1. Spirit Fanfics >
  2. My Brother's Friend >
  3. O Jogo

História My Brother's Friend - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


OLÁ PITICOOOS💜
ATUALIZANDO MAS CEDO PQ VCS ME PERTURBARAM MUITO KKKKKKKKK MAIS ISSO E BOM PQ MOSTRA QUE VOCÊS ESTÃO GOSTANDO ❤
VAMOS LÁ..
BOA LEITURA 📖❤

Capítulo 13 - O Jogo


Foi a primeira vez que eu fiquei com Taehyung a noite toda, deitados em uma cama, no quarto com a porta aberta, sem medo nenhum de sermos pegos. Como se fossemos aqueles adultos que são bem-sucedidos, bem resolvidos, estáveis e com a vida amorosa movimentada, mas nem um pouco complicada. Fantasiar isso durante a noite toda foi ótimo. Na verdade, foi uma das melhores noites de toda a minha vida.

- Vamos jogar um jogo? – Taehyung pergunta enquanto estou deitada no seu peito, com suas mãos passando pelo meu cabelo.

- Que jogo? – Pergunto curiosa, levantando minha cabeça e cruzando meu olhar com o dele.

- O famoso “Se apresente” – O encaro confusa – É um jogo onde eu falo pra você falar algo que você gosta ou já aconteceu com você, e ai você conta. Só que tem que ser bem rápido. Tipo bate e bola. – Ele coloca as costas na cabeceira.

- Que jogo idiota, é famoso aonde? – Pergunto sentando com as “pernas de índio” em sua frente, desdenhando.

- É muito famoso sim! – Ele protesta. Encaro Taehyung com uma expressão sarcástica – Tá, eu acabei de inventar. Para de ser estraga prazeres. – Solto uma risada.

- Tá, tá. Vamos jogar o famoso “se apresente” – Taehyung ri do meu tom sarcástico – Como assim eu digo pra você falar uma coisa? – Pergunto.

- Meu Deus, S/n, você é mesmo lenta. – Ele diz cerrando os olhos e eu jogo uma almofada em sua direção – Por exemplo – Ele se inclina para chegar mais perto – Você diz para mim “as cinco atrizes pornôs preferidas” e eu cito elas, só que tudo isso em um bate bola bem rápido.

Viro meu olho e faço uma careta por um tempo tão longo que ele joga a almofada de volta.

- Ok, começa. – Digo assim que me defendo da almofada.

- As cinco séries de TV que você não pode deixar de assistir. - Ele fala rápido, como se realmente fosse um jogo ao vivo, passando na TV aberta.

- Grey's Anatomy, Friends, American Horror Story, Buffy, a caçadora de vampiros e Black Mirror. - Sorrio ao concluir a frase na mesma velocidade que Taehyung. Ele me olha com uma expressão de choque. - O que? – Pergunto voltando minha cabeça para cima, a centímetros de seus lábios.

- Buffy, a caçadora de vampiros? - Ele solta uma risada. - Em que século você vive?

- Cala a boca, sua tartaruga, isso devia ser um bate bola – Respondo sorrindo – Agora você.

- Breaking Bad, The Walking Dead, House Of Cards, Sherlock e Back Mirror. - Ele diz sorrindo com ênfase na última série.

- O melhor dia da sua vida. – Digo sem tempo de comentar sobre os episódios que viraram a minha cabeça para baixo de Black Mirror.

- Formatura do ensino médio. Festa, bebida, diversão, sentimento de liberdade e acabei ficando com a garota mais gata da escola no banco de trás do carro do meu pai. E o seu?

- Show da Britney Spears. Meu melhor amigo Hyunjin virou meu melhor amigo lá, e eu nunca ri tanto na minha vida.

- Pior dia da sua vida. - Ele atira a frase contra mim. Eu recuo um pouco. – E eu sou a tartaruga? – Taehyung me encara com ar de superioridade.

