1. Spirit Fanfics >
  2. My Boss - Yeonbin >
  3. Always with you (final - part 2)

História My Boss - Yeonbin - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Soobin •top•
Yeonjun •bottom•

Capítulo 25 - Always with you (final - part 2)


Soobin

Eu sempre fui um menino muito egoísta. Nunca pensei nos outros, nunca coloquei eles como minha prioridade. Eu é que era superior a tudo e todos e ninguém se comparava ao Choi Soobin. Mas, a única que pessoa que eu colocava como minha prioridade era o meu irmão, Taehyun. Desde que ele nasceu, sempre tive a responsabilidade de desempenhar o papel de irmão mais velho... Tinha de o proteger de tudo, ajudar quando ele mais precisava, apoiar quando ele se sentia mal, essas coisas. Mas... A minha vida mudou completamente com a chegada de uma nova pessoa, mais especificamente um humano. E, esse humano, se chama Choi Yeonjun que, por mais ridículo que seja, é simplesmente a pessoa por quem eu sou perdidamente apaixonado. Lembro quando foi a primeira vez que o vi... Mas, a princípio, não olhava para ele de forma diferente. Com o tempo, eu fui me aproximando dele, e vendo as suas qualidades e defeitos, o meu coração acabou por se apaixonar por um humano idiota. Muito sinceramente, não queria me apaixonar por um humano porque... Um romance entre humanos e vampiros nunca ia funcionar. Mas já era tarde demais. Eu realmente fiquei perdidamente apaixonado por aqueles olhos brilhantes, sorriso rosado, pele clara como o dia, corpo desenhado por um artista, tudo... Tudo nele me fazia apaixonar. Ele era... Perfeito. Perfeito do jeitinho que eu gosto. Felizmente, ele me achava perfeito do seu jeitinho, e isso só me trouxe mais alegria. Sempre fiz tudo para o proteger (mesmo machucando ele sem querer), fazer ele a pessoa mais feliz do mundo e transformar ele num vampiro para viver junto de mim.
Confesso que desde que me apaixonei pelo Yeonjun, e depois de o transformar num vampiro, eu tinha um objetivo na minha mente: criar uma família. Eu queria fazer tudo com ele. Casar com ele, ter uma família com ele, fazer tudo com ele. Mas... A vida não quis fazer essa vontade. Porquê? Bem... Eu estou neste momento a pensar em tudo isto enquanto estou caindo de um edifício muito alto que era o edifício da minha empresa. Choi Yeonjun, a pessoa que me faz mais feliz neste mundo, pessoa que eu estava disposto a dar a minha vida por ele, me empurrou do prédio em chamas, fazendo eu cair de lá de cima para cá em baixo.


