a abraçando, sem se importar com a sujeira que estava fazendo em sua roupa. – Appa vai te dar todo chocolate do mundo.

– Obligada.

– JUN-AH ELA ME AGRADECEU. – Gritou eufórico pulando com sua filha no colo.

Nari gargalhava no colo do pai e Jun estava quase chorando de alegria. Sua pequena garotinha de um ano e meio, mesmo enrolado, já está falando, era a coisa mais bela e fofa que se podia ver.

– Appa! – A voz de Eunwoo soou.

Os dois olharam para a porta, vendo seus dois filhos ao lado de Liu adentrarem a casa. Como moravam em um condomínio – em uma rua sem saída – não havia movimentos de carros na rua, então eles ficavam mais à vontade, mas ainda assim, sempre com a supervisão de um adulto.

– Oi meus amores. – Disse Jun se aproximando.

Soo levantou sua mão mandando sua mãe ficar parada. Ela riu e parou em frente aos três.

– Omma, posso pedir uma coisa? – Perguntou Eunwoo.

– Claro querido.

– Eu não quero nem saber. – Disse Soo indo para o lado de seu pai.

Jungkook riu, mas ainda estava curioso.

– Posso namorar a Liu? – Os dois arregalaram os olhos.

– O que você disse? – Perguntou Jun o olhando.

– A gente quer namorar. – Disse Liu. – Appa não quer deixar. – Fez um biquinho.

– YAAH! – Jin gritou adentrando a casa. – Se você correr de mim de novo, você vai apanhar Kim Liu.

– Appa, eu quero namorar o Woo-ah. – Cruzou seus bracinhos.

Jin olhou para Jungkook furioso, o pobre coitado tremeu na base.

– Hyung, juro que não fui eu. – Se defendeu.

– É seu filho, tinha que ser! – Bufou alto. – É igualzinho você! Eu avisei Jk, eu avisei. – Disse frustrado.

Jun riu e todos a olharam.

– Olha querida, vocês são muito novinhos ainda.

– Mas eu já tenho seis anos tia Jun. – Disse Liu com um biquinho de choro.

Jun suspirou ajoelhada e puxou a garotinha para mais perto, segurando os pequenos ombros da garotinha e deixando um afago.

– Sabe com quantos anos a tia Jun deu o primeiro beijinho?

– Yaah! – Jin a olhou sério, mas ela o ignorou completamente.

Liu balançou sua cabeça negativamente a olhando atentamente.

– Com 29 anos. – Disse ela.

– Mas tudo isso? – Perguntou a menor indignada.

Jungkook e Jin começaram a rir ironicamente de Jun. Eles sabiam que era mentira.

– Por que demorou tudo isso?

– Por que eu demorei para achar a pessoa certa. – Disse Jun e Jeon paralisou. – E para que eu tivesse certeza, eu esperei um tempão. E sabe como eu tive certeza? – Ela negou. – Meu coração bateu bem forte.

– Bateu? – Perguntou animada. – O meu não bate forte. – Olhou para Eunwoo.

– É por que você ainda é muito novinha, então, tem que esperar, tudo bem? – Ela assentiu sorrindo. – Você vai saber quando seu coração bater loucamente e você vai sorrir boba quando o ver.

– Eu quero isso. – Jun riu. – Woo-ah. – Liu se aproximou do Eunwoo. – A gente pode esperar até eu ter 29 anos? – Eunwoo fez um biquinho. – Por favor oppa. – Fez um biquinho.

– ‘Ta, a gente pode. – Ela sorriu e lhe deu um beijinho da bochecha. – A LIU ME BEIJOU. – Colocou a mão na bochecha e saiu correndo pela casa.

Soo correu atrás do irmão rindo. Liu pegou a mão de Jin o puxando para fora.

– Vamos appa, preciso fazer 29 anos. – Jin riu e olhou para Jun, sussurrando um “obrigado” e logo a porta foi fechada.

Jun se levantou e Jungkook ainda a encarava estático.

– Vamos tomar outro banho meu lírio?

 

[...]

 

– Parece o pai. – Disse Jun olhando para Nari.

– Por que? – Riu olhando para a esposa.

– Comeu, tomou banho e depois dormiu. – Disse saindo do quarto.

– Yaah, eu não faço só isso agora.

– A não, é? – Riu adentrando seu quarto.

– Não. – A seguiu. – Eu como, tomo banho, depois eu como de novo, aí eu durmo.

Jun parou na porta do banheiro e se virou para ele confusa.

– Eu não vejo você comendo de novo.

Jungkook sorriu ladino e adentrou o banheiro para tomar banho.

– Tira a roupa que eu te mostro.

– Jungkook do céu. – Disse Jun abismada e ele gargalhou. – Você está com sérios problemas. – Negou com a cabeça.

– Claro que não, agora vem tomar banho comigo vai. – Começou a se despir.

– Acabei de secar meu cabelo, tome seu banho aí bebe. – Disse pegando uma escova de cabelo.

Jungkook fez um bico e adentrou o box, ligando o chuveiro e se pondo em baixo d’água. Jun começou a escovar seu cabelo e depois passou um creme no rosto. Pegou sua escova de dentes, mas antes que pudesse escovar seus dentes, Jungkook a puxou para o box a colocando em baixo d’água.

