História My Challenge - Vkook ABO - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jungkook, Kim Taehyung, Namjin, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 978
Palavras 2.100
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AVISO: Capítulo +18

Boa Leitura! ^^

Capítulo 30 - - Twenty-Nine -


Fanfic / Fanfiction My Challenge - Vkook ABO - Capítulo 30 - - Twenty-Nine -

"Eu me comprometo a ajudá-lo a amar a vida, a sempre abraçá-lo com ternura, e ter a paciência que o amor exige. Para falar quando palavras forem necessárias, e compartilhar o silêncio quando não forem. E viver no calor do seu coração, sempre chamar de lar." Para Sempre

Jungkook P.O.V’s

     Antes de adormecermos, deixei o celular para despertar cerca de duas horas antes de irmos para o aeroporto. Teríamos pouco mais de quatro horas para descansar e tirar toda a tensão em nossos corpos. Sabia que meu pequeno deveria estar casado ao extremo, estresses e ansiedade nos deixam realmente exaustos, por isso viemos antes da festa terminar. O casamento foi perfeito, ninguém ousou tirar nossa felicidade, e ouso dizer que sim, foi algo predestinado.

     Quando despertei com o toque alto, me deparei com Taehyung dormindo tranquilamente agarrado ao meu corpo, sua pele estava um pouco quente, então presumi que fosse algo de seu heat, e sim isso me deixou feliz, pois irei marcá-lo antes do previsto. Dizer finalmente meu, de corpo, alma e coração. Amei esse garoto desde o primeiro olhar, e o amarei até meu último suspiros, desconfio até que em nas outras vidas que vierem. Estava ali, em meus braços aquele que escolhi para formar uma família, para me dar os filhos e me fazer feliz, assim como o farei o ômega mais feliz neste planeta.

     -Tae! -Chamei baixinho, ouvindo ele murmurar manhoso. -Está na hora de levantar, amor.

     -Estou cansado, Jungkookie! -Senti seus braços se apertarem um pouco mais em volta de meu corpo.

     -Se não quiser ir para lua-de-mel por mim tudo bem. -Brinquei, vendo ele arregalar os olhos em seguida. -Olá, anjo!

     -Já está na hora de irmos? -Apenas acenei, deixando um beijo em sua testa. -Meu corpo ainda dói. Acho que meu heat está próximo.

     -Tenho certeza. Com tantas coisas para se preocupar, possivelmente nos esquecemos da data. -Puxei sua mão onde estava a aliança, deixando um beijo sobre a mesma. -Se levante, vou procurar aquele remédio para inibir seu aroma, nossa noite de núpcias será mais especial que imaginávamos. 

     O ajudei a se levantar, enquanto ele procurava roupas para se vestir, fui até o banheiro em busca do remédio. Peguei um pouco de água com o copo que sempre fica ali, e levei a medicação até meu ômega, o encontrando dormindo sentado na beira da cama. Fofa aquela imagem, e ao imaginar que o verei assim todos os dias, me deixa feliz como nunca estive antes. Após medicá-lo, o carreguei até o banheiro, talvez um banho morno seja o suficiente para espantar essa preguiça.

     Cuidando dele como um bebê, ficamos alguns minutos embaixo da água. Foram cerca de pouco mais de meia-hora para nos arrumarmos, Yeontan já estava com minha irmã, só peço aos céus para encontrar nosso bebê inteiro quando voltarmos para casa. O táxi não demorou a aparecer, decidi deixar o carro em casa, seria mais cômodo do que me preocupar com o veículo em um estacionamento qualquer. Taehyung parecia mais animado, até mesmo enfrentou a fila do Check-in sem reclamações, talvez ainda esteja como eu, vivendo o êxtase de finalmente estarmos casados.

     O que me anima mais nesta viagem, é saber que ficaremos em uma área afastada dos outros turistas, uma praia reservada com um chalé simples para passarmos cerca de uma semana. Dias maravilhosos onde o terei apenas para mim, onde irei mimá-lo ainda mais. Pouco mais de duas hora de voo, e ainda conseguimos chegar no aeroporto local minutos antes de meia-noite. Um veículo credenciado a agencia nos levou até o chalé, e devo confessar, meus sogros acertaram na escolha, o local é incrivelmente mágico.

     Destranquei a porta, pegando Taehyung no colo para entrarmos com o pé direito. Onde se prometia ser um local simples, se tornou algo surpreendente. Uma enorme parede de vidro, possibilitava a vista para o mar, ainda havia uma pequena varanda com piscina, creio que meu sogro decidiu usar isso para concretizar ainda mais seu pedido de perdão. Coloquei o mais novo no chão para ir buscar as malas, observando quando ele caminhou até a porta de acesso a varanda, deslumbrado com o céu perfeitamente limpo, e o mar calmo como uma brisa.