- YEONJUNNN! CHOI YEONJUNNN!
Gritava desesperadamente o seu nome, na esperança que alguma feitiçaria me levasse de volta para os seus braços ou vice-versa. Mas estava enganado.
Estava quase chegando no chão quando, de repente, senti algo me segurar, fazendo evitar a minha queda ser tão dolorosa. Acabámos os dois por cair no chão, eu em cima da pessoa que me agarrou nos últimos segundos.
- SOOBIN!? ESTÁ TUDO BEM!? SOOBIN!?
Meus olhos estavam fechados e, assim que os abri, olhei para a pessoa que me tinha travado a queda. Essa pessoa, fora Beomgyu.
Me levantei de cima dele, chorando rios e rios sem fim.
- Soobin!? Estás bem!? Machucou alguma coisa!?
- Não... Não está nada bem... E sim... Estou machucado...
Um bombeiro se aproximou de mim desesperado.
- Como se sente jovem? O que machucou?
- Perdido... Totalmente perdido...- fiz uma pausa longa e comecei a chorar ainda mais- O meu coração... Dói o meu coração...
- Vem, vamos para a ambulância.
Ele pegou no meu braço para me puxar para a tal ambulância.
- NÃO!- gritei.
Ele se assustou e rapidamente soltou meu braço.
- TIREM ELE! TIREM ELE DE LÁ DE CIMA!
- Do que você está falando?- perguntou o bombeiro.
- O MEU YEONJUN! O MEU NAMORADO! ELE ESTÁ LÁ EM CIMA! NO MEIO DO FOGO!
Agarrei no seu casaco, perto do pescoço, e comecei a mexer com ele.
- FAÇA ALGUMA COISA ÚTIL E TIRE O MEU NAMORADO DE LÁ DE CIMA SEU IMBECIL!
Senti alguns braços me puxando para largar o bombeiro. Acabei por soltar ele depois de puxarem. Olhei para trás e estavam o Hueningkai e o Taehyun, junto de Beomgyu, agarrando nos meus braços.
- Calma Soobin! Eles vão tirar o Yeonjun de lá! Eles sabem o que fazer. Tem calma que ele vai sair de lá vivo!- disse Taehyun.
- Ele é forte Soobin! Ele vai resistir! Os bombeiros vão salvar ele!- disse Beomgyu.
A palavra "resistir" fez um eco na minha cabeça... Ele não ia resistir. De jeito nenhum! Ele me jogou de lá de cima para cá para baixo...
- Não Beom... Ele não vai resistir...
- Claro que vai, ele...
- O YEONJUN NÃO VAI RESISTIR IDIOTA!
Beomgyu se assustou comigo a levantar a voz. O Hueningkai abraçou ele e beijou o seu rosto. E, isso que ele fez com o Beomgyu, fez me lembrar a mim e o Yeonjun, quando a gente passava o tempo inteiro se beijando. Comecei a chorar cada vez mais depois de ver aquilo.
- Mano...
Olhei para o meu lado direito e Taehyun me olhava preocupado. Mas... Agora que penso... Ele não odiava o Yeonjun? Ele queria separar a gente, não é mesmo?
Andei até perto dele e segurei ele pela gola da sua camisa, fazendo se levantar o chão.
- Foste tu, não foi...?
- F... Fui eu o... o quê Soobin?
- FOSTE TU QUE INCENDIOU A MINHA EMPRESA PARA MATAR O YEONJUN!?
- O QUÊ!?
Joguei o meu irmão no chão, fazendo ele cair. Taehyun me olhou de cima e seus olhos se encheram de lágrimas.
- Soobin... Eu... Eu não tive nada haver com isso...
- Não tiveste nada haver com isto!? Grande parte da nossa família morreu por tua causa Taehyun! Por causa daquela mentira idiota!
- Era apenas um jogo Soobin!
- TROCASTE UM JOGO PELA FAMÍLIA! E ISSO CUSTOU A VIDA DA NOSSA MÃE!
Taehyun ficou assustado com as minhas palavras... Mas o que eu falei era verdade.
Há uns anos atrás, em Ansan, o meu irmão tinha alguns amigos vampiros que jogavam um jogo de desafios. Acontece que, esse jogo idiota levou a um desafio final, onde falava que se pegasse fogo à maior coisa de valor das nossas vidas, sem ter vida própria (como parentes ou animais), seria o vencedor. A pessoa desafiada ganhava um prêmio qualquer... Então, o Taehyun decidiu pegar fogo a um armário que havia na nossa antiga casa. Aquele armário era importante para ele porque, sempre que eu e ele brincávamos de esconde-esconde, ele ia para aquele armário se esconder. O problema é que, como era feito de madeira, o fogo rapidamente se espalhou pela nossa casa... A nossa mãe foi morta pelo incêndio pois foi apanhada de surpresa enquanto estava dormindo no seu quarto. E o mesmo aconteceu com outras pessoas da família. Eu fiquei muito chateado com o Taehyun, mas ele, na época, era só uma criança. Crianças são inocentes e... Confesso que tive pena dele. Por isso, perdoei. Mas esse foi o principal motivo de nós termos saído do Ansan.
- Soobin...
Beomgyu se aproximou de mim e do Taehyun.
- O Taeh não tem nada haver com isto do incêndio na tua empresa...
- Vai falar que está do lado dele Beomgyu!?
- Sim! Eu estou do lado dele!
- Como é?
- É isso que tu ouviu Soobin, estou do lado do Taehyun.
- Porquê? Ele tem provas?
- E tu tens provas para acusar ele de ter incendiado a tua empresa?
