História My Boyfriend is a Troll! - Capítulo 5


Escrita por: e ASillyGirl

Postado
Categorias Caçadores de Trolls
Personagens Aaarrrgghh!!!, Barbara, Blinky, Bob, Clara, Darci, Jim, Personagens Originais
Visualizações 19
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem, eu sei demorou, mas deu trabalho tá?
Boa leitura e perdoem qualquer erro ortográfico:3

Capítulo 5 - Romeo e Julieta


Fanfic / Fanfiction My Boyfriend is a Troll! - Capítulo 5 - Romeo e Julieta

Assim que o dia em Arcadia nasceu, todos já estavam preparados para irem ao mercado troll com esperança nos olhos. Por que, relativamente falando, Merlin é um dos maiores magos da história. Em todo tipo de conto, ouvimos apenas o nome dele. Mas ter a esperança vazia de que seja possível a Pedra Encantada de Arcadia voltar ao seu brilho incandescente, destruía todas as possibilidades de voltarem para seus lares, suas famílias e amigos. Mas se não acontecer da forma esperada, nossos heróis, infelizmente, terão que voltar a Nova Jersey.

A grande pedra que um dia foi brilhante, estava morta e cinza. Olhavam Jim, Clara, Bobby, Aaarrrgghh!!! E Blinky.

- Para ser sincero, nunca tive esperança de que um dia a pedra encantada poderia voltar. - Blinky disse aflito.

- Tenha calma, meu bom troll. - respondeu, Merlin. - Agora, somente nos resta esperar pelo acaso.

Mas enquanto eles estavam tentando trazer a pedra encantada de volta à vida. Naquele mesmo lugar, em outra parte da vida existente, estava a Dama Pálida. Ainda vivente na terra das sombras, onde havia sido aprisionada por Clara.

- Clara Nuñez… Você vai me pagar por ter me deixado aqui, minha criança. - ela fechou os olhos e por alguns instantes, teve a visão de onde os restos de seu cajado estavam. - Azazuth Kinneth Run! - os fragmentos de seu cajado imediatamente se transpareceram dourados e voaram rapidamente ao mesmo lugar onde se quebrará. E seguindo de lá até a tumba onde Angor Rot, havia sido preso. E com partes da pedras que ainda sobravam daquele lugar, a Rainha Macabra reconstruiu o Skeith Rhun.

Seus olhos se abriram em grandes luzes douradas.

“Eu voltarei, minha criança”  - sussurrou Morgana, para que somente Clara a ouvisse.

Os olhos de Clara se fecharam e abriram apresentando o olhar preto de quem havia sido possuída pela Morgana. Uma forte dor de cabeça tomou conta de si e diante de seus olhos ela viu Babaiaka, libertada.

“Eu voltarei, minha criança” - sussurrou novamente. Mas dessa vez todos conseguiram ouvir e se voltaram para a direção da Nuñez.

- Clara? Clara!? - Bobby viu a senhorita Nuñez desmaiar. E mesmo desmaiada seu corpo se levantou e de sua boca saiu a pronúncia das palavras de Morgana.

- Meu honorável mestre, pensou que tinha acabado? - Todos se paralisaram. - Estou apenas começando. Guarde minhas palavras, Merlin. A noite eterna voltará com o pó de seus irmãos trolls e seu campeão cairá pela fraqueza de seu amor por essa garota.

- Por Deya. Clara ainda está possuída por Morgana? - Disse Blinky.

- Pelo o que presenciamos, sim. Infelizmente. - Merlin.

- Clara! - Jim e Bobby tentaram se aproximar mas foram impedidos por Argumonte.

- Senhorita Bela Clara, se estiver me ouvindo, lute contra Morgana! - disse Merlin.

- Clara? Ela está aqui, mas não pode ouvi-los. - disse a Rainha Macabra em seu tom sombrio.

E em sua cabeça, Clara corria sendo perseguida pelo cajado das sombras com o fundo em sintonía à gargalhada de Morgana.

- Não! Sai da minha cabeça, Morgana! - Clara se forçou contra seu corpo tentando tomar o controle novamente. Ao  fechar os olhos fortemente, a rainha macabra os abriu contra a Nuñez fazendo-a ver a imagem de uma grande guerra que estava de volta em Arcadia - qual se negava acreditar - Seu amado caçador, morto. E o amuleto destruído. Morgana se aproxima dela e acaricia seu rosto.

- Parabéns, minha campeã. Obedeceu bem, minha criança. - quando ela desviou seu olhar para suas mãos, o cajado das sombras estava inteiro, e em seus olhos, lágrimas.

Quando Clara tomou o controle de si, uma forte luz roxa apareceu em sua frente. O cajado das sombras. Que mesmo tendo sido reconstruído por Morgana, ainda estava sob o controle de Clara, mas apenas naquele plano.

- O cajado da Morgana? Como? - A Nuñez se levantou e disse.

- Azazuth Kinneth Run! - e ele se disparou para suas mãos. - Entrar na cabeça de Morgana novamente me ajudou a relembrar alguns feitiços.

- Mas você sabe que isso não é bom! - Jim se aproximou dela segurando em seus ombros. - Se o cajado voltou, significa que Morgana também voltará e ela pode tentar possuí-la novamente. - o olhar do caçador foi de medo.

- Jim, regra número um? - ela pôs sua mão livre na dobra do cotovelo com o anti-braço.

Ele olhou profundamente nos olhos de Clara intercalando entre o direito e o esquerdo, quando finalmente suspirou e respondeu.

- Sempre tenha medo. - ela sorriu doce e ele retribuiu o mesmo sorriso tentando disfarçar sua amargura.

