História My BoY - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Visualizações 573
Palavras 1.845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Q saudades de postar essa fic, então voltei e com um cap interessante...
Boa leitura!!

Capítulo 16 - Acontecimentos


POV NARRADOR

Junto com as amigas Laurence foi de carro até a casa da namorada, como sabiam que o amigo precisaria de apoio independente do que acontecesse, elas decidiram ficar e o esperar no carro.

Uma hora e quarenta oito minutos depois, sem chão o rapaz saiu da casa dos Cabello.

Cabisbaixo e com os olhos vermelhos do recente choro, Laurence entrou pela porta de trás do carro da Hadid, aonde ela e Cara estão fazendo uma bela disputa de rap.

As meninas estavam tão entretidas, que só repararam no rapaz por que quando ele se acomodou no banco do carro, se permitiu chorar novamente por tudo que aconteceu a poucos minutos.

- Finalmente branquelo e aí como foi lá? Cara perguntou já imaginando a resposta pelo estado do amigo.

- Vocês tinham razão, o que aconteceu no meu sonho foi uma lembrança daquele dia, não abusei da Camila. O garoto respondeu com a voz fraca.

- Isso caramba. Gigi comemorou aliviada.

- Imagino o peso que deve estar saindo dos seus ombros Rence. Completou.

- A minha vontade é de dar uma surra na Cabello. Cara falou raivosa.

- A única coisa que eu quero agora é esquecer tudo isso. O que aconteceu com a Camila foi o estopim pra mim de tudo que está acontecendo recentemente na minha vida, tomei uma decisão importante. Lauren respirou fundo e continuou. - Vou embora de Londres. Jogou a bomba e as meninas ficaram em choque.

- Entendo por tudo que você está passando Rence, mas ir embora pra uma cidade que você não conhece ninguém, é uma mudança muito radical e...

- Você pode mudar de escola e sair de casa, não precisa necessariamente ir embora. Cara falou interrompendo a Hadid.

- Ainda acho melhor sair de Londres Car, quero recomeçar bem longe daqui.

- E a gente? Cara falou apontando para si própria e depois para a loira sentada no banco do motorista.

- Vocês são minhas melhores amigas, não vou esquecer vocês e ainda vamos ter contato, existe muitas opções para isso. Respondeu.

- Não! Não é a mesma coisa, que droga!

- Calma Car. Gigi tentou apaziguar os ânimos da amiga.

- Calma nada, e quer saber?! Vamos embora daqui logo tenho outras coisas para fazer. Falou irritada, cruzando seus braços e se virando para olhar através da janela do carro.

Lauren suspirou baixo, já imaginava esse surto da amiga.

- Car pensa que vai ser o melhor pra mim. Falou não obtendo nenhuma resposta da amiga que continuou encarando a rua.

Com o clima pesado que se instalou no carro, Gigi resolveu dar partida com o carro logo.

A primeira a ser entregue em casa foi a Delevingne, que na hora de sair do carro não se despediu, simplesmente saiu fechando a porta do carro com força.

No caminho de suas casas Gigi e Laurence foram em silêncio, a loira triste e pensativa com os recentes acontecimentos e o moreno de olhos verdes do mesmo jeito.

- Obrigado pela carona Gigi! Laurence falou quando chegaram.

- Não foi nada. A loira respondeu simples.

E ficaram nisso.

Triste e com a expressão derrotada o boy entrou em casa, encontrando seus avós abraçados no sofá assistindo TV.

- Olha quem deu o ar da graça. Boa noite senhor Laurence. George brincou, mas o rapaz ignorou a brincadeira.

- Preciso conversar com vocês. Falou se aproximando.

- Pelo visto alguém não teve um bom dia. George alfinetou.

- Sobre o que querido? Angélica questionou.

- Não da mais pra mim, preciso sair dessa casa. Falou sem rodeios.

- Para de brincadeira menino. George falou após se recuperar de uma pequena crise de risos.

- Não é brincadeira vovô, quero minha emancipação. Respondeu sério.