- Eu nunca tive um pior dia – Explico – Mas um dia bem porcaria foi ano passado. No aniversário de Camila. Eu tinha preparado todo um dia para a gente ir para um parque temático e quando chegou o dia, perdi a hora, fui toda bagunçada para pegar o ônibus, chegamos atrasada, tentamos outro ponto de partida do outro lado da cidade que saia mais tarde, correndo entre o transporte público e o metrô, perdemos esse ônibus também, voltando para a casa eu percebi que tinha perdido meu dinheiro então não dava pra fazer nada especial para ela, ai voltei o caminho todo chorando. Talvez seja o pior dia da vida dela. – Olho para o nada refletindo. Droga, esse “suposto” jogo é bom.

Ele sorri gentilmente.

- Por que você voltou chorando? – Ele pergunta cerrando os olhos.

- Porque tinha arruinado o dia dela, só porque sou estabanada. – Comento sem graça. – E o seu.

- Era uma viagem de fim de ano para Santa Catarina. Só eu, minha mãe e o meu pai. E um dia da viagem, do nada, no meio de um passeio eles começaram a brigar, acho que por causa de traição. Acabaram com toda a viagem. Sóbempacotaram as coisas, me deram dinheiro se quisesse ficar e foram embora.

- E você ficou? - Pergunto curiosa.

- Sim. No primeiro dia fiquei muito puto, com raiva, mas depois eu fui fazendo amizades. Não era a mesma coisa, mas eu tinha que estar ali. Era um lugar lindo. - Continuo olhando para ele que parecia estar vagando nas lembranças daqueles dias. - O que acha de traição? - Ele me surpreende com a pergunta.

- Acho simples. Você saiu magoado e é incapaz de perdoar? Cai fora. Você se magoou, mas quer dar uma chance porque vai ficar mais infeliz se terminar tudo? Tenta de novo. Só sei que ninguém tem que fazer nada que não queira, porque as pessoas “dizem que é coisa de trouxa” ou porque “é o certo a se fazer”. – Comento enchendo a boca para lhe jogar a pergunta de volta.

- Não precisa perguntar o que eu acho, eu concordo com você.

- O que achou da traição que rolou entre seus pais? – Pergunto curiosa.

- Um lixo. Mas minha mãe é uma rainha pra mim, não consigo ficar contra nada que ela faça, e não posso dizer que meu pai não mereceu. Ele era muito ausente. No fim as coisas ficaram melhores depois que eles passaram por isso. – Ele concluiu.

O encaro surpresa por ficar sabendo que a traição veio da parte da sua mãe.

Deito ao seu lado, colocando a cabeça em seu peito, me cobrindo até o pescoço. Sinto a mão de Taehyung passar pela minha cintura e me puxar para perto. Sorrio de lado, sem querer que ele veja. Olho para ele com carinho e ele encosta-se aos meu slábios, com um beijo carinhoso e suave.

- Me fala uma mania sua. - Ele diz baixinho quando desencosta a boca da minha.

- Eu sempre durmo com um travesseiro entre as pernas, outro abraçado e outro na cabeça. – Digo.

- Três? – Ele pergunta cerrando os olhos, confuso - Esquisita.

- Fala uma sua aí, Sr. Normal Demais.

- Quando eu assisto um jogo de futebol do meu time preferido, eu tenho que fazer algo três vezes. Escovar o dente três vezes, comer três vezes a mesma comida, dar três pulos, sei lá. Três é meu número da sorte.

- E eu sou a esquisita? – Pergunto sorrindo. – Até parece.

- É um ritual, não seja chata. - Dou risada.

- Parte favorita do corpo. – Comento

- Braços. E a sua?

- Barriga.

- Qual a sua parte favorita do meu corpo? - Ele pergunta e algumas borboletas no estômago aparecem.

- Suas mãos.

- Por quê? - Ele pergunta olhando para as mãos, sem entender.

- São extremamente bonitas. Elas têm essas veias... - Mostro para ele as veias destacadas em sua mão, passando os dedos por cima delas. - E elas são fortes, como quando você me puxa pela cintura ou aperta minha coxa.

