História My Bunny (Jeon Jungkook) REESCRITA. - Capítulo 4


Escrita por: e Sun_Sophii

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 85
Palavras 1.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! ^-^

Capítulo 4 - Capitulo TRÊS.



A menina ainda estava um tanto apreensiva ao quando deixar Jimin perto de Sr. Bunny.

Afinal, quem poderia saber do que o Coelho era capaz?

Os dias foram se passando, S/n e Jimin, estavam ficando cada dia mais proximos. A menina estava feliz por finalmente ter um novo amigo além de seu amado Coelho.

Era véspera do aniversário da garota, a mesma odiava  seu aniversário, aquele dia a deixava triste. Apenas ela a Babá e Coelhinho sabiam o motivo.

A garota se encontrava agora brincando com seu novo amigo no quintal, pois havia recebido ordens de seu Coelho para não brincar mais com Jimin em seu quarto.

– Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez. – ela respirou. – Lá vou eu!

Procurou o menino por alguns arbustos que tinha ali perto, e logo viu um vulto de trás de umas das árvores bem no fundo do quintal, onde ela e Jeon costumavam a brincar.

A menina sorriu divertida ao pensar que achou o garoto, e correu até a árvore.

– Te achei, há- – a menina cortou o sorriso ao perceber quem realmente era. – Coelhinho?

O Coelho sorriu perverso e logo puxou a garota para perto do seu corpo.

– Vejo que está seguindo minhas ordens. – disse e acariciou o rosto da menina.

– Estou sim, Coelhinho. – sorriu doce.

– É bom mesmo, assim será recompensada.

– Com o qu-

– Me salvei!  – Jimin gritou de longe, fazendo a garota dar um breve pulo.

Olhou para o lado a procura do seu Coelho mas ele não estava mais ali, pelo menos não na forma humana, e sim, uma pelúcia no chão.

Ela pegou o Coelho nos braços e foi até Jimin sorrindo.

– Ya! Você venceu.

– De onde esse Coelho veio? – disse apontando para a pelúcia.

A garota engoliu seco antes que inventar alguma coisa, nunca fora boa em mentir.

– Hãn... Eu trouxe ele pra cá ontem, e acabei o esquecendo aqui. – deu uma risada sem graça.

– Ah sim! Hihih – os olhinhos do garoto de transformaram em linhas depois de um riso sincero, o que fez imediatamente o nervosismo da menina ir embora.


...


– Omma, o que é o jantar? – o garoto pulou animado por estar faminto.

A mãe do menino riu e serviu o jantar vendo o grande sorriso de Jimin.

– O que foi isso no seu braço, Jiminnie?

– O Coelho da S/n me mordeu, omma. – por um momento menina quis adesivar o boca do garoto, sua babá não podia saber que ela falava com seu coelhinho de pelúcia que se transformou em gente.

– Então o Sr. Bunny lhe mordeu? – a Babá sorriu divertida. Nesse momento a menina agradeceu por sua babá ter senso de humor.

– Sim, omma.

– Vejo que está curando, quem fez esse curativo tão bem feito? – a babá disse olhando a garota que corou.

O menino sorriu doce e disse.

– Foi a S/n omma, ela faz isso muito bem!


...


Não se passou muito tempo desde de que e o jantar a acabou, a menina estava em seu quarto, enquanto o menino estaca a tomar banho.

S/n pensava em como seria mais um de seus aniversários no dia seguinte, e automáticamente escorreu uma lágrimas por suas bochechas ao lembrar do motivo de odiar tanto o dia de seus aniversários.



– Omma! Por que não podem ir buscar o bolo agora? – era aniversário da menina, a mesma estava muito animada, pois a menina adorava comemorar junto ao seus pais.

– Filha, está o maior temporal lá fora, quando passar, nós prometemos que vamos busca-lo tudo bem?

– Okay, omma.

– S/n?! Estavamos indo buscar o bolo, a chuva já diminuiu. Logo nós voltamos!

– Okay, Omma! Voltem logo. – a menina depositou um beijo na bochecha dos dois.

Enquanto esperava ansiosamente a menina resolveu assistir um dorama para se distrair um pouco.

Achou estranho que após assistir dois episódios de meia hora cada. Estava começando a ficar nervosa, a garota pensava se tinha acontecido algo com seus pais.

A menina se aliviou após escutar o som da companhia, ficou tão feliz que não percebeu que se fosse realmente seus pais, eles não teriam tocado a companhia, pois tinham levado as chaves de casa antes de sair.

S/n abriu as portas de casa e se decepcionou ao ver um policial ali na sua porta.

– Você é S/n S/s? – perguntou o polícial e a menina ficou um tempo calada.

– Sim. – gaguejou a menina, nervosa.

– Eu sinto muito, Sr. S/s. – a menina não atendeu as palavras do policial. – Seus pais sofreram um acidente de carro. – o ar da menina faltou e ela sentiu uma dor inexplicável no peito. – E infelizmente não resistiram aos ferimentos e morreram a caminho do hospital.

O policial tinha a voz calma, como se ele entendesse o que a garota esta a passar.

Dali em diante, Min, passou a ser sua segunda mãe. Sua tia, Lee, vinha visita-la todo natal, pois nos outros dias do ano, Lee estava sempre ocupada com o trabalho.

A garota era muito agradecida a Min e Lee, por serem presentes em sua vida. Mas, aquilo não cobria a falta que a garota tinha dos seus pais.



– S/n? Por que está chorando? Você está bem? – Jimin sentou ao lado da garota.

– Sim, Jimin, estou bem. Estava apenas lembrando dos meus pais. – fungou.

– Eles foram para o céu? – de alguma forma, aquelas palavras aliviaram a garota, por pensar que eles estariam em um lugar melhor, já que eram ótimos pais.

– Sim, Jiminnie, eles estão.



...


Já era por volta de duas horas da manhã, a menina acordou com extrema cede, então resolveu ir até a cozinha.

Desceu da cama alta devagar, para assim, não acordar o garota que estava dormindo não muito longe. Desceu as escadas com cuidado e fui até a cozinha.

– Ainda acordada, garotinha? – assustou-se ao ouvir a voz de Coelhinho tão perto de si.

– Estava com cede, Coelhinho. – ela se virou até ele e sorriu.

– Amanhã é seu aniversário, não é garotinha? – ele se aproximou e sussurou no ouvido da garota.

– Sim, Coelhinho. – suspirou nervosa com as sensações que Jeon a causava.

– Terá um presente meu... – apertou a cintura da menina forte, que arfou fechando os olhos em resposta, nisso, o coelho sumiu.

A garota sem saber o porque, estremeceu com as palavras do Coelho, e quando tentou dormir, conseguia apenas pensar no que seria o presente que seu amado Coelhinho iria dar.



Notas Finais


Espero que tenham gostado do cap!

Gente eu não posso prometer que a fanfic irá ficar igual a primeira versão, okay? Por motivos de nem eu e nem a co-autora lembrarmos de muitos detalhes da fanfic, então ela irá ficar um pouco diferente, mas, irá seguir o mesmo enrredo. (Eu acho)

Comentem o que acharam, se você conhece alguém que gostava desta fic, avise que eu estou a reescrevendo ^-^ @Rabbit__ @Sun_Sophii

Beijos, amo todos vocês! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...