1. Spirit Fanfics >
  2. My boy >
  3. Final.

História My boy - Capítulo 4


Escrita por: anjosnape

Notas do Autor


Em primeiro lugar, eu estou me despedindo finalmente dessa história, fiquei um bom tempo pensando se aquele seria um fim, e bem...não foi, então aqui estou eu, postando pelo tio Google já que não estou com o App em mãos, comentem o que acharam.

Capítulo 4 - Final.


Fanfic / Fanfiction My boy - Capítulo 4 - Final.

(Pov Hermione)

Gemi e voltei a fechar os olhos assim que acordei, senti um braço forte abraçar minha cintura e sorri no aconchegante abraço, com cheiro de grama molhada, ar puro e especiarias de opções, Merlin, é hoje!.

Deslizei cuidadosamente para fora da cama, ele estava tão sereno dormindo. - Mamãe ? - ouvi uma vozinha infantil me chamar da porta.

- oi princesinha - Hailee se jogou no meu colo, estou casada com Severus a oito anos e a quatro engravidei do nosso pequeno tesouro, Hailee Granger Snape, - vamos fazer o café pro seu papai ?

Ela concordou enquanto eu levantei com ela no meu colo e fomos até a cozinha, sorri de novo, a felicidade por estar passando por isso de novo.

- o que vamos fazer ? - perguntou, bati o dedo indicador no queixo e fingi pensar.

- Panquecas com mel, bolo de chocolate e muito, muito suco de abóbora, que tal ? 

- sim! - falou enquanto me ajudava a pegar o material, é no meio das risadas terminamos de fazer tudo e fomos até o quarto, onde meu marido estava sentado, sorriu quando abri a porta.

- Bom dia - falou, eu não respondi, somente coloquei a bandeja na ponta da cama e fui para o lado dele o abraçando e deixando ele beijar levemente meu pescoço, estremeci com o gesto de carinho e agarrei seus cabelos negros, agora levemente tocando seus ombros, mordi o lábio tentando evitar o sorriso bobo.

- papai - nossa filha chamou enquanto sentava do outro lado dele e o abraçava, ele riu baixinho a abraçando, ela começou a pular com animação sobre ele é eu gargalhei da careta que ele fez, sinto-me tão feliz olhando eles dois, os cabelos cheios da minha filha tão pretos quanto os do pai, os olhos castanhos igual aos meus e a pele pálida semelhante a do pai, era a nossa mistura, tão perfeita.

- oi princesinha - chamou por ela que o abraçou - e ao que se deve as duas estarem tão felizes pela manhã ? - ergueu a sobrancelha e nos olhou atentamente.

- hoje é seu aniversario papai - Hailee falou como se o pai fosse uma criança, com algumas palavras embaladas.

- e vamos para a toca - comecei.

- Não ! - ele lamentou se jogando para traz como uma criança, sorrindo ao ouvir a gargalhada da nossa filha.

- vamos sim - falei sem dar chances dele retrucar - ja está tudo pronto e você vai querendo ou não.

- petulante - ele rosnou, eu pendi a cabeça para o lado olhando inocente para ele - que seja - se estreitou os olhos com um sorriso malicioso, engoli em seco - mas vai ter volta.

- Vamos ver, querido - falei enquanto subia a lhe dava um selinho, me afastei antes de ele aprofundar o beijo e corri - Vamos querida, deixe o resmungao do seu pai tomar o café.

- sim - falou enquanto descia da cama, não antes de o abraçar, eu sorri pra ela enquanto descia as escadas e a pegava antes de cair no chão - Mamãe ?.

- oi meu amor - falei enquanto arrumava os materiais para o almoço.

- quando vou ganhar um irmãozinho ? - perguntou, parei o que estava fazendo e olhei pra minha filha, ela estava com as bochechas vermelhas e os olhos para baixo - quando conversei com James, ele falou que era legal ter imãos, para brincar sempre, alem de eu ser a mais velha.

- hum - murmurei, me abaixei até ficar na sua altura antes de abrir um sorriso amoroso pra ela - Talvez mais cedo do que esperava - Coloquei um dedo na boca pra pedir silêncio quando ela deu indícios de que iria soltar um gritinho, ela era tão parecida com o pai as vezes, mais do que eu iria admitir alguma vez na minha vida.

(Flash back on)

 Andava de um lado para o outro, respirei fundo sentindo meus olhos encherem de lágrimas antes de sentar no sofá de casa, coloquei ambas as mãos no rosto deixando um soluço angustiado passar pelos meus lábios.

- Hermione! Pelos deuses - Levantei os olhos pra olhar ele, tinha acabado de entrar na sala e ficou parado na porta me observando horrorizado. - O que aconteceu? - Perguntou se aproximando devagar, se ajoelhou na minha frente e devagar levantou uma das mãos para enxugar as lágrimas que ainda estavam no meu rosto.

- Me desculpa - Ele ergueu uma sobrancelha com isso e me olhou em dúvida, deveria estar duvidando da minha sanidade mental. - eu...eu não, não sei se você tinha planos pra isso algum dia.

