História My Brother's Best Friend - Mark Tuan - Capítulo 7


Escrita por: e fcksmiau

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Mark
Tags Amigos, Got7, Imagine, Irmãos, Mark, Mark Tuan, Você
Visualizações 153
Palavras 1.951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ai não sei o que dizer, só achei bom pra caralho e espero que gostem

boa leitura amados!

Capítulo 7 - Jogos Perigosos


Olá Tuan. – sorri e Mark gaguejou.

– Vocês se conhecem? – Dara perguntou, sorrindo de cenho franzido.

– Claro que sim! – olhei para o americano e ele tentava não transparecer tão desesperado. – Ele é o melhor amigo do meu irmão, vivia lá em casa.

– O… O Jackson? – ela perguntou novamente, incerta.

– Ele mesmo. – dei um gole em minha bebida e observei a festa. Olhei ao redor e vi Jaebum conversando com alguns homens mais velhos. Eles estavam sentados em um tipo sofá cor roxa com algumas bebidas nas mãos. – Se me dêem licença, vou falar com… Com meu futuro chefe. – sorri para Dara. – Não vou mais atrapalhar o casal.

– Que isso, Problema! – ela disse meu antigo apelido e eu ri. – Você não nos atrapalha. – ela abraçou o braço esquerdo de Mark e ele engoliu em seco.

Assenti olhando séria para ele e andei até a mesa da minha isca, digo, do homem moreno de largos ombros e meu futuro chefe.

– Olá rapazes! – sorri largamente para todos que sorriram de volta. – Posso me juntar?

– Parabéns futura soldado! – Jeff, um dos meus treinadores sorriu e eu agradeci.

Olhei para Jaebum que me observava de cima a baixo sorrindo.

– Tenente Im Jaebum? – ele assentiu e eu apontei para um lugar ao lado dele. – Posso?

O coreano se afastou e eu me sentei ao seu lado, cruzando as pernas.

– Não pude ir em sua cerimônia que ocorreu hoje, mas meus parabéns. – ele estendeu uma mão para que eu apertasse e eu sorri de lado. Aproximei meus lábios de seu ouvido e sussurrei:

Apenas parabéns, tenente? Você pode fazer muito melhor com sua futura soldado-detetive.

Me afastei observando o sorrindo malicioso que se instalou nos lábios do mais velho.

Wang? – ouvi a voz de meu irmão e me virei para olhá-lo. – Aí está você!

Os outros policiais já não estavam mais ali e eu sorri para Jackson.

– Tenente! – Jackson prestou continência ao moreno e ele se levantou, fazendo o mesmo e em seguida apertando sua mão.

– Então essa é sua irmã? – ele apontou para mim com o copo de whisky em mãos e eu sorri. – Espero que ela trabalhe tão bem quanto você.

– Pode ter certeza que ela vai fazer melhor.

– Ah, qual é sargento? Você é o melhor entre nós!

– Está me subestimando? – perguntei com um sorriso brincando meus lábios.

– Wang, se você realmente for melhor que o Jackson para fazer algo com tamanha perfeição como ele, você pode fazer o que quiser comigo.

– Trato feito! Amanhã você pode tirar suas conclusões. – eu me levantei e fiquei entre eles.

– Verei os casos e vamos ver se você é mesmo tudo isso. – Jaebum cerrou os olhos e sorriu de lado. – Só não tenha medo. – ele bebeu o resto do líquido que continha em seu copo e o colocou na mesa em seu lado.

– Nunca tive medo em nenhuma de minhas investigações. – o olhei séria. – Não é agora que terei. – levantei uma sobrancelha e Jackson riu.

Um silêncio se instalou até meu irmão pigarrear.

– Hm… Vou… Ali. – ele apontou para trás de si e vi uma mulher negra com grandes cachos o secando. Ele se afastou e eu ri, terminando o resto de minha bebida.

– Quer dançar? – Jaebum perguntou estendendo a mão e eu aceitei.

– Por que não?

Ele nos guiou até certo ponto não muito perto da pista de dança e me puxou pela cintura. Eu coloquei os braços ao redor de seu pescoço, olhando em seus olhos. As pintinhas em cima de seu olho eram muito atraentes, sem contar o quão bonito eram seus olhos pretos.

Sua respiração bateu forte em meu rosto e ele suspirou.

