História My Children - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Guns N' Roses
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Personagens Originais, Slash, Steven Adler
Tags Alysson, Amelia, Axl, Colin, Duff, Izzy, Jake, Slash, Steven, Tyler
Visualizações 54
Palavras 1.865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - Thank for loving me


Fanfic / Fanfiction My Children - Capítulo 16 - Thank for loving me

POV Off

— Me larga! — Alysson falou alterada, o empurrando, mas sem sucesso.

— Cala a boca! — Falou irritado.

Alysson ia gritar, mas Tomas colocou a mão em sua boca. Os dois se assustaram quando a janela do carro foi quebrada, a porta foi aberta e Tomas foi arrancado brutalmente para fora do carro.

— Alysson? — Colin falou preocupado, entrando no carro.

— Colin... — Ela falou começando a chorar.

— Vem, eu te ajudo a sair daí. — Ele falou pegando na mão dela.

O loiro a ajudou sair do carro e quando olharam para trás, viram Tyler espancando Tomas. O garoto estava no chão e o moreno o chutava.

— Tyler, já chega! — Colin falava.

— Esse desgraçado! — Tyler continuava.

Alysson se aproximou de Tyler e o puxou pelo braço, o fazendo olhar para ela.

— Chega... — Ela falou com a voz falha por conta do choro. — Por favor.

Tyler ficou de coração partido ao ver os olhos de Alysson avermelhados. O moreno suspirou e limpou as lágrimas da garota.

— Vem, vamos te levar pra casa.

Com Amélia...

— Não vai me responder? — Ela perguntou irritada.

— Eu sabia que esse dia um dia iria chegar. — Ela suspirou.

— Que dia? — Perguntou confusa.

— O dia em que eu iria ter que te contar toda a verdade sobre a sua mãe.

— Que verdade é essa? — Perguntou com receio.

— A sua mãe não foi embora a trabalho. A sua mãe... Aquela vadia... — Ele suspirou e a encarou. — Te abandonou.

Amélia ficou sem reação na hora, ela sonhava com sua mãe, com uma mulher batalhadora, forte, que teve que seguir um caminho sem ela por não ter outra opção.

— Quando ela ficou grávida, me obrigou a ficar longe de você, disse que ia se virar. Depois que você completou seis meses, ela apareceu aqui e disse que eu deveria ficar mais com você, pois eu era seu pai. — Amélia não sabia se ficava com raiva e triste. — Ela disse que ia voltar.

— E não voltou. — A garota completou.

— Ela voltou dois meses depois perguntando se eu queria pensão. Mesmo se ela quisesse, eu não iria deixa-la te levar de volta, eu dediquei todo o meu tempo a você, desde que entrou pela primeira vez nessa casa.

Axl parou de falar e esperou uma resposta da filha, Amélia estava tão chateada consigo mesmo por ter achado que a mãe era uma boa pessoa, que ela ficou completamente confusa.

— Você tem razão papai. — Amélia falou triste. — Ela é uma vadia. — Ela respirou fundo. — Eu... Vou dar uma volta pra raciocinar isso.

— Espera... — Ele a impediu de andar. — Você não está chateada comigo, não é?

A garota não respondeu, apenas saiu de casa e Axl se sentou no sofá derrotado.

Com Tyler, Colin e Alysson...

Eles estavam no carro indo para casa.

— Eu não quero ir pra minha casa agora. — Alysson disse para os meninos. — Não quero que meus pais me vejam assim.

— Podemos ir pra minha casa, minha mãe viajou com a mãe do Jake e meu pai deve estar na rua. — Colin falou.

— Então vamos pra lá. — Tyler falou enquanto dirigia.

— Você se sente melhor? — Colin perguntou olhando para Alysson que estava no banco de trás.

— Um pouco.

— Vai passar. — Ele falou apreensivo.

Com Jake...

Ele estava sentado no sofá de sua casa, brincando com a guitarra, quando escutou a campainha. Ele colocou ela no outro sofá e foi abrir a porta.

Assim que abriu, franziu o cenho.

— O que faz aqui? — Perguntou confuso.

— Eu precisava de um amigo pra conversar, mas Alysson, Tyler e Colin estão no show, e só tenho você. — Amélia falou.

