1. Spirit Fanfics >
  2. My boss kim taehyung - bts >
  3. Culpada

História My boss kim taehyung - bts - Capítulo 32


Escrita por:


Capítulo 32 - Culpada


Lá estava eu sentada em um banco no hospital frio de seul, Jimin estava ao meu lado, ele segurava minha mão forte e sempre falava palavras positivas como: vai ficar tudo bem ou calma ele está bem.

Tentava pensar igual a ele, mais não conseguia de forma alguma, a família de Taehyung também havia chegado mas sentados afastado de nós.

— Maia ligou disse que Won perguntou sobre o pai, mais ela tentou despistar ele um pouco. — Yoongi apareceu e logo se sentou ao meu lado.

— mais cedo ou mais tarde ele vai ter que saber que o pai está no hospital. — falei cabisbaixa, meus olhos estavam inchados de tanto que eu havia chorado naquela madrugada.

Depois de uns minutos o médico que estava cuidado do caso do Kim apareceu fazendo que eu, Jimin, Yoongi e senhor e senhora Kim se levantassem juntos.

— quem é o acompanhante do senhor Kim Taehyung? — o médico perguntou e logo a senhora Kim que estava desesperada entrou na frente de todos nós.

— eu que sou a mãe — ela disse.

— então, seu filho passou por uma cirurgia e está bem, mais perdeu muito sangue na batida e o sangue dele é RH nulo o mais difícil de ser encontrado é um sangue raro, então ele precisa de sangue agora ou se não as coisas podem piorar — todos se entre olharam.

— eu.... — tentei falar mais a senhora Kim me interrompeu.

— como um hospital particular não tem os benefícios que meu filho necessita???? Isso é ridículo! — senhor Kim tentou acalmar sua mulher que estava gritando desesperada.

— eu posso doar para ele — disse fazendo a mais velha me olhar. — meu sangue é RH nulo.

— não, ela não! — o médico logo a interrompeu.

— se você estiver saudável, você pode doar sim — acenti. — vou preparar os exames para você e daqui alguns minutinhos te chamo. — o médico se retirou.

— você não vai colocar esse seu sangue podre dentro do meu filhinho. — eu estava aguentando aquelas ofensas ja fazia dias, não iria mais deixa ela me tratar dessa forma, a olhei irritada.

— senhora Kim, se você ama mesmo o seu filho vai querer que ele sobreviva nem que ele precise carregar o meu "sangue podre"! — cuspi as palavras. — eu o amo, e não vai ser a senhora que vai me impedir de doar para ele.

Disse logo vendo a mais velha sair irritada.

— diferente da minha mulher s/n, eu agradeço a você — senhor Kim sorriu pequeno e eu retribui o sorriso e ele se retirou também indo atrás da esposa.

Depois de uns dez minutos fiz os exames e deu tudo certo, após doar meu sangue voltei a me sentar no corredor com Yoongi e Jimin.

— já são quantas horas? — perguntei deitando minha cabeça no ombro do Park.

— quatro da manhã — Yoongi estava adormecido, e Jimin logo suspirou.

Depois de um tempo sem fazer nada, vejo Jungkook se aproximar e logo Jimin se levantou, eles ainda estavam meio brigados, sinceramente estava começando a achar aquilo meio infantil da parte do Jeon.

— oi Jungkook — Jimin o comprimentou e ele sorriu de lado.

— oi Jimin — eles se encararam por um tempo mais logo a atenção do mais novo foi para mim.

— a perícia examinou o carro e parece que foi proposital — engoli um seco.

— mais o carro não era da s/n — Jimin perguntou mais confuso que eu.

— então o acidente era pra ter acontecido comigo e não com o Taehyung — cheguei nessa conclusão, Jungkook somente acentiu e Jimin me encarou. — m-mais o carro ficava o tempo todo na garagem...

— sim — Jungkook me interrompeu. — a polícia acabou de ir em direção ao prédio que vocês mora, para checar as câmeras de segurança.

Me levantei acordando Yoongi.

— Yoon me dá uma carona — o olhei esperançosa o mesmo só acentiu com preguiça. — vocês dois ficam e qualquer coisa me ligam.

— m-mais — Jimin ia protestar mais eu somente olhei para Jungkook e depois para ele, não era um momento para eles fazerem as pazes mas talvez era o momento deles somente conversarem como pessoas civilizadas, Jimin entendeu o recado e nada disse.

Yoongi me levou até o prédio e logo encontramos com os polícias e o segurança do local.

— a pessoa que sabotou o seu carro senhorita s/n sabia que as câmeras de segurança estavam com defeito... — revirei os olhos irritada.

— aish... Então não conseguiu nada nas câmeras?

— o bom é que, pelo o que parece a pessoa que sabotou seu carro fez isso ontem mesmo, e antes de ontem o cara das câmeras veio consertar, então a pessoa que ferrou com o freio do seu carro não sabia que as câmeras tinham voltado a funcionar — o policial Wang explicou, dei um pulinho de alegria e sorri para Yoongi.

— então a gente pode ver as câmeras? — Yoongi perguntou.

— sim — o policial respondeu.

Fomos até a cabine que ficavam os computadores e eles logo checaram tudo, a pessoa que apareceu mechendo no meu carro parecia jovem, eu nunca tinha visto ele antes, mais como o seu rosto não estava tampado, eles logo jogaram no banco de dados e descobriram quem era.

— Song Sungjun — Yoongi leu o nome.

— nunca ouvi falar — disse baixinho.

— aqui tem o endereço da família dele, parece que ele só tem dezessete anos — o policial olhou na ficha — passagem na polícia por vandalismo, ele mora com os pais ainda...é bem simples a gente vai na casa dele interrogamos e quando ele abrir o bico a gente liga pra você.

— obrigada oficial Wang — agradeci e Yoongi me obrigou a entrar um  pouco no apartamento, tomar um banho e me alimentar, assim eu fiz.

Já era umas três da tarde, Jin e Namjoon ligaram falando que cuidaria de tudo lá na empresa, nesses momentos agradeço aos céus por ainda existirem pessoas boas como esses dois no mundo.

Fiquei um tempinho com Won e por incrível que pareça ele estava distraído, acho que pelo fato do pai quase sempre está trabalhando, fez com que ele não notasse a ausência do pai.

Desci para a cozinha e vi um Yoongi todo bobão e carinhoso e uma Maia sorridente.

— desculpa atrapalhar... — fui até a geladeira pegando um copo de água.

— tudo bem — Yoongi me eespondeu, meu celular logo começou a tocar, era da delegacia.

— alô? — atendi aflita e o casal logo percebeu e se aproximou.

— oi senhorita s/n.... O rapaz abriu a boca — o policial disse e eu suspirei.

— e q-quem é? — o policial disse e logo depois de mais um tempo eu encerrei a chamada, meus olhos lagrimejaram, senti a mão de Maia em meu ombro.

— então amiga quem foi que fez isso? — a olhei e limpei as lágrimas.

— c-como pode u-uma mãe fazer isso!? — Maia arregalou os olhos e logo senti a mesma me abraçar, deixei as lágrimas rolarem — como v-vamos falar isso pro Tae Maia? — eu soluçava e gaguejava ao falar, Yoongi me olhou, mas nada disse. Senhora Kim é a culpada.


Notas Finais


Eita.... Gente falta praticamente 1 episódio para o final...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...