História My boy ( Jikook) - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys (BTS), Comedia, Hoseok, Jeon, Jhope, Jikook, Jimin, Jung, Jungkook, Kookmin, Lemon, Romance, Songfic, Yaoi
Visualizações 187
Palavras 8.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Alerta 🚨 capítulo longo e cheio de momentos engraçados.

Boa leitura!

Capítulo 22 - Marcando território


Fanfic / Fanfiction My boy ( Jikook) - Capítulo 22 - Marcando território

Capítulo 22  Marcando território 

[Jimin (on)

Quando entrei no salão, Jung estava sentado no sofá.

Jung: - Pintinho!

- Jeon já foi?

Jimin: - Sim.

Jung: - Senta aqui! - Me pedindo para sentar ao seu lado.

- O que está aprontando com o Kim?

Jimin: - Na..nada! - Menti.

Jung: - Jimin! – Insistiu.

- Sei que ele está tramando algo.

- Pode me contar!

- Anda!

E agora? Jung iria me espremer até eu contar para ele o que Kim tramava.]

Jimin ( on)

Jimin: - E..ele não está tra..tramando nada. – Menti.

Jung: - Jimin! - Engrossando a voz e me fazendo sorrir.

- Olha aí! Você está rindo!

- O que estão inventando hein?! – Cutucando minha costela com a ponta do dedo.

Jimin: - Na..nada! Eu ju..juro!

Jung: - Então diga a ele que se me fizer passar vergonha, termino com ele. – Todo sério.

Passar vergonha? Ele estava com medo de passar vergonha? Logo ele que gritava tão alto.

Jung: - Aquele sem-vergonha ligou cedo. Disse que vem te buscar mais tarde.

- E eu vou dar uma surra em vocês dois. – Bravo.

Jung se levantou e me deixou ali no sofá. Ele foi até o escritório e depois voltou quase não demorando nada.

Jung: - Está tudo bem com você e Jeon?

Jimin: - Está sim! – Com um sorriso enorme.

Jung: - Deve tá bom até demais né?!

- O que aconteceu para você está sorrindo assim?

Jimin: - Ul...ultrapassamos alguns li...limites.

Jung: - Que? – Arregalando os olhos.

- Não acredito nisso!

- O Jeon.. ele...em você...

Jimin: - Hã? – Sem entender nada.

Jung: - Jimin, vocês não podem fazer essas coisas.

- Será que você tem dezoito?!

Jimin: - Dezessete! – Falei sem gaguejar.

Jung: - Shiiiuu! Não conte nada do que me contou para mais ninguém.

Jimin: - Po..por que?

Jung: - Porque isso é crime!

Jimin: - Hã?

- Ma...mas por que?

- O q...que a gente fez?

Jung: - Vem! - Me puxando pelo braço até o escritório.

- Senta aí! - Quando já estávamos dentro do escritório.

Fiz o que Jung mandou e me sentei em sua poltrona. Ele então se sentou sobre a mesa, cruzou as pernas e apoiou o cotovelo em um dos joelhos.

Jung: - Legalmente, você é uma criança.

- E Jeon, é um adulto, solteirão e tarado.

Jimin: - O q...que é isso?

Jung: - Solteirão é morar só e não namorar ninguém.

Jimin: - Jung, i..isso está e..errado!

- Jeon, na..namora comigo! - O corrigi todo sério.

Jung: - Mas não deveria.

Jimin: - Hã?

- Ma..mas você disse... que ele deveria fi...fica comigo.

Jung: - Eu sei meu bem!

- Mas... aos olhos da sociedade isso está errado.

- Por isso não deve contar nada para ninguém.

Jimin: - E..entendi!

- Ma..mas o que é “ tarado"?

Jung: - Bem.. isso é.... – Me enrolando.

Jimin: - Fala!

Jung ficou mais nervoso quando insistir para ele me explicar logo. Tão nervoso que ao pegar o celular, o deixou cair no chão. Eu me inclinei na poltrona e peguei o celular do chão.

Jimin: - Vídeo? – Entregando o celular para Jung.

Ele não falou nada, só mexeu no celular uns instantes depois me entregou com a tela cheia de palavras.

“ Pessoa que não consegue controlar os impulsos. Geralmente é usado para referenciar uma pessoa que não controla os impulsos sexuais, mas também é usada com outros tipos de impusos.” - Li o que estava escrito na tela do celular.

Jimin: - Jeon n..não é assim. – Reclamei.

Jung: - Me dá! – Pediu o celular de volta e mexeu nele mais um pouco me entregando novamente em seguida.

- Assisti isso! – Dando play em um vídeo sem áudio.

Era dois homens trocando beijos e depois pegando um no meninão do outro. E em seguida tinha...

Jimin: - Dá para co..colocar o meninão ne..nesse lugar? – Perguntei com os olhos arregalados.

Jung: - Qual a surpresa? Vocês já não fizeram?

Jimin: - I..isso não. – Afirmei todo sério.

Jung: - Me devolve isso! – Tomando o celular da minha mão.

Jimin: - En..então por isso q..que você disse q..que doía?

Jung: - Gatinho! Finge que nunca viu isso!

- E não conte para o Jeon. – Se levantando.

- Vamos trabalhar? – Me puxando da poltrona.

Jimin: - Ju-ung!!! Me ex..explica. – Insisti.

Jung: - Pintinho, quer aprender a fazer luzes nos cabelos das clientes? – Mudando de assunto.

Eu parei de perguntar depois que percebi que Jung esquivava casa minhas dúvidas. E ao invés de perguntar mais, eu fui aprender a fazer as tais mechas.

Antes do almoço, Kim chegou no salão.

Kim: - E aí? Vamos? – Parado ao meu lado.

Jung: - Oooo seu meliante! – Disse todo bravo.

Kim: - Meliante? – Olhando em volta procurando o dito cujo.

Jung: - É você!

Kim: - Eu?

- Por que meliante?

Jung: - Porque está de segredinhos com o Jimin.

- Para de ensinar coisas feias para ele.

Kim: - Eu? Ensinar coisas feias?

- Não a nada que eu possa ensinar a ele que ainda não saiba. – Afirmou.

Jung: - Kiiim! - O repreendendo.

Kim: - Eu adoro você! – Dando um beijo no rosto de Jung.

Jung: - Trapaceiro! – Amolecendo.

Eu sorri ao escutar aquela palavra “ trapaceiro". Me lembrei que as vezes Jeon me chamava assim.

Kim: - Vamos Jimin?! – Me apressando.

Tirei o avental e lavei as mãos. E então dei tchau ao Jung e segui Kim até seu carro.

Kim: - Finalmente vamos arrumar tudo! - Ao entrarmos no carro.

- Vamos comprar umas coisas. E depois vamos levar tudo para a casa do Jung. – Explicou.

