1. Spirit Fanfics >
  2. My Bunny - JungKook >
  3. Amor de irmão

História My Bunny - JungKook - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


|• Oi, dengos.

Voltei!

Já aviso que, amanhã minhas aulas começam, e será a tarde, e toda terça e quinta eu terei curso, então a coisa vai ficar apertada pra mim, e será bem difícil pra eu atualizar minhas fics.
Espero que me compreendam!


Boa leitura.

Capítulo 34 - Amor de irmão


Fanfic / Fanfiction My Bunny - JungKook - Capítulo 34 - Amor de irmão

— Oi, Yoon — Sorriu. 


— Podem entrar — Sohyun os deu espaço para entrar. 


Os dois agradeceram, adentrando a sala. 


— Cuidou bem do meu irmãozinho, Sohyun? 


— Com toda certeza, Taehyung! Ele está novinho em folha. 


— Perfeito — Sorriu e foi até o irmão, logo notando a presença do ex-namorado do mesmo. 


Ao ver Jimin, Taehyung ficou surpreso, e foi até o ruivo, o abraçando. 


— Eu não sabia que ainda morava aqui, Jimin! 


— Pois é, ainda moro — Sorriu — Você cresceu bastante! Já está maior que eu. Isso não é justo! 


Taehyung riu, se afastando de Jimin. 


— Vocês são amigos de novo? — Sussurrou. 


— Mais ou menos — O ruivo confirmou sorrindo — Bem, eu tenho que ir agora. Creio que vocês têm que conversar a sós. 


— Ah, mas já? Eu acabei de chegar. 


— Outro dia eu te visito, e a gente coloca o papo em dia, tudo bem? 


Entristecido, o mais novo assentiu. 


Jimin se despediu dos garotos, até mesmo Jungkook, que nem conhecia, e logo foi até Sohyun. 


— Tchau, minha lindinha! Se cuida, viu? 


— Tchau, Chim. Você também! — Colocou a toca na cabeça do mais velho, escondendo suas orelhinhas felinas — Tome cuidado, não deixe que ninguém te descubra. Não quero que você se machuque! 


Com um beijo na bochecha, Sohyun se despediu do ruivo, sem ao menos notar que o Min os olhava, com uma pitada de ciúmes, o que não passou despercebido pelo irmão. 


Após a saída de Jimin, Seokjin chamou Jungkook para conversar, para assim dar privacidade aos irmãos, enquanto isso, Sohyun se dirigiu ao seu quarto, deixando os dois sozinhos na sala. 


— Eu notei algo diferente em você, Yoongi. 


— Hum? Tá falando do que? — Fitou o irmão. 


— Você ficou com ciúmes quando a Sohyun estava perto do Jimin, não foi? Ainda gosta do Jimin? 


— Que? Não. Meu sentimento pelo Jimin já não são mais os mesmos, aos poucos estão diminuindo. 


— E o seu olhar de ciúmes, hum? O que você me explica? 


— Não foi pra ele. 


O Kim arregalou os olhos, logo abrindo um enorme sorriso. 


— Ah, seu danadinho! Você está apaixonado pela Sohyun, não é? 


Yoongi sorriu tímido, e assentiu com as bochechas vermelhas. 


— Wah! O Hyung está apaixonado mesmo — Sorriu apertando as bochechas do irmão mais velho — Ei, você não vai me abandonar de novo, né? Como fez quando estava com a sua antiga dona. 


— Não, Tae. Eu não vou! 


— Promete? 


— Prometo. 


Taehyung abraçou o irmão, deitando a cabeça em seu peito. 


— Desculpa não ter te dado atenção desde que saímos de lá. De certa forma, eu acabei ficando magoado com tudo que aconteceu. 


— Tudo bem, eu te dou completa razão. Minhas atitudes eram horríveis, ainda mais por eu estar sendo movido pelos ciúmes e a inveja. Mas saiba que, mesmo quando eu estava lá, eu não esquecia de você.


— Eu sei. Você sempre me levava comida quando podia, mas eu não queria, porque acabava ficando com raiva da sua bipolaridade. Só que, no final, eu sempre comia. 


Yoongi suspirou. 


— Se eu pudesse, eu mudava tudo, e te daria uma vida melhor. 


— Seria impossível, Yoongi. A gente nunca ia conseguir viver em paz. 


— É — Concordou — Seria até pior se eu te levasse pra morar comigo, pode ser que ela acabasse batendo em você também. 


— O que? — Se levantou, encarando o irmão — Do que tá falando? 