Ele me puxa pela cintura mais um pouco, fazendo ficar colada em seu corpo.

- Desse jeito? - Ele pergunta em um tom baixo.

- Exatamente desse jeito. Sua parte preferida no meu corpo?

- Honestamente S/n... desde quando te vi dançando na sala, não consegui enxergar uma só coisa que não goste no seu corpo. Você basicamente é uma obra de arte. - Ele fala. Sorrio. Eu sabia que aquele tinha sido o momento em que ele menotou como mulher.

- Se defina em três palavras. - Digo a ele.

- Gostoso, charmoso e engraçado. - Solto uma risada alta. - Não brincadeira...

- Claro que é brincadeira. - Digo com ironia.

- Vamos lá... Teimoso, desafiador e esperto... para não dizer sedutor. - Ele fala com o mesmo tom de brincadeira e eu não consigo segurar o riso.

- Muito modesto. - Ironia mais uma vez.

- Se defina em três palavras.

- Determinada, corajosa, petulante.

- Ninguém no mundo fala petulante. – Ele cerra os olhos mais uma vez, cuspindo as palavras de desdém.

- Eu falo petulante. – Respondo convencida.

- Só você.

Nós dois damos risadas e nos beijamos novamente. Um beijo mais demorado dessa vez e com a pegada mais forte em minha cintura. Coloco a minha mão no pescoço dele e jogo um pouco do meu corpo para frente na medida em que o beijo fica mais intenso. Ele sobe a sua mão para as minhas costas e a outra para em minha cintura, e apoio todo o meu corpo em cima dele. O beijo continua, agora um pouco ofegante, e passo uma perna para o outro lado para ficar em cima de sua cintura. Eu sinto a sua ereção e empurro a cintura para baixo. Por alguns segundos eu me pergunto o que estou fazendo, mas em nenhum momento penso que quero parar e puxo a sua camisa para cima, para que ele fique seminu. Sua mão desce para as minhas pernas e sobe até o bumbum por cima do short. Agarro seu pescoço com as duas mãos e sigo para o seu cabelo. Ele beija meu pescoço de todos os lados, e quando retorna para a minha boca, segura a minha mão a guiando para o seu membro. Eu mal consigo respirar. Eu continuo com isso? Eu não quero parar. Sem jeito sinto a sua ereção na minha mão por cima de calça. É grande. Mas como não tenho nada à com quem comparar, nem ao menos comparar com o de Yuta, tento acalmar o entusiasmo.

Me jogo para o outro lado da cama, respirando ofegante e colocando o meu cabelo para trás tentando recuperar a compostura. Foi completo instinto. Um segundo que me trouxe a claridade da situação e me colocou nesse lugar da cama, respirando ofegante e repensando toda a situação que passei agora. Eu nem sei como definir, mas a frase “a melhor sensação da minha vida”, passa pela minha cabeça e eu sorrio. Porque diabos eu me afastei?

Taehyung chega perto com a respiração tão ofegante quanto a minha, e me beija na bochecha, logo depois passando pela boca, e introduzindo sua língua devagar que quase me fez pular em seu colo de novo.

- A maior loucura que você já fez. - Ele diz.

Respiro fundo com a mão no seu rosto.

- Ficar com você. - Digo com a voz baixa ainda um pouco sem ar. - E a sua maior loucura. - Ele sorri para mim.

- Ficar com você.

Sorrio para ele de volta. Dou-lhe um selinho demorado e depois me encaixo em seus braços com ele passando as mãos pelo meu cabelo, com um completo silêncio pelo quarto. Dou um beijo na altura do seu peito nu onde encosto a minha cabeça e fico recebendo o seu carinho.

Aquele dia eu dormi com um pensamento constante na minha cabeça.

O. Melhor. Jogo. De. Todos.



CONTINUA....


Notas Finais


QUASE FOI ,MAS NÃO FOI KKKKKK
ATÉ O PRÓXIMO CAPÍTULO AMORES ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...