(...)

A tentativa de renascer a pedra mais cedo foi falha, pelo caso de Morgana ainda ter posse do cajado ou sobre o corpo de Clara, todos se retiraram para suas casas.

Clara pensou o suficiente para que não se deixasse levar pelo cajado que uma vez a traiu levando sua alma para a mente de Morgana.

Ainda deitada, ela se revirou sobre a cama. Não tinha sono. Algo lhe incomodava, e se Jim estivesse certo? E se Morgana ainda tivesse controle sobre si? Quando enfrentou a Dama Pálida, ela não tinha experiência alguma, talvez ela poderia pedir ajuda a Merlin para ensinar-lhe magia.

Eram tantas perguntas que passavam por sua mente. Ela se virou novamente de frente para a janela e ouviu batidas na vidraça.

De imediato ela se assustou, mas quando viu o sorriso doce que sempre lhe ajudava a dormir, ela se acalmou.

Levantou cuidadosamente para que não acordasse ninguém e seguiu a janela.

Abriu lentamente e indagou.

- Jim? - ela olhou pro lado e viu ele sentado olhando as estrelas.

- Sim? - ele se virou pra ela.

- Entre antes que pegue um resfriado. - ela abraçou seus braços enquanto ele entrava. Entrou e fechou a janela. Fitou o corpo da morena que trajava um shortinho de pijama azul e uma blusa de lycra branca.

- Por isso você está com frio. - ele ergueu sua mão esquerda e puxou uma mecha de cabelo para trás da orelha dela e assim continuando com a mão na nuca da mesma. Ela aceitou de bom grado o carinho dele e sorriu. Mas logo seu sorriso se desfez. - O que foi? - ela se afastou e sentou na cama, ele seguiu ela e fez o mesmo.

- E se o que você estiver dizendo for verdade? - ela apoiou os cotovelos nas coxas e se encolheu. - E se Morgana ainda tiver o controle do meu corpo? - ela fitou o chão e depois o cajado em cima do criado mudo.

O Lake olhou a morena e juntou suas mãos cruzando os dedos.

- Clara. - ele chamou sua atenção, que foi correspondida com um olhar rápido. - Está tudo bem, eram apenas hipóteses. - ela sorriu fraco. - Cla... Mas qual luz abre a sombra deste balcão? Eis o oriente é Julieta, e o sol! Oh, e a minha mulher e o meu amor! - recitou uma parte da peça que uma vez apresentará com Clara. A mesma sorriu envergonhada.

- Obrigada Jim. - ele abriu o braço direito e ela se recostou em seu peito. - Pode ficar aqui? - ele arregalou os olhos - Só até eu pegar no sono.

- Claro, anjo. - ele se deitou com ela por cima de si e esperou que ela dormisse.

(...)

Assim que ela adormeceu, ele teve muito cuidado para retira-la de seu tórax. A confortou na cama e a cobriu.

Depois ele seguiu a janela e abrindo lentamente ouviu ela dizer.

- A despedida é uma dor tão suave que te diria Boa Noite até o amanhecer... - ela abriu apenas um olho e sorriu docemente. Ele saiu e sussurrou para que a mesma ouvisse.

- Boa noite, Clara Nuñez. - ele fechou a janela e foi em direção a sua casa antes de ser interrompido de seus devaneios sobre o que Clara lhe disserá.

- Jim. - Uma voz femina só que mais velha soou.

- Senhora Nuñez? - ele se virou e viu a mãe de Clara andando em sua direção. - O que deseja? - perguntou.

- Obrigado por ter cuidado de minha filha enquanto estavam em Nova Jersey. - ela abaixou o olhar.

- Claro, tudo pela família da Clara. - ele sorriu.

A senhora Nuñez se encolheu e abraçou a si mesma.

- Me desculpe por duvidar de você. Ela realmente te ama, Jim. - deu um sorriso singelo sem humor.

- Se o amor é cego, nunca acerta o alvo. - Recitou mais uma vez a peça de Romeo e Julieta. Eles finalmente se despediram e o rapaz foi para sua casa enquanto a senhora Nuñez, estava ainda observando as costas dele se afastar. Quando ela ia entrando, viu Clara da janela observando Jim desaparecer na escuridão aclamante da noite.

- Oh, onde esta Romeu?

...

Ele entrou e subiu direto para seu quarto e quando abriu as cortinas, pode ver Clara e respondeu para si enquanto lia os lábios de sua amada.

- Quieto, perdi eu mesmo, não estou aqui e não sou Romeu. - abriu a janela e se apoiou.

- Romeu, Romeu? Por que és Romeu? - rolou seus olhos por todo local e topou com os de Jim lhe fitando.

- Renega teu pai e abdica de teu nome; ou se não o quiseres, jura me amar e não serei mais um Capuleto. - seus olhares se intensificaram.

- Teu nome apenas é meu inimigo. Tu não és um Montecchio, és tu mesmo. 

- Ó! Sê algum outro nome! O que há num nome? O que chamamos uma rosa teria o mesmo perfume sob outro nome. - ele gesticulou.

- Romeu, renuncia a teu nome; e em lugar deste nome, que não faz parte de ti, toma-me toda! - e lábios de Clara se desenharam um sorriso.

(...) Ambos se despediram em silêncio e fecharam suas janelas.

Já os dois deitados em suas camas, sorriram bobamente e logo adormeceram e sonharam um com o outro.


Notas Finais


Espero que tenho gostado♡
E acaba aqui, por quê meus olhos estão ardendo e o filho da Mãe do MoonS me deixou escrevendo isso aqui por ele.
Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...