Em seguida fomos ao supermercado. E compramos mais algumas coisas que Kim precisava para a surpresa. Depois fomos para o apartamento de Jung.

Kim: - Vou fazer o jantar e você cuida da decoração. – Me entregando uma sacola cheia de balões vazios.

Jimin: - Tu..tudo isso? – Sobre os balões infinitos dentro da sacola.

Kim: - Sim!

- Quero que escreva “ case-se comigo" só de balões.

Eu quase chorei de preguiça quando ele disse isso. Mas já que tinha prometido que ajudaria, só me restava soprar aqueles balões até ficar azul.

Me sentei no chão da sala e comecei a soprar mais que o lobo de história da chapeuzinho. E enquanto enchia os balões lembrava da conversa que tive com Jung logo cedo. E dúvida me vieram na mente.

Jimin: - Kim?

- Po...posso perguntar u..umas coisas?

Kim: - Pode! – Respondeu da cozinha.

Jimin: - Po.. por que os homens do vi..vídeo colocaram o meninão aqui atrás? – Me levantando para mostrar o lugar.

Kim: - O QUE? - Quase derrubando a panela que segurava.

Jimin: - Jung me mo...mostrou um vi..vídeo.

Kim: - Depois sou eu quem ensino coisas feias para você. – Reclamou.

Kim largou as panelas e caminhou até a sala. Se encostou na parede, respirou fundo e começou a me explicar como era as coisas que aconteciam quando dois homens namoravam.

Era tanta coisa que eu não entendia. E mesmo já tendo visto alguns vídeos, ainda parecia confuso.

Jimin: - Vo..você e Jung fa..fazem isso? – Depois que ele terminou de me explicar tudo.

Kim: - Jimin... bem...é..

- Sim! Fazemos!

Jimin: - Não dói?

- Dá pa..para sentar de..depois? – Perguntei.

Kim: - Nossa que perguntas são essas?! – Me dando as costas e voltando para a cozinha.

- Antes de te levar de volta para o salão vamos à um lugar. – Avisou lá da cozinha.

Terminamos de arrumar tudo. Colocamos uma mesa no meio da sala. Com velas e flores. Colocamos os pratos e guardanapos na mesa. Tudo em tom de vermelho. E colamos os balões na parede com a frase “ case-se comigo.” .

Pronto! Estava tudo arrumadinho.

Então Kim e eu deixamos o apartamento de Jung. E como prometido, na volta para o salão, Kim me levou à um lugar.

Aparentemente era uma loja. Eu só achei estranho porque era no subsolo. E parecia mais um esconderijo. E logo na entrada da loja, uma moça nos perguntou nossas idades. Kim mostrou um documento dele para a moça.

Kim: - Esse é meu. – Mostrando o documento.

- E ele tem dezoito! – Sobre minha idade.

Sim ele mentiu!

A loja era bem diferente. Tinha as paredes todas pretas e com luzes muito clara. Nas prateleiras tinhas objetos coloridos que me lembravam o meu meninão. Eu não entendi nada. E só segui Kim loja a dentro.

Após conversar com a moça que nos recebeu na entrada, ela o entregou uns vidrinhos pequenos. Ele abriu a cheirou e disse que elevaria aqueles. Me distrai um pouco andando pela loja. E olhando as prateleiras.

Que estranho! Eu já tinha visto coleção de bonecos de super-heróis de Jeon. Mas naquela loja eles tinham coleção de “bonecos" de meninões.

Fiquei intrigado com um que era todo colorido e tinha uma etiqueta dizendo “ seu ponte de ouro está no final desse arco-íris”. E sem querer esbarrei na prateleira fazendo aquele boneco estranho criar vida e começar a se tremer todo.

Kim: - Eiiiii! Por que mexeu aí? – Me repreendendo.

Jimin: - Eu..eu não mexi. – Afirmei.

Kim: - Vamos! - Segurando minha mão.

Saímos da loja e voltamos para o carro. E já no carro, Kim me entregou a sacolinha com as coisas que havia comprado.

Kim: - Presentinho! - Com um sorriso.

- Quando achar que estar pronto para fazer as coisas que te expliquei, entreguei essa sacolinha ao Jeon. Ele vai saber o que fazer com tudo isso aí!

Eu concordei. Mas fiquei sem entender se o presente era para mim ou para o Jeon.

Quando Kim me levou de volta até o salão, já havia acontecido. E antes mesmo de entrarmos , eu já escutava Jeon reclamando.

Jung: - Olha eles ali! - Apontando em nossa direção.

Jeon: - Nossa! Até que enfim! - Segurando meu rosto com as duas mãos.

- Onde levou ele? – Perguntou ao Kim.

Kim: - Jimin, estava me ajudando em algo.

Jeon: - Naquilo que ele me contou? – Perguntou cochichando.

Kim: - É. Vai ser hoje! – Respondeu também cochichando.

Jung: - Por que vocês estão de segredinhos?

Jeon: - Jimin, vai pegar sua mochila. – Soltando meu rosto.

Eu fiz o que Jeon mandou e aproveitei e guardei o presentinho que Kim havia me dado na mochila.

Jimin: - Pro..Pronto! - Voltando para perto de Jeon.

Jeon: - Então vamos!

- Se despeça! – Recomendou.

- Boa sorte, Kim!

Eu me despedi de Jung e Kim. Segurei a mão de Jeon e saímos do salão em direção ao carro.

Jeon: - Onde foi com Kim? – Quando já havíamos entrado no carro.

Jimin: - Fo..fomos comprar u..umas coisas e preparar o ja...jantar na casa do Jung.

- Ta..também colamos ba...balões na parede.

Jeon: - Balões?

Jimin: - Sim!

- Es..escrevemos “ case-se comigo.”só de ba..balões.

Jeon: - Queria ver a cara que Jung vai fazer. – Sorrindo.

Logo chegamos em casa. E repetimos nossa rotina noturna. Banho, comida e cama. Mas eu não estava com sono e fui para a cama de Jeon.

Jimin: - Vo..você está dormindo? – Perguntei ao entrar no quarto e o ver jogado de bruços no meio da cama.

- Jeon? – Ao não obter resposta.

Subi na cama e me sentei sobre minhas próprias pernas. Fiquei ao lado de Jeon o observando dormir. Eu queria ficar quieto, mas estava ansioso com a história do pedido de casamento. Será que Jung iria aceitar?!

Jimin: - Jeon? – O cutucando.

Jeon: - Hã? – Com voz sonolenta.

Jimin: - A..acorda!

Jeon: - Para quê? – Com os olhos fechados.

Jimin: - Que..quero conversar! – O sacudindo.

Jeon: - Pequeno, agora não! – Tampando a cabeça com um travesseiro.

Jimin: - Jeeeeoon! – Insisti o sacudindo.