     Me aproximei, o abraçando por trás, deixando uma das mãos escorregar entre os botões de sua camisa. Taehyung gemeu no meio daquele toque, e sua ação foi o bastante para despertar meu membro, nosso primeiro sexo após o casamento deve ser algo calmo, não digo pelo cansaço, digo para aproveitarmos a magia daquele momento. Observava seu reflexo no vidro, seus olhos fechados e a cabeça tombada em meu ombro, enquanto os gemidos escapavam por sua garganta, ele estava entregue, sempre esteve desde nossa primeira vez.

     Desabotoei aos poucos o botão de sua camisa, deixando aquela peça ainda em seu corpo, o empurrei em direção ao vidro, onde suas mãos espalmaram a superfície fria para lhe dar equilíbrio. Sem aviso algum, escorreguei uma das mãos para dentro de sua calça, agradecendo imensamente por ele ter optado por viajar de moletom. Seu membro também estava duro, e sua pele quente como as temperaturas de um verão rigoroso. Os gemidos manhosos e roucos escapando por sua boca, na medida em que ele se movia entre meus dedos, em busca do contato mais intenso.

     -Já está sedento, amor! A noite é nossa, devemos aproveitar. -Sussurrei próximo ao seu ouvido, e ele gemeu como resposta. -Se vire para mim, bebê!

     Ele o fez, e antes que pudesse abrir os olhos, selei seus lábios de forma ávida, cheio de luxúria e paixão. Os calçados foram chutados para longe, e suas mãos ágeis trataram de se livrar de minha camisa, mandando a peça para longe, antes que eu prensasse seu corpo contra o vidro. Seu aroma dominou o ambiente, no mesmo instante que o gemido de dor e prazer passou por sua boca, seus músculos tremeram, a temperatura de sua pele se elevou, e junto a tudo isso, senti sua lubrificação natural umedecer a boxer e a calça ainda em seu corpo. Ele estava em heat, O destino resolveu virar amigo, agradeço pelo momento certo, ainda que devo me manter atento para não quebrar o pedido que o médico fez a respeito de um novo filho.

     -Jungkookie! -Ele choramingou, se apertando em meu corpo enquanto rebolava em busca de aliviar sua dor.

     -Calma, amor! Seu alfa está aqui. -Afastei seu rosto, acariciando suas bochechas, eliminando os resquícios de lágrimas. -Vamos para o quarto, não posso fazer isso aqui.

     Sai à procura do quarto, cômodo que nem mesmo fazia ideia de onde se localizava dentro daquela pequena casa, mas por instinto não demorei a encontrar. Seu corpo depositado sobre a cama, tratei logo de me livrar de suas roupas, deixando beijos em seu abdômen, até chegar ao sem membro, duro e avermelhado, sua entrada se contraindo enquanto o líquido era expelido, fazendo também seu aroma ficar mais forte e doce. O estimulei um pouco mais usando minha boca, mas aquilo estava se tornando algo mais doloroso para ele, e não estava a fim de transformar aquilo em uma lembrança ruim.

     Tratei logo de me livrar das minhas roupas, busquei um preservativo carteira e me protegi, antes que deixasse o lado selvagem me embriagar e acabar fazendo besteira. Taehyung se contorcia sobre o colchão, em uma tentativa desesperada de se dar prazer usando as próprias mãos. Uma cena linda e quente, devo confessar. Estimulando o membro com uma das mãos, enquanto tentava penetrar sua entrada usando dois de seus dedos. O beijei mais intensamente, buscando arrancar seu fôlego em um simples gesto, o deixei ali, totalmente entregue e ainda mais sensível ao meu toque.

     -Por favor, Kookie! Por favor! -Ele choramingava, mostrando dificuldades em satisfazer a si mesmo, seu corpo já está mais que acostumado com o meu, e naquele momento, meu aroma de alfa parecia fazer sua dor aumentar.

     Sem aguentar ver seu sofrimento, o penetrei de uma só vez, segurando ambas as mãos contra o colchão, acima de sua cabeça. O ômega gemeu manhoso contra meus lábios, escorregando suas pernas pela lateral de meu corpo, até enlaçá-las em minha cintura. Depois de um tempinho sem me mover, fiz a primeira investida ainda bruta, na medida certa para fazê-lo gemer mais alto, cravando suas unhas nas costas de minhas mãos. Melhor que os sons que deixavam sua garganta, apenas sua expressão em deleite, sorrindo satisfeito a cada movimento meu.