– Jungkook seu filho da.... – Ela o olhou indignada.

Ele a olhou com um sorriso sapeca, Jeon parecia uma criança quando não conseguia o queria.

– Minhas roupas, meu cabelo, MEU CREME! – Gritou brava e ele riu.

– Você pode secar seu cabelo de novo e passar o creme também.

– Mas e minha roupa? Meus pijamas estão para lavar seu imundo. – Deu um tapa no peitoral nu do de cabelos rosa.

– Aiai. – Riu esfregando sua mão no local. – Você dorme pelada! – Ela bufou.

– Jungkook eu vou te castrar.

O mais alto se abaixou pegando as pernas de Jun, a erguendo e colocando as costas dela na parede. Ela entrelaçou suas pernas na cintura dele automaticamente.

– Sei que você adora. – Ela riu e abraçou o pescoço dele, recebendo um carinho em suas coxas cobertas pela calça fina de moletom, já encharcada. – Agora me diz. – Começou ele a olhando. – Como assim seu primeiro beijo foi com 29? – Ela riu. – Yaah Jun você....

– Foi a primeira vez que você me beijou. – Ela disse o olhando calma. – Aquela bitoquinha rápida para me fazer calar a boca e entrar no seu carro. – Ele ainda a olhava confuso. – Eu considero aquele o meu primeiro beijo, por que você é o amor da minha vida, então você foi meu primeiro em tudo, você me renovou, entende agora?

– Aaah como eu te amo.

Encheu o rosto da ruiva de beijos e ela riu.

– Noona? – Ela o olhou aguardando. – Eu arranjei uma advogada. – Jun estremeceu. – Ruby... Namjoon me ajudou e ela será sua advogada.

– Você fez Namjoon conversar com Ruby? – Perguntou em tom de reprovação.

– Não é como se eu quisesse, mas sim. – Ela suspirou. – Ele também pediu para que ela o ajudasse no caso das gêmeas. – Ela assentiu. – Jun-ah, Ruby disse que não será fácil.

– Imaginei que não fosse. – O olhou calma. – Afinal, que provas eu tenho contra ela?

– Não só por isso. – Ela o olhou confusa. – Ruby disse que você terá que depor muitas vezes.... – Sussurrou.

– Eu sei disso. – Afagou a nuca dele e o puxou colando suas testas. Fechou os olhos e ele a acompanhou. – Mas você estará comigo, não é?

– Claro que eu estarei. – Ela sorriu.

– Então eu não tenho que me preocupar com nada.

 

[...]

 

Jun corria de um lado para o outro dentro da casa, ela estava eufórica e nervosa. Jungkook estava sentado na sala com sua garotinha no colo, apenas observando Jun organizando tudo. Eunwoo e Soo como sempre faziam, estavam sentados ao lado do pai, enquanto assistiam a um desenho.

– Será que ela vai gostar? – Jun perguntou o olhando nervosa.

– Amor. – O rapaz riu. – Claro que ela vai gostar, você cozinha bem e....

– Mas minha mãe é melhor do que eu. – O interrompeu e ele apertou os lábios rindo. – Eu estou nervosa, ela nunca comeu a minha comida e se ela não gostar?

– Ela vai gostar! – Soltou uma risada fraca e contida.

– Vovó é legal? – Perguntou Eunwoo desviando sua atenção da televisão.

– Sim ela é. – Jun sorriu. – Ela está louca para conhecer vocês.

– Está mesmo? – Perguntou Soo ficando em pé no sofá e apoiando suas mãos no ombro direito de Jungkook que o olhou sorrindo. – Posso dar um desenho para ela?

– Claro que pode. – Jun se aproximou parecendo mais calma.

– Eu também posso? – Eunwoo perguntou. Ela assentiu os olhando.

– Omma? E se ela não gostar de mim? – Perguntou Soo.

– Por que ela não gostaria? – Perguntou Jungkook segurando as pernas de Nari em seu colo, enquanto a garotinha brincava com um mordedor de morango.

– Porque eu sou adotado. – Disse simples.

O coração de Jun e de Jungkook se apertou na mesma hora. Sim, ele era adotado e nem por isso recebia menos amor do que os outros, o amor que ambos sentiam por Soo era o mesmo, sem exceções, eles já nem consideravam o fato de que ele era adotado.

– Min Soo! – Jun o repreendeu e o pegou no colo. – Você recebe menos amor nessa casa do que Eunwoo ou Nari? – O pequeno negou. – Você recebe menos brinquedos ou atenção? – Negou novamente. – Você é nosso filho, e amamos você, você sabe, não é?

– Eu sei omma, mas e se vovó não gostar de mim? – Jungkook soltou um suspiro sentido.

– O que seu avô acha de você? – Perguntou Jungkook se referindo ao seu pai.

– Halabeoji Jeon diz que me ama do mesmo jeito que Woo-ah e Nari-ah. – Respondeu olhando para o seu pai.

– E por que seria diferente meu filho? – O olhou com carinho.

