1. Spirit Fanfics >
  2. My Brother's Friend >
  3. Epílogo

História My Brother's Friend - Capítulo 46


Escrita por:


Notas do Autor


OLÁ AMORES ❤

QUERO TAMBÉM AGRADECER DE CORAÇÃO QUEM DEU TODO O AMOR PRA ESSA FIC, AMO MUITO VOCÊS DE VERDADE ❤

Capítulo 46 - Epílogo


- Olá. - Um homem muito bonito me cumprimentou na loja de CDs.

- Eu te conheço de algum lugar. - Eu falei logo que percebi que era bem familiar.

- Eu toquei na sua festa de aniversário.

- Oh! Claro – Digo surpresa. - Você arrasou naquela noite. – Agora respondo animada.

- Meu nome é Yeon Suk.

- O meu S/n. - Sorrio.

- Eu sei. Estava escrito por todo o apartamento. - Ele comenta rindo.

- É verdade. Você é profissional? - Pergunto curiosa.

- Não. Faço um técnico, mas estou a fim de estudar música, então quem sabe um dia. - Ele comenta.

- Eu apoio totalmente. De verdade. Você animou todo mundo aquele dia, foi muito elogiado depois. – Comento lembrando.

- Você tem meu número? - Ele pergunta. - Caso precise para uma festa eu ia adorar.

Sorrio para ele de volta sem saber se isso é um flerte.

- Claro. Acho que meu pai tem, posso pegar com ele.

- E quem é esse aí? - Camila pergunta com um tom malicioso demais, como se tivesse visto uma picanha suculenta.

- É o DJ que tocou na minha festa, lembra? – Comento esperando que ela diminua o tom pervertido.

- Óbvio que não. Desculpe, tomei um porre. - Ela fala naturalmente.

- Eu vou procurar o seu numero. - Digo a ele fazendo um sinal de tchau, então agarro o braço de Camila e nós duas viramos as costas.

- Ok. Vai procurar o número dele? - Ela pergunta com um sorriso de orelha a orelha enquanto nos afastamos.

- É. Caso tenha alguma festa e tal...

- Ah claro. E eu nasci ontem. – Camila vira o olho e começa a olhar para a frente.

- O que você está falando? - Pergunto confusa.

- De sair com ele.

- Não. - Digo prontamente usando a minha melhor expressão de indignação, que era de fato genuína.

- Qual é S/n. Taehyung é gostoso e tudo, mas não merece todo esse tempo de fossa. Vamos partir para outra. – Ela diz mais uma vez natural, como se não tivesse um filtro sobre o que vai falar e esse fosse o melhor conselho do mundo.

- Camila achou o que estava procurando? - Pergunto mudando de assunto.

- Não. Não acredito que eles não têm Baby One More Time. Um ícone atemporal daqueles...

- Não tem na internet? - Pergunto.

- É claro, a porcaria da internet, onde eu não posso tocar de verdade... - Camila reclama e eu começo a rir.

Depois que cheguei em casa naquele dia, procurei o número do DJ no escritório do meu pai e achei seu cartão. Lee Yeonjun Suk. Acabei procurando um pouco na internet e descobri que ele estudava em uma escola vizinha da minha, tinha vários amigos, tocava direto nos lugares, gostava de música indie, de fato era filho de um dos amigos do meu pai e com certeza era bem bonito, com um cabelo preto e olhos claros. Combinação injusta.

Em um surto de consciência, lembrei de Taehyung. Era a primeira vez que eu me interessava por alguém depois daquela noite desastrosa. Talvez fosse realmente à hora de partir para outra.

Eu não o via há mais de um mês. Taehyung tinha evitado aparecer aqui em casa, acredito que para não me ver toda chorona que nem me viu pela ultima vez. Ou por ter achado que eu estava muito brava com ele, já que saltei do seu carro sem nem olhar na sua cara. Ou talvez por ter medo de uma recaída.

Acontece que depois de uma semana inteira chorando e sendo consolada por Camila, eu percebi que eu era importante para ele também. Então era possível que ele quisesse ficar longe para não recair.