Aí eu fiquei de boca fechada. Eu realmente não tenho provas mas... Eu sei que foi ele! O meu irmão era o único que me queria ver separado do Yeonjun.
- Soobin, eu sei que não foi o Taehyun porque, na hora que começou o incêndio, eu e o Taehyun estávamos juntos em casa.
- Fazendo o quê?
Beomgyu se aproximou do meu ouvido.
- Estávamos bebendo sangue... A gente não bebia fazia uma tempo então... A gente ficou em casa fechados só para beber sangue humano.
Ele se separou de mim e ajudou o Taehyun se levantar do chão.
- Soobin... Eu sei como o fogo começou...
Olhei para trás e vi Hueningkai com lágrimas nos olhos.
- Como aconteceu Huening...?
- O computador de um dos funcionários deixou de funcionar. Por isso, outro funcionário se ofereceu para tentar arranjar o computador. Acontece que, quando estava a mexer nos fios do computador, um deles fez faísca e isso pegou fogo na secretária de madeira que, por consequência, se espalhou por todo o resto à volta...- ele fez uma pausa longa- Soobin... O Taehyun não tem nada haver com isso... Foi realmente um acidente.
Hueningkai começou a chorar cada vez mais assim que acabou de falar aquilo.
- Eu... Eu não quero que o Yeonjun hyung morra Soobin... Eu não quero ver ele morto! Quero ele junto de nós...
O meu choro, que já tinha acalmado um pouco, começou a crescer de novo, uma vez que o Hueningkai falou do Yeonjun...
Eu não quero que o Yeonjun se vá embora para sempre... Quero ele do meu lado: poder acordar de manhã e ver aquela carinha de sono fofa, encher a sua carinha com beijos e carícias, tocar do seu corpo perfeito sempre que queira... É isso o que eu quero... Quero fazer tudo com ele.
- Soobin! Olha! Um dos bombeiros está subindo pelo escadote para chegar no piso onde o Yeonjun está preso!- disse Hueningkai ainda chorando.
Olhei rapidamente para cima e, o que o Huening tinha falado, era verdade. Estava com os meus olhos fixos no bombeiro... Espero que corra tudo bem.
Continuava olhando para o homem até que, de repente, senti algo a segurar na minha mão. Olhei para o meu lado direito e vi o Kai, ainda com lágrimas no rosto, mas sorrindo para mim.
- O hyung vai ficar bem!
Apenas sorri com as palavras dele e, de repente, novamente, seguraram na minha mão livre. Olhei para o outro lado e estava o Taehyun com lágrimas.
- Soobin... Eu estou a torcer para que o Yeonjun esteja vivo.
Olhei para ele surpreso e fiz um sorriso, mas era um sorriso forçado. Claro que ele está mentindo... Ele já me mentiu várias vezes, acredito que esta não seja uma coisa verdadeira, uma vez que ele nunca gostou do Yeonjun.
Olhei para baixo e pensei em todos os momentos bons e maus que eu e o Yeonjun passámos juntos. É como se eu conseguisse sentir ele do meu lado me abraçando.
Estava preso nos meus pensamentos até que, para minha surpresa, ouvi uma explosão. Assim que ouvi, tapei meus ouvidos e me baixei, fechando os olhos com força. Quando eu abri lentamente os olhos, vi o meu irmão, o Hueningkai e o Beomgyu na mesma posição que eu. Me levantei devagar e, quando olhei para cima, fiquei chocado e muito assustado... O piso onde o Yeonjun estava tinha explodido e, o bombeiro que estava perto do andar onde ele estava, ficou com alguns ferimentos no braço por conta dos vidros que se partiram por causa da explosão. E, foi aí, que tudo à minha volta parou... Se o piso onde o Yeonjun estava explodiu e o bombeiro está do lado de fora com ferimentos e sem ninguém do lado dele, isso quer dizer que...
- Não...
- S... Soobin?
Os meus olhos se encheram de lágrimas e eu apenas deixei cair os meus joelhos no chão.
- Não... Ele não... Não... Não aconteceu o que eu estou pensando p... pois não...?
Senti um braço se entrelaçando nos meus ombros. Olhei para o lado e vi o Hueningkai assustado e chorando.
- Soobin... Eu... Lamento... Lamento imenso mas...
- Não... Não é verdade...- me levantei e olhei para eles- DIGAM QUE NÃO É VERDADE!
Beomgyu, Hueningkai e Taehyun apenas ficaram sem silêncio... Olhei para as pessoas que estava atrás de nós e todas também ficaram em silêncio.
Comecei a chorar ainda mais e o meu corpo começou a tremer.
- Lamento Soobin...- Beomgyu se aproximou de mim- Mas... É verdade... O Yeonjun se foi...
Após o Beomgyu dizer as últimas palavras eu comecei a chorar ainda mais e a gritar. A gritar muito alto. Muito alto mesmo! Gritava desesperadamente o nome do Yeonjun, gritava dizendo que "NÃO" porque aquilo não estava acontecendo...
Depois de algum tempo de gritar, apenas me deixei cair outra vez. Agarrei na erva que tinha do chão e a arranquei.
- Não... Yeonjun... Não me deixes... Não... Por favor... YEONJUN!



























