História My brother's friend - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescência, Rock N' Roll, Romance Proibido
Visualizações 44
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa os erros ortográficos e derivados
Boa leitura :3

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction My brother's friend - Capítulo 1 - Capítulo 1

POV Ashley

-Maninho, que horas você vai me buscar na aula de piano? ~pergunto enquanto me sirvo com Coca-Cola e salgadinhos.

-Hoje não posso, tenho que resolver umas paradas da banda. Mas te dou o dinheiro pro ônibus. ~ele diz enquanto arruma seu baixo no case.

-E qual ônibus eu pego? ~pergunto. -Eu nunca peguei ônibus antes. ~digo brava.

-É só você perguntar pra moça da rodoviária qual o ônibus que vem pra cá. ~ele dá de ombros.

-E se eu pegar o ônibus errado? ~pergunto assustada. 

-Você não vai pegar o ônibus errado, você é esperta. ~ele revira os olhos.

-Se você diz.

Levanto do sofá e levo minha lata de Coca e o pacote de salgadinhos pro lixo. 

-Vamos antes que você se atrase. ~ele diz.

Pego minha bolsa no sofá, tranco a casa e o sigo até seu carro. O caminho foi rápido, durante o trajeto conversamos sobre música e ouvimos algumas bandas muito fodas.

-Se cuida, eu chego em casa antes do anoitecer. ~meu irmão beija minha testa.

-Pode deixar. ~sorrio.

Saio do carro e o vejo acelerar para bem longe daqui, provavelmente pra gravadora conversar sobre sua banda. 

Entro na escola de música e sigo para a minha sala.

***

Infelizmente a aula já acabou, uma pena já que amo piano e agora tenho que esperar até quarta que vem. 

Agora vem a parte mais complicada, ir até a rodoviária para pegar o ônibus de volta pra casa. Eu sei que não é algo difícil, mas entendam, eu nunca peguei um ônibus na minha vida a não ser o da escola. 

Fui caminhando pela rua despreocupadamente, a rodoviária ficava a algumas quadras da escola de música, então tive tempo para ouvir Ramones pelo trajeto. 

Logo cheguei na rodoviária, já eram 16:00 horas e ela estava relativamente vazia. Fiz o que meu irmão disse e fui até uma das atendentes perguntar qual ônibus eu devia pegar.

-Boa tarde. ~disse a atendente.

-Boa tarde, qual ônibus eu pego para chegar em Santa Monica? (N.A. eu não manjo dos lugares dos EUA, mas finjam que está certo)

-Você precisa pegar o ônibus 235. ~a atendente respondeu com um pequeno sorriso. 

-Obrigada. ~sorri e fui até um dos bancos. 

Fiquei esperando por cerca de 20 minutos, e logo o tal ônibus chegou. A placa indicava 23 e o terceiro dígito estava cortado, mas parecia ser um 5. Assim espero.

Peguei minha bolsa e entrei no ônibus, dando o dinheiro da passagem pro cobrador. Me sentei em um dos bancos e fiquei ouvindo música até chegar no meu ponto de descida.

-Última parada Sunset Boulevard. ~disse o motorista.

O QUE? Isso é muito longe de Santa Mônica! (N.A. Uns 11km ksksks) me levantei do ônibus e fui falar com o motorista puta da vida.

-Como assim? Esse ônibus não é o 235? ~perguntei. 

-Não, esse é o 233. ~disse o motorista com cara de tédio.

-Mas eu preciso ir pra Santa Monica! ~esbravejei.

-Devia ter olhado bem antes de entrar, agora o ônibus vai pro estacionamento. ~ele disse o fim.

Revirei os olhos e bufei. Peguei minha bolsa e desci do ônibus.

-E agora? Como volto pra casa? ~falei para mim mesma.

Já eram 17:00 horas, daqui a pouco vai anoitecer. 

Peguei meu celular para ligar para o meu irmão, mas a droga do celular estava sem bateria.

-Que ódio! ~bufei.

Andei por alguns minutos, mas percebi que não adiantaria em nada. O negócio é sentar e esperar por um milagre. Me sentei em um banco e apoiei meu queixo nas minhas mãos e meu cotovelo nos meus joelhos

-Ashley? ~uma voz grave perguntou.

Levantei meu olhar. Havia um cara em cima de uma moto, ele era Moreno e tinha os olhos castanhos, vestia uma jaqueta de couro e tinha um sorriso nos lábios. 

-Quem é você? ~perguntei.

-Não se lembra de mim? ~ele perguntou. Fiz que não com a cabeça e ele riu pelo nariz. -Sou Dylan, amigo do seu irmão. 