Admito que milhares de vezes eu pensei em mandar uma mensagem, jogar aquela história de "vamos ser amigos né?", tentar encontrar com ele "casualmente", mas toda vez que tomava algum impulso, algo me bloqueava. Medo talvez. Medo de estar superando e ele falar que tem zero chance de acontecer e eu acabar no fundo do poço por mais algumas semanas. E foi melhor assim, porque a gente ia acabar ter que mentir, e inventar teatros e pedir para as pessoas a nossa volta mentirem.

Não seria legal.

Mas o que era legal mesmo, é que com a distância de Taehyung aqui de casa, Yoongi também ficava distante uns 90% do tempo e os outros 10% ele ficava dormindo. Agora eu comecei a aceitar que Yoongi não era o problema entre eu e Taehyung e sim o jeito que decidimos começar e levar as coisas, mas enquanto eu não aceitava isso, eu simplesmente não conseguia olhar para ele e quando olhava era pra gritar, ser grossa e insultar de alguma coisa, mas insultar mesmo. Nada no nível amigável de irmãos.

Parei quando comecei a ter pena, porque ele não fazia de volta, porque ele simplesmente não entendia, e então eu comecei a entender tudo.

Por uma incrível coincidência, bem naquele dia em que eu decidi que poderia seguir em frente, Taehyung resolveu visitar a minha casa com Yoongi, como nos velhos tempos. Eu estava na cozinha quando ele entrou rindo com Yoongi sobre alguma coisa.

Yoongi obviamente ficou constrangido ao me ver por achar que eu ia ser grosseira com ele sem nenhum motivo e Taehyung... Ele travou todo o meu corpo, como costumava fazer.

Olhei para ele por alguns segundos e já senti as batidas do meu coração mudarem e minha cabeça não ajudou muito, tendo vários flashbacks de beijos, abraços e risadas, e antes de embargar de novo, eu engoli meu almoço e pensei nos Teletubbies. Por quê? Porque eles me acalmavam quando eu era criança. E acredite, esse era um método bem mais eficaz do que contrair os lábios e olhar para cima.

- Tem o que para comer? - Yoongi pergunta.

Eu o encaro por alguns segundos repetindo a mim mesma que ele não tem culpa de nada.

- Vê aí na panela. - Dou de ombros. Até ele se chocou porque esperava uma reação como se eu tivesse repulsa de ele estar falando comigo. Mas não mais.

- E aí. - Taehyung falou comigo, como nos velhos e tão distantes tempos.

- E aí Taehyung. - Sorri para ele como se ele nunca tivesse arrepiado a minha espinha inteira.

- Bro tem lasanha! - Yoongi disse animado quando abriu o forno.

Virei meu olho para Yoongi me irritando não por achar que ele era o culpado por todo esse contato frio com Taehyung, mas sim porque ele era o Yoongi e isso era irritante demais.

Deixei o meu prato na pia, ficando ao lado de Taehyung por alguns segundos, e depois subi para o meu quarto, sem nem olhar para ele.

Era um sentimento estranho. Antes era tudo sobre ser proibido e me encontrar com ele no meio da noite, sentir um frio na barriga, uma adrenalina, depois uma sensação indescritível quando ele estava comigo, e agora era tudo sobre não olhar para ele para não sentir dor.

Quando subi no meu quarto aquele dia, eu sabia que não estava pronta para seguir em frente por que fui tomada por uma sensação de tristeza indescritível. Assim como a sensação de ficar com Taehyung, a sensação de não ficar com ele, era tão intensa quanto. Mas eu tinha evoluído aí. Não havia chorado.

Naquela mesma semana quando eu estava saindo com Hyunjin, combinando com ele a viagem para o interior nos próximos meses para ajudar a ONG, já que ele oficialmente tinha virado minha companhia, eu estava muito para baixo, então eu, ele e Camila fizemos uma playlist de músicas para nós dançarmos.