Dois dias se passaram desde o acidente na minha empresa. Depois de conseguirem apagar o incêndio que houve, eles encontraram o corpo do Yeonjun cheio de queimaduras. Na altura, quando encontraram o corpo dele no piso onde foi a explosão, eu estava junto deles. Assim que vi o Yeonjun caído no chão, apenas me aproximei dele e peguei nele. Segurei ele nos meus braços e apenas chorei mais ainda. O corpo dele tinha muitas queimaduras, mas, felizmente, o rosto dele não sofreu muitas alterações. Conseguia ver tudo direito. Os olhos, o nariz, a boca, as bochechas, as sobrancelhas, tudo... O seu rosto estava direito, tirando algumas ligeiras queimaduras.
Pedi para que, os profissionais que tinham encontrado o corpo dele, me deixassem um pouco sozinho. Eles acentiram e apenas saíram. Fiquei apenas eu e o Yeonjun, segurando o seu corpo junto do meu. Minhas lágrimas escorriam e caíam no rosto adormecido do Yeonjun. Fui passando uma das minhas mãos no seu rosto devagar, conseguindo ainda sentir a textura da sua pele fina e clara. Fiz um pequeno sorriso enquanto olhava para ele.
- Yeonjun... Lembras quando, me empurraste pela janela para cair e me salvar? Tenho a dizer que, enquanto caía, eu estava me lembrando de tudo o que nós dois passámos. Como a gente se conheceu, como me apaixonei por ti, como eu te protegi, como nós beijamos pela primeira vez, como nós transamos juntos, como a gente brigou... Tudo isso eu me lembrei enquanto eu caía. E, sabes porquê? Porque os melhores e os piores momentos que passei foram contigo... Foi junto de ti que passei momentos únicos. Talvez não sejam muitos, nem muito fascinantes mas... São os suficientes para me lembrar da grande felicidade que me trouxeste. E... Agora... Mesmo depois de morreres e de não poder ter mais momentos inesquecíveis contigo, eu quero que saibas que eu te amo. Te amo muito, mesmo depois da morte, te amo de qualquer jeito que estejas... Eu te amo Yeonjun... Do jeitinho que tu sempre foste.
Depois do grande discurso que fiz, olhei para a sua boca e fiquei paralisado nela. Ele está morto, mas ainda não está em decomposição... Passei meus dedos nos seus cabelos e fiquei olhando para ele. Apenas sorri e aproximei a minha boca da dele. Beijei os seus lábios com todo o amor e respeito possível. Parece nojento mas... Para mim, foi perfeito. Foi como se... Ainda conseguisse sentir aqueles lábios doces que só ele tem. Enquanto o beijava, iria jurar que senti os seus lábios a encaixarem nos meus, como se ele tivesse cedido. Também consegui sentir os seus braços a entrelaçarem no meu pescoço e agarrarem nos meus cabelos... Parecia que ele estava ali, me beijando com vontade.
Quando separei do beijo e me afastei um pouco do seu rosto, abri os meus olhos. O corpo dele estava do mesmo jeito que eu tinha visto antes de beijar ele mas... Eu senti. Eu senti ele nos meus braços me beijando... O Yeonjun tinha razão. Onde quer que eu estivesse, ele ia estar sempre do meu lado para me proteger e me acompanhar em tudo.