Jeon: - Jimin, pega o bloquinho e escreve tudo que quer conversar que depois eu leio.

Eu fiquei com raiva da resposta dele e dei um tapa bem forte em seu bumbum.

Jeon: - O que foi isso hein? – Virando o rosto e me olhando feio.

Jimin: - Ah-ham! – Bradei.

Mas Jeon nem sequer se virou na cama. Ao invés disso deitou a cabeça novamente e dormiu. E lá estava eu, sozinho com meus pensamentos. Talvez eu devesse mesmo escrever um pouco para me distrair. – Pensei.

Me levantei da cama, fui até meu quarto e peguei um estojo com canetas coloridas que quase não tinha usado ainda. Voltei até o quarto de Jeon e subi na cama novamente.

Ainda fiquei parado uns instantes tentando pensar em que escreveria. E enquanto pensava, olhava Jeon deitado ainda de bruços. Aquele bumbum...era tão bonito que eu poderia... escrever meu nome nele. Sorri só de pensar nessa possibilidade.

Então... por que não transformar meu pensamento em realidade?

Lentamente retirei parte das calças de Jeon. O deixando com o bumbum quase todo de fora. Eu até pensei que ele acordaria e me pararia, mas isso não aconteceu. E eu escrevi com caneta preta JI em uma das polpas da bunda dele. E MIN na outra. Desenhei também uma lua, um sol, algumas estrelas e um coração. E Jeon nem acordou.

E desenhar no bumbum dele me relaxou. E comecei a ficar com sono. Eu ainda desenhava quando comecei a cochilar. Mas antes de dormir eu queria dar um beijinho em Jeon. Então deitei meu corpo sobre suas costas e tentei alcançar seu rosto. Dei-lhe o beijinho e me aconcheguei em suas costas. Adormeci sobre ele.

Depois de um tempo, acordei com a luz de um celular. Abri os olhos e vi Jeon mexendo no celular. E eu ainda estava deitado sobre ele. Levantei um pouco meu corpo e o ouvi respirando fundo.

Jeon: - Dormiu um pouco?

Jimin: - Uhum! - Deitando a cabeça sobre ele novamente.

Jeon: - Já que acordou, então desce! – Para que eu saísse de cima dele.

- Preciso ir ao banheiro e estou com cede.

Eu obedeci e rolei para a cama. Jeon se levantou erguendo as calças. E eu vi meu nome caminhando junto com ele para dentro do banheiro. Fiquei tentando conter o riso para não me denunciar à ele.

Depois do banheiro, Jeon foi a cozinha e em seguida voltou e ficou parado em frente a cama.

Jeon: - O que é isso na sua calça? – Perguntou me olhando.

Eu rapidamente olhei para minha calça e vi manchas de caneta preta. O desenho que fiz no bumbum de Jeon havia desbotado na minha calça quando me deitei sobre ele.

Jeon: - Jimin... por que eu estava com a calça saindo? – Me fazendo sorrir.

Eu não aguentei e comecei a rir depois dessa pergunta.

Jeon: - O que você fez? – Tentando olhar o próprio bumbum.

Jeon abaixou um pouco as calças em frente ao espelho e viu a minha obra de arte.

Jeon: - JI-MIN? – Lendo o que estava escrito em seu bumbum.

- Garoto? O que é isso?

Jimin: - Meu nome!

Jeon: - Na minha bunda? Por que na minha bunda? – Com tom bravo.

Jimin: - Desculpa! – Fazendo bico.

Jeon: - Cadê as canetas? – Todo sério.

Eu peguei as canetas que estavam espalhadas pela cama e entrei nas mãos dele.

Jeon: - Vem cá! – Destampando uma das canetas.

Jimin: - Q..que Você vai fa..fazer? – Andando de joelhos na cama indo em direção à ele.

Jeon: - Vem! - Fazendo acenos com a mão.

Cheguei perto dele realmente com medo, pois ele estava muito sério.

Jeon: - Você quer brincar de Jiglipuff? – Apontando a caneta para meu rosto.

Jimin: - Q..q que isso?

Jeon: - É um Pokémon que desenha no rosto das pessoas que dormem quando ele canta. – Segurando meu braço.

- Vou desenhar em você! – Me empurrando na cama.

Eu não sabia se Jeon estava brincando ou se estava bravo. Então fiquei assustado. Até que ele se deitou quase sobre mim e me deu um beijo na bochecha.

Jeon: - Vou desenhar um coração aqui! – Apontando para a bochecha que acabara de beijar.

- Um sol desse lado. – Na outra bochecha.

- Uma lua na testa e uma estrela no canto perto do olho. – Finalmente sorrindo.

- Seu pestinha! - Me dando um beijo romântico.

Meus braços seguraram Jeon pelo pescoço e o puxaram para mais perto. Abri minhas pernas deixando que ele se encaixasse entre elas. E Jeon apoiou as mãos em meus ossinhos do quadril me dando leve apertos na região. E lá estávamos nós dois colados novamente. Naquela posição que fazia os meninões acordarem mais rápido.

Jeon: - Estava com medo de mim?

Jimin: - Uhum! Vo..você estava mu..muito sério.

Jeon: - Não precisa ter medo de mim. Eu nunca vou te machucar. – Disse enquanto me olhava nos olhos e fazia carinho na minha bochecha.

- Mas... por que escreveu seu nome na minha bunda?

Jimin: - Po...porque você é..é meu!

Jeon: - Desde quando eu sou seu?

Jimin: - De..desde do dia q..que me deu e..esse colar. – Afirmei.

Jeon: - Não! – Me deixando confuso.

- Sou seu a muito mais tempo que isso. – Me beijando novamente.

Jeon: - Notei uma coisa. – Parando nosso beijo.

- Você fica excitado com muita facilidade.

Jimin: - Que isso?

Jeon: - É o meninão ficando maior e duro.

Jimin: - Fi..ficar assim é ruim?

Jeon: - Em público sim. É meio constrangedor.

- Você tem que aprender a se controlar. – Fazendo carinho no meu rosto e descendo a ponta dos dedos até meus lábios.

Jimin: - Co..como faz i..isso? – Perguntei enquanto tentava passar a ponta da língua no dedo dele.

Jeon: - Bem... tente pensar em coisas que não tem relação com sexo.

- E não fazer isso! – Me repreendendo.

- Pense em coisas fofas. No céu. Nas pedrinhas caindo dentro do lago. Ou no Jung gritando. – Me fazendo sorrir.

- Agora pequeno, vamos dormir! - Saindo de cima de mim e deitando ao meu lado.

Eu ainda demorei para adormecer, já que havia cochilando um pouco sobre as costas de Jeon.

Pela manhã, Jeon me acordou. E com muito custo me levantei da cama. Andei pelo apartamento ainda de olhos fechados e em certo momento dei uma cabeça em Jeon.