-Ah, acho que já te vi lá em casa. ~falei.

-Isso, eu fui lá algumas vezes. ~ele desceu de sua moto e sentou do meu lado.

Por puro instinto, me afastei um pouco.

-Calma, não vou te fazer mal. ~ele disse.

Olhei me seus olhos e vi que ele falava a verdade, então me aproximei um pouco.

-O que faz aqui? ~ele pergunta.

-Allan não pode me buscar, então tive que pegar um ônibus. Mas peguei o ônibus errado. ~suspirei.

-Quer uma carona? ~ele perguntou.

-Não precisa eu dou um jeito. ~falei.

A verdade é que estou com receio de aceitar, afinal eu não o conheço direito. Meu irmão tem uns amigos meio drogados sabe.

-Dá um jeito? ~ele arqueou as sobrancelhas. -Já está quase anoitecendo, você está sozinha em um lugar que não conhece e provavelmente sem dinheiro e celular. Se não já teria ligado pro Allan. 

-Talvez... ~falei.

-Ashley, eu não vou te deixar sozinha aqui. ~ele disse.

-Por que se importa? ~o encarei.

-Eu não me importo. ~ele deu de ombros. -Você é irmã do meu amigo, faço isso por ele. 

-Ata. ~falei.

-Vem, vou te levar para casa. 

Ele pegou minha mão e me entregou um capacete. Subiu na moto e deu tapinhas no banco atrás dele. Sorri para ele e subi na moto, entrelaçando meus braços em sua cintura, sentindo seu perfume amadeirado.

-Segura firme.

Ele disse e deu a partida na moto. Em menos de 20 minutos havíamos chegado na minha casa.

Desci da moto e convidei Dylan para entrar, para deixar meu irmão menos preocupado. Ele exitou um pouco, mas no fim aceitou.

-Allan?! ~gritei assim que abri a porta, Dylan riu.

-Onde você estava sua maluca! ~Allan veio correndo e me abraçou. 

-Eu te falei que não daria certo, eu peguei o ônibus errado! ~falei.

-E ela foi parar em Sunset boulevard. ~Dylan completou.

Meu irmão me soltou e encarou Dylan.

-Você que trouxe ela? ~Allan perguntou. 

Dylan assentiu com a cabeça.

-Valeu cara, nem sei o que poderia ter acontecido! ~Allan abraçou Dylan.

-Não foi nada. ~ele riu.

Eles ficaram conversando e eu fui para o meu quarto. Entrei no banheiro e tomei um longo banho enquanto ouvia Nirvana. Peguei minha toalha e enrolei ao redor do meu corpo.

Saí do banheiro e fui procurar algo para vestir, ainda com a toalha no corpo, vesti minhas roupas íntimas e fui atrás de algum vestido. 

-Ashley eu... ~Dylan entrou no quarto.

-Ei! ~peguei minha toalha. -Não sabe bater na porta? ~perguntei furiosa.

-Desculpa, mas você devia ter trancado a porta. ~ele disse.

Revirei os olhos.

-O que quer? ~perguntei impaciente.

-Vim dizer tchau. ~ele sorriu maliciosamente. -Bonita lingerie! 

-Idiota! ~gritei e taquei meu travesseiro nele.

Ele saiu rindo.

Peguei o maldito vestido e o vesti, saindo do meu quarto enquanto penteava meu cabelo com as mãos. 

-Ei vadia. ~Allan me chamou.

Sim, meu irmão me chama de vadia, muito carinhoso né?!

-Fala viado. ~respondi em um tom divertido.

-O que aconteceu lá em cima? Dylan saiu daqui rindo. ~ele perguntou.

-Ah. ~me joguei sobre ele no sofá, e o mesmo fez careta. -Aquele idiota entrou no quarto enquanto eu me trocava.

-Ele viu você sem roupa? ~meu irmão arregalou os olhos.

-Não. Eu estava de lingerie, e peguei a toalha bem na hora. ~o tranquilizei.

-Menos mal! ~ele soltou um suspiro de alívio.

-Por que? Ele é tão bonito! ~o provoquei. 

-Porque você é minha irmãzinha que vai morrer virgem! ~ele disse rindo.

-Credo! Não fala isso! ~fiz careta enquanto ria.

-Falo sim! Meu bebê! ~ele disse e eu fiz careta. 

Então ele começou a fazer cócegas em mim.

-Para seu merda! ~gritei mas ele não parava.

-Para eu tô ficando sem ar! ~não adianta.

-ALLAN PARA! ~gritei.

Ele parou, ficou me encarando por alguns segundos e depois começamos a rir como idiotas.



Notas Finais


Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...