Depois de encontrarem o corpo e darem como morto, organizamos um funeral para o Yeonjun. Custou-me imenso falar com a família dele... Foi tão horrível a conversa que tive com a sua tia que nem sequer encontrava as palavras certas para descrever o que tinha acontecido.

- Senhora Choi...?
- Sim? Quem fala?
- Sou o Choi Soobin... Empresário e namorado do seu sobrinho.
- Ah! Soobin! Eu já sei quem és! Ouvi falar imenso do ti meu jovem! Prazer em o conhecer.
- O prazer é todo meu...
- Então, como vão as coisas entre si e o meu Yeonjun? Andam muitos grudados? Estão planejando um casamento?
As palavras da tia do Yeonjun me emocionaram. Não aguentei e acabei por começar a chorar.
- Soobin? Soobin?
- Eu...
- O que se passa? Porque está chorando? Tu e o Yeonjun terminaram foi?
- N... Não minha senhora...
- Vocês brigaram...?
- Não... Foi... Muito pior...
- O que aconteceu? Estou ficando preocupada.
Continuei chorando cada vez mais.
- Soobin... Por favor, fala logo o que aconteceu! Estou ficando muito assustada...
- Eu... Lamento imenso senhora Choi...
- Lamento? Porque está lamentando?
- O meu namorado... O Yeonjun... Ele...
- Ele o quê? O que tem ele? Está doente?
- Não... Muito pior... Muito pior senhora Choi...
- Por favor, fala logo o que o meu sobrinho tem...
- Ele... Não tem nada...
- Não tem nada?
- Senhora Choi... Eu lamento imenso... Eu juro que fiz o que pode... Mas não foi o suficiente...
- Não foi o suficie... Espere! Você... Não está dizendo que...
- Lamento... O seu sobrinho Yeonjun faleceu...
Nesse momento ouvi o telefone da tia do Yeonjun do outro lado a cair. Apenas continuei chorando e segurando bem firme o meu celular. Ouvi o choro desesperado da tia do Yeonjun. O choro da sua tia, só me fez partir mais o coração.