Jeon: - Ei? Está dormindo ainda? – Me segurando depois da cabeçada que dei nele.

Jimin: - Tô com sono! - Coçando os olhos.

Jeon: - Claro! Ficamos namorando de madrugada. – Me soltando.

Jimin: - A ..a gente namorou? – Indo atrás dele para a cozinha.

Jeon: - Sim. Não lembra?

- Você até escreveu em mim.

Jimin: - Pe..pensei que e..era sonho. – Me sentando à mesa.

Jeon: - Não foi não. E deu o maior trabalho para tirar os desenhos da minha bunda. – Me fazendo sorrir.

- Agora come rápido!

- Tenho uma reunião hoje. – Me apressando.

Eu comi rápido e me arrumei rápido também. E Jeon me levou para o salão. Ele estava muito apressado e nos despedimos com só um selinho ainda dentro do carro. Jeon esperou que eu entrasse no salão e depois foi para o trabalho.

Jung: - Chegou?! – Com a mão na cintura.

Jimin: - Jung?!

- Es..está bravo? – Colocando a mochila sobre o sofá.

Jung: - Eu deveria né?!

Jimin: - N..não gostou da su..surpresa?

Jung: - Pintinho, aquilo foi sacanagem!

Jimin: - Kim fe..fez o pedido?

Jung: - Fez.

Jimin: - O..o que respondeu?

Jung: - Aceitei né?!

- Como eu poderia recusar?

Ao escutar isso dei um abraço forte em Jung.

Jung: - Gatinho, vocês me fazem muito feliz! – Me abraçando de volta e me dando um beijo na testa.

Jimin: - Jeon ta..também?

Jung: - Claro!

- As vezes ele merece apanhar, mas adoro ele.

- Vem! Hoje sua aula vai ser no escritório.

- Você vai me ajudar com as contas. – Me puxando pela mão.

Peguei a mochila que estava sobre o sofá e segui com Jung para o escritório.

Em cima da mesa, já havia uma pilha de documentos e boletos. Deixei a mochila no canto e me sentei na poltrona de Jung. Peguei todos aqueles papéis e comecei a fazer os cálculos.

Demorei um bom tempo ali. Tinha muita coisa. Jung me disse que aqueles documentos eram necessários para fazer um negócio que chamava imposto de renda. Renda? Renda não é um tecido? – Pensei.

Quando terminei os cálculos, Jung me entregou uma revista e mandou eu olhar e escolher uma das fotos.

Nessa revista haviam várias mulheres maquiadas. E após olhar um pouco eu escolhi uma. Os lábios dela estavam rosa bem claro. O contorno dos olhos eram marrom bem escuro e os cílios bem longos. Haviam mais detalhes, mas esse foram que mais me chamaram atenção.

Jung: - Gostou desse?

Assenti.

Jung: - Vou lhe ensinar a fazer.

- Hoje você vai aprender um pouco sobre maquiagem. – Se levantando da cadeira.

Segui Jung para fora do escritório e ele me levou até o balcão onde ficava uma cabeça de boneca.

Jung: - Diga olá para sua nova amiga! – Sobre a cabeça de boneca.

- Com ela você poderá treinar a maquiagem.

- Vou fazer uma vez e depois você tenta.

Jung começou a maquiar a boneca. Era tanto pó que parecia que havia explodido um saco de farinha. Mas o resultado final foi a maquiagem idêntica àquela que vi na revista.

Jung: - Viu?

- Será que você consegue?

Jimin: - Vo..vou tentar.

Jung limpou a cara da boneca e me entregou um estojinho de maquiagem.

Jung: - Esse é seu!

- Quando terminar, guarde na sua mochila.

Jimin: - O..obrigado! – Todo feliz por ganhar mais um presente.

Jung me deixou sozinho e foi atender uma cliente.

Jimin: - E...então somos só e..eu e você. – Falei com a boneca.

E assim comecei a maquiar aquela cabeça de boneca. Depois de meia hora entre erros e acertos a maquiagem estava pronta.

Jimin: - Vo..você ficou bo..bonita! – Falei com a boneca de novo.

Jung: - Nada mau! – Vindo olhar meu trabalho.

Ainda treinei mais duas maquiagens diferentes depois daquela. E após isso fui descansar um pouco. Jung pediu que uma das funcionárias comprasse café para nós. E lanchamos nos escritório.

Jung estava de tão bom humor que até me ensinou a jogar damas.

Logo era hora de Jeon vir me buscar. Dessa vez ele não se atrasou. E chegou todo sorridente. E eu fui recebe-lo na entrada do salão como uma criança feliz.

Jeon: - Que sorriso mais lindo! – Segurando meu rosto.

- Vamos para casa?

Jung: - Ele deve estar exausto. Porque o coloquei para trabalhar demais hoje.

Jeon: - E aí? Ficou noivo?

Jung: - Que raiva! Todo mundo sabia! - Mostrando o anel que Kim havia lhe dado.

Os dois conversaram um pouco e então eu e Jeon fomos embora.

Jeon (on)

Meu dia no trabalho não foi muito animador. Aguentei o Sub reclamando da quantidade de documentos para analisar e me enchendo de perguntas sobre Jimin. Foi só então que Mika ficou sabendo que Sub havia descoberto sobre Jimin morando comigo.

Sub: - E então? Como está aquele garoto? Ainda está morando com você?

Mika: - Hein?

Jeon: - É ele sabe sobre o Jimin. – Afirmei.

Mika: - Sabe? Sabe tudo?

Jeon: - Cof cof cof!

Mika: - Jeon?

Mika queria confirmar se Sub sabia sobre Jimin ser o filho do dono da empresa de cosméticos. E eu fiquei gesticulando para ela negando essa parte da história.

Sub: - O que? Você sabia Mika?

Mika: - É. Eu conheci o garoto a algum tempo.

Sub: - Sabia também que Jeon é um pervertido?

Jeon: - Ei! Olha o respeito!

- Não sou nenhum pervertido.

Mika: - Sub, você não pode sair por aí falando essas coisas. – O repreendeu.

Sub: - Sub? Você também está me chamando assim ?

Mika: - Desculpa!

Sub: - Você viu como aquele menino e bonitinho?

- Eu até pensei que era uma garota. – Sorrindo.

Jeon: - Sub... só não fala nada para ninguém e evita comentar tão alto. Lembra do nosso acordo?

Sub: - Ok! Não vou mais falar disso.

- Mas.. aquele menino tem uma irmã?

Jeon: - Não. Ele não tem irmã.

Sub: - Que pena!

Quando Sub finalmente calou a boca, nós nos concentramos e terminamos de analisar todos os documentos.

No final do dia, fui buscar o Jimin no salão. E fui recebido com um lindo sorriso. Aí sim eu vi que meu dia havia válido a pena.