- A gente devia ir para uma balada! - Hyunjin comenta enquanto eu estou com o corpo no ritmo da música.

- Com certeza! Fazer umas loucuras! - Camila imita um tigre e fala mais alto que a música.

E então eu ouvi uma frase. Meu corpo inteiro parou e minha mente funcionava a milhão pensando em quantas mil vezes, de alguma forma, aquela frase tinha passado pela minha cabeça.

- Vocês querem fazer uma coisa louca? - Pergunto a eles quando desligo o som.

Os dois toparam na hora e então me seguiram para um lugar que eu tinha procurado na internet enquanto ainda estávamos no elevador.

- Para aonde vamos? Estou morrendo de curiosidade! - Hyunjin comentou ansioso.

- Chegamos. - Digo em frente a um estabelecimento.

- Você só pode ter perdido a cabeça. - Ele falou com um sorriso no rosto.

- Você está brincando? Vamos logo! - Camila disse abrindo a porta do lugar e já se sentindo em casa.

Como previsto, não tive trabalho nenhum em convencer os dois a fazerem uma tatuagem. Camila escreveu a famosa frase "Carpe Diem" com um pássaro ao lado e Hyunjin escreveu "amor" em hebraico. Eu, no entanto, escrevi a seguinte frase: "We are built to fall apart"

Quando eu ouvi. Quando eu detectei a mensagem eu só precisava dela comigo. Porque ela representava minha história com Taehyung que ainda era difícil de encarar. "Nós fomos construídos para desmoronar", e eu sabia disso desde o começo.

E agora estava marcado comigo. Para sempre. No coração e na minha costela.

Foi até inevitável não se lembrar do nosso papo sobre tatuagem e como eu tatuaria "alguma coisa com significado". Ele tinha um significado para mim. Ele era um monte de lição que eu levei da melhor forma possível e um monte de sensação que eu senti. Ele era um divisor de águas na minha vida. Tinha a S/n, antes do Taehyung, e agora a S/n, depois do Taehyung. As duas eram incrivelmente diferentes, e apesar de terem a mesma essência, eu preferia a S/n depois do Taehyung. A S/n depois dele é uma versão bem melhor. Uma versão mais independente, mais livre, mais bem resolvida, mais amada e mais decidida. E ter uma tatuagem que representasse a minha história com ele, era só uma forma de eu mostrar a mim mesma, que no fundo, apesar de tudo, valeu a pena. E isso eu também sabia faz tempo.

Que não importava o jeito que tinha acabado, ia valer a pena mesmo assim.

Depois disso, ver Taehyung era até mais fácil. Até porque a gente era cordial demais. Sempre usando as mesmas palavras, evitando olhares, contato físico, evitando qualquer faísca que pudessemos sentir. Ele voltou a frequentar minha casa e aos poucos eu fui me acostumando e fui me colocando de volta ao lugar da irmã mais nova, e deixando o posto de romance secreto.

Quase três meses depois do nosso término dolorido e vergonhoso, Camila apareceu lá em casa para a gente organizar a formatura do ensino médio.

- Oi, Yoongi. - Camila falou para o meu irmão, como sempre costumava fazer.

- Oi, Camila. - Yoongi respondeu constrangido.

- Você não quer ajudar a gente a organizar uns detalhes para a festa? - Camila pergunta fazendo sua melhor tentativa de seduzir meu ele.

- Não, ele não quer. - Respondo para ela e a pego pelo braço.

- Deixa ele responder. - Ela fala baixinho para mim me repreendendo.

- Eu passo Camila. - Yoongi respondeu constrangido de novo.

Arrasto Camila para o meu quarto.

- Você não cansa de dar em cima do meu irmão? - Pergunto.

- Ok. Agora você vai dar uma de Yoongi ciumento? - Ela pergunta sem entender.

- Eca. - Respondo com expressão de repulsa e isso de verdade, foi bem sincero – Ele só não é afim.

- Taehyung não era afim de você e você bem que teve boas cavalgadas né? Porque eu não posso cavalgar no Yoongi? - Camila me pergunta com voz de criança mimada.