— Então eu sou a sua última opção? — Perguntou erguendo a sobrancelha.

— Claro que não. — Ela falou e ele continuo a encarando. — Ta, talvez.

— Entra. — Ele falou dando espaço para ela passar.

Quando a morena entrou, ele fechou a porta e os dois foram se sentar no sofá.

— O que quer conversar? — Perguntou a encarando.

— Eu descobri a verdade sobre a minha mãe.

— Que verdade? — Perguntou curioso.

— Ela me abandonou. — Ela disse sem esboçar nenhuma reação. — Meu pai não disse o motivo, mas eu tenho certeza que eu era um encosto para ela.

— Uau... — Jake falou surpreso. — Eu nao imaginava.

— Nem eu. — Ela suspirou pesado.

A porta foi aberta e os dois se viraram para ver quem era.

— Estou atrapalhando alguma coisa? — Izzy perguntou fechando a porta.

— Não. — Jake falou.

— Tio Izzy, você sabia que minha mãe era uma vadia egoísta? — Amélia perguntou e Izzy ficou surpreso.

— Axl te contou a verdade?

— Contou.

— Como você está? — Perguntou preocupado.

— Decepcionada... Chateada. Nem sei mais o que eu sinto.

— E o seu pai?

— Está em casa, eu precisava ficar um tempo sozinha.

— Eu vou lá ver como ele está. — Izzy disse saindo.

Assim que seu pai saiu, Jake encarou Amélia, que parecia um pouco distante.

— Você vai ficar bem? — Ele a perguntou.

— Vou sim. — Ela afirmou o encarando. — Eu tenho o meu pai, e isso a única coisa que importa.

— Por que não diz isso a ele?

Com Colin, Tyler e Alysson...

Eles entraram na casa de Colin e deram de cara com Slash e Steven.

— Já voltaram? — Steven perguntou. — Antigamente a gente ficava a noite toda fora de casa e... — O loiro parou de falar quando percebeu a cara que os garotos estavam e os olhos avermelhados de Alysson.

— O que houve com você? — Slash perguntou confuso, mas ninguém respondeu, apenas desviaram os olhares. — Tyler? — Perguntou ao filho.

— Um garoto tentou abusar da Alysson. — Tyler disse suspirando. — Foi isso que aconteceu.

Steven e Slash ficaram boquiabertos com aquilo.

— Querida, você está bem? — Steven perguntou preocupado, se aproximando da garota.

— Estou sim, tio Steven. — Sorriu fraco. — Foi só um susto.

— Vem, vou fazer um chá pra você. — Steven falou a puxando para ir a cozinha.

Colin acompanhou os dois e Slash encarou seu filho. O moreno percebeu que o adolescente estava com as mãos sujas de sangue e ficou desconfiado.

— O que você fez, Tyler? — Perguntou chamando a atenção do garoto.

Com Izzy...

— Ela está com raiva? — Axl perguntou a Izzy.

Os dois estavam sentados na sala, tomando uma cerveja.

— Não. Ela parecia chateada, mas acho que não está com raiva.

— Eu não queria que ela soubesse disso. — Suspirou derrotado. — Mas uma hora ou outra eu ia ter que falar a verdade.

— Relaxa, Axl. — Izzy falou encarando o amigo. — A Amélia sabe que você fez isso para protegê-la, ela é esperta.

— Eu sei. — Falou dando um gole da cerveja. — Sabe, eu ainda tenho medo da Sarah voltar a querendo de volta.

— Acha que ela faria isso?

— Tenho quase certeza.

Com Amélia e Jake...

— Se serve de consolo, meus pais estão meio estranhos.

— Como assim? — Perguntou encarando o amigo.

— Eles estão meio distantes, sabe? Brigam bastante, ela vive viajando e ele não se importo. — Falou chateado. — Meu pai não se importa com nada.

— Como se você fosse diferente. — A morena comentou revirando os olhos.

— Como assim?

— Jake, você também não se importa com nada, está cagando pra tudo, você sempre foi assim então não pode reclamar do seu pai.

— Mas ele não me dá atenção! Eu sei que não sou o filho mais perfeito do mundo, mas uma coisa eu te garanto, você tem sorte.

— Por quê? — Perguntou confusa.