Já em casa, tomei banho e fui arrumar algumas coisas e preparar algo para comermos. E estranhei o fato de Jimin ter ido tomar banho e não aparecido mais. Então após terminar de preparar o lanche fui procura-lo no quarto.

Jeon: - Jimin? Está dormindo? – Perguntei ainda entrando no quarto.

Jimin: - Não. Es..estou estudando! – Respondeu.

Jeon: - O que é isso? – Ao vê-lo pelo espelho.

Jimin estava com o rosto todo maquiado.

Jimin: - E..eu estou estudando ma..maquiagem. – Se virando de frente para mim.

Jeon: - Está...bom! – Sobre sua maquiagem.

- Você parece uma garota!

Jimin: - É? – Me olhando fixo.

Jeon: - Sim.

- Vai lavar o rosto.

- E vamos comer.

Ele foi lavar o rosto e eu voltei para a cozinha. Minutos depois, Jimin apareceu com o rosto lavado, mas ainda meio maquiado. Ele se sentou à mesa e comemos. Jimin me contou que estava aprendendo a fazer maquiagens. E que treinou em uma boneca lá no salão. E como não havia onde treinar, ele maquiou a si mesmo.

Jeon: - Como é essa boneca?

Jimin: - É só u..uma cabeça.

- E..ela tem ca..cabelo grande.

Jeon: - Huum! É só um busto.

Jimin: - Bu..busto?

- Q..que isso?

Jeon: - É como uma estátua que tem a cabeça e o corpo até aqui. – Demonstrando em mim mesmo.

Jimin: - Ahhhh! – Com a boca aberta cheia de comida.

Jeon: - Termina aí e vamos descansar. – Disse me levantando.

Jimin: - Po..posso ir deitar com você?

Jeon: - Se me deixar dormir...

Jimin: - Eu deixo! – Se levantando e vindo atrás de mim.

Eu fui para o quarto e deitei. Estava muito cansado. E praticamente apaguei.

Nem sei o que Jimin fez até dormir. E só acordei pela manhã.

De manhã, repetimos nossa rotina. Acordar, tomar banho, tomar café e sair de casa.

Levei Jimin no salão e fui trabalhar. No trabalho, não tinha muito o que fazer. Já que no dia anterior eu, Mika e Sub tínhamos nos acabado de trabalhar.

Na hora do almoço, aproveitei o tempo livre e fui até uma loja de produtos de cabeleireiro. Mais especificamente, eu procurava a tal boneca de treinar maquiagem. Bem... Eu achei. Mas ela não tinha o cabelo grande como Jimin descreveu. Mesmo assim eu comprei.

Cena linda foi eu andando até o estacionamento com uma cabeça dentro de uma sacola. Após isso, voltei para o trabalho.

Trabalhei o resto da tarde imaginando a carinha do Jimin quando visse a boneca. Sorri pensando nele.

No final da tarde, fui buscá-lo e ele me recebeu com um enorme sorriso. Meu garoto estava feliz.

Jeon: - Tenho um presente! – Avisei enquanto caminhávamos até o carro.

Jimin: - Pa..para mim?

Jeon: - Para o meu mundinho. Você é meu mundinho? – Parando em sua frente antes de abrir a porta do carro.

Jimin: - Sou! – Me abraçando e ficando na ponta dos pés para me beijar.

Jeon: - Só mostro o presente em casa. – Lhe dando um selinho.

Entramos no carro e fomos para casa. E quando já estávamos na garagem, resolvi deixar Jimin ver o presente. Ele tinha me perturbado o caminho todo perguntando o que eu tinha comprado.

Chamei ele até a porta detrás do carro e lhe disse que seu presente estava logo atrás do banco.

Jimin praticamente se deitou no banco detrás para alcançar a sacola.

Jimin: - Jeeeeoooon!!! É uma boneca de ma..maquiagem!!! – Com tom feliz.

Jeon: - Traz ela! Vamos para casa!

Ele saiu do carro carregando aquela cabeçona dentro da sacola. E realmente parecia feliz.

O resto da noite, antes de irmos dormir, Jimin só deu atenção à cabeçuda. Era assim que eu chamava a boneca.

O resto da semana, repetimos nossa rotina. E quando finalmente chegou a sexta a tarde, fui até o salão mais cedo. Busquei meu planetinha e voltamos para casa.

Eu tinha que dar uma arrumada na casa e lavar roupas. Porque tinha combinado com o pai de Jimin que ele sua esposa poderia nos visitar no fim de semana.

E enquanto Jimin entopia a cabeçuda de maquiagem, eu tentava arrumar as coisas.

Jimin: - Jeon... vou deitar! – Passando por mim e indo para meu quarto.

Jimin praticamente não dormia mais em seu quarto e nós dividiamos a cama.

Continuei procurando roupas sujas e tentando organizar a casa. Fui no quarto de Jimin e peguei todas as roupas sujas que estavam no cesto. Só faltava as que ele deixava dentro da mochila.

Abri a mochila dele, a procura das roupas. Mas encontrei foi uma sacolinha escrito “ Erotika". Hein?

Jeon: - De onde ele tirou isso? – Perguntei amim mesmo.

Abri a tal sacolinha e vi o conteúdo. Ali tinha alguns vidrinhos de óleos aromatizados. Que serviam para fazer coisas deslizarem mais fácil.

Jeon: - Quem deu isso a ele? – Novamente falei sozinho.

Sem pensar duas vezes fui até meu quarto onde Jimin dormia. Subia na cama e o sacudi.

Jeon: - Pequeno! Pequeno! – O sudindo.

- Jimin... quem te deu isso? – Lhe mostrando a sacolinha assim que ele abriu uma pequena frestinha de olho.

Jimin: - Kim.

Jeon: - Para quê ele te deu isso?

Jimin: - E..Ele disse que era p..para você.

Jeon: - O que vocês fizeram? Onde foram? Quando ele te deu isso? – Enchendo ele de perguntas.

Jimin: - Fo..foi quando es..estávamos arrumando a su...surpresa para o Jung.

Jeon: - Por que ele te deu isso?

Jimin: - Não sei!

Jeon: - Como assim na sabe? – Com tom bravo.

Jimin: - Es..está bravo?

Jeon: - Estou! – Estava era com ciúmes.

Jimin: - E...Ele disse que e..Era para te dar, quando e..Eu estivesse pronto.

Jeon: - Pronto para quê?

- Por que tem que me dá isso? – Ainda bravo.

Jimin: - Po..Porque eu vou usar é com você né?! – Respondeu em tom bravo também.

- Po...por que está b..bravo?

Jeon: - Por que você andou falando das nossas intimidades de novo.

Jimin: - Desculpaaaa!

- E..Eu só perguntei ao Kim so..sobre o vi..vídeo que o Jung me mo..mostrou.