- Eu vou escolher ignorar isso. - Respondo em choque - Vamos focar na festa.

Camila dá risada e enquanto acertamos todos os detalhes para fazer uma grande festa da qual nós verdadeiramente precisávamos, a gente conversava sobre algumas besteiras, artistas, músicas, premiações... E pela primeira vez em nenhum segundo eu tinha me sentido para baixo. Estava voltando a ser eu de novo.

- Porque você não convida o DJ gato para a festa?

- Para ser o DJ? - Pergunto.

- Claro. E depois para você dar uns beijos nele. - Ela sugere sorrindo.

- Será? - Pergunto em dúvida.

- Agora! - Ela me dá o telefone e eu disco até ele.

Eu convidei Yeon Suk para a festa e ele topou. Quando o dia da festa chegou ele deu um show, bem parecido com o dia da minha festa de dezoito anos, e depois nós conversamos um pouco e acabamos dando uns beijos ali mesmo. Eu tenho que dizer que estava sentindo falta de um romance... Normal, na minha vida. Sem a adrenalina, os encontros escondidos e as forças que usava pra disfarçar em público o que sentia. Era bom poder ser transparente para todo mundo.

Eu continuei saindo com Yeon Suk por mais uns quatro meses até que decidimos firmar um namoro sério, com direito a status de relacionamento em rede social, mãos dadas na rua, saideira com meus amigos, conhecer meu pai e até Yoongi, o que eu tenho que dizer, foi um completo desastre, porque Yoongi nunca vai conseguir mudar o seu jeito de ser possessivo comigo.

Pouco tempo depois de ter assumido meu relacionamento com Yeon Suk, eu esbarrei com Taehyung no meio da noite, quando ele tinha ido dormir na minha casa.

- Desculpa. - Ele falou com vergonha depois de nós dois termos colidido, e não da maneira que costumava ser.

- Por nada. - Passo por ele para pegar um copo de água.

- Como anda o namoro? - Ele pergunta enquanto eu encosto-me à mesa.

Em pensar que a ultima vez que estive sozinha com ele, Taehyung estava partindo meu coração em dois.

- Vai bem, na verdade. - Digo um pouco tímida.

- Eu estou feliz por você. - Ele fala tomando o ultimo gole de água que tinha em seu copo.

Eu o encaro por alguns segundos. Não é como se eu ainda gostasse dele, mas é como se eu sentisse um extremo carinho por tudo que tinha passado com ele, como tinha vivido e sentido.

- Obrigado Taehyung. - Digo da forma mais sincera que pude dizer. Realmente significava muito que Taehyung não guardasse nenhum sentimento ruim, em relação a mim.

Ele sorriu de lado e depois subiu para o quarto de Yoongi. Eu não permito que meu pensamento viaje para como as coisas costumavam ser oito meses atrás. Tomo a minha água e depois volto a dormir.

Taehyung também começou a namorar depois de algum tempo. A namorada dele até foi na minha casa. Era uma ruiva bonita, magra, com os cabelos médios, eu busquei ser simpática com ela todas as vezes que ela foi almoçar com Taehyung e Yoongi, não só por ser uma visita do meu irmão, mas porque era uma prova de fogo para mim.

Do mesmo jeito que eu nunca contei a Yeon Suk sobre Taehyung aposto que ele nunca tinha contado sobre mim para ela. E nesse ponto da história, nós dois tínhamos seguidos em frente, com relacionamentos completamente normais, onde podíamos compartilhar com o mundo e com verdade sobre como estávamos felizes com os nossos companheiros. E eu realmente gostava do meu companheiro.

Minha felicidade com Yeon Suk, no entanto, durou até o final do meu segundo ano da faculdade. Namorei com Yeon Suk por quase dois anos, mas depois a gente resolveu terminar, porque caímos na rotina, éramos mais amigos, a excitação tinha ido embora e as brigas estavam ficando frequentes. Ou seja, estava chato. O término com ele foi bem diferente do meu término com Taehyung. Nós dois conversamos no meu quarto, fomos sinceros um com o outro, nos abraçamos, falamos que íamos ser amigos e depois cada um seguiu para o seu lado.