Se eu pudesse te beijaria aqui e agora. Sempre te achei muito linda. – ele sussurrou em meu ouvido e vi Mark e Dara em minha frente. Ela estava de costas para mim, com a cabeça encostada em seu peito, enquanto ele me encarava sério e sem pudor algum.

É mesmo, tenente? – sussurrei de volta e ele se arrepiou, apertando minha cintura. Respirei fundo e senti seu perfume amadeirado entrar em minhas narinas. – Por que não vamos em algum lugar? Mais reservado? – falei ainda olhando para Mark que fechava a cara cada vez mais.

Jaebum suspirou e nos separou, puxando para algum lugar longe da festa. Olhei para trás e vi o americano com quem estava criando alguns sentimentos balançar a cabeça negativamente e suspirar.

Saímos da festa e ele me guiou até seu Corolla branco de último lançamento.

– Acha que sou mulher de transar com um cara pela primeira vez? – perguntei erguendo uma sobrancelha e ele arregalou os olhos.

– N-Não! Não era isso que…

Ri.

– Jaebum, cala a boca e entra no carro.





– Caralho Jaebum! Eu sou tão ruim assim que você não fica duro nem com meus beijos? – reclamei e ele bufou, passando as mãos em seus cabelos.

– Eu tô nervoso, O.K?

O encarei incrédula e me levantei do banco traseiro.

– Nervoso com o quê?! Você deve transar com uma garota por dia!

– Pode até ser, mas nunca transei com ninguém tão bonita como você! – ele bufou novamente. – Faz muito tempo que eu olho pra você!

Me surpreendi com o que ele disse.

– Como?

– Esquece isso. – ele colocou sua blusa social e eu rolei os olhos, colocando meu vestido de festa.

Sai do carro e ele bateu a porta com força.

Contornei o carro e parei em sua frente, o beijando fortemente como ele havia feito alguns minutos atrás.

– Não tem problema, outro dia nós tentamos. – eu sorri e ele retribuiu. – Amanhã temos um dia cheio pela frente, já vou escolhendo meu prêmio.

– Você se garante tanto? – ele franziu o cenho.

Com toda a certeza do mundo.

Sorri e ele me puxou para mais um beijo. Arranhei sua nuca e ele desceu a mão para minha bunda, a apertando, logo subindo novamente, puxando os cabelos de minha nuca.

– Vamos voltar pra festa? – falei baixo, perto de deus lábios. – Pra sua festa?

– Claro! – olhou pro relógio. – Em 20 minutos começa o discurso e abre o jantar.

– Então vamos!

Sorri largamente e quando me virei, dei-me de cara com Mark Tuan.

Hm… Com licença? Tenente Im? – ele se virou para Jaebum que franziu o cenho. – Os jornalistas já estão te chamando para falar sobre o caso do Choi.

– Ah, claro! – Jaebum olhou para mim. – Vamos?

Assenti, mas Mark segurou meu braço.

– Na verdade, posso falar com ela? É sobre um caso que estamos cobrindo.

Jaebum olhou para mim e deu de ombros.

– Tudo bem? – assenti, fazendo uma linha reta com a boca. – Hãn… – ele me deu um selinho rápido e eu me assustei. – Eu tinha que fazer isso. – sorri de lado e puxei-o para mais um selinho demorado, o fazendo ficar tonto. – Não demora!

– Não vou.




Quando Jaebum finalmente entrou na festa, Mark me prensou no Corolla do tenente, olhando no fundo dos meus olhos.

– Precisamos conversar!

– Concordo! Você me deve explicações! – empurrei o corpo do americano e cruzei os braços.

– Não era assim que era pra ser. – ele falou, passando as mãos nos cabelos.

– E como era pra ser, Mark Tuan? – perguntei irritada. – Como você iria me contar? Depois que eu já tivesse me entregado totalmente pra você?

– Não! – ele falou rápido. – Eu… Eu não gosto da Dara!

Arregalei os olhos.

– O quê?

– Wang, pequena… Eu… – ele de embolava para falar e a cada segundo ficava mais nervoso, tanto que suas orelhas estavam vermelhas.

– Mark. – suspirei e ele parou, passando a língua nos lábios ressecados. – Por quê?

– Eu não posso te explicar direito. – rolei os olhos e me afastei do carro pronta pra ir embora, mas ele me puxou. – Wang, me escuta. – ele falou pausado e fechou os olhos, suspirando fundo. – Ela me pediu ajuda alguns anos atrás. Ela tem um filho de dois anos.