- Hermione, o que aconteceu? - Perguntou em um sussurro fraco, engoli em seco e respirei fundo quando me afastei dele, peguei o teste de gravides que estava encima da caixinha da farmácia trouxa, ele observou o teste por longos minutos sem entender o que aquilo queria dizer, logo depois observou minha barriga, para logo depois ficar pálido e sentar na cadeira em que eu estava anteriormente, solto um soluço baixo fazendo ele voltar os olhos em minha direção.

- Céus Hermione - Se levantou em um pulo e me pegou no colo, sentir os lábios dele nos meus foi como se um peso tivesse sido tirado dos meus ombros, logo depois ele me colocou no chão e se ajoelhou na minha frente, observou minha barriga como se estivesse observando um objeto precioso e isso fez com que eu abrisse um sorriso doce com a cena.

- Então você não está bravo? - perguntei em um sussurro pra ele, ele olhou pra cima enquanto passava as palmas das mãos pela minha perna, até levantar o vestido que eu estava usando me fazendo tirar ele pela cabeça, senti meus lábios serem tomados com delicadeza pelos dele, ambas as mãos agarradas com força na minha cintura, mesmo que com cuidado.

- por qual razão estaria? - Perguntou em um sussurro rouco, fechei os olhos com a vibração que senti na sua voz e soltei um suspiro baixo quando uma das mãos subiu até às pontas dos dedos tocarem meu seio, ele tocou com a ponta da língua o meu lábio inferior. - Eu amo você - A voz rouca disse enquanto continuou tocando meu seio, senti os lábios descerem do meu rosto até meu pescoço, com delicadeza a boca passou pela minha clavícula com um toque leve, toque que fez minha boca abrir em um O e meu corpo arrepiar por completo - E com toda certeza, você está me fazendo o homem mais feliz do mundo, e eu sinceramente espero que tenha seus olhos e a sua inteligência.

As palavras que eu iria falar naquele momento se perderam no céu da boca dele quando me puxou para um beijo calmo, e que trazia a tona tudo que estávamos sentindo naquele momento, céus! Como eu o amava.

(Flash back off)

Pov: Severus.

- O que você tanto pensa? - Hermione pergunta quando se aproximou devagar de onde eu estava, tínhamos acabado de chegar a toca quando a Senhora Weasley a recrutou junto com as outras mulheres para a cozinha no fim de conversarem, enquanto os homens conversam sobre "seja lá o que conversam", a puxei pela mão e a trouxe para o meu colo, vi o Weasley mais novo ficar vermelho e desviar os olhos enquanto Potter sorria malicioso e se levantava, provavelmente para ir atrás dos filhos que estavam brincando com minha princesinha.

- eu estava pensando em algum motivo que nos faça fugir daqui e ir até meus aposentos em hogwarts...sabe - Aproximei meus lábios do ouvido dela enquanto a abraçava mais forte, mesmo que estivesse brincando na hora. - Relembrar o passado - Ela soltou uma gargalhada alta, percebi o Weasley desviar o olhar com resignação, claro que no começo do nosso relacionamento ele se pôs ao contra, e fez questão de espalhar ao mundo bruxo que tinha sido traído, claro até Lila Brown aparecer grávida de cinco meses, eu e Hermione tinhamos ficado juntos somente depois dela terminar com ele, não demorou muito tempo para unirem os pontos e descobrirem que na verdade não foi Hermione a primeira a trair ele.

- Estou pensando seriamente em considerar essa ideia - Ela sussurrou baixinho, deitou a cabeça no meu ombro, toquei a testa dela com meus lábios e levei uma das mãos que estavam na sua cintura para o seu cabelo o fazendo um cafuné leve.

- Eu amo você - as palavras sairam dos meus lábios, hoje mais do que nunca senti vontade de afirmar isso pra ela, senti seus lábios se curvarem em um sorriso no meu pescoço.

- Eu amo você - Escutei ela dizer, levantou os olhos e olhou ao redor, percebeu que estávamos sozinhos nos jardins, então levantou e pegou minhas mãos me fazendo seguir ela até uma árvore gigante, onde várias folhas caidas como se fosse uma cortina faziam o local onde estávamos ficar escondido aos olhos dos outros.

- por que me trouxe aqui? - Perguntei em dúvida enquanto levava a mão que ela não estava segurando para seu rosto.

- quanto é 3+1? - me perguntou, soltou minha mão e enlaçou meu pescoço com ambos os braços.

- 4 - Respondi sem pestanejar, segurei sua cintura a encostando mais no tronco da árvore.

- Agora somos 4 - Ela disse subindo uma das mãos até meus cabelos, não tive tempo de processar isso já que ela me puxou para encostar seus lábios nos meus.

- você está...? - Pergunto roucamente, ainda lembrava de quando ela me disse sobre a gravidez da Hailee, céus! Tinha sentido meu peito expandir de tamanho naquele dia.