- Não! Nem pensar Laurence, não vou permitir que saia daqui. Angélica se pronunciou atordoada.

- Vovó, estou decidido.

- Está decidido?! O homem mais velho falou irônico. - Nem emprego você tem, como vai se manter? Questionou.

- Como todo mundo faz, vou arrumar um emprego.

- Ah claro! E você acha que as coisas vão ser fáceis para um garoto que não tem experiência em nada, de menor e que estuda?! - Para com essa palhaçada Laurence e esquece essa ideia. George falou bravo.

- Não vou esquecer nada e é como eu já disse estou decidido e vou fazer. Irritado Laurence falou e virou as costas para ir até seu quarto.

- Não terminamos Laurence Michel Jauregui. George levantou e foi até o neto. - Não de as costas pra mim. Agarrando o braço do garoto, o senhor falou irritado.

- Calma George. Angélica interviu. - E filho esquece essa ideia. Suplicou, recebendo um negar de cabeça do garoto.

- Você nem liga para o tanto que essa ideia estúpida vai machucar sua vó. Negou com a cabeça decepcionado. É embora que você quer?! Tudo bem Laurence. Você vai, mas vai do jeito que está, não vai levar nada dessa casa.

- George não. Angélica falou com algumas lágrimas começando a escorrer pelo seu rosto .

- Me dói sim ter que me afastar de vocês, mas eu não tenho outra escolha.

- Okay. Respondeu soltando seu braço bruscamente do aperto do avô.

- Em breve meu advogado vai te procurar para falar sobre o processo de emancipação.

- Ótimo George. Muito obrigado por esse favor. Respondeu debochado.

- Laurence por favor, fica filho. Angélica falou chorando.

- Desculpa vovó não da. Chorando também, Laurence rebateu.

Com o coração em pedaços ele foi até a avó e deu um beijo na testa dela. - Não se preocupa vai ficar tudo bem, amo a senhora. Falou com a voz fraca. Recebendo um. - Também amo você querido, muito.

Depois desse momento lindo, Laurence deu as costas e foi embora da casa aonde ele passou grande parte da sua vida.

POV LAURENCE

*23:20 da noite

É Laurence agora tudo vai mudar, só espero que eu seja forte. Pensei, brincando com uma pedrinha no chão.

Não sei para onde vou, ou o que irei fazer, depois que sai da casa dos meus avós, até pensei em ligar para alguma das minhas melhores amigas, mas achei melhor não, não quero incomoda las, acabei vindo parar em um parque não muito distante da minha antiga casa.

Fui tirado dos meus pensamentos por uma voz bem conhecida por mim.

- Laurence? Olhei para cima encontrando Kylie me encarando.

- Oi Ky. Falei me levantando.

- O que faz aqui a essa hora? Perguntou.

- Eu que te faço essa pergunta Jenner, esta muito tarde para a senhorita ainda estar na rua a essa hora. Falei e ela revirou os olhos.

- Não estou sozinha. Kylie falou arredando um pouco pro lado me dando a visão de um garoto mexendo no celular um pouco afastado de nós.

- Huum… voltando de um encontro. Falei malicioso e ela sorriu.

- Ele é bonito, mas é um idiota, depois que terminamos o jantar acredita que ele sugeriu uma ida ao motel? Porra é o nosso primeiro encontro. Kylie falou revoltada.

- Acredito, muitos garotos são idiotas. Falei e ela assentiu em concordância.

- Voltar para minha casa com ele está sendo torturante, por isso vou dispensar ele e você vai me levar para casa.

- Mas… Kylie nem deixou que eu falasse e se afastou indo até o garoto, trocando algumas palavras com o mesmo, não demorando a caminhar de volta até mim.

- Vamos? Perguntou e eu concordei, já que não ia adiantar discutir com ela e também não me custa nada.

- Você não me respondeu o por que de estar sozinho na rua até essa hora. Kylie falou e eu suspirei.

- Digamos que eu não sei para onde ir.

- Digamos que para sua casa é uma boa opção. Ky falou como se fosse óbvio.