– Entendi. – Sorriu. – Eu amo vocês, sabiam? – Jun e Jungkook sorriram.

– Se vovó não gostar de você, eu não vou gostar dela. – Disse Eunwoo cruzando os braços e os mais velhos o olharam rindo.

– Ela vai gostar. – Disse Jun calma. – Vocês verão como a avó de vocês é doce, hm? – Eles assentiram.

Jungkook apesar de gostar muito da mãe de Jun desde jovem, ele discordava em algumas coisas, por mais doce que ela fosse, ele não engolia o fato de que ela parecia esconder algo, afinal, que mãe e sã consciência deixa o próprio marido abusar de sua filha?

Mas ele não queria discordar de Jun, ainda mais quando ela parecia feliz com aquilo, o que acalentava seu coração, aquele sorriso lindo de sua amada esposa.

O som da campainha despertou todos ali e Jun voltou a se desesperar, colocou o filho no chão e correu até a porta, tirando risadas de seu marido. Jeon se levantou e colocou Nari no chão, a garotinha já estava andando super bem – ainda desengonçada – mas era ligeira.

– Omma. – Jun sorriu assim que abriu a porta.

– Oi querida. – Sua mãe a abraçou rapidamente, bem apertado.

– Oi noona. – Disse Hong a abraçando em seguida.

Jun os convidou para entrar e assim que chegaram até a sala encontraram a pequena fileira. Jungkook em pé com um sorriso singelo no rosto, ao seu lado direito Eunwoo, um pouco mais baixo que o irmão estava Soo e logo seguindo a pequena garotinha Nari.

– Como ensaiamos ok? – Disse Jungkook.

– Annyeonghaseyo. – Disseram todos juntos se curvando para a mais velha que logo sorriu.

Nari atrasada olhou para o pai e os irmãos, levou sua mão a boca dando uma risada sapeca e se curvou rapidinho.

– Ah, que gracinha, eu vou chorar. – Disse a senhora Min, Jun sorriu encantada para o marido e seus filhos.  – Agora quero apresentações. – Se aproximou e abraçou Jungkook que se surpreendeu, mas logo retribuiu o curto abraço. – Como está meu genrinho? – Ele riu.

– Estou bem e a senhora?

– Estou ótima, obrigada por me receber querido. – Apertou as bochechas dele, que fez uma careta em reprovação.

A mais velha se abaixou e encarou Eunwoo que sorriu.

– Você deve ser Eunwoo.

– A senhora sabe meu nome? – Arregalou seus olhinhos e sorriu.

– Claro que eu sei, você é a cara do seu pai. – Ele sorriu. – Vai conquistar o coração das garotinhas.

– Eu já dei meu coraçãozinho, mas ela me mandou esperar até ter 29 anos. – A mais velha riu.

– É uma garota de sorte.

Ela se virou e olhou Soo, mas antes que pudesse falar com o rapaz, Nari deu uma corridinha pulando nos braços da mais velha que a olhou com todo amor e carinho.

– Ah, você deve ser a Nari, o pequeno lírio da família. – A garotinha gargalhou apoiando suas mãos na perna da avó. – Olha essas bochechas. – Apertou ouvindo mais risadas. – Você é a cara de Jun. – Olhou rapidamente para sua filha. – Tão linda quanto. – Nari bateu palminhas animada.

Jungkook pegou Nari no colo e a senhora Min olhou para Soo, que parecia um tanto assustado. Ela segurou as mãozinhas deles o puxando para mais perto, deslizou suas mãos pelos braços do garotinho e sorriu docemente, um sorriso que pareceu acalmar o coração de Soo, pois, era igual ao de sua mãe.

– E você deve ser Soo, não é? – Ele assentiu. – Eu não sei com quem você se parece mais, você é a mistura do seu pai e de sua mãe. – Sorriu.

– Sou? Mas eu sou adotado.

– Adotado? – Arregalou os olhos. – Acha que só por que é adotado não faz parte da família? – Ele a olhou tímido. – Ei querido, você sabia que quanto mais se convive com alguém, mas você se parece com essa pessoa? – Ele negou. – Você é a mistura de seus pais. – Ele sorriu.

– Você gosta de mim? – Disse com pesar.

Jun olhou rapidamente para Jungkook com o aperto no coração.

– Se eu gosto? – Ela bufou. – Eu já te amo pequenino. – Ele sorriu e a abraçou.

– Obrigado halmeoni.

– Você contou a ela que Soo é adotado? – Perguntou Jun sussurrando para seu irmão.

– Sim eu contei, fiz errado? – A olhou preocupado e ela negou com um sorriso. – Achei que ela deveria saber antes de vir, mas estamos falando da omma, ela é tão doce quanto você noona. – Jun sorriu.


Notas Finais


Gente a Nari.. ela... AAAAAAAAH ❤
A Liu e o Eunwoo... o que posso dizer? Que adorável hsuhausah
O Soo com medo, ai meu coração dóiiii ;((
Jun e Jungkook para mim são o melhor casal que eu já criei, desculpa, mas é o que eu acho hsuahsuah ❤
A mãe da Jun é amável não é? ;( ❤❤❤



CONTINUAAAA....???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...