História My Boss' Daughter - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Cameron Dallas, Jack & Jack, Magcon, Nash Grier, Nate Maloley, Sam "Wilk" Wilkinson, Taylor Caniff
Personagens Jack Johnson, Nash Grier, Personagens Originais
Tags Hayes Grier, Jack&jack, Nash Grier, Old Magcon, Scarlett Leithold, Taylor Caniff
Visualizações 30
Palavras 837
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - First


North Carolina – 7:23 am – Grier's House


Hamilton Nash Grier

Desço as escadas de casa um pouco mau humorado, odeio acordar cedo. Bom, hoje é meu primeiro dia de trabalho em uma empresa de advocacia muito importante da cidade — Na verdade é apenas um estágio remunerado, não um trabalho em si, porém, quem liga pra esses rótulos?

Meu horário ficou um pouco bagunçado, por causa da faculdade de direito que curso às segundas, quartas e sextas, mas já o resolvi. Irei trabalhar pela manhã, terei uma pequena parte da tarde livre, e irei para a faculdade à noite.

Já conheci meu chefe, ele é um homem muito bravo, mas ao mesmo tempo compreensivo, um pouco bipolar também, mas acima de tudo responsável e profissional.

Chego a cozinha e dou bom dia para meus pais. Estranho o fato de meu irmão estar ali, normalmente à essa hora Skylynn está dormindo, ou vendo algum desenho na televisão, e Hayes na escola.

— Hayes? Não foi pra escola? — me apoio na pia, pego uma maçã e dou uma mordida.

— Acordei atrasado, vou pegar a segunda aula. — diz fingindo desânimo e rio fraco.

— Quer carona? — pergunto.

— Não precisa, não quero que se atrase pro trabalho em seu primeiro dia. — diz e meus pais parecem lembrar do meu estágio.

— Ah, meu filho, está animado pro estágio? — meu pai pergunta me encarando.

— Não finja que se importa — Termino de comer a maçã e vou em direção à sala ouvindo minha mãe reclamar e dizer para eu respeitar meu pai. Se ele merecesse, eu com certeza respeitaria.

Pego a chave de meu carro e vou até à garagem. Abro o portão e com cuidado saio da garagem dirigindo o Jipe que ganhei há dois anos, como presente por passar na faculdade. 

Em dez minutos, em velocidade média, chego à empresa. Minhas mãos começam a suar e meu coração acelera, não é todo dia que se consegue um estágio numa das melhores empresas da Carolina do Norte. 

Estaciono o carro e o desligo, pego meu celular e as coisas que iria precisar para hoje e saio do carro. Aperto o botão de alarme e saio do estacionamento. Vejo as horas no celular. 7:45 am. Estou quinze minutos adiantado, já é um avanço.

Com o nervosismo, passo um pouco apressado na porta da frente e dou bom dia a secretária, que avisa ao meu chefe, Daniel Lewis, que estou à caminho de sua sala. 

— Pode subir, o senhor Lewis o está esperando em sua sala. É no último andar e tem o nome dele escrito na porta.

— Obrigado — digo indo até o elevador. Vejo uma menina caminhar até o elevador também, me pergunto se devo a cumprimentar ou desejar um bom dia, mas pela cara de mau humor dela, opto por ficar quieto.

Entro no elevador atrás da menina e nossas mãos se esbarram ao apertarmos o botão do último andar.

— Err.. desculpe — vejo ela revirar os olhos.

— Ta... quem é você? — pergunta com um ar arrogante.

— Nash, Nash Grier. E você? — estico o braço em sua direção em forma de comprimento mas ela ignora. Coloco as mãos no bolso envergonhado.

— Sou a Diana... Olha, não foi isso que eu quis dizer. Quero saber o que está fazendo aqui. 

— Sou apenas o estagiário — falo ainda um pouco envergonhado pelo tom superior dela. Aliás quem essa menina é? Ela solta uma risada irônica e fico sem entender. 

— Imaginei que fosse. Espero que não seja como os outros estagiários que já passaram por aqui.

As portas do elevador se abrem e percebo que chegamos ao último andar. Suspiro e saio do elevador, Diana me segue.

— Como assim? — pergunto confuso.

— Nash, né? —assinto enquanto caminho devagar. Olho as portas do corredor, à procura de algum "Daniel Lewis" — Bom, vou te contar uma pequena história. — assinto e paro de andar. Ela para à minha frente, ainda com o sorriso irônico brincando em seus lábios. — Bom, o estagiário que trabalhou por mais tempo aqui nessa empresa, ficou uns três meses. E sim, esse foi o que mais durou. — ela ri. Parece se divertir com meu nervosismo.

— Tenho certeza que serei diferente. — falo tentando soar confiante, mas não acho que tenha funcionado.

— É, eu espero. Mas acredite.. será difícil. — a ignoro e volto a procurar a sala do Sr. Lewis. — Está procurando qual sala, estagiário?

— Hã.. a sala do Sr. Lewis. — mais uma vez ouço sua risada irônica. Tenho vontade de revirar os olhos mas não o faço, que menina insuportável!

— É a última do corredor. Mas... Fica na sala de espera, preciso falar com meu pai antes. — Ela pisca e me indica a pequena sala de espera, com apenas algumas poltronas. Perai, ela disse "pai"? 

— É a filha de Daniel Lewis? — pergunto um pouco chocado.

— Isso mesmo, estagiário. Prazer, Diana Lewis, a herdeira disso tudo aqui. — gesticula com as mãos, dando mais profundidade à frase. Em que raio de estágio eu fui me meter?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...