História My Bloody Love - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Jeff The Killer, Lendas Urbanas, Slender (Slender Man)
Personagens Jeff, Personagens Originais
Tags Jeff The Killer
Visualizações 82
Palavras 915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


SIIIIIIMMMMM, JEFF THE KILLER VOLTOU E COM HISTORIA TOTALMENTE DIFERENTE E MAIS DRAMATICA!!!!

Espero que gostem da nova fic e comentem o que acharam

Sn= seu nome

Capítulo 1 - Um dia normal, como sempre.........!


Dia 6 de fevereiro de 2017

Acordo com o despertador tocando uma música qualquer, me sento na cama e passo minhas mãos no rosto, mais uma segunda feira, mais um dia de aula e mais um dia como a nerd do colégio, me levanto e vou no meu banheiro, me olho no espelho e eu mesma me assusto com minha aparência, meus cabelos estão formados em uma juba de leão, meus olhos com leves olheiras por ter meus pesadelos como sempre, faço minhas higienes matinais e vou me arrumar, acho que hoje vou com uma coisa diferente, pego meu casaco de homem preto e branco, uma calça jeans escura colada, um all star do Slenderman que amo usar, me visto e prendo meu cabelo em um rabo de cavalo alto, pego minha mochila e desso as escadas indo pra cozinha.

Quando chego na cozinha vejo minha mãe e meu pai conversando, ou melhor, brigando como todos os dias, eles percebem minha presença e ficam calados.

Carla- bom dia filha

Sn- bom dia -passo por eles e pego uma maça, como a maça toda e jogo o resto no lixo, antes de consegui sair da cozinha escuto meu pai me chamando

Leonardo- não vai querer carona pro colégio não?

Sn- não valeu -bato a porta de casa e vou andando até o colégio que não era muito longe, apenas 9 quadras de casa e pra minha felicidade, no caminho tem uma floresta enorme onde rola vários boatos de criaturas estranhas e uma delas atrai as crianças onde elas nunca mais voltam, o famoso Slenderman tem suas vitimas aqui

Pego meu celular e meu fone na mochila e escuto minha música favorita, Lil Wayne- Sucker For Pain, a música que toca minha alma e deixa eu mais calma, mais relaxada com o dia de aula que pode ser facilmente estragado pelos jogadores e torcedoras metidas. Na metade da minha rota onde é a metade da floresta, me sinto sendo observada, ignoro e continuo meu caminho pensando em me livrar dos meus brinquedos antigos que ficam no porão.

Chego no colégio e já sou recebida com um grupo de umas 9 torcedoras que notam minha presença e tentam me tirar do serio.

Emma- olha só meninas, a nerd chegou 

Audrey- lixo!

Sunny- escrota!

Sany- volta pro circo! -elas me xingam até eu passar pela porta do diretor, onde é proibido fazer qualquer coisa perto da porta se não ganha uma bela e linda suspensão de 2 semanas em casa e menos 6,5 em todas as matérias

Sinal do almoço

Vou no refeitório acompanhada pela minha amiga Maria Luiza que por sorte minha me ajuda com os xingamentos e insultos que recebo, pego uma bandeja e pego tudo o que eu gosto e ela faz o mesmo, vamos pra uma mesa onde fica perto da floresta, nos sentamos e começamos a conversar sobre coisas aleatórias, e do nada o assunto é o Jeff The Killer, a creepypasta que tenho muita admiração e amo no fundo do meu coração.

Maria- e o caminho vindo pra cá, foi tranquilo ou teve algo de fora do comum?

Sn- tudo normal, tirando que no meio do caminho me senti sendo observada, e isso vinha da floresta

Maria- tomara que não seja o Slenderman, se não você tá fudida -aponta pra mim com um garfo com uma uva

Sn- cruzo os dedos pra que não seja ele

Saida

O sinal bate e fomos embora pra casa, eu me despeço da Maria e vou pra casa pelo mesmo caminho que fui pro colégio, agora escutando Imagine Dragons- Beliver, e aquela sensação volta quando estou a 3 quadras de casa, perto da ultima árvore da floresta que sempre que passo por ela meu corpo se arrepia todo vendo ela com carne podre e corvos voando perto dela.

Chego em casa e abro a porta indo pra cozinha onde sinto um cheiro de lasanha quente, entro na cozinha e vejo a lasanha e um bilhete nela:

Sn, eu e seu pai vamos trabalhar até mais tarde, voltamos amanhã as 09:00, que você ainda vai tá no colégio, se cuida e não esqueça de colocar a comida da Lyla

ASS: mãe e pai

Como um pedaço da lasanha e a guardo na geladeira, coloco a ração da Lyla, minha gata preta de olhos verdes que muitos falam que dá muito azar, mas pra mim deu muita sorte, a chamo e ela aparece no lado do pote me dando um pequeno susto, essa gata um dia me mata de susto, deve usar o teletransporte do Goku só pode.

Vou pro meu quarto e troco de roupa, coloco apenas uma blusa de basquete que ganhei do meu ídolo Michael Jordan branca e vermelha com o número 33 e uma meia vermelha que vai até metade das minhas coxas. Vou pra sala e fico vendo o dia todo Supernatural, especificamente a 1 e 2 temporada toda, olho entre uma das janelas e vejo que já está de noite, vou pro quarto e tomo um banho relaxante, volto pro quarto caindo na cama super macia e vou dormindo aos poucos, sinto Lyla se deitar no outro travesseiro no meu lado direito e antes de dormir por completo, vejo o contorno de uma pessoa na minha frente, usando um moletom branco que seu capuz cobria seu rosto por completo, ele chega perto do meu ouvido e fala:

"durma minha pequena, em breve seu sono será eterno"

E assim caio em um sono pesado.


Notas Finais


Em breve irei criar os imagines e repostar o The Dollhouse de novo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...