Eu e Camila aproveitamos para conhecer várias baladas na cidade, nos jogávamos nas pistas de dança nos fins de semanas e sempre beijávamos alguns meninos bem bonitos.

A coisa engraçada sobre eu estar solteira é que aparentemente incomodou uma pessoa.

- Se eu te contar uma coisa engraçada, você não vai ficar zoando? - Yoongi sentou ao meu lado no sofá da sala enfiando a mão na minha bacia de pipoca.

- Depende. Não posso prometer nada. - Digo dando de ombros, prestando atenção no meu filme.

- Samantha está surtando porque você está solteira. - Yoongi diz depois de pausar o filme que eu estava assistindo.

- O que? Quem? - Pergunto confusa.

- A namorada do Taehyung.

Engasgo com a pipoca que tinha acabado de colocar na boca.

- Por quê? - Pergunto sem entender.

- Ela morre de ciúmes de você. Acha que você é muito bonita e tal e como Taehyung vive aqui, é meio automático – Ele dá de ombros.

- Ai meu pai do céu. - Digo a ele sem acreditar agora encarando a minha frente.

- Agora ela descobriu que você está solteira e está pedindo para ele parar de vir aqui.

Se ela soubesse da metade, penso comigo mesma.

- E ele vai obedecer?

- Ah, claro. Parece que não conhece Taehyung. - Yoongi diz comendo minha pipoca.

- E não conheço - Digo para ele. Apesar de imaginar que ele não obedeceria, eu não faço ideia de como Taehyung é agora. Desde que acabamos com o que tínhamos, não tivemos uma conversa pessoal, se quer. - E tira a mão da minha pipoca.

Yoongi ri.

- Só pra você saber... Você já foi muito motivo de DR entre eles.

- Eu? Como alguém pode se quer pensar isso? - Pergunto enquanto Yoongi se levanta.

- Bom... eu já pensei. - Ele falou e deu as costas, deixando no ar.

Volto a assistir o meu filme e comer a minha pipoca. Dou risada comigo mesma por se quer imaginar a situação e a saia justa que Taehyung deve ficar. E fico um pouco aliviada de Yoongi nem se quer desconfiar dessa história de novo. O tempo foi passando, a gente foi parando de brigar e nossa relação ficou melhor. Eu quase gosto de ter ele como irmão.

Nessa época, eu estava muito focada na faculdade de medicina veterinária. Nem dá para acreditar, mas Hyunjin entrou no mesmo curso, um ano depois. Devido a tantos eventos da ONG "Adote uma vida" que ele participou, acabou amando os animais tanto quanto eu. Mais tarde, eu e Hyunjin iriamos abrir uma clínica juntos e como eu sempre imaginava, fazer atendimento voluntário uma vez na semana. Nós até abraçamos o vegetarianismo na nossa vida e nos engajamos na causa animal.

Camila entrou para o Jornalismo, mas nós três éramos da mesma faculdade e nunca perdemos o contato diário. Erámos um tríplice.

Taehyung terminou o seu namoro com a ruiva ciumenta e começou a dividir um apartamento com Yoongi, que vivia sendo multado pelo barulho das festinhas que eles faziam. Os dois moravam com Yeontan, que tinha virado um cachorro grande, preto, lindo e manhoso e que graças a amizade de Taehyung e Yoongi, eu pude acompanhar de perto o crescimento. A casa era só minha e do meu pai, que começou a namorar uma companheira de trabalho.

Sra. Kim Lia. Ela tem uns três filhos pequenos e era uma mãezona. Passou no teste para ser namorada do meu pai. E ele passava muito tempo na casa dela, o que fazia de mim, a principal responsável pela cobertura. Eu acabava levando de vez em quando uns namoradinhos para lá, mas não conseguia namorar por conta da faculdade.