Jeon: - Que vídeo ele te mostrou?

Jimin: - Aaah! E..Eu tenho vergonha!

Jeon: - Que vídeo era? – Insisti.

Jimin: - Jung..te ch...chamou de tarado. E eu n..não sabia o que era.

- E..ele perguntou se a ge..gente tinha passado do..dos limites e.. Eu não entendi.

- A...aí Ele me mostrou o vídeo.

Jimin: - Jeon... Eu queria sa..saber se colocar o meninão aqui d..dói. – Disse apontando para o próprio bumbum.

Jeon: - Já te falei para procurar na internet ao invés de sair perguntando. – Respondi respirando fundo.

Jimin se sentou na cama já com um ar menos preocupado.

Jimin: - Sa..sabia que tem u..um desses que ar..arde na boca. – Sobre os vidrinhos que estavam dentro da sacola.

Jeon: - Colocou isso na boca?

Jimin: - E..Eu fui cheirar... – Tentando me explicar.

Jeon: - Vou guardar senão você vai acabar comendo isso.

Jimin: - Cl..claro que não! Isso é para p..passar no meninão, não é para comer. – Afirmou todo convencido.

Jeon: - Como sabe disso?

Jimin: - Pro...procurei na internet.

Jeon: - Ah meu deus! – Indo guardar a sacolinha.

Jimin: - Ma..mas eu n..não sei para quê serve e..esse outro negócio aí. – Sobre as outras coisas que estavam na sacolinha.

Dei uma olhada e vi o que era. Aquele estafermo havia dado ao Jimin até o kit da c... aff! – Pensei já jogando a sacolinha dentro de uma das portas do meu guarda-roupa.

Jeon: - Vai dormir! – Disse saindo do quarto.

Jimin: - Es.. está lavando ro..roupa? – Vindo atrás de mim.

Assenti.

Jimin então, se encostou na máquina de lavar e ficou me observando. Eu até tive que puxá-lo da frente da máquina quando fui colocar mais roupas. E após por todas as roupas na máquina peguei o cesto e fui saindo. Mas Jimin agarrou me pescoço e me puxou para ele.

Jimin: - Le...lembra daquele dia? – Me abraçando.

Jeon: - uhum!

- O que você quer?

Jimin: - Na..nada! – Fazendo bico e soltando meu pescoço.

Jeon: - vai dormir!

- Hoje quem está de castigo é você.

- Não vai ter beijo romântico.

E ele saiu batendo o pé em direção ao meu quarto.

Quando finalmente estendi a roupa, fui dormir.

Jimin já estava dormindo enrolado nas cobertas como se todas elas fossem só suas. E é claro que eu precisava de uma. Comecei a puxar uma das cobertas e ele a segurava ainda mais. Perdi a paciência e dei um puxão forte. E Jimin rolou até mim grudado na coberta.

Jimin: - O.. o que foi? – Assustado.

Jeon: - Quero coberta também! – Me deitando ao seu lado.

Ele se virou de costas para mim, como se estivesse me ignorando. Pelo menos foi isso que entendi. Se eu não fizesse nada quem ficaria de castigo prolongado seria eu.

Então o abracei e beijei suas costas.

Jeon: - Está bravo comigo?

Jimin: - A..acho que s..sim!

Jeon: - Eu vivo errando com você! Desculpa! – O abraçando mais forte.

Jimin: - Só de..desculpo se ga...ganhar beijo.

Jeon: - Todos que você quiser. – Beijando novamente suas costas.

Minhas mãos não se contentaram em abraça-lo e desceram em direção ao seu meninão. E antes mesmo das minhas mãos entrarem em seu short ele já soltava uns grunhidinhos e se contorcia um pouquinho.

Dei um jeito de beijá-lo enquanto minhas mãos passeavam dentro de seu short. E sempre que tocava em seu meninão percebia um beijo mais intenso que parecia querer me devorar. Massageei a extremidade até que seu corpo entrasse em espasmos e aos poucos amolecesse em meus braços. Então ele me olhou e soltou um sorriso.

Jimin: - Pa..para onde fo..foram os limites? – Perguntou em uma voz baixa.

Eu abraçei mais forte e aconcheguei meu rosto em seu pescoço. Adormecemos naquela posição.

Pela manhã, acordei tarde. Mesmo assim Jimin ainda dormia plenamente. Me levantei coçando os olhos e fui até a cozinha tomar água. E enquanto tomava água, olhei as horas em um relógio que ficava dentro da barriga de um figure action do pinguim do Batman. Era tarde. Quase 11 da manhã.

E aquele era o dia em que havia marcado com os pais de Jimin. Putz! Eu não tinha começado nem o café da manhã.

Quando peguei a chaleira para esquentar água o interfone tocou. Corri para atender e era o porteiro avisando que o senhor e a senhora estava ali e queriam ir até o apartamento.

Tive que dar permissão para que subissem. E corri igual doido tentando arrumar algumas coisas que estranhamente ainda estavam fora do lugar. E então a campainha tocou. E corri novamente epara atender.

Acho que a visão que tiveram de mim ao abrir a porta não foi uma das melhores. Novamente estava descabelado e suado. Parecia que tinha corrido uma maratona.

Senhor: - Bom dia!

Jeon: - Bom dia! – Esbaforido.

Senhor: - Está tudo bem?

Jeon: - Sim sim!

Senhora: - Desculpa termos vindo tão cedo. Eu estou muito ansiosa. – Se justificou.

Jeon: - Tudo bem! Eu que dormi demais!

- Entrem! – Dando espaço para passarem e os conduzindo até a sala.

- Sentem-se um pouco!

- Eu vou preparar um café. – Indo para a cozinha todo sem graça.

Senhora: - Rapaz, onde está o Jimin? – Perguntou da sala.

Olhei por cima do balcão que separava a sala da cozinha e respondi...

Jeon: - Ele ainda está dormindo!

- E se puderem esperar ele acordar sozinho seria o melhor.

- As vezes, quando o acordo, ele fica bravo e em péssimo humor.

Senhor: - Nós esperamos! Nisso ele não mudou. – Todo sorridente.

Terminei de preparar o café e servi ao casal. Depois voltei para a cozinha para começar a preparar o almoço. Eu e minha boca grande que foi oferecer almoço. – Reclamei comigo mesmo.

Escutei passos descalços e olhei em direção ao corredor. E lá vinha ele, todo bagunçado. Com o cabelo todo amassado, os olhos fechados e aquele short sujo de....

Jimin: - Jeeeooon! – Todo manhoso esticando o braço com meu celular na mão.

- Es..estava tocando! – Ainda sem perceber seus pais ali na sala.

Senhora: - Bom dia meu amor! – O assustando.

O celular quase caiu de suas mãos ao se assustar com a voz de sua mãe. E ele correu em minha direção.