     Me empurrei mais fundo em seu interior, vendo ele revirar os olhos e arquear as costas, sem membro prensado entre nossos abdomens, duro feito pedra, me fazendo sorrir pois essa reação em cadeia, repleta de prazer foi causada inteiramente por mim. Enquanto me movia, deixei alguns chupões em seu pescoço e peitoral, deixando sua pele clara cada vez mais marcada com meus lábios, até mesmo abusei dos beijos no local onde receberá minha marca, preparando meu psicológico para aquele momento maravilhoso que sempre lhe prometi, será como um presente para nosso casamento, soando como uma aliança que irá durar até que um de nós feche para sempre os olhos.

     Ergui meu corpo, me sentando contra a cabeceira da cama, o trazendo para meu colo, sentindo seus quadris rebolarem com certo desespero. Suas unhas cravaram em meu peitoral, deixando aquela área marcada, cada vez mais vermelha na medida em que usei a força para estocar mais forte e preciso contra sua entrada, surrando o ponto específico que fazia delirar e deixar os gritos de prazer escaparem sem pudor algum. Não precisa esconder esses sons maravilhosos, somos apenas ele e eu naquele cômodo, curtindo um ao outro sem nos preocupar com vizinhos ou curiosos.

     Taehyung estava visivelmente exausto, afetado mais que o normal por seu ciclo, e me aproveitei de tal fragilidade para provocar ainda mais seu corpo. Enquanto ele rebolava em desespero, buscando saciar-se para eliminar a dor e banhar seu corpo em prazer, levei uma das mãos ao seu membro, fazendo movimentos de cima abaixo, apertando levemente vendo ele apoiar sua cabeça em um dos meus ombros, deixando os sons ainda mais aparentes, misturados à sua respiração falha. Meus músculos começaram a se contrair, deixando meu orgasmo também mais próximo, me fazendo aumentar um pouco mais o ritmo.

     Sem ouvir seu pedido, aproveitei sua cabeça tombada para o lado, me dando livre acesso a área desejada, e ali posicionei minhas presas. Arrastei os dentes sobre sua pele macia, e na curva entre o ombro e o pescoço, o marquei enquanto o som de seu gemido tomava o quarto, e seu líquido sujava nossos abdomens. Dentro dele meu membro expelia todo o clímax dentro do preservativo. Tudo ao mesmo tempo, e a sensação de seu prazer misturado ao meu foi algo indescritível. Não sei como deixar expresso em palavras, sentir até mesmo às batidas de seu coração parece algo surreal, e o sorriso preguiçoso em seus lábios me confidenciou que eu não sou o único satisfeito no local.

     Agora eu, Jeon Jungkook, o alfa controlador e chato, posso gritar aos quatro cantos do universo que tenho o meu ômega. Taehyung é inteiramente meu, não como uma propriedade, mas como companheiro, amigo, ômega, marido, homem, o amor de minha vida. Me afastei para deixar um beijo apaixonado em seus lábios, sentindo os espasmos por conta do orgasmo. Ele desabou, deixando os braços caídos ao lado do corpo, e a cabeça apoiada em meu peitoral. A respiração tão falha quanto a minha, e os corpos banhados de suor.

     -Kook, eu sou seu agora. -Sua voz saiu abalada, e incrivelmente conseguia sentir o excesso de alegria que estava em si. -Somos um só.

     -Sempre fomos, amor! Só não podíamos confirmar ao mundo. -Deixei um beijo sobre a marca, os buraquinhos ainda sangravam um pouco, o que me fez arrepender por usar tanta força. -Está feliz?

     -Você sabe que sim. -Ele brincou e estava certo. -Jungkook, obrigado! -Aquilo foi pronunciado com seus olhos em contato com os meus. -Eu te amo.

     -Eu também amo você, Taehyung! Meu ômega. -O mais novo sorriu, juntando seus lábios aos meus. -O que acha de sexo na banheira?

     -Na piscina é melhor, Kookie! -Ele sussurrou, rebolando com meu membro ainda dentro de si. -Vamos para uma segunda rodada?

     -Ainda aguenta? -Procurei por um misto de cansaço, mas é como se a marca estivesse removido qualquer exaustão, como se ele tivesse absorvido parte da energia que também havia em meu corpo.

     -Estamos só começando. -Seus lábios se uniram aos meus, e seu membro voltou as e chocar contra meu abdômen.

     É, acho que devo procurar mais preservativos, ele tem razão. Estamos apenas começando, o inicio do nosso Felizes para sempre.


Notas Finais


Beijos e até o próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...