Já Hyunjin, se apaixonou por um estudante de Engenharia, o Jung Moon. Os dois ficaram juntos por um ano e meio até que noivaram e decidiram se casar. A festa de casamento foi na minha casa, no ano que ia me formar, e no dia seguinte eles iam para uma Lua de Mel em Cancún. O sonho da minha vida, posso dizer. Era o casal mais apaixonado que eu já tinha visto ao vivo.

Mas aquela noite foi marcada não só apenas pelo casamento, mas também por um acontecimento histórico na vida da Camila que tinha desaparecido no meio da noite.

- O que aconteceu com você? - Perguntei a ela quando ela apareceu no meu quarto, com o cabelo um pouco desgrenhado e as roupas amassadas.

- Eu estava realizando o sonho da minha vida. - Ela fala sorrindo de uma forma completamente boba.

- Qual sonho? - Pergunto confusa sentada na minha cama, tirando os grampos do cabelo.

- Olha para o meu estado e pensa qual o sonho que eu estou falando que tem a ver com você e essa casa. - Ela fala rindo para mim.

Depois de eu pensar um pouco enquanto examinava a expressão dela, eu simplesmente me recusei a acreditar.

- Sem chance. - Digo a ela sorrindo.

- O que? - Ela sorri duas vezes mais.

- Você não...

- Sim...

- Camila, não tem graça.

- Sim, S/n, eu trepei com o seu irmão, na dispensa! - Ela fala como se fosse um motivo para se orgulhar.

- Eu não acredito nisso. - Eu digo a ela realmente desacreditando.

- Você quer detalhes? Quer que eu diga quais os sinais que ele tem? - Ela fala sorrindo.

- Por favor, me poupe dos detalhes! – Aviso tapando os ouvidos.

- Mas S/n, ele é tão gostoso! Muito mais do que nos sonhos que eu tive.

Eu afundo a minha cabeça no travesseiro e começo a cantar a musica dos elefantinhos, tentando evitar ouvir qualquer detalhe sobre o membro de Yoongi. E para a infelicidade de Camila, ele não quis ficar no replay da aventura na dispensa com ela, o que a chateou no inicio, mas depois ela viu pelo lado bom, em que poderia colocar Yoongi na lista dos “caras que ela tinha cavalgado”, IUPI!!!

E sim, Camila realmente tinha essa lista.

Quase cinco anos depois de toda aquela relação com Taehyung, ele e Yoongi estavam prestes a abrir um negócio. Taehyung estava certo, Yoongi estava na sua vida em todos os passos que ele daria.

Olhar no ângulo que estou agora faz parecer toda a angústia de ter terminado com ele, boba demais.

No dia da inauguração do escritório de advocacia dos dois, eu o abracei pela primeira vez desde quando tínhamos algo, e me senti muito bem quando não senti nada, só, carinho.

A comemoração foi na chácara do meu pai, onde tudo tinha começado. Os flashbacks dessa vez eram mais gostosos de lembrar. Como se tivesse sido uma época muito boa e muito distante. Uma aventura vivida.

***

Em um dia ensolarado, na beira da piscina, Taehyung se aproximou de mim e ficou parado por alguns segundos.

- Você quer alguma coisa? - Eu pergunto, já que estava do lado das bebidas.

- Não. Estou de boa. - Ele fala. - Você acredita que só descobri hoje que Yoongi e Camila fizeram uma festa particular no casamento de Hyunjin? - Ele pergunta.

Eu comecei a rir.

- Sério? Bom, eu fiquei sabendo naquela noite mesmo. Não perco a oportunidade de jogar uma indireta para o Yoongi. 'Pede para Camila', 'Pergunta para a Camila', 'Vai lá na dispensa com a Camila'? - Ele pergunta.

- Tipo isso. - Digo sorrindo para ele. - Meio irônico né? - Digo fazendo menção ao que tivemos pela primeira vez.

- Definitivamente.

Ele me encara por alguns segundos. Eu olho para ele de volta.