Jeon: - Calma!

- Lembra? Eu te falei que eles viriam. – Tentando acalma-lo.

- Vai tomar um banho e trocar de roupa. Rápido! – O empurrando de volta em direção ao quarto.

Ele fez o que eu pedi. E em pouco tempo estava de volta e de banho tomado.

Jimin passou pela sala quase se arrastando pela parede. E foi até a cozinha onde eu estava. E eu pisei em seu pé, já que ele andava atrás de mim.

Jeon: - Vá para a sala. Vai falar com seus pais.

Jimin: - Não q..quero! – Fazendo uma cara de quase choro.

Senhora: - Querido! Vem aqui! – O chamou.

Jimin: - Jeon! – Grudando em meu braço.

Jeon: - Para com isso! Vai lá!

Senhor: - Algum problema? – Perguntou da sala.

Jimin abaixou rápido ficando abaixo do nível do balcão. Segurou em minha perna e fez carinha fofa. Ele sabia que aquelas manhas me amoleciam. Então dessa vez eu teria que ser forte e não ceder.

Jeon: - Vamos lá! Eu vou com você. – O levantando do chão.

Acompanhei ele até a sala. E Jimin não falou nem “ oi". E ficou quieto, parado ao meu lado e olhando para o chão.

Senhora: - Meu anjinho! A mamãe está com muita saudade. – Vindo em nossa direção.

Jimin fez uma das mal criações e se escondeu atrás de mim.

Jimin: - An..anjo não. – Resmungou.

Jeon: - Deixa de bobeira e vai lá falar com sua mãe. – O tirei detrás de mim e o empurrei de levinho em direção aos seus pais.

Senhor: - Vamos conversar um pouco? – Com tom carinhoso.

- Sente-se aqui! – O chamou.

Mas Jimin não deu nenhum passo e virou a cabeça para me olhar como se pedisse ajuda ou permissão.

Jeon: - Vai!

Ele finalmente deu uns passos e se sentou no sofá que estava vazio.

Senhora: - Querido, está tudo bem?

Jimin apenas assentiu balançando a cabeça.

Senhor: - Jeon me contou que você passa os dias com o amigo dele, em uma salão de beleza.

- O que aprende lá?

Jimin me olhava com as sobrancelhas caídas.

E eu gesticulei um “ hoje não tem beijo romântico” sem som. E o rosto dele mudou um pouco. Primeiro um bico de raiva depois as sobrancelhas relaxaram um pouco e o bico se desfez.

Jimin: - E..Eu aprendo a fa..fazer mechas, de..descolorir os ca..cabelos. Fa...fazer unhas e a..agora estou a..aprendendo a fazer ma...maquiagem.

Senhora: - Está aprendendo a ser cabeleleiro ?

Jimin: - É! - Um pouco mais animado.

Senhora: - Eu posso ir nesse salão? – E Jimin me olhou novamente. Acho que ele não sabia o que responder.

Senhor: - O que você mais gosta de fazer lá?

Jimin: - E..Eu gosto das mechas e maquiagem.

- Jeon me d..deu uma boneca de t..treinar maquiagem.

- Po..posso pegar e..ela? – Perguntou me olhando.

Jeon: - Claro! Ela é sua!

Eu voltei para a cozinha e Jimin foi buscar a boneca para mostrar. Parecia uma criança. E ele adorava aquela boneca da cabeçona.

Jimin: - O..olha! – Voltando com a boneca.

De vez em quando eu olhava a reação de seus pais. Eu quero saber o que eles pensavam sobre aquele jeitinho inocente e birrento do Jimin.

Senhora: - Ela está até maquiada! – Com um sorriso ao falar da boneca.

Jimin: - O no..nome dela é Mika. – Me surpreendendo.

Jeon: - Mika? – Perguntei sem pensar.

Jimin: - É! - Sorrindo.

Senhor: - E esses cadernos aqui? São seus também?

Jimin: - Sim! – Com tom empolgado.

Senhor: - Você está estudando o que?

Jimin: - Bo..boas maneiras e in..inglês. Jung disse que é...é importante.

Senhora: - Jung é aquele rapaz que foi te buscar?

Jimin: - Uhum!

- Vo..vocês viram o so..sorriso dele?

- É mu...muito bonito! – Já totalmente relaxado.

Senhor: - Você ainda faz cálculos?

Jimin: - A..aquelas contas do tra..trabalho do Jeon?

Senhor: - É!

Eu preparei um chá e levei até a sala para servir a eles. Enquanto isso o macarrão cozinhava.

Servi o chá para todos. E voltei para a cozinha.

Jimin: - E..Eu a..ajudo Jeon a analisar os papéis do...do trabalho de..dele as vezes.

Senhor: - Sabia que você fazia isso antes?

E Jimin ficou calado novamente.

Senhora: - Você tem quantos amigos? – Como quem pergunta a uma criança.

Jimin: - Do..dois!

- Jung e Kim.

Senhor: - E o Jeon?

Jimin: - Jeon não é amigo!

Socorro ele ia falar que éramos namorados. Eu entrei em pânico! E derrubei um copo.

Jimin: - O que ca..caiu? – Tentando olhar sobre o balcão.

Jeon: - Um copo! Eu deixei cair.

Jimin: - Cu..cuidado para não pi..pisar e cortar o pé de.. de novo.

Jeon: - Ok! Ok!

Senhora: - Querido, seus amigos da escola estão ansioso para te ver novamente. Eu avisei a eles que você havia voltado.

- Se lembra deles?

E mais uma vez ele ficou em silêncio.

Senhora: - Olhe!

Eu olhei sobre o balcão e vi a senhora chamando Jimin para ver fotos em seu celular. E ele foi.

Jimin: - Olha, ele está de óculos! – Apontando alguém na foto.

Senhora: - É você meu bem!

Jimin: - Eu?

- Não.

- Jeon!

Jeon: - Hum?

Jimin: - Po..por que a..as pessoas u..usam óculos que n..não são escuros?

Senhor: - É para enxergar melhor. – Respondeu antes de mim.

- Por exemplo quando não se enxerga com clareza algo que está longe.

Jimin: - Co..como eu n..não consigo ler a..aquele quadro? – Apontando para um quadro cheio de detalhes que tinha o Homem-Aranha.

Jeon: - Por que nunca me disse isso?

Jimin: - E..Eu não sa..sabia que precisava di..dizer.

Jeon: - Se tivesse E me dito antes, teríamos arrumado isso já.

Senhora: - Tem um óculos lá em casa.

- Aliás você tinhas dois. Porque sempre esquecia um em algum lugar.

Senhor: - Que tal vocês ir lá em casa e escolher algumas coisas no seu quarto?

Jimin levantou rápido e veio para perto de mim.

Jeon: - Quer ir?