Hoje é o dia do seu funeral. Está um dia de chuva, o que facilita um pouco para nós pois não precisamos de nos expor ao sol. Conheci a família do Yeonjun, assim como a família dele conheceu a minha. Quando a tia do meu namorado me viu, a primeira coisa que me perguntou foi como ele tinha falecido. Eu contei tudo para ela... Cada pormenor que falava, ela chorava mais. No fim de falar tudo, ela me abraçou com imensa força me pedindo para a acordar para a realidade... Que aquilo não estava acontecendo. Eu também não queria que aquilo também estivesse acontecendo... Mas estava, e, aquela, era a realidade.
Todas as pessoas que estavam presentes eram as nossas famílias, as pessoas que trabalhavam na empresa e alguns amigos que o Yeonjun tinha.
No final do funeral, todos foram embora, excepto eu, o Taehyun, o Beomgyu e o Hueningkai.
- Ele se foi embora Beomgyu...- disse Hueningkai ainda chorando- Ele se foi embora para sempre...
- Eu... Eu sei... E nem sequer tive oportunidade de lhe pedir desculpas...
A minha cabeça, que estava em baixo, rapidamente se ergueu ao ouvir aquilo vindo do Beomgyu.
- Pedir desculpas pelo o quê Beom?
- É que...
- Eu posso explicar...
Desviei o meu olhar do Beomgyu e olhei para o Taehyun que tinha falado.
- Fui eu Soobin... A culpa é toda minha...
- Espera... Do que tu está falando?
- Sobre... Sobre o beijo entre o Beomgyu e o Yeonjun...
- Como é que é isso?
- Eu pedi ao Beomgyu que, quando estivesse no avião, na volta para a Coreia, ele de beijasse o Yeonjun... No avião, havia uma câmara escondida que, quando o Beomgyu beijasse o Yeonjun, ele carregaria num botão para tirar foto deles os dois beijando.
- E tu fizeste isso tudo para...
-... para separar vocês!- Taehyun começou a chorar depois daquilo.
- Porquê Taehyun? Porquê? Porque é que é que...
- POR CIÚMES SOOBIN!
- Ciúmes?
- Eu... Eu tinha muitos ciúmes do Yeonjun...
- Porque tinhas ciúmes do Yeonjun?
- Porque...- Taehyun fez uma pausa longa enquanto chorava- Porque desde que ele chegou, tu deixou de me dar atenção... Soobin... Tu deixou de conviver comigo... De conversar, brincar, rir, chorar, tudo... Tudo isso foi apagado quando o Yeonjun tinha chegado. E, confesso que havia momentos em que olhava para vocês dois e me perguntava "O que ele tem que eu não tenho?". Soobin... Por minha culpa, perdi uma pessoa muito importante para a minha vida, a nossa mãe... Eu... Eu só não queria que fosses o próximo...
Depois de ouvir aquilo do Taehyun, fiquei muito surpreso e preocupado... Agora entendi tudo... Ele só me queria do seu lado, como irmãos unidos. É verdade que, desde que o Yeonjun tinha chegado, deixei de dar muita atenção ao Taehyun e... Imagino o quanto horrível isso deve ser.
Me aproximei do meu irmão e abracei com força.
- Eu... Peço desculpa Taeh... Eu não sabia que te sentias assim... Podias ter falado. Sou teu irmão, estou aqui para os bons e maus momentos- separei do abraço e olhei nos olhos dele- O Yeonjun era... Quer dizer, ainda é a pessoa que mais amo neste mundo, mas... O nosso amor de irmãos não é o mesmo que um amor de casal. És muito importante para mim Taehyun. E, confesso que se não tivesse um irmão, não sabia partilhar nem ter um lado generoso. Eu sou egoísta com todas as pessoas, mas, contigo, aprendi a amar e cuidar daquilo que amo. E foi graças a ti que me apaixonei pelo Yeonjun e soube cuidar dele porque eu sei o que é amar e ser amado. Eu te agradeço por me ensinares isso Taehyun.
Taehyun colocou as mãos na boca e me abraçou com imensa força.
- Lamento imenso Soobin... Desculpa... Desculpa tudo o que fiz... Tu não merecias Soobin...
- Tudo bem... Eu também peço desculpa.
- Eu te amo Soobin.
- Eu também te amo Taehyun.
Separámos do abraço e voltei a olhar para a campa do Yeonjun.
- E também te amo muito Yeonjun...
Baixei a cabeça e fechei os olhos para poder pensar nele.
- Gente... Vamos deixar um pouco o Soobin sozinho?- disse o Hueningkai.
- Sim... É melhor- respondeu o Taehyun.
Ouvi os passos deles os três se afastarem depois de falarem aquilo.
Continuei parado no meu lugar até que, de repente, senti algo me abraçar. Abri os olhos e olhei para os lados. Eu não conseguia ver ninguém... O que significa que só pode ser uma pessoa.
























- Estou aqui para te proteger Soobin... Assim como tu me protegeu enquanto era vivo.





















                   ❦ The end



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...