Taehyung tinha ficado mais bonito. O tempo realmente tinha feito muito bem para ele. Ele tinha feito mais tatuagens no seu braço de vários desenhos mais elaborados que a tribal que eu vivia admirando. Ele também estava mais forte, seu cabelo um pouco maior, mas sua feição, rosto, olhar e sorriso não tinham mudado.

Continuava tão lindo quanto antes. Eu tentava não observar isso para não ter uma recaída e viver de um amor platônico, mas acho que posso fazer isso agora.

- Bonita a sua tatuagem. - Ele comenta sorrindo.

Eu sorrio de volta. Eu sei que ele sabe o significado.

- Representa uma mudança na minha vida. Algo que me fez feliz. - Falo para ele sem vergonha nenhuma.

Ele sorri para mim de uma forma charmosa.

- Eu achei que não tinha como você ficar mais corajosa. - Ele falou me encarando.

Sorrio para ele de volta em uma forma de agradecimento. Ele me encara por mais alguns segundos. Ele me olhar daquele jeito me leva para uma viagem no tempo onde eu me lembro de tudo.

Onde eu me lembro do sentimento que eu tinha.

- Sabe... eu nunca senti com mais ninguém o que eu senti com você. - Falo mais baixo observando ele receber a mensagem, eu sei que ele gostou de ouvir. - Você me fez tão bem. - Repito a frase que disse quando terminamos tudo, mas dessa vez sem lamentações, apenas agradecendo com sinceridade por ele ter um efeito tão bom em mim.

- Eu não posso ter uma recaída, S/n. - Ele me avisa em tom de brincadeira.

- E eu não estou pedindo isso. Nem quero. – Aviso.

- Sério? Por quê? - Ele pergunta com um pouco de decepção na voz.

- Porque se apaixonar por você foi fácil, Taehyung. Difícil foi superar. - Confesso isso a ele pela primeira vez.

Ele me encara por alguns segundos e parece que a recaída o acertou de vez, mas então o nosso ponto de equilíbrio aparece.

- Taehyung me ajuda a levar isso para a dispensa. - Yoongi pede com as caixas de cerveja na mão.

- Camila não pode ajudar? - Taehyung brinca.

Camila joga agua dá piscina nele e eu dou risada. Ele me lança um sorriso e vai até Yoongi.

Eu o observo. Observo do mesmo jeito que o observei quase cinco anos atrás nessa mesma casa. Seria diferente se eu tivesse me envolvido com ele agora? Se eu tivesse arrastado ele para o casebre de noite, hoje, e ficado com ele? Yoongi ia se importar tanto, quanto se importava quando eu tinha dezessete anos? Ele ficaria no nosso caminho agora?

Eu me odeio por estar me fazendo essas perguntas, porque a minha maior vontade é saber as respostas. Mas se eu não tiver coragem para buscar elas, eu sei que vou ficar bem. Com minha vida, meus melhores amigos, minha profissão, meus namoros casuais até achar um amor certo, minhas lutas pelas causas que eu acredito. E se eu buscar respostas e tudo for diferente do final que tivemos um dia, eu vou ficar bem com o cara mais importante que passou pela minha vida. Mas também se a história se repetir ou eu simplesmente quebrar minha cara, eu vou ficar bem, do mesmo jeito que fiquei quatro anos atrás.

Ao contrário das opções que eu tinha no passado, entre mentir, terminar ou magoar meu irmão, eu estou completamente tranquila em relação às opções que tenho agora. O que o Universo trazer para a minha vida eu estou aceitando, porque dessa vez, eu sei bem o resultado. E seja o que for que aconteça como de costume eu vou viver intensamente cada segundo da experiência, porque corações não ficam partidos para sempre. O que fica para sempre, são as lembranças dos momentos inesquecíveis que vivemos.



FIM...





Notas Finais


ASSIM CHEGAMOS AO FIM DESSA FANFIC, MUITO OBRIGADA A TODOS ❤ AMO MUITO VOCÊS...

SINTO MUITO E PEÇO DESCULPAS SE ALGUÉM NÃO GOSTOU DESSE FINAL ......


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...