Ele não respondia e começou a respirar mais forte. Estava ficando nervoso.

Jeon: - Eu vou com você.

Jimin: - E vai me deixar lá? – Enchendo os olhos de lágrimas.

Jeon: - Claro que não.

- Já te falei que nunca mais eu farei isso.

- Quer ir?

Senhor: - Seria bom, pois vamos encaixotar algumas coisas por causa da mudança.

Jimin: - Não va..vai me deixar lá né?

Jeon: - Não. – Me segurando para não abraca-lo.

Jimin: - Tá. – Fazendo um enorme bico.

Senhora: - Que ótimo! – Toda feliz.

Jimin reclamava que a mãe só sabia chorar mais ele era igual. Tudo era motivo de lágrimas.

Senhor: - Jimin, sabe jogar isso? – Achando um tabuleiro de damas que Jung havia esquecido ali.

Jimin: - Sei! Jung me ensinou! – Em tom baixo.

Senhor: - Vamos jogar? – Fazendo Jimin novamente me olhar.

Ele me olhava praticamente a cada pergunta que recebia de seus pais e fazia parecer que eu o manipulava.

Dessa vez apenas sorri para ele.

Jimin foi até o pai para jogar damas e eu voltei para a cozinha.

Senhora: - Jeon? – Vindo até a cozinha.

Jeon: - Senhora?

Senhora: - Ele está tão bem! – Sorrindo.

- Mas sinto que está meio infantil.

Jeon: - Ele não é assim o tempo todo. Só quando quer algo que lhe é negado.

- Basicamente ele percebeu que se comportar assim lhe traz vantagens. – Afirmei sorrindo.

- O quesito fofura sabe?

Senhora: - Ah! Antes ele só ficava emburrado até consegui o que queria.

- Mas estou muito feliz!

- O que ele gosta de comer?

Jeon: - Macarrão!

- Até aprendeu a fazer.

Ela sorriu. E eu respirei aliviado. Pois até então não havia conversado com ela.

Terminei de fazer o almoço e arrumei a mesa. Chamei todos e sentamos para comer.

É adivinha!!!! Nosso almoço foi macarrão.

Após o almoço, me troquei e fomos até a casa dos pais de Jimin. Fomos no meu carro e Jimin foi o caminho todo perguntando se eu não o deixaria lá.

Acredite! Mas foi muito difícil convencê -lo a entrar no elevador.

Já dentro do apartamento de seus pais, acompanhei Jimin até seu antigo quarto. O senhor é a senhora nos deixaram um pouco a sós.

Então me sentei na cama e fiquei esperando Jimin olhar as coisas no quarto.

Jeon: - Se lembra de algo?

Jimin: - Não. – Olhando as fotos.

- Não q..quero lembrar!

Jeon: - Por que não?

Jimin: - Na..não me faz fa..falta. – Afirmou.

Jeon: - Mas para eles faz. – Falava sobre seus pais.

Jimin: - O..olha isso! – Se virando para mim com um óculos no rosto.

Jeon: - Lindo! Perfeito! – Elogiei.

Jimin caminhou até a cama onde eu estava sentado e me abraçou. E logicamente o abracei de volta. E bem nesse instante sua mãe entrou no quarto.

Senhora: - Tudo bem por aqui?

Jimin: - Sim! – Segurando meu braço ao redor de sua cintura.

Senhora: - Já olhou seu guarda-roupa?

Jimin: - Não é m..meu.

Jeon: - Pequeno, vamos olhar! – Me levantando da cama e indo em direção ao guarda-roupa.

Comecei a remexer as coisas que estava ali dentro. Peguei algumas peças e mostrei ao Jimin. Até que ele escolheu algumas. Também fizemos isso com os sapatos.

Colocamos tudo em uma mochila e saímos do quarto. Andamos pela casa toda e Jimin olhou cada detalhe. Isso tudo segurando a minha mão. Sua mãe nos seguia e seu pai nos observava de longe.

Jimin: - Po..podemos ir? – Coçando os olhos.

Jeon: - Cansou?

Jimin: - Q..quero ir para ca..casa.

Senhora: - Meu amor, aqui também é sua casa.

Jimin não respondeu. Só me puxou pela mão até a porta de saída.

Me despedi dos senhores e pedi que Jimin lhes desse um abraço. E então voltamos para casa.

Jimin: - Até que enfim em casa! – Falou sem gaguejar, assim que entramos em casa.

Jeon: - Gostei!

- Você até que foi educado. – Fazendo me olhar feio.

- Vamos tomar um banho e depois ver um filme?

Jimin: - Po..podemos tomar banho ju...juntos?

Jeon: - Nããão!!! – Respondi cantando.

Fomos tomar banho, cada um no seu chuveiro. Depois fui até o quarto de Jimin onde a televisão ficava. Ele ainda estava no banheiro e saiu secando os cabelos. Ele me lembrou a mim mesmo. Talvez ele quisesse me imitar naquele momento.

Jimin: - O q..que Vamos a...assistir? – Se sentando na cama.

Jeon: - Quero que você escolha! – Lhe entregando o controle.

Eu estava em pé perto da cama e esperava Jimin decidir o que veríamos. Mas ao invés de usar o controle e procurar algo na TV. Ele o jogou sobre a cama e me puxou pelo short.

Jimin: - Q..quero ver você! - Agarrando meu bumbum com as duas mãos.

Devagarinho ele levantou a minha camiseta descobrindo meu umbigo e beijou minha barriga.

Me inclinei e beijei seus lábios profundamente. Eu estava morrendo de vontade de toca-lo.

O empurrei sobre a cama e retirei sua camisa do pijama. Desci meus lábios sobre seu corpo até chegar na altura de sua calça. E então a retirei lentamente...

🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥

Prevejo ódios por eu ter terminado o capítulo no início de um hot! Desculpaaaaaaaaaa!

Me desculpa a demora também. Eu não estava muito bem. Estou muito cansada e parece que o ano letivo na acaba nunca. Entro de férias só dia 19 e tô me arrastando já. Hoje amanheci tão triste que nem consegui comemorar o aniversário do nosso worldwide handsome.

É! Kim levou Jimin em um sexy Shop. E deu para ele uns óleozinhos multiuso. Cof cof cof !

Se vc for menor de idade, Kim deu ao Jimin óleos aromatizantes para colocar na gaveta. Agora se já manjar das putarias foi óleos lubrificantes e anestesiantes mesmo.

Conseguiram imaginar aquela bela bunda do Jeon com meia banda JI e na outra MIN? Kkkkkkkkkk

Jeon fez almoço para os sogros. Huuuuuum!

Ódios, raivas, xingamentos, traumas, amores e carinhos nos coments.

Gente eu tava olhando o tamanho do arquivo da fic é já são 312 páginas no Word. Isso é um livro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...