— Porque o seu pai se importa com você. Ele não é super protetor como o tio Duff, nem zoeiro como tio Slash e Tio Steven, e nem desligado como o meu pai. Ele é um pai "normal". — Fez aspas no ar e ela riu. — Ele se preocupa, te protege, brinca com você e é sincero. — Ele disse se virando para ficar de frente para ela. — Então vai lá e conversa com o seu pai.

As palavras de Jake deixaram Amélia pensativa.

Com Slash...

— Eu não sei o que deu em mim... — Tyler falava com Slash. — Eu... Eu fiquei com tanto ódio que não pensei em socar a cara daquele idiota.

— Assim como fez no colégio.

— É... — Disse triste. — Desculpa te decepcionar, pai.

Slash suspirou derrotado e abaixou a cabeça. Ele não sabia o que fazer, mas sabia que aquilo fazia parte de ser pai. O moreno tinha cuidar do seu filho, aconselhar e fazer de tudo por ele.

— Não precisa se desculpar, eu entendo o motivo de ter feito isso. — Falou o encarando. — Se esse garoto vier falar algo com você, de processo ou qualquer coisa do tipo, não faça nada, apenas me avise e não se preocupe com sua mãe, ela não vai ficar sabendo de nada.

— Obrigado, pai. — Tyler disse sorrindo fraco.

— Você gosta dela, não é? — Slash perguntou. — Da Alysson.

— Eu não sei mais, mas não importa, ela não me dá bola.

— Bom, se for pra ser, vai acontecer. — Slash falou sorrindo e deu dois tapas de leve no ombro do filho. — Vem, vamos para casa.

Os dois chamaram Alysson para ir. Colin ficou com seu pai e Slash foi levar Tyler primeiro em casa, pois ele estava muito cansado.

Assim que chegaram, o moreno deitou em sua cama e ficou encarando o teto, até que a porta foi aberta e Tyler viu Alysson entrando.

Ela se sentou ao seu lado, e o encarou.

— Eu queria te agradecer por hoje.

— Não precisa agradecer, meu trabalho é te proteger. — Ela riu.

— Não, não é. Eu fiquei assustada quando você começou a bater nele várias e várias vezes, mas agora eu queria ter feito o mesmo que você, ele era um idiota e mereceu aquilo.

— Ele merecia mais.

— É... — Ela riu. — Obrigada.

A loira se inclinou e deu um selinho demorado nele. O moreno ficou surpreso na hora, mas resolveu aproveitar aquele momento. Ela se separou dele e sorriu.

— Eu tenho que ir. Até segunda.

— Até. — Ele falou sorrindo e ela saiu correndo dali.

Com Axl...

Ele estava estava na cozinha, tomando outra cerveja, sozinho. Izzy já havia ido embora. O ruivo saiu da cozinha, foi para a sala e antes de se sentar no sofá, viu Amélia entrar.

— Ainda bem que voltou — Axl começou. — Pensei que não fosse... — Ele parou de falar quando a morena se aproximou e o surpreendeu com um abraço bem apertado.

— Eu te amo. — Ela disse ainda o abraçando e ele sorriu.

— Eu também te amo.

— Desculpa ter saído daquela maneira. — Ela disse desfazendo o abraço para encara-lo. — Eu estava um pouco chateada, mas agora não importa mais. O importante é só você, pai. Eu estou pouco me fudendo para essa tal de Sarah, porque você é a única coisa que importa pra mim.

O ruivo ficou sem palavras, ele não imaginava que Amélia fosse falar aquilo, era surpreendente e ele não pode conter a felicidade.

— Você também é a única coisa que importa pra mim, desde que apareceu na minha vida, se tornou a minha prioridade. — Ele disse e depositou um beijo em sua testa.

A garota sorriu e ele também.

— Quer continuar ouvindo os discos?

— Vou deixar para amanhã, estou um pouco cansada.

— Tudo bem. Amanhã escutamos então.

O ruivo foi se sentar no sofá e Amélia caminhou em direção as escadas, mas antes de subir, ela parou e se virou.

— Pai? — Ela o chamou.

Axl apenas se virou e a encarou.

— Obrigada por me amar. — Ela disse e subiu.

Axl sorriu e ficou aliviado por tudo ter dado certo no final.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...