— Hum? Nada não. Deixa isso pra lá! — Engoliu a seco. 


— Eles te batiam lá, Yoongi? Era por isso que você não me levava lá? Pra eu não ver eles te baterem? Pra eu não apanhar também? Min Yoongi, me responde! 


— Não é nada disso, Taehyung! Eu não apanhava não. 


Taehyung o encarou


— Então era por isso que as vezes você aparecia marcado, não é? Era por isso. Por que você não fugiu de lá de vez, Yoongi? Por que não voltou pra casa? 


— Taehyung.. 


— Me responde logo, não adianta negar. 


— Porque eu não queria passar fome, Taehyung! — O olhou no fundo dos olhos — Eu queria garantir que você e eu teríamos algo pra comer, mesmo que fosse pouco. Você acha mesmo que eu levava a comida assim, atoa? Eu tinha que roubar, pois ela não deixava pegar nada sem permissão, e nem levar nada pra outros híbridos. E era por isso que ela me batia, mas pra mim tava tudo bem, Taehyung. Não tinha problema! 


— Yoongi... Yoongi, você não precisava passar por isso! Era só você voltar pra casa, que a gente arranjava comida em outro lugar. 


— Não dava! Eu não queria voltar pra lá, porque ainda estava com raiva. Meu coração ainda não aceitava a rejeição. Você não sabe que eu era cabeça dura? E eu sabia que se voltasse, você iria acabar brigando comigo, como no dia que eu fui te ver e você estava com o Jungkook.


— Aish, descul- 


— Ei, pode parar, porque não é culpa sua! — Abraçou o irmão — Eu que fui burro, e nunca tive a sorte de encontrar alguém legal de verdade pra cuidar de mim, e de você também. Mas eu fico feliz que você tenha conseguido alguém que cuide de você de verdade, e um irmão que pode fazer tudo que eu não pude. E ele estará como você sempre. — Acariciou os cabelos do garoto. 


— O Jungkook tá se tornando como um irmão pra mim, mas ninguém nunca vai te substituir. Você é o meu verdadeiro irmão, mesmo que tenha errado. Eu sinto muito que a gente esteja afastado, mas eu te quero comigo, Yoongi! Por favor, não vá pra longe de mim. 


— Eu não disse que iria. 


— Mas pelas suas palavras, está dando a entender que sim. Poxa, você já ficou tanto tempo inseguro e com um rancor no peito. E não foi culpa sua, aquilo que tava te fazendo mal e você descontando, pois era o seu jeito de se aliviar, mas você mudou! 


— Tae, a gente já conversou sobre isso antes. Você sabe que se eu for pra algum lugar longe, não vou deixar de me comunicar com você! 


— Mas eu não quero que vá! Se você for, eu... Vou ficar com raiva de você pro resto da vida — Fez bico. 


— Você não é tão ruim assim — O fitou nos olhos, e sorriu, os vendo brilhar, logo dando um selar na bochecha do irmão — Eu amo você, pequeno. Durante muitos anos eu achei que você tinha surgido pra tomar o meu lugar, mas você veio foi pra tomar o meu coração. Você é o melhor irmãozinho que eu poderia ter. 


— Guinho.. Eu te amo também! — Apertou o mais velho em seus braços — Se você for embora, eu quero ir junto com você. 


— Hey, mas e as pessoas que te acolheram? Você vai deixa-las? 


— Não. Eu iria manter comunicação! 


— Mesmo assim! 


— Viu? Se você for, estará me deixando, então. 


Yoongi riu do irmão. 


— Você é muito espertinho — Se ajeitou no sofá — Você está muito bem vestido. Acho esse estilo perfeito pra você! 


— Você também. A Sohyun tá cuidando direitinho de você? Ela não quer te roubar de mim não, né? 


— Ela jamais faria isso, pequeno. 


— Eu sou maior que você, sabia? 


— Xiu, eu sou mais velho! 


— Chato — Mostra a língua pro irmão, que retribui o ato. 


— Você parece uma criança. 


— Pareço nada, eu sou um adulto! 


— Um adulto virgem. 


— Você também é! 


— ... 


— Queeee? Como assim, Yoongi? Você não é virgem não? — Arregalou os olhos — Perdeu com quem, ein? Quem tirou a sua honra? 


— Ei, eu ainda sou honrado! E tu não precisa saber. 


— Fala logo! 


— A minha primeira vez de todas foi com o Jimin. Já com uma mulher.. Eu não me lembro! 


— Fala sério! — Encarou o irmão. 


— É sério, bobo! Agora vamos deixar de falar disso, é esquisito, e você ainda é um bebê. 