- Seria se eu tivesse uma, decidi sair da casa dos meus avós. Falei e ela me olhou com uma cara surpresa.

- Porquê? Questionou.

- Deixa pra lá ky, não quero te encher com minhas bobagens. Respondi não querendo entrar no assunto.

- Você não vai me encher Rence, estou vendo na sua cara o tanto que está triste e cansado. Desabafa estou aqui para te ouvir. Ky falou doce e passou a mão no meu braço.

(…)

Quando chegamos na casa da Ky não tinha terminado de desabafar tudo que precisava, falei que depois a gente continuava a conversa, mas ela insistiu para que eu terminasse, então sentamos na calçada e continuei a contar tudo para ela.

- Wow, que merda! Ky falou quando terminei de desabafar.

- Bom, vamos por partes. Sobre as meninas relaxa que daqui a pouco elas estarão de boa com você, eu concordo com elas talvez seja muito radical ir embora de Londres, acho que devia pensar melhor sobre isso.

- Acho que fez certo em sair da casa dos seu avós, não da para ficar em um lugar onde só está te fazendo mal.

- E sobre a Cabello foi muito grave o que ela fez, poxa por mais que ela tenha feito por amor, acredito eu, não tem justificativa mano, o melhor é vocês ficarem separados mesmo.

Falou e eu suspirei cansado.

- Estou confuso. Falei e comecei a chorar. Senti os braços da Jenner mais nova rodeando meu pescoço e ela me envolvendo em um abraço acolhedor. - Obrigado por me ouvir. Falei baixo.

- Não precisa agradecer olhos verde. Falou se separando de mim. - Vamos! Levantou e estendeu a mão pra mim.

- Pra onde? Perguntei confuso.

- Pra minha casa, você precisa de um bom banho quente e dormir.

- Não Ky, eu…

- Anda Jauregui. Falou impaciente.

- Ky…

- Eu não vou deixar você ficar na rua garoto e não tem problema nenhum você ficar na minha casa.

POV NARRADOR

Depois de ponderar sobre a ideia Laurence se deu por vencido e aceitou a ajuda da Jenner mais nova.

- Ky é melhor eu ficar em um quarto de hospedes. Laurence falou ao sair do banheiro, aonde tomou um banho demorado e relaxante.

- E eu já disse que não, você vai dormir aqui, a cama é enorme e eu não agarrar você durante a noite. Falou brincalhona, em seguida deu duas batidinhas no lado vazio da sua cama, sinal para ele vir deitar com ela.

- Eu sei, mas seus pais não vão gostar de me encontrar aqui. Rebateu.

- Relaxa, meus pais estão viajando e mesmo assim eles não entram aqui e também não estamos fazendo nada de mais.

- Ta bom Jenner você que sabe. Rendido mais uma vez pela garota o boy falou, logo se aconchegando no lado esquerdo da cama.

- Sei mesmo! Jogou os cabelos para o lado convencida. - Vejo que as roupas que eu te dei lhe caíram muito bem. Falou observando o garoto deitar do seu lado.

- Sim, a cueca ficou um pouco apertada, mas da pra suportar.

- Também né um pau desse tamanho. Falou simples.

- KYLIE! Exclamou com as bochechas coradas.

- O que?! É mentira? A garota rebateu, adorando deixar o garoto sem graça.

- Vamos dormir logo. O garoto tentando desviar do assunto falou e se virou para o lado envergonhado.

- Tudo bem baby. Boa noite! Ky falou e se esticou na cama para dar um beijo de boa noite na bochecha do garoto, que ficou surpreso, mas gostou do simples ato da mais nova.

- Boa noite Ky! Respondeu com um pequeno sorriso nos lábios.


Notas Finais


O q acharam?? Comentem
Passando aqui tbm para deixar o link das minhas outras fic

Obs: Entre Tapas e Beijos agora esta revisada e organizada 👌

https://www.spiritfanfiction.com/historia/entre-tapas-e-beijos-3029264


https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-complicated-woman-12213251


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...