- Sim, eu estou - O sorriso que ela me deu foi radiante, a ponto de eu perder o fôlego por alguns minutos.

- Se for um menino vai ser sonserino - Ela jogou a cabeça pra trás e soltou uma gargalhada alta, a encostei mais na árvore a suspendendo do chão, ela enroscou ambas as pernas na minha cintura e fez com que eu sufocasse um gemido ao tocar sua pele por baixo do vestido.

- Eu quero você. - Ela disse, mordeu o lábio inferior e levou ambas as mãos até às alças do vestido o abaixando até estar com ambos os seios a mostra, mordi o lábio inferior quando toquei sua intimidade por cima da sua roupa íntima, senti meus olhos brilharem de forma maldosa ao perceber ela fechar os olhos e jogar a cabeça pra trás, dessa vez com a boca aberta em puro deleite.

- Você gosta disso senhora Snape? - Senti que minha voz estava mais rouca e profunda pelo desejo que estava começando a sentir naquele momento, ela agarrou meus ombros com força quando arrastei sua lingerie pro lado e infiltrei um dos meus dedos nela. - Responda!.

- Sim! - Ela arfou em meio a um gemido, girei o dedo a sentindo estremecer no meu colo, abaixei os lábios até eles estarem por cima dos seus seios, percebi que ela estava apertando meu dedo dentro de si e soltei a respiração por entre os dentes.

- Eu vou entrar em você, e não sei se vou conseguir ser carinhoso - ela somente balançou a cabeça positivamente, mesmo que os lábios estivessem abertos em alguns gemidos sufocados pelo desejo do momento.

- Por favor Severo - ela sussurrou meu nome como se fosse uma prece, a tirei do meu colo e a virei de costas pra mim, fiz questão de retirar aquela peça incômoda de lingerie, passei os dedos pelas suas dobras e dessa vez introduzi dois dedos nela, ela arqueou os quadris e rebolou neles me fazendo sorrir em antecedência, senti minhas calças apertadas, apertei seu quadril quando removi meu membro das calças que estava usando, removi meus dedos dela e escutei seu gemido frustrado.

- Por...- Nunca iria descobrir o que ela pretendia falar, já que a penetrei com uma lentidão torturante para nós dois, comecei a fazer um vai e vem quando senti seu corpo estremecer na minha frente, fiquei um tempo parado até sentir ela rebolar os quadris pra trás em busca do próprio prazer, puxei seus cabelos um pouco pra trás e os segurei, vi seus quadris mexerem com impaciência e soltei um gemido rouco, a puxei com a mão livre pelo quadril e comecei a fazer um vai e vem que ia aumentando a cada vez que seu arfar e sua respiração ia ficando mais rápida, ela resfolegou quando bati com força em seu quadril, a marca vermelha na sua bunda fez eu abrir um sorriso malicioso, principalmente ao perceber que o corpo dela já estava tremendo, dessa vez com o orgasmo que se aproximava.

- Severos, eu...eu - A voz chorosa dela se perdeu quando virei um pouco seu rosto na minha direção e a beijei, penetrei mais algumas vezes até sentir ela me apertar dentro de si e gozar, os gritos da castanha tal como meu próprio gemido foram sufocados pelos nossos lábios, ela encostou a testa na grande arvore e eu na curva do seu pescoço, não tinha o que falar naquele momento.

- Eu acho que amo você mais ainda - Eu disse, ela soltou uma risada, o que não passou de um sopro, beijei a curva do seu pescoço e a olhei profundamente. - Acho que vou amar por essa e por todas as vidas.

Os sentimentos embalados pela emoção das palavras que eu tinha falado a fizeram soltar a respiração emocionada.

                        ~Snamione~

Ethan Granger Snape nasceu oito meses depois, dois meses antes do aniversário de cinco anos de Hailee, ambos Granger e Snape nunca se sentiram tão completos ao se embolarem juntos na cadeira de balanço que estava nos jardins, Hailee estava correndo com o cachorro que Snape carinhosamente chamava de Zeus, enquanto Ethan com suas mãos gordinhas tentava resistir ao sono ao colocar ambas nas bochechas da mãe.

- Você está feliz? - Snape perguntou a Hermione quando ela descansava a cabeça no seu peito, ela sorriu quando balançou a cabeça concordando.

- Nunca me senti tão feliz na minha vida - Ela sussurrou, ele beijou sua testa e acariciou os ralos cabelos castanhos do filho, Hailee se aproximou e sentou do lado do Snape, ele a abraçou com delicadeza quando a menina ficou contando os dedos do irmão.

Aquele com toda certeza não era o fim, e nem o começo, era só, o meio do final feliz de ambos, e com toda certeza aquilo não iria terminar tão cedo.

 


Notas Finais


Esse é o último capítulo de My boy, eu devia esse final para a história, espero que gostem.
🎶Comentem🎶
Logo logo posto mais uma para acompanhar a profecia, beijos com carinho pra vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...