— Não sou não! Sabia que eu sei caçar sozinho? 


— Caçar? — Gargalhou — E o que o gatinho caçou? 


— Eu já cacei um montão de peixe. E bolo! Cacei muito bolo. 


— Você não caçava, os humanos que te davam! 


— Calado. Esse era o meu jeito de caçar! Aposto que nunca caçou num rio antes. 


— Já cacei sim. Não se lembra do peixe grandão que levei pra nossa casa? Era ele. 


— Mas não foi na sua forma animal! 


— Mesmo assim, eu que cacei. 


— Chato — Fez bico. 


— Birrento. 


— Insuportável! 


— Criança! 


— Branquelo! 


— Bebêzinho! 


— Eu vou te socar, Min! 


— Soca, então! 


Taehyung o encarou e fez um carinho no braço do irmão. 


— Que soco diferente! — Debochou. 


— Me deixa, Yoonie.


Yoongi riu mais uma vez, olhando pela janela. 


— Tá ficando tarde, você tem que ir. Não pode sair de noite! 


— Por que não vai pra lá? Queria ficar com você. 


— Creio que a Yumi ainda não vá com a minha cara, então é melhor não. Outro dia você pode vir pra cá. Eu só tenho que falar com o Jin, e pedir permissão. 


— Você não precisa da minha permissão. Agora também mora aqui, não? 


Yoongi olhou para o mais velho, que tinha recém chegado na sala. 


— Ainda me sinto como um hóspede, que deve respeitar as regras. 


— Poxa, não estamos te tratando bem? — O olhou decepcionado. 


— Hum? Não, não é isso. Eu só não me acho nesse direito. 


— Você já é praticamente da família, não é? — O olhou no fundo dos olhos, fazendo o Min engolir a seco com sua indireta — Você já tem direitos aqui. Afinal, já te considero um amigo. 


— Cagão — Tae sussurrou para o irmão, debochando do mesmo. 


— Vamos, Tae? Já tá na nossa hora — Jungkook chamou o amigo, que se levantou junto ao irmão. 


— Vamos. 


— Querem que eu acompanhe vocês? — Jin se prontificou. 


— Hmm, é melhor não. A gente não quer incomodar! 


Seokjin revirou os olhos. 


— Vou ligar o carro, se dispessam aí! — Se dirigiu a garagem. 



Os irmãos se despediram, e Taehyung foi a procura da futura cunhada, deixando Jungkook a sós com seu irmão. 


— O que quis dizer na ligação? 


— Hm? — O observou. 


Jungkook suspirou aflito


— Olha, eu admito que minhas impressões sobre você eram ruins, mas depois eu pude analisar tudo com clareza, e notei que você não é exatamente como imaginei. Você não é uma pessoa ruim! Eu tenho certeza de que merece uma chance, e ninguém pode te dar ela, além de você! 


Yoongi suspirou, se aproximando do moreno. 


— Desculpa pelo que aconteceu na primeira vez que a gente se viu. Eu juro que não queria te dar essa imagem de mim. Eu fui um babaca, e prometo consertar isso, mas não posso jurar que estarei sempre perto do meu irmão, pois tenho medo de uma hora ou outra fazer mal a ele, eu não confio em mim, então preciso que cuide dele. O Taehyung ainda é muito inocente pra esse mundo, e não sabe lidar com muita coisa. 


— Eu sei. Me desculpa também, mas eu fiquei com raiva das suas atitudes, e parti logo pra agressão — Estendeu a mão para o loiro — Amigos? 


— Amigos — Sorriu apertando a mão do moreno. 


Segundos depois o aperto de mãos, Taehyung surge junto a Sohyun, que se despede do moreno. 


Depois de mais um longo abraço, e uma tentativa falha de levar o irmão, Taehyung sai com o amigo. 


— Ele é adorável! — Sohyun sorriu. 


— Eu sei. Mas pode ser assustador quando está bravo! 


— Você também. 


— Me acha assustador? — Riu. 


— Na verdade, nem tanto. Você tá mais pra um gatinho medroso — Acariciou o rosto do garoto, partindo para suas orelhinhas felinas. 


— Gatinho medroso? — Mordeu os lábios, sorrindo com a provocação — Você quer ver mais desse gatinho medroso? 


— Talvez, Min. Você poderia me mostra-lo? — Acariciou os ombros do maior, dando pequenos beijinhos em seu maxilar. 


— Com toda certeza. 


Notas Finais


Querem hot no próximo capítulo?
U.u


Até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...