– Seu filho?!

– Não! – ele disse alto e suspirou. – Eu o considero como meu filho, mas ele não é.

– Ele é filho de quem?

– Não sei. – ele passou as mãos nos cabelos. – Ela nunca me disse.

– E você não foi atrás pra descobrir?

Ele arqueou uma sobrancelha.

– A detetive aqui é você.

Ri e ele passou a língua nos lábios nervosamente. Ele se aproximou e eu olhei para o chão. Ele ergueu os braços até minha nuca, subindo as mãos até meu rosto, o acariciando.

– Eu não queria que você descobrisse assim.

– Vocês… Vocês… Hãn… – olhei incerta para ele que me olhava com dúvida e curiosidade. Suspirei. – Vocês transam?

Ele deu um risinho e tirou o cabelo que estava em meu rosto.

– No começo, sim. Mas agora… Eu…

– Arrumou outra no lugar dela? – dei um sorriso de lado, sarcástica. – Ou outras? Eu e mais quantas?

– Eu só ajudo a Dara porque ela realmente precisa. As condições de saúde dela são realmente preocupantes.

– Mark… Por que continua?

– Desculpa? – ele me olhou confuso e eu suspirei tirando as mãos dele de meu rosto.

– Continua mentindo pra mim? – me afastei do carro e ele segurou minha mão.

– Eu sou perdidamente apaixonado por você. – ele disse sério olhando nos meus olhos e senti meus pés gelarem e minha boca ficar seca. – Desde o primeiro dia em que você passou lá em casa até hoje.

– Como você pode dizer isso? Você tá confundindo sexo com amor! – me soltei dele.

– Se você fez sexo comigo, o problema é seu! – ele se exaltou e falou mais alto, apontando o indicador para mim. – Desde o primeiro momento eu fiz amor com você, coisa que nunca fiz com mulher alguma, muito menos com a Dara!

O olhei sem expressão e suspirei. Ele continuou.

– Com o tempo posso te falar tudo o que está acontecendo, mas preciso que você tenha paciência e compreenda.

– Claro! Enquanto você estiver com minha amiga de infância, vou estar em casa transando com meu chefe. – sorri e quando ia me virar ele me puxou novamente. – Isso já tá saturando.

– Eu vou dar um jeito em tudo isso e você vai ser minha namorada. – ele disse bem próximo de mim e eu senti meu coração na boca.

– Com que convicção diz isso, mero jornalista?

– Com a mesma que vejo em seus olhos quando olha pra mim. Se pensa que eu não percebo que me olha diferente como eu te olho, está muito enganada, detetive.

– Você quem está enganado, jornalista.

– Não é o que eu sinto aqui – ele colocou a mão em meu peito, sentindo a frequência de meu coração. – detetive.

Ele terminou a distância entre nós e selou nossos lábios.





– Se acha que vai ficar beijando a Dara e me beijando, está enganado! – falei num fôlego só, assim que partimos o beijo e eu o empurrei pelo peitoral.

– Se acha que vai me convencer de que não está apaixonada por mim tanto quanto eu estou por você, está enganada!

– Mark, esquece isso! Já era! Você pode pensar que eu sou burra e que essa história me convenceu, mas não mesmo! E se insistir, conto tudo pra Dara!

– Que seja! – deu de ombros. – Não estou mentindo e posso te provar!

– Me esquece! – gritei.

– Não posso. Eu não mando no meu coração e muito menos nos meus pensamentos. – ele colocou as mãos nos bolsos e me deu um selinho, andando até a entrada da festa.

Gritei de ódio. Minha cabeça estava uma confusão.

Não poderia mentir pra mim mesma e dizer que não estava perdidamente e loucamente apaixonada pelo melhor amigo do meu irmão, mas ao mesmo tempo esta história estava mal contada demais. Que tipos de ajudas que ele oferecia para ela? Sexo? Droga? Dinheiro? Informações? Informações sobre o que ou sobre quem? De quem era esse filho? Mark mentira pra mim? Por que eles não moram juntos? Jackson sabia de tudo? O que ele dissera pra mim era a verdade ou ele estava apenas marcando território caso ela não o quisesse mais?

Eram tantas as perguntas que nem eu, uma detetive nata, conseguiria responder.

Respirei fundo e entrei para a festa, participando de metade do discurso de Im.


Notas Finais


comentem